A A A C
email
Todos os posts escritos por Ana Accioly
Retornando 80 resultados para o autor 'Ana Accioly'

Sexta-feira, 25/03/2016

Acolhimento, uma Questão de Gestão

Tags: 4ªcre.

 

 

 

 

Boas-vindas bem planejadas para garantir a acolhida dos alunos nos primeiros dias de aula e estabelecer o vínculo positivo com a escola. O ato de acolher é um cuidado inerente ao projeto educativo da instituição e um indicador de qualidade do serviço prestado por ela.

 

"A afetividade é inerente ao ser humano. Ainda hoje podemos atiçar esse fogo dentro de nossa alma. Assim fazendo, poderemos aquecer corações frios bem próximos de nós."
Antonio Francisco

 

Para a criança entrar na creche, pré-escola e mesmo na escola significa um processo ativo de construção de novos conhecimentos e de vínculos. Quando a criança chega na instituição ela já tem expectativas sobre o comportamento dos adultos, das outras crianças e até mesmo da forma de se relacionar com os objetos e brinquedos, pois ela já construiu referências a partir de suas vivências e experiências, mesmo que seja uma criança bem pequenina, um bebê. Ela só precisa de um tempo para que conscientemente fique claro para ela as diferenças entre sua casa e a escola, assim como para que ela transfira seus sentimentos básicos de confiança, de segurança para alguém, na qual este tempo é bastante individualizado.

 

A GED 4ªCRE Mostra como Acolher na Prática e com isso Construir os Laços que Fortalecerão a Parceria entre Escola e Família

 

1ºEncontro de Gestores das Unidades de Educação Infantil

 

"Durante o acolhimento temos uma oportunidade ímpar de conhecer nossas crianças e estreitar os laços com as suas famílias, além de estruturar práticas pedagógicas que garantam às crianças um atendimento de qualidade permeado, pela a afetividade que o trabalho com a primeira infância requer.

Nessa perspectiva, a Gerência de Educação da 4° CRE realizou o 1° Encontro DecolEI 2016, para os Gestores da Educação Infantil. No encontro foi apresentado o planejamento das ações de formação e acompanhamento do DecolEI, com todo o cronograma para um ano letivo de muitas interações e trocas. No segundo momento para o acolhimento dos gestores, a palestrante Maria Alcinéa Andrião Trotta, psicóloga e fonoaudióloga, apresentou a temática: Os desafios do Acolhimento. Com o objetivo de subsidiar os gestores da Educação Infantil em transformar esse período tão especial e delicado, em um tempo de alegria, de possibilidades, de desenvolvimento e de ampliação dos conhecimentos e das relações entre bebês, crianças, famílias e adultos das instituições envolvidas.

 

Da esquerda para a direita,  professora Leticia (GED 4ªCRE), palestrante Maria Alcinéa Andrião Trotta e professora Shirlei Machado (GED 4ªCRE)


A equipe gestora é peça fundamental, pois é ela que articula a comunidade educativa em prol do acolhimento dos pequenos, seus familiares e profissionais.

A equipe da Educação Infantil da 4ª CRE fortalece, com o projeto DecolEI, o acompanhamento pedagógico, ratificando o papel do Educador.

O educador é o adulto, que acolhe, nutre, sustenta e confronta amorosamente o educando. Cabe então ao educador, oferecer condições que potencializam o processo de auto-desenvolvimento do educando. O educador cria o espaço da receptividade viva para o educando, oferecendo-lhe condições para que se sinta num espaço seguro, sem ameaças, julgamentos ou desqualificações, tendo em vista, através de atos e de atividades educativas aprender e, consequentemente, desenvolver-se. (Luckesi, 2002)" Texto enviado pela professora Shirlei Machado - Gerência de Educação da 4ªCRE.

 

"O ambiente social da criança codetermina a sua existência e fornece o primeiro meio de satisfação das suas necessidades." Henri Wallon    

 

Um espaço escolar democrático, torna-se fonte inesgotável do aperfeiçoamento da convivência humana, tendo na educação sua maior sustentação e por isto a prática do acolher deve ser valorizada como uma prática política e pedagógica em todas as escolas.
 

 

 

Ana Accioly - Representante Rioeduca da 4ªCRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 
 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Sexta-feira, 01/01/2016

Tarde de Autógrafos no EDI Morro da Fé

Tags: 4ªcre.

 

 

 

 

Antes de aprender a palavra escrita, as crianças já mantêm relação com vários textos. Portanto, ler e escrever estão condicionadas ao repertório dos leitores/escritores. Daí apostar na oferta de experiências culturais diversas é, de fato, um caminho promissor.

