A A A C
email
Todos os posts escritos por Fernanda Pérez
Retornando 35 resultados para o autor 'Fernanda Pérez'

Sexta-feira, 08/06/2018

Fica a Dica: Livro Um amor de Botão

 

Livro: Um amor de Botão

 

 

Olá!
Essa semana vamos falar do livro, Um amor de Botão, da francesa Pauline Carlioz. A dica é da Alessandra de Oliveira, integrante da equipe de Audiovisual.


A princípio um livro grande, de capa dura, mas ao abrir o livro duas histórias aparecem, uma de cada lado. Seriam duas histórias, separadamente, ou duas versões que se entrelaçam?


De um lado está a Senhorita Odete, do outro o Senhor Mateus.


Ela tem paixão por roupas, ele adora vestir-se com todo cuidado e ambos disfrutam a mesma paixão: os casacos, sejam eles listrados ou floridos, esporte ou ingleses.


Ela, vive a exibi-los. “Agora mesmo ela sai, linda e saltitante, da butique chamada - Ao Casaco Elegante. Ficou sem um tostão, mas está tão contente com sua compra mais recente: Um belo casaquinho florido e multicolor, com uns botõezinhos que são um amor!”


Enquanto ele, os compra às dezenas. “E dá um bom lucro à dona sorridente, que conhece muito bem seu cliente: - O senhor Mateus bem feliz ficou com o sobretudo caro que de mim comprou! E lá se foi Mateus, todo charmoso. – Este tecido reforçado é maravilhoso! Um casaco feito para todas as ocasiões. E não são uma graça esses seus botões?!”


Ela de tão feliz não quer largar, ele sabe que no escritório vai arrasar.


Ela ficou surpresa que um botão do casaco desapareceu, ele ficou indignado que um botão do casaco tomou chá de sumiço.
Afinal, onde foram parar?


Ela está desapontada, ele chateado. E, então, os dois começam a procurar. Será que vão encontrar?


O amor pode surgir de onde menos se espera.


Afinal, o que é o amor? Amor é um sentimento intenso de atração entre duas pessoas, é querer o bem a algo ou alguém, aquilo que é objeto de interesse ou entusiasmo, é tudo que é considerado positivo e agradável.


O amor se manifesta de diferentes formas, o amor próprio, ou a dedicação ao próximo, o amor daqueles próximos a você, ou o simples ato de ler, o amor de tudo que é bonito ou daquilo que não temos palavras para descrever.


Em tempo de violência, que tal falarmos um pouco de amor? Pergunte a seus alunos, o que eles mais amam.


Fica a dica! 

 

Conto com sua participação, professor. Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!

Até a próxima semana!

 



 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/06/2018

Fica a Dica: Livro A Moça Tecelã

 

Livro: A Moça Tecelã

 

Olá!

O livro de hoje é A Moça Tecelã, da premiada autora, Marina Colasanti, com bordados de Ângela, Antônia Zulma, Marilu, Martha e Sávia Dumont e ilustrações de Demóstenes Vargas.

"Acordava ainda no escuro, como se ouvisse o sol chegando atrás das beiradas da noite. E logo sentava-se ao tear. Linha clara, para começar o dia.”

O conto narra o cotidiano de uma jovem tecelã que, com suas linhas e cores, era capaz de dar vida a tudo que nos cerca. Se o sol estivesse forte demais, com fios cinzentos criava nuvens. Se a fome vinha, tecia um lindo peixe.

“Assim, jogando a lançadeira de um lado para outro e batendo os grandes pentes do tear para frente e para trás, a moça passava os seus dias. Nada lhe faltava.”

Mas chegou um tempo em que a solidão foi forte demais e pensou que ter um marido para lhe fazer companhia seria muito bom. E, assim, ansiosa, começou a tecer. Naquela noite, deitada no ombro de seu marido, imaginou os lindos filhos que teceria.

A felicidade reinou por um tempo... Até que seu marido descobriu o poder do tear e vislumbrou tudo que ele poderia ter. Seu primeiro pedido foi uma casa melhor, com as mais belas lãs. Entretanto, não ficou satisfeito. “Para que ter casa se podemos ter palácio?”, dando ordem de como deveria ser. Cada vez mais ambicioso, não se importou com os sonhos e desejos de sua esposa.

Meses se passaram enquanto a moça, cada vez mais entristecida, trabalhava. Sem tempo para chamar o sol ou arrematar o dia, o palácio ficou pronto e dentre tantos cômodos ele designou para ela o quarto na mais alta torre, afinal ninguém poderia ficar sabendo do tapete.

Enquanto as exigências do marido aumentavam, aumentavam, também, sua tristeza. Pensando em como será bom estar sozinha novamente, esperou anoitecer e enquanto o marido dormia começou a desfazer todo seu trabalho.

“Então, como se ouvisse a chegada do sol, a moça escolheu uma linha clara. E foi passando-a devagar entre os fios, delicado traço de luz, que a manhã repetiu na linha do horizonte."

Será que esse é um final que todos esperavam? Afinal, as vezes aquilo que desejamos nem sempre é garantia de felicidade.

