A A A C
email
Todos os posts escritos por Alexandre Roque de Araujo
Retornando 114 resultados para o autor 'Alexandre Roque de Araujo'

Quinta-feira, 26/07/2018

ALFArte - Alfabetização com Arte na 1ª CRE

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, alfabetização, artes..

 

Projeto Articula diversos saberes, desenvolvendo nas crianças a capacidade criativa.

 

 

ALFArte é um projeto pesquisa-ação, criado pela 1ª Coordenadoria Regional de Educação da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, onde as linguagens artísticas permeiam a alfabetização, facilitando a aprendizagem de uma forma lúdica. A estratégia de sensibilizar através de uma leitura de mundo com olhar criativo, nasce da preocupação em um planejamento articulado e em conjunto entre as diversas áreas do conhecimento.

 

Valeria Jaconiano, gerente da Gerência de Educação, propôs o desenvolvimento do Projeto e diz:

“Considero imprescindível um trabalho coletivo entre o professor regente e o professor de Artes, a fim de contribuir nos processos de ensino e da aprendizagem. Nosso filho então nasce: ALFArte! Nasceu vigoroso, cheio de sensibilidade, desejoso de articulações e objetivando as concretizações dos saberes, que iluminam e propiciam a formação humana.”

 

Apresentação do Projeto, com a presença da Coordenadora Fátima Sueli, do Assessor-Adjunto, José Luiz e da Gerente de Educação, Valéria Jaconiano.

 


Esse Projeto, construído por professores de Artes, coordenadores pedagógicos, Núcleos de Artes e Alfabetizadores da 1ª CRE, pretende promover a articulação dos conhecimentos prévios dos educandos, com as linguagens artísticas. A avaliação dialógica entre o aspecto cognitivo e socioemocional, se dará pelas apresentações dos processos e produtos construídos na interdisciplinaridade e pela autoavaliação consciente das competências socioemocionais alcançadas.

 

 


O desenvolvimento se dá a partir da criação de uma mandala ALFArte, ferramenta pedagógica que articula 4 círculos concêntricos e dinamiza diversas combinações entre eles, formando raios, propondo variadas sugestões de planejamento, que com criatividade se desdobram infinitamente. O colorido dos aros define as 4 etapas que se articulam: o 1º traz os significados (o conhecimentos prévios dos alunos), o 2º as linguagens abrindo portas , o 3º as produções e processos e o 4º as habilidades socioemocionais.

 

As mandalas são de origem sagrada, tem um ponto central e ao seu redor apresentam um desenvolvimento simétrico. A mandala ALFArte tem como foco a leitura, escrita e interpretação, formando uma verdadeira rede de saberes, onde os educadores de diversas áreas planejam juntos para alcançar esse objetivo.

 

 


A inspiração veio da Mandala dos Saberes do MEC (Pressupostos para Projetos Pedagógicos de Educação Integral REDE DE SABERES MAIS EDUCAÇÃO), que busca a educação integral. A intenção é que ela seja um instrumento de auxílio e de orientação à construção de estratégias pedagógicas.(http://educacaointegral.org.br/na-pratica/wp-content/uploads/2017/08/metodologia-complementar_jogo-mandala-dos-saberes.pdf

 


Mandala ALFArte propõe um planejamento conjunto entre professores Alfabetizadores, de Artes, da Sala de Leitura, de Educação Física e outras linguagens, pensando nesse processo interdisciplinar que traz mais significado, estímulos, motivação, envolvimento e pretende proporcionar um aprendizado mais efetivo, onde a escola se torna protagonista e produtora de cultura e desenvolvimento humano.

 

 

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO:

 


O projeto pesquisa-ação começa se desenvolver em 5 escolas piloto da 1ª CRE, onde a equipe é estimulada para planejamentos coletivos, articulados com diversas linguagens e a criação autônoma pelas escolas de estratégias para o crescimento do aprendizado. Cada escola recebe sua mandala e é convidada a personalizá-la com o seu projeto.

 

Apresentaçõ do Projeto nas Escolas Piloto

 


A proposta é inovadora e sustentável, porque mantém a estrutura que existe nas nossas escolas e integra na hora de planejar, buscando dinâmicas de Projetos Coletivos Criativos entre todas as disciplinas, proporcionando a aprendizagem cooperativa e a educação integral do aluno. A Mandala é dialógica, vai além da educação autocentrada, revê processos e cria uma comunicação entre várias mãos. Ao trazer o repensar no agir em sala de aula, suscita a realização de novas descobertas a cerca de um planejamento que tenha a metacognição, a arte, a pesquisa-ação e o desenvolvimento das competências socioemocionais, como princípios norteadores de novas práticas na escola.

