A A A C
email
Todos os posts escritos por Fernanda Pérez
Retornando 35 resultados para o autor 'Fernanda Pérez'

Quarta-feira, 07/11/2018

Fica a Dica: Livro Desenvolvimento Infantil 130 ideias para estimular brincando

Tags: dica, livro, desenvolvimento, infantil.

DESENVOLVIMENTO INFANTIL

130 IDEIAS PARA ESTIMULAR BRINCANDO

 

 

A dica de hoje é uma homenagem ao Dia dos Professores.


O livro “Desenvolvimento Infantil 130 ideias para estimular brincando” foi escrito por profissionais da área de saúde e educação, com a finalidade de oferecer uma variedade de atividades para o trabalho em grupo com a metodologia GROWING UP.


“Com base no método GROWING UP – que rege nossas intervenções no Móbile – Centro de Estimulação Infantil -, buscamos selecionar muitas das atividades que fazemos nos grupos terapêuticos. São atividades de fácil realização, com materiais muito baratos e fáceis de encontrar que estimulam o que consideramos mais importante para o desenvolvimento infantil pautado na saúde física e mental – O BRINCAR, mas o brincar com o olhar voltado para o desenvolvimento de todas as potencialidades do humano.”


Dividido em tópicos como A EXPERIÊNCIA DO BRINCAR – O CORPO NA AÇÃO LÚDICA, DESENVOLVIMENTO PSICOAFETIVO – UM SUJEITO EM CONSTRUÇÃO; DESENVOLVIMENTO COGNITIVO – O MUNDO DO SABER, entre outros, os autores apresentam não só como se desenvolve o brincar, mas também como se dá a evolução da criança nos campos da linguagem, psicomotor, psicoafetivo e cognitivo.

 

Parabéns aos envolvidos e em especial aos professores Fernanda Salgado, Gabriella Zaquieu, Isa Pinho e Renata Benigno pelo trabalho realizado.

Fica a Dica!


Conto com sua participação, professor(a). Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!
Até a próxima semana!


  


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 24/10/2018

Fica a Dica: Livro João Lambão

Tags: dica, livro, joão, poluição.

 

João Lambão

 

 

 

Ainda em comemoração ao mês do professor, a dica dessa semana é o livro “João Lambão”, escrito pela professora do Município do Rio, Arlete de Andrade.


O livro conta a história de João, que embora fosse bonitinho não tinha um pingo de educação, achava natural jogar lixo no chão.

 


“João chupava picolé, e zunia o palito com o pé. Onde o menino brincava, lá a sujeira se instalava.”

 

Um dia caiu uma chuva forte, mas tão forte que João não pode sair de casa e pela janela viu o lixo sendo arrastado. A TV mostrou que a cidade estava inundada, já que o lixo acumulado não deixava a água de ser escoada.


A professora explicou o lixo entope os bueiros e impede a água de passar. Um pequeno lixo pode não causar enchente, mas se cada uma fizesse sua parte...
Será que João aprendeu a lição?


Vamos falar um pouco sobre a Poluição?


Pode-se dizer que Poluição é a introdução de substâncias ou energia no ambiente, realizada pelo homem de forma direta ou indireta, capaz de provocar um efeito negativo no equilíbrio ambiental, causando danos à saúde humana, aos seres vivos e aos ecossistemas.


Vamos refletir um pouco sobre os nos nossos hábitos. Será que estou fazendo bem ou mal ao ambiente em que vivo?


Que tal ensinarmos aos nossos alunos os diferentes tipos de poluição, suas causas e consequências para o meio ambiente. O que podemos fazer para controlar os danos já causados? Como podemos melhorar nossa qualidade de vida e não comprometer as gerações futuras?

 

Fica a Dica!


Conto com sua participação, professor(a). Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!
Até a próxima semana!


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 10/10/2018

Fica a Dica: Livro O Reizinho do Castelo Perdido

Tags: dica, livro, reizinho.