 

 “É criativa uma mente que trabalha, que sempre faz perguntas, que descobre problemas onde os outros encontram respostas satisfatórias”. 

Lev Vigotsky

 

Professora Petronilha com as crianças do EDI Morro da Fé.

 

O educador deixa de ser um transmissor de informações, e passa a disponibilizar meios e modos de participação, propondo e orientando projetos de trabalho, acompanhando e estimulando as crianças e, ainda, oportunizando-lhes diferentes formas de interação e práticas culturais.

A leitura na escola deve ser marcada por momentos lúdicos e prazerosos no contato das crianças com os textos literários, tendo como consequência próxima o estímulo à formação do futuro leitor.

Professoras Adriana, Maria Amélia e Petronilha na hora dos autógrafos.

 

Nessa perspectiva, a equipe do EDI Morro da Fé organizou com a professora Petronilha Alice Meirelles uma tarde de autógrafos para que enriquecer ainda mais as práticas literárias que esse espaço escolar promove junto às crianças. Sob esse olhar visionário, o educador assume a tarefa de aumentar o repertório dos educandos, facilitar a aprendizagem, gerar condições e ambiente para o estabelecimento de articulação entre informações e conexões múltiplas, análises e sínteses.

A experiência escolar deve contribuir para que a criança saiba se expressar de formas diferentes, em linguagens diferentes. Para tal, apostamos no acesso aos diferentes tipos de textos para estimular e levar à produção de conhecimento, na qual a criança se torna capaz de, oralmente ou por escrito, verbalizar seu prazer de ler e/ou suas aprendizagens a partir do que foi lido.

Professora Petronilha e as crianças do EDI Morro da Fé.

 

Esse tipo de atividade é a ferramenta ideal para que, a partir do momento em que a criança tenha o acesso ao mundo da leitura, ela passe a buscar novos textos literários, faça novas descobertas e, consequentemente, amplie a  compreensão de si e do mundo que a cerca.

 

Parabéns a todos da equipe EDI Morro da Fé e à professora Petronilha Alice Meirelles que, com essa atividade, buscaram orientar as crianças para uma sociedade plural, de diferenças e em permanente mudança no que diz respeito, sobretudo, ao universo literário.

 

 

Espaço de Desenvolvimento Infantil Morro da Fé
Telefone: (21) 3458-1406
e-mail: cmmfe@rioeduca.net
Endereço Rua Maturaca, 366 Penha Circular - CEP: 21210-360

 

 

Ana Accioly - Representante Rioeduca da 4ªCRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 
 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Sexta-feira, 18/12/2015

A Creche Municipal Manguinhos no Castelo Rá-Tim-Bum

Tags: 4ªcre.

 

 

 

As crianças da Creche Manguinhos visitaram a exposição Castelo Rá-Tim-Bum no CCBB. O evento é uma homenagem aos 20 anos da série infantil, e abriga cenários, fotos, figurinos e objetos do programa exibido pela TV Cultura de 1994 a 1997.

 

“O começo da elaboração crítica é a consciência do que realmente somos, quer dizer, um 'conhece-te a ti mesmo' como produto do processo histórico desenvolvido até agora, e que deixou em ti uma infinidade de marcas recebidas, sem benefício do inventário. É preciso efetuar, inicialmente, esse inventário”.

                                                                                                             Antonio Gramsci (2001)
 

 

 

O conceito de aula-passeio foi criado por Freinet, nascido justamente da observação de que as crianças para quem lecionava, que se comportavam tão vividamente ao ar livre, pareciam desinteressadas dentro da escola.

Dessa forma, os passeios são uma continuidade do que se está trabalhando dentro da escola, tornando-se uma forma da escola abrir as portas para o mundo do lado de fora, transformando os alunos em exploradores com um olhar diferenciado.

 

 

Além disso, o acesso à cultura exerce grande influência sobre diversos aspectos no desenvolvimento das crianças, desempenhando também um importante papel no desenvolvimento socioemocional, estimulando ou desencorajando certos comportamentos.

Nessa perspectiva, a Creche Municipal Manguinhos prioriza a abertura da escola à cultura de seu território, valoriza a pluralidade e a diversidade cultural local e o intercâmbio do espaço escolar com as produções e produtores de cultura na sociedade entendendo que esses são alguns caminhos para unir educação e cultura.

 

 

Ainda sob essa ótica e com base nos pressupostos da teoria de Vigotsky, todos os indivíduos tem uma enorme capacidade de agir no mundo de forma simbólica em todos os momentos de sua vida, orientando-se na busca de um sentido para sua vida. 

