A A A C
email
Todos os posts escritos por Angela Regina de Freitas, Representante da 3ª CRE
Retornando 39 resultados para o autor 'Angela Regina de Freitas, Representante da 3ª CRE'

Sexta-feira, 02/11/2012

Preparando Cidadãos

Tags: 3ªcre, educaçãoinfantil, creches.

 

 

A democracia é um exercício diário de escolhas. É preciso exercitar a capacidade de decidir o melhor para si próprio e para o grupo. Toda a sociedade é afetada por essas escolhas. A Creche Municipal Nosso Cantinho, da 3ª CRE, escolheu formar cidadãos. Confiram!

 

 

 

O processo democrático é baseado na representatividade. São escolhidos, entre nossos pares, aqueles a quem daremos um voto de confiança. Cabe aos escolhidos cumprir bem esse papel e, a nós, cobrarmos e fiscalizarmos todas as ações nesse sentido.  A Creche Municipal Nosso Cantinho, dando continuidade ao projeto Greminho, realizou suas eleições aprofundando ações para preparar os cidadãos do futuro.


Como tudo que envolve a Educação Infantil, a ludicidade esteve presente, mas as crianças sabem que o assunto é sério. Elas elaboraram, em produção coletiva e ilustrada, uma carta com as reivindicações que julgaram mais pertinentes às suas necessidades e demandas.

 

 

 

 

 

 


Então, partiram para o exercício democrático de escolha de seus representantes. Aqui a escrita mostrou todo o seu papel social. Assinar a lista registrando sua presença e manifestar sua vontade escolhendo seu representante são alguns exemplos da importância da aquisição desse conhecimento, além da carta que registrava seus desejos. O momento era de compromisso com o próprio futuro. Cada voto depositado na urna levava muito mais do que o nome do colega que o representaria. Levava a esperança de ver seus pedidos atendidos. 

 

 

 

 

 

 

Mas o processo democrático não termina com o voto na urna. É preciso registrar a contagem dos votos e definir quem representará a coletividade. Mais um momento de aprendizagem da importância do registro na sociedade. Registro este que deve ser lido, entendido e consultado por todos a qualquer momento.

 

 

 

 

 

 

 

Também é preciso acompanhar o trabalho dos representantes eleitos. Nas turmas do Maternal II, as eleitas foram Angelina e Kauanny. Elas terão a missão de fazer, valer junto à direção da creche, todos os pedidos registrados na carta. E podemos conferir que eles são muito justos e ainda tem um recadinho sobre as qualidades do presidente do Greminho.

 

 

 

 

 

 

 

Muito bom saber que o nosso futuro está sendo bem preparado para exercer a cidadania com responsabilidade. Confiram mais ações da C.M. Nosso Cantinho no blog da escola.

 

 

 

 

 

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 31/10/2012

Sujeitos da Ação

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, artesvisuais, blogsdeescolas.

 

 

A arte de contar histórias nos encanta desde sempre. Na E.M. Reverendo Álvaro Reis, da 3ª CRE, os alunos encantam e contam histórias de uma maneira especial. Me acompanhem no próximo capítulo!

 

 

Há uns dez dias, o país parou para assistir ao final de uma novela de sucesso. Até mesmo quem não seguiu os capítulos anteriores, conhecia os personagens e viu-se envolvido pelo último episódio. Nossa índole humana nos leva a seguir histórias e não abandoná-las, ainda mais se forem bem contadas.

 

A Escola Municipal Reverendo Álvaro Reis pretende em seu projeto político pedagógico educar o aluno para a ação consciente sobre a comunidade em que vive, reconhecendo-se e ao outro com que interage. Na postagem Formando Valores através da Cultura Indígena, podemos ver um pouco deste trabalho.

 

Agora, vamos conhecer o projeto Sujeito da Ação, realizado pela professora Fabiana Costa da Sala de Leitura da escola. Com o objetivo de incentivar a leitura e a produção textual através da vivências das histórias, ela colocou os alunos para envolver-se em todas as partes da produção de uma fotonovela.

 

 

 

 

 

 

A fotonovela era um tipo de narração muito famoso na década de 1960 e 1970. Publicadas nas revistas mais famosas da época, faziam sucesso entre as leitoras. As crianças, nativas digitais, adoram a facilidade de produção que a informática e o acesso à tecnologia proporciona. Eles mesmos podem escrever, fotografar e editar suas produções.

 

A escolha dos temas e a produção dos diálogos ficou por conta da imaginação de cada grupo. O 1º ano, sempre envolvido em fábulas e contos de fadas ficou com "Enquanto Seu Lobo não Vem", canção popular na boca dos pequenos.