 

Fica a Dica: O Reizinho do Castelo Perdido

 

 

A dica dessa semana é de dois grandes nomes da nossa literatura infanto-juvenil. A obra “O Reizinho do Castelo Perdido” é escrito por Maurício de Sousa com ilustrações de Ziraldo.


“Era uma vez um povo muito feliz e tranquilo que habitava um vale gramado e florido, cercado pelas altas montanhas. Esse povo era governado por um rei, igualmente feliz e tranquilo.”

O rei sempre escutava seu povo, avaliando cada pedido de forma justa e providenciando o que fosse necessário. Até que alguns súditos tiveram a ideia de manter o rei afastado do povo, julgando ser uma excelente jogada, uma vez que o monarca deveria ter mais pompa e circunstância, com um castelo luxuoso na montanha mais alta, uma sala de trono, ministros e conselheiros e uma guarda real.


E, não querendo deixar de atender os anseios do seu povo, o rei concordou, achando que os ajudaria.


Depois de anos de trabalho, finalmente o rei poderia se mudar. As pessoas se perguntavam como seria o luxuoso castelo e foram acompanhar o cortejo do rei até seu novo lar. Mas o sol estava forte e a subida era muito íngreme, assim as pessoas começaram a desistir, afinal não tinha nada lá na montanha, só o castelo.


A chegada não foi fácil, o rei estava chateado de ter que se afastar do seu povo e, mesmo contrariado, aceitou a opinião dos seus assessores que afirmavam que esse seria o melhor caminho para o reino.


O castelo era muito grande para as poucas pessoas que viveriam ali e a distância não ajudava na administração do reino, assim cada ministro desceria pela manha para ouvir o povo e voltaria no final do dia com as reivindicações dos súditos para deliberação do rei.


“- O povo quer água!
- Deem-lhe água!
- O povo quer saúde!
- Deem-lhe saúde!
- O povo quer transporte!
- Deem-lhe transporte!
- O povo quer educação!
- Deem-lhe educação!”

 

O rei estava cada dia mais insatisfeito com a distância que o separava dos súditos.


Os ministros começaram a ficar cansados das mesmas solicitações, por meses ouvindo as mesmas coisas do povo e do rei e resolveram que, por não haver grandes problemas, não era necessário continuar com o cansativo trajeto.


E o povo...


Como será que termina essa história?


O que esperar de um rei que não está perto para escutar seus súditos? E de ministros que estão mais preocupados com seu bem-estar do que com as pessoas que deveriam atender?


Na minha primeira dica, no dia 27/04, comentei o livro “Quando as cores foram proibidas” e sugeri que discutíssemos com nossos alunos a noção de Governo, responsabilidade, democracia e cidadania. Estamos em período de eleição, que tal retomarmos o assunto?

 

Fica a Dica! 


Conto com sua participação, professor(a). Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!
Até a próxima semana!

 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 09/10/2018

Mulher Cidadã: Eles por Elas, Elas por Elas, Todos por Tod@s

Tags: mulher, cidadã, elas.

 

Mulher Cidadã: Eles por Elas, Elas por Elas, Todos por Tod@s

 

A Gerência de Projetos de Extensão Curricular - GPEC promoveu um debate sobre o Direito das Mulheres e estudantes puderam presenciar explanação de diversas profissionais.

 

A culminância do Projeto Mulher Cidadã: Eles por Elas, Elas por Elas, Todos por Tod@s, uma das ações do Comitê de Gênero da Educação, realizado no auditório do CASS, foi de muito aprendizado e esclarecimento. Durante o evento, que ocorreu na manhã de 28 de setembro de 2018, foram exibidos vídeos sobre o combate à violência contra a mulher, empoderamento e a importância da mulher para a sociedade, entre outros. Os vídeos, de mais ou menos dois minutos cada um, foram realizados pelos estudantes da Rede Municipal de Ensino sob a supervisão de seus professores.

 

Após a exibição houve uma mesa de debates com a subsecretária de Políticas para Mulheres, Comba Marques Porto, a presidente do Conselho Estadual Pelos Direitos da Mulher (Cedim), Helena Piragibe, a psicóloga Marcia Fayad, do Departamento de Projetos Especiais do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, a jornalista Flávia Oliveira, da GloboNews, a fotógrafa Wania Corredo e a fotógrafa e historiadora Milla Dantas. Ambas fundadoras do Projeto Fotógrafas Brasileiras.