Por isso, apostamos na educação que auxilia no desenvolvimento histórico-cultural de cada uma das crianças, já que estas estão imersos numa dinâmica cultural, que faz parte de um amplo universo de representações.

 

 

Parabéns a todos da equipe C. M. Manguinhos, por promoverem a ampliação dos bens culturais da nossa cidade entre as crianças.

 

 

CRECHE MUNICIPAL MANGUINHOS
Endereço: RUA LEOPOLDO BULHOES, 952 PQCARLOS CHAGAS - MANGUINHOS
Telefone: 21 38859327
Rio de Janeiro / RJ 

 

 

                          Ana Accioly - Representante Rioeduca da 4ªCRE                          anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Sexta-feira, 04/12/2015

Uma Lacuna no Museu

Tags: 4ªcre.

 

 

 

Numa ação pioneira, o Museu da República lançou o projeto "PEJA, uma lacuna no museu", em parceria com a rede municipal de ensino da Prefeitura do Rio de Janeiro. O projeto é voltado para estudantes do Programa de Educação de Jovens e Adultos.

 

"A educação contribuiu consideravelmente para fundamentar e para manter a ideia de progresso como processo de marcha ascendente na História; assim, ajudou a sustentar a esperança em alguns indivíduos, em uma sociedade, em um mundo e em um porvir melhores."  Gimeno Sacristán (2001, p. 21)

 

Vale dizer que, embora a escola seja o local privilegiado da apropriação do conhecimento, ela não é o único na sociedade. Em grandes cidades, como o Rio de Janeiro, temos vários locais de acesso ao conhecimento. Existe, ainda, todo o conhecimento que pode vir por meio de equipamentos e projetos culturais.

Nesse contexto, um terceiro caminho para aproximar educação e cultura pressupõe a articulação da escola com esses vários locais de conhecimento, equipamentos e projetos de cultura, de forma que essa aliança traga um impacto positivo efetivo na aprendizagem dos alunos de uma forma geral, como é o caso da parceria efetivada entre o Museu da República e o PEJA do CIEP Gregório Bezerra.

 

O Museu da República vai ao CIEP Gregório Bezerra.

 

O projeto "EJA: Discentes Mediadores no Espaço Museal" (parte integrante do projeto "PEJA: uma lacuna no museu") foi idealizado pela professora Débora Lopes, e executado em parceria com o Museu da República.

Um grupo de discentes participou do curso de formação para debater e discutir temas necessários para a atividade de mediação a fim de executá-la no sentido de construir conhecimentos e experiências de modo partilhado.

Com o término do curso de formação, as alunas mediadoras convidaram seus colegas para visitarem o museu. A visita mediada, pelas alunas da EJA para os alunos da EJA, aconteceu na última semana.

O Museu da República, em uma ação pioneira no Rio de Janeiro, tem objetivado melhorar o acesso dos sujeitos da EJA à instituição, entre outras ações, com funcionamento noturno do espaço. Nesse primeiro momento, visitaram o espaço o CIEP Gregório Bezerra e o Centro Municipal de Referência de Educação de Jovens e Adultos, unidades parceiras do Museu da República nesse projeto. Agradecemos de modo especial a todos os envolvidos.

 

O CIEP Gregório Bezerra vai ao Museu da República

 

Ontem iniciamos a visitação à exposição itinerante de banners que recebemos do Museu da República, ação importante do projeto "PEJA: uma lacuna no museu". As alunas Patrícia Domingos e Cícera Dourado, como mediadores da exposição, despertaram a curiosidade, trocaram ideias com os colegas, ajudaram a refletir sobre o patrimônio como um direito de todos, construíram conhecimentos de modo partilhado. Aproveitaram a ocasião para convidar os colegas a visitar o Museu da República na próxima semana.

Texto da professora Débora Lopes, do CIEP Gregório Bezerra

 

Não há educação que não esteja imersa na cultura da humanidade e, particularmente, do momento histórico em que se situa. A reflexão sobre esta temática é co-extensiva ao próprio desenvolvimento do pensamento pedagógico. Não se pode conceber uma experiência pedagógica “desculturizada”, em que a referência cultural não esteja presente. 

A escola é, sem dúvida, uma instituição cultural.

 

 CIEP Gregório Bezerra R. Plínio de Oliveira, s/n - Penha, Rio de Janeiro - RJ, CEP 21070-040 Tel.: (21) 3885-8591


  Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Ana Accioly - Representante Rioeduca 4ª CRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)