 

Um pouco do material Produzido

 

 

 

 

Clique nas imagens abaixo para acessar  videos do Projeto:

 

 

VIDEO CIEP JOSÉ PEDRO VARELA: Gamificação

 

 

Trabalhando Habilidades Socioemocionais, com o professor Jean Bodin

 

 

Artes e Produção de  Texto: PEJA Calouste Gulbenkian

 

 


Para Saber Mais:

Gerência de Educação: 2233-4839

 

 

Clique na Foto Abaixo e acesse o Blog, onde você vai encontrar todos os detalhes do ALFArte – Alfabetização com Arte 1ª CRE:

 

 

 

 

Contato para publicações:

 


  


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/07/2018

Crianças e o Mundo

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores, projetos.

 

Projeto Anual de Espaço de Desenvolvimento Infantil propõe um passeio por diversas regiões, visitando aspectos culturais e geográficos.

 

O Espaço de Desenvolvimento Infantil Zélia Gattai, localizada na comunidade do Fogueteiro, zona Central da Cidade do Rio de Janeiro, está desenvolvendo nesse ano de 2018 o Projeto “Crianças e o Mundo”, com o objetivo de impulsionar o interesse e o respeito por diferentes culturas e modos de vida, ampliando as relações interpessoais, tornando a empatia pelos outros um norteador, levando as crianças a perceberem que as pessoas têm diferentes formas de viver, agir e pensar.

 

 


O projeto está dividido em quatro grandes etapas, com pequenos subprojetos. São eles “Do Fogueteiro para o Mundo”, “O mundo em festa”, “Artes que o mundo inspira” e, encerrando o ano, a “Feira de Troca: trocando com o mundo”.

 

 

Atividade Estamparia Africana

 

E assim várias atividades vão sendo desenvolvidas, costurando o grande tema gerador. Na atividade “Estamparia Africana”, por exemplo, a professora Geisa fez um recorte sobre um encanto no mundo, que é a estamparia, usando símbolos adinkras. Foi escolhido símbolos com histórias bonitas, com valores universais de boa convivência. Na mistura de Poema + Desenho , o Desenhema, as crianças desenharam os poemas... E ficaram encantados.

 

 


“Eu vejo o mundo. Eu vejo o mundo em mim”, outra atividade, organizada pela professora Rafaela Pinto, nasceu do interesse da turma de desbravar as semelhanças e diferenças existentes entre os diferentes povos do mundo. A turma viajou por meio de fotografias, vídeos e livros de histórias que retratam as diferentes formas de se vestir, comer e de viver. A equipe levou diferentes objetos e elementos culturais para as nossas rodas de conversas e direcionar o enfoque das pesquisas para as diferentes infâncias no mundo, buscando curiosidades sobre as formas que as crianças brincam, se vestem, se banham e se alimentam ao redor do mundo.

 

 

E assim segue o projeto, que ao longo do ano promoverá diversas atividades e subprojetos, despertando a curiosidade e a interação de nossas crianças com outras culturas, outros modos de viver.

 

Criança observa produção 

 


Alguns depoimentos demonstram a empolgação pelo projeto:


“Eu adorei ver a Thaylla vestida de africana. Não porque ele é minha filha não, mas é a mis linda (risos)”, falou dona Elisângela, mãe da aluna Thaylla. A aluna Mirelly nos fala: “eu adorei o guarda-chuva do Frevo. Vou pedir pra minha mãe comprar um colorido igual”.

 


Para saber mais:

EDI ZÉLIA GATTAI AMADO

Diretora: Alzineia Sheila Teixeira Alves

Diretora-Adjunta: Karen da Silva Pinheiro

Telefone: 2224-0979

E-mail: edizgattai@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 09/07/2018

Família na Escola

Tags: 1ªcre, eventos, familia.

 

Evento que une Família e Escola faz parte do Calendário de Escola da Rede em Santa Teresa.


A fim de proporcionar maior envolvimento dos responsáveis e membros da comunidade escolar com as atividades desenvolvidas e promover o sentimento de pertencimento, a Escola Municipal Julia Lopes, localizada no aprazível bairro de Santa Teresa, desenvolve semestralmente o projeto Família na Escola.

 

 


Família na Escola é uma atividade que já faz parte do calendário da Unidade Escolar, que atende do 1º ao 6º Ano Experimental do Ensino Fundamental, em turno Único.

 

 

Durante o evento, os responsáveis são convidados a participar de oficinas diversas na companhia de seus filhos, criando maior interação, participação e maior valorização de todos pelas atividades desenvolvidas pela escola.

 

 


As oficinas são oferecidas por parceiros da própria comunidade, convidados e também por alguns professores. A cada edição, o envolvimento e participação da família só aumenta. São contações de histórias, rodas de leituras, participação da hora da refeição. Momentos importantes da rotina da escola, partilhados com os responsáveis.

 

 

 

“Proporcionar as famílias um dia ao lado dos filhos, participando da rotina da escola é muito gratificante. Como diz Paulo Freire: “Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante”, nos falam as gestoras da unidade, professoras Rosângela e Poliana.

 

 

 

Parabéns pela iniciativa E.M Júlia Lopes !