 

Na ocasião, as debatedoras falaram a respeito dos vídeos e do tema em questão para uma juventude atenta, que gostou muito do que ouviu conforme depoimento de alguns alunos e o relato da subsecretária. “Fiquei surpresa com o engajamento de tantos jovens. Estamos vivendo um momento de empoderamento feminino’’, disse ela. A jornalista Flávia Oliveira gostou de ver na plateia muitos estudantes. Um dos vídeos, inclusive, homenageava a própria Flávia por sua história de vida. “Acho que encontrar uma geração participativa é o caminho certo para conquistarmos a equidade entre homens e mulheres’’, disse ela.

 

 

     

 


A presidente do Cedim, Helena Piragibe, também falou da importância da educação nesse contexto e chamou a plateia a refletir sobre o tema. A historiadora e fotógrafa Milla Dantas disse que a quantidade de mulheres que são assassinadas todos os dias no Brasil é inadmissível e que é preciso modificar esse cenário. Wania Corredo explicou ainda que no início da carreira algumas pessoas diziam que o seu trabalho era para homem. Sou fotógrafa de front’’, disse ela, ganhadora de vários prêmios durante sua carreira como repórter fotográfica.


Um grupo de alunas da Escola Municipal Roma, em Copacabana, ganhadora do FECEM da 2ª CRE, fechou o evento cantando a música de própria autoria: “Juntas Somos Mais’’, e abriu uma faixa com uma forma de homenagear a vereadora Marielle Franco, assassinada neste ano.


O Projeto Mulher Cidadã é uma ação do Comitê de Gênero da Educação, do qual fazem parte Waleria de Carvalho (coordenadora), Rosana Moraes, Janne Viterbo e Thatiana Sant’ Anna, todas lotadas na Gerência de Projetos de Extensão Curricular (GPEC) da Secretaria Municipal de Educação.

 

Também estiveram prestigiando o evento a professora Elvira Monteiro, da 9 ª CRE, que foi por 10 anos coordenadora do Comitê de Gênero da Educação da SME, vários elementos de CRES e do órgão central, como a professora Patrícia Eichler, da Gerência de Alfabetização da, além da atriz e travesti Dandara Vital, integrante do Projeto Damas, implementado em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, entre outros.

 

 



 

 

Veja alguns depoimentos:

 

Emoção - “Foi maravilhoso participar da culminância deste projeto! Realmente emocionante, principalmente considerando a atual conjuntura política e de mobilização social. Que possamos estar juntas em outros eventos como este. Contem com nossa participação”. Sandra Mara Silva de Lima Mendes – E.M Medalhista Douglas Correia de Souza

 

Harmonia - “A iniciativa promovida pela SME-Prefeitura-RJ acerca da temática da mulher, colocando os discentes em contato exclusivo e pleno com os conceitos do Feminismo e incentivando-os na criação de obras audiovisuais, permitiu uma diferenciada produção de conhecimento, para além dos muros da Escola. Unindo servidores e alunos para a realização dos filmes, mostrando que a Escola é feita da harmonia entre todos os membros de sua comunidade. A culminância foi um ato de beleza ímpar, não só pela possibilidade de conhecer importantes figuras da luta feminina, ouvindo diretamente de suas experiências, mas, sobretudo, pelo fato de todos os presentes poderem dar aos alunos envolvidos seu devido reconhecimento pelos trabalhos criados”. Rene Vettori – professor regente de História, E. M. Odilon de Andrade


Empoderamento – “Foi uma imensa satisfação participar dessa iniciativa que, além de discutir questões tão importantes pertinentes a nossa realidade social, ainda possibilita o empoderamento dos nossos alunos através do protagonismo infantojuvenil, numa perspectiva de educação inclusiva e tecnológica’’. Cristiane da Silva Brandão – professora da EM. Francisco C. Pontes de Miranda