 

 

A turma 1401 resolveu registrar uma das lendas do folclore escolar: "A Loura do Banheiro". Assim desmistificam a lenda, ao repensá-la e vivenciá-la teatralmente.

 

 

 

 

 

 

A aluna Yasmim, da turma 1402, produziu o texto que foi encenado pela turma. "O Monstro" é uma narrativa com elementos do universo dos pré-adolescentes e elementos fantásticos. Os efeitos especiais também estão presentes.

 

 

 

 

 

 

 

A professora Fabiana Costa nos conta o passo a passo: “Este trabalho foi realizado em etapas específicas para cada grupo, que consistem em:

- Escolha do texto, contação da história, música e fotografia para o 1º ano.

- Escolha do texto, contação da história, elaboração do figurino e fotografia para o 2º ano.

- Aula sobre quadrinhos, produção textual, montagem, elaboração do figurino e fotografia no 3º ano.

- Escolha do gênero, produção textual, escolha dos melhores textos, dos grupos de trabalho (atores, figurino, cenário, informática) e fotografia no 4º ano.”

 

Assim, cada ano de escolaridade pode produzir de acordo com suas habilidades e potencialidades. A turma 1301 produziu a fotonovela "A Dorminhoca" é de autoria da aluna Marcele.

 

 

 

 

 

 

O prazer da produção textual com papel social e da leitura de textos produzidos por seus pares são grandes incentivadores para a fruição da leitura. As tarefas que envolveram a produção das fotonovelas resgatam nossa cultura, desenvolvendo a criatividade interpretativa e facilitando a capacidade de ação de cada aluno para o sucesso do trabalho. Os sujeitos da ação, nesee projeto, vão continuar interagindo na assimilação dos conteúdos e na construção de seus conhecimentos.

 

Para visualizar todo o projeto e as demais fotonovelas criadas, o blog E.M. Reverendo Álvaro Reis aguarda sua visita. Confiram as ações dos sujeitos e deixem seu comentário.

 

 

 

 

Contate-nos:

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 26/10/2012

Aprendendo com Luiz Gonzaga

Tags: 3ªcre, artesmusicais, artesvisuais, blogsdeescolas.


 

Ele andou por todo o país, dançou baião, xaxado e xerém e defendia a ecologia em prosa e verso. As escolas da  3ª  CRE aprenderam muito com Luiz Gonzaga no ano do seu centenário. 

 

 

Suas músicas não podem faltar em nenhuma festa junina que se preze.  Ele foi o homenageado deste ano e podemos ver toda a animação que suas canções trazem nos blogs das escolas: E.M. Carlos Gomes, C.M. Sylvia Orthof, E.M. Brigadeiro Faria Lima, E.M. Maria Braz, E.M. Oswaldo Cruz, C.M. Nosso Cantinho, E.M. José Marti, E.M. Brício FilhoE.M. Rubens Berardo e E.M. José Lins.

 

 

 

 

 

 

 

A mensagem do cancioneiro de Luiz Gonzaga vai muito além das músicas para a festa. Suas letras são bastante pedagógicas quando buscam nos ensinar o que é o baião e nos transportam, com emoção, ao sofrimento do nordestino com a seca, como em Asa Branca. Seu linguajar popular e muito bem estudado favorecem a identificação do povo brasileiro não só com o conteúdo, mas também com a forma que usa para transmiti-lo.

 

 

 

 

 

 

 

Suas visitas de Norte a Sul do país para divulgar sua arte nos deram canções que registram nosso folclore como o Boi Bumbá. Até um Pagode Russo, com a marca do bom humor, está entre suas viagens.

 

 

 

 

 

 

Retratou também as mudanças da adolescência no famoso Xote das Meninas. Ele certamente ficaria orgulhoso ao ver seu lado sustentável sendo lembrado em murais de material reciclado e seu Xote Ecológico na boca dos alunos que são o futuro de país.

 

 

 

 

 

Esta é apenas uma mostra das atividades realizadas pelas escolas da 3ª CRE. Ainda não teve oportunidade de conhecer a obra desse grande compositor brasileiro? O caderno pedagógico de Língua Portuguesa do 6º ano deste bimestre traz uma ótima compilação de suas obras. No vídeo, confiram o trabalho da professora Zenilda da sala de recursos da E.M. Brigadeiro Faria Lima.

 

 

 

 

 

 

Com certeza, Gonzagão, como é carinhosamente chamado, estará sempre em nossos corações. Ainda temos muito a aprender com ele. A E.M. Carlos Gomes registrou seu desejo.