 

Para Saber Mais:

Escola Municipal Júlia Lopes de Almeida

Diretora: Rosângela Favorita

Diretora-Adjunta: Poliana Valladares

Coordenadora Pedagógica: Cristiane Fóca

Telefone: 2225-2412

E-mail: emjalmeida@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 25/06/2018

Samba e História

Tags: 1ªcre, eventos, projetos.

 

Projeto Pedagógico comemora os 90 Anos da Estação Primeira de Mangueira

 

Com o objetivo de articular conhecimentos do contexto sociocultural da comunidade, atravessando diferentes aspectos pedagógicos e multidisciplinares, de forma a sensibilizar o aluno para o desenvolvimento da criticidade, memória, identidade e cidadania e desenvolver a prática da pesquisa histórica e musical tendo como eixo norteador o aniversário de 90 anos da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, motivando os alunos ao reconhecimento do gênero samba no cenário social e cultural do Rio de Janeiro, com suas particularidades, intérpretes e composições, toda comunidade escolar da E.M. Marechal Trompowsky, com apoio da equipe gestora, se envolveu no planejamento e implantação do Projeto MANGUEIRA, 90 Anos de Samba e História.

 


O projeto pretende desenvolver um conjunto de atividades em homenagem aos 90 anos de fundação da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueir. As atividades foram iniciada no mês de abril e percorreram os demais meses do ano com seu encerramento em setembro de 2018. O fato da Escola Municipal Marechal Trompowsky estar situada na própria comunidade da Mangueira viabiliza a pertinência e o sentido de buscar um entrelaçamento de conteúdos pedagógicos que permeiam a história do samba, da escola de samba e da própria comunidade.

 

 


Dando início às nossas atividades, foi realizada uma exposição com trabalhos dos alunos e outros elementos cenográficos. A exposição foi inaugurada no dia 27 de abril com apresentações à comunidade escolar. Algumas atividades foram realizadas nesse período como: montagem de mural com desenhos de bandeiras com as cores verde e rosa (turmas 1401 e 1402); montagem de mural com criação de palavras a partir da técnica do acróstico com a palavra MANGUEIRA (turmas 1501 e 1502); construção de um painel apresentando a comunidade, sua geografia, casas, população e arredores (turmas 1601 e 1602). O 6º ano experimental também participou da abertura do evento e do projeto com a apresentação da exposição e a coreografia do samba enredo “Atrás da verde e rosa só não vai quem já morreu”.

 

 


Dentre as ações do projeto, ainda estão previstas:


• Debate coletivo sobre o do surgimento do samba na Comunidade da Mangueira;


• Pesquisa sobre os preâmbulos simbólicos e históricos da organização e fundação da Escola de Samba;


• Resgate da memória dos fundadores da Escola de Samba;


• Debate livre com audição de DVD sobre o aparecimento do samba, suas raízes e historicidade;


• Discussão e estudo sobre a estrutura de trabalho na escola de samba, observando suas profissões e as peculiaridades da rotina de trabalho;


• Atividade de audição, leitura de letras e canto coletivo de sambas enredo;


• Montagem coreográficas com as turmas participantes do projeto;


• Desenvolvimento de um repertório de diferentes compositores e intérpretes do gênero samba, pelos alunos das oficinas de canto coral e percussão.

 


A comunidade abraçou o projeto, podemos perceber a partir de alguns dos depoimentos:


“Percebi o empenho e a motivação dos alunos que participaram ativamente da confecção das bandeiras verde e rosa, e que abrilhantaram os murais da nossa escola. Fico contente em ter vivenciado um momento tão marcante para nossa comunidade escolar” Profa. Andréa Telepho – turmas 1401 e 1402.


“Gostei muito da exposição e achei muito interessante porque fala da escola de samba da Mangueira e de nossa comunidade. Achei legal as fantasias e o painel do Morro da Mangueira feito pelos alunos do 6º ano” Lorraine Magalhaes Barbosa – aluna da turma 1601 – 6º ano experimental.


“Gostei muito porque o projeto é o retrato da comunidade. Na árvore genealógica dos alunos são bisavós, avós e pais que estão inseridos no contexto do samba (identidade). Os conteúdos inseridos no projeto abarcam a matemática - através da linha do tempo, a geografia - com o mapa do município, a história e língua portuguesa - na letra do samba” Prof. Etiene Solange Freitas– 6º ano experimental.


“Sou bisneta direta do 1º presidente fundador da Escola de Samba da Mangueira, Sr. Saturnino Gonçalves e neta de D. Neuma – a tia Nelma da Mangueira. É uma honra dirigir a escola Marechal Trompowsky e saber que alunos e professores empreendem nesse projeto uma jornada de pesquisa, tanto de caráter pedagógico quanto cultural, na busca de saberes da memória do acervo do samba. Fiquei muito feliz” Profa. Adair Machado – diretora.

 

 


PARA SABER MAIS:

ESCOLA MUNICIPAL MARECHAL TROMPOWSKY

Direção: Adair Machado

Direção-Adjunta: Adriana Serafim

Professor : Nilson Roberto

Telefone: 2214-1638

E-mail: emtrompowsky@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share