Formação - “Com esta atividade, pude estar em contato com os trabalhos de colegas de diferentes escolas, além de escutar das palestrantes muito mais sobre os direitos das mulheres, o que é fundamental para todo cidadão. Do início do projeto, que foi fazer o filme, ao encontro com todos os envolvidos, pude conhecer muito mais desse assunto que é tão necessário para a minha formação”. Francielly Vitória Barbosa – aluna do Acelera, E. M. Odilon de Andrade

 

Esclarecimento - "Foi incrível ver o ponto de vista de várias feministas juntas. Às vezes têm pessoas que pensam que é só um grupinho de mulheres que querem ser iguais aos homens. Mas, na verdade, é algo com um proporção e sentido totalmente diferente! Concordo com a Júlia, depois de conversarmos mais um pouco com a Milla (uma das fotógrafas) muita coisa foi esclarecida. Como por exemplo, o fato de que ser professora de história é bem mais difícil do que ser professor de história. Ir nesta palestra foi como ir ao oftalmologista, sabemos que enxergamos as coisas mas não sabemos o quão bem enxergamos. Todas nós sabíamos sobre o assunto, mas não sabíamos a diferença que é ouvir de profissionais na área. Foi totalmente incrível”! Brenda Brito, 14 anos (turma 1901) – E.M Aleksander Henryk Laks


Debate - "Sobre o Projeto Mulher Cidadã não tem o quê explicar. Poder ver vídeos com pessoas maravilhosas ao seu lado, falar sobre o assunto da mulher na sociedade, debater sobre isso... Sinceramente, foi uma das coisas mais esclarecedoras para mim. Na palestra pude finalmente conversar com uma mulher que cursou história, eu queria mesmo saber o que a levou cursar história porque eu amo história e penso me profissionalizar nisso”. Enfim, amei ter ido a uma palestra com pessoas tão maravilhosas."Júlia Lemos, 15 anos (turma 1901) - E.M Aleksander Henryk Laks

 

Mudança - "Eu achei muito bom. O vocabulário que elas usavam era perfeito. Minha visão de uma feminista mudou completamente porque vi a forma que elas usavam o vocabulário delas mudarem todo o contexto de tudo que sabia. Cheguei até dizer sobre a "equidade". Os vídeos foram excelentes. Gostei bastante do o evento’’. Raphael de Almeida, 15 anos (turma 1905) - E.M Aleksander Henryk Laks


Conquista – “O Projeto Mulher Cidadã, a cada ano, vem trazendo debates importantes dentro da escola, vindo à tona temas sobre os direitos das mulheres, enquanto sociedade, dando sim empoderamento na conquista do seu mercado de trabalho. Falar da violência contra as mulheres, principalmente neste momento eleitoral e no que isso pode representar é de extrema importância, não só para as nossas alunas e alunos, mas para toda a comunidade escolar. A composição da mesa foi fundamental para dar credibilidade acerca do tema da violência feminina. Parabéns a todos que se empenharam neste sucesso”. Elvira Monteiro, 9ª CRE, coordenadora do Comitê de Gênero de Educação por 10 anos.

 

Direitos Humanos - "O debate iniciou com o visionamento da 15 vídeos produzidos pelos próprios estudantes. Os trabalhos levantaram situações e os entraves que as mulheres passam, na conquista do acesso ao mercado de trabalho e aos espaços de poder constituídos. No evento, o conceito de igualdade foi considerado pela perspectiva da justiça social. Os estudantes tiveram acesso de maneira dialógica às discussões que têm como base os Direitos Humanos e ao mesmo tempo puderam participar de uma cidadania ativa e participativa, com as lideranças dos vários segmentos envolvidos. Parabéns a todos que participaram ativamente na construção deste evento, momentos assim precisam ser uma constante na nossa sociedade’’. Patrícia Eichler, professora – Gerência de Alfabetização – SME 

   

Enviado por:

Waléria de Carvalho

E/SUBE/GPEC

Fotos: Uanderson Fernandes/Divulgação


   
           



Yammer Share