 

 

 

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 24/10/2012

Estreitando Laços com o Povo Brasileiro

Tags: 3ªcre, escoladafamília, protagonismojuvenil.

 

 

A Escola Municipal Félix Pacheco da 3ª CRE continua estreitando laços e reconhecendo a identidade do povo brasileiro em seu projeto político pedagógico. Vamos nos identificar também?

 

Ano passado, tive o prazer de registrar o início do projeto Identidade do Povo Brasileiro da E.M. Félix Pacheco. Este ano, o projeto cresceu e se integrou ainda mais ao subprojeto Estreitando Laços Comunidade x Escola.

O projeto prevê que todo o trabalho do primeiro semestre da escola seja voltado para a cultura nacional com ênfase em nossas manifestações folclóricas. Entre agosto e setembro, as ações se intensificam na produção de material para a Feira Cultural da escola, que já está em sua segunda edição. Na verdade, a produção de conhecimento não para. Durante todo o ano, os alunos são estimulados na leitura de textos folclóricos e na construção de seus saberes através da cultura nacional. Identificando seus elementos, o aluno também se identifica com práticas, costumes e aprende a valorizar os diversos saberes, respeitando-os e conhecendo-os para crescer com eles.

 

 

 

 

 

 

 

Os personagens folclóricos, as brincadeiras e brinquedos populares foram o enfoque escolhido pela equipe da unidade escolar. Além disso, as danças folclóricas das cinco regiões do país também foram privilegiadas, sendo a melhor maneira para mergulhar no universo de cada uma delas. A identificação de cada personagem, suas características físicas e suas histórias foram registradas e apresentadas por cada turma. Assim, o saber é adquirido de aluno para aluno. E que prazer aprender algo novo que um colega ensinou! Após a apresentação, cada um pode conhecer de perto o resultado da pesquisa de cada turma.

 

 

 

 

 

 

 

As brincadeiras e brinquedos foram sendo trabalhadas ao longo do semestre nas aulas de Educação Física e de outras disciplinas. Petecas de jornal, fantoches, móveis de caixa de fósforos foram surgindo ao longo dos meses. Desafios com os da cama de gato, jogo feito com barbante entrelaçado nos dedos, movimentaram as aulas.

 

 

 

 

 

 

Ao mesmo tempo, o universo de cada região ia tomando conta das salas de aula, à medida que o estudo da dança de cada uma delas avançava. Afinal, como citado no blog da escola: “ No Brasil, a dança está diretamente ligada a história da nossa gente, pois representa nossas raízes: a mistura do índio, do negro e dos portugueses e desses três povos herdamos os costumes, as tradições e a cultura, transmitidos de geração em geração.
' O trabalho com danças folclóricas requer, assim como provavelmente qualquer outro conteúdo, que o professor apresente o contexto social em que a dança é executada na sua região de origem, o que apresenta múltiplas alternativas para o trabalho com alunos, desde a pesquisa em casa sobre a região em que a dança é praticada – o que engloba os costumes sociais, as comidas típicas da região, as práticas religiosas locais, entre outros – até o aprendizado da execução da dança. Nessa perspectiva, o que se propõe é enriquecer o aprendizado sobre a dança, ao invés de trabalhar o simples aprendizado da dança. Trata-se, então, de privilegiar o homem e sua produção cultural, em detrimento de uma cópia coreográfica despida de sentido.' (Fonte: http://educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/dancas-folcloricas-apresentando-cultura-por-meio-corpo-movimento.)


Os preparativos foram se intensificando ,assim como o orgulho em mostrar o trabalho realizado. Desde a coordenadora pedagógica Laís Coutinho até os alunos da Educação Infantil, todos valorizaram o saber adquirido a ser compartilhado.

 

 

 

 

 

 

 

A II Feira Cultural ocorreu no final de setembro. As produções dos alunos foram expostas no mesmo salão em que os dançarinos se apresentaram.

De norte a sul, todas as regiões foram contempladas. Confira no blog da escola as danças de cada uma delas. O destaque é a Feira de Mangaio que representou a feira livre, uma verdadeira instituição nordestina. Outro destaque foi o carnaval carioca com a música "Cidade Maravilhosa". Os pais que assistiram às apresentações, convidados a participar, puderam estreitar os laços com a nossa identidade nacional.

 

 

 

 

 

Para saber mais, acesse o blog da escola e veja as ações, sugestões e os vídeos com as danças. Vocês vão adorar!

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share