A encantadora narrativa criada por Marina Colasanti nos permite pensar em diversos temas. Podemos falar dos sonhos e desejos, e das expectativas sociais em relação ao casamento e a formação de uma família. Falar da busca do autoconhecimento e independência, ser aquele que te faz feliz, o protagonista da sua própria história.

Se você tivesse o dom de tecer em linhas coloridas seu futuro, sua vida e tudo que o cerca, que imagem você criaria?

 

Fica a dica! 

 

Conto com sua participação, professor. Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!


Até a próxima semana!
 


  


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 25/05/2018

Fica a Dica: Livro O almoço

Tags: dica, livro, almoço.

 

 Livro O almoço

 

 

 

Olá!


Contar uma história nem sempre é ler suas palavras. A Dica dessa semana é da professora de Português, Else Emrich.

O livro, O Almoço, do premiado artista Mario Vale nos traz cenários coloridos e personagens feitos de papéis recortados e uma história sem texto.

Na primeira página, vemos nosso personagem olhando diretamente para um buraco. O que será que ele está pensando? Será que alguma coisa vai sair desse buraco?


Curioso ele chega mais perto para olhar. Hum!!! Até o passarinho que estava na árvore se aproxima. Não satisfeito ele enfia a mão no buraco. Ops!!! Um coelho.

Nas páginas seguintes observamos nosso personagem em uma cozinha... preparando uma refeição. O que será que teremos para o almoço? Vamos dar asas à nossa imaginação? 

Com linguagem não verbal, ou seja, a comunicação sem as palavras, podemos trabalhar a intuição e a criatividade, como forma de apreensão do mundo e percepção da realidade, que são fundamentais para o desenvolvimento das nossas crianças. Vamos refletir sobre aquilo que vemos, afinal nem tudo é o que parece ser.

Vamos deixar nossos alunos contarem essa história e criarem um final, antes de mostrar como essa história termina?!

 

Fica a dica! 

 

Conto com sua participação, professor. Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!

Até a próxima semana!

 



 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 18/05/2018

Fica a Dica: Livro A boca da noite

Tags: dica, livro, boca.

 

Livro A boca da noite

 

 

 

Olá!
A dica dessa semana é da Professora Rita Vaz, integrante da equipe de Audiovisual. Dentre suas sugestões, vamos falar do livro, “A boca da noite”.


Destaque no Brasil e no exterior, o premiado livro do autor Cristino Wapichana, com ilustração de Graça Lima, narra uma maravilhosa aventura vivida por Kupai, na companhia de seu irmão Dum, mostrando um pouco da cultura do povo Wapichana, suas histórias e seu cotidiano.


A Narrativa se inicia com os irmãos correndo em um fim de tarde pela floresta “Não consigo ir mais rápido, mano!” “Ele não vai esperar, Kupai! Vem! Vem! Vem...” O que será que eles vão aprontar?


Do ponto mais alto da Floresta, conhecida como Laje do Trovão, onde eles podiam ver toda a aldeia, ficam observando o sol mergulhar no rio. Será que ele vai se afogar? Perguntou Kupai, fascinado, ao seu irmão. “Claro que não, Kupai! Ele só está tomando banho para dormir...” Afinal, quem poderia imaginar que o sol precisava tomar banho...


Ao voltarem para aldeia, seu pai esperava de cara amarrada. Sabiam, só de olhar, que tinham sido descobertos. Pela desobediência, seria difícil escapar de uma boa punição, entretanto, nenhum castigo poderia ser maior do que aquela aventura.


Enquanto tomava banho no rio, não conseguia parar de pensar. Será que o sol dorme dentro do rio? Será que quando mergulha precisa respirar uma única vez? Será que passa a noite inteira lá dentro, num folego só? Kupai não conseguia parar de pensar nisso.


Naquela noite, com a família toda reunida depois do jantar, o Pai dos meninos começou a contar uma história e, claro, envolvendo a Laje do Trovão. Eles sabiam que era muito perigoso lá em cima e todos tinham medo de subir até lá, pois como se dizia era possível até atrair temporal. Entretanto, era uma história diferente de todas as outras que já ouviram. Era a primeira vez que ouviam falar sobre a “boca da noite” e dessa vez seus ouvidos ficaram alertas.


“Fiquei imaginando como era o corpo da noite... Pois se tem boca, tem que ter cabeça, nariz, orelha, cabelo, braços, pernas, mãos, pés... Será que essas partes são parecidas com as do nosso corpo? Porque se tem boca, deve haver um corpo! Nem me preocupei com o restante da história. Eu precisava mesmo era descobrir como era a “boca da noite.”


Afinal, o que seria a “boca da noite”? Vamos perguntar aos nossos alunos?


A boca da noite é uma história que nos faz mergulhar, nas belezas e ensinamentos dos povos indígenas. Podemos trabalhar as diversidades culturais, mostrar que existem vários povos, com diferentes tradições e que nenhuma é mais importante que a outra, por mais que sejam totalmente diferentes.


Fica a dica! 

 

Conto com sua participação, professor. Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!

Até a próxima semana!

 

 


   
           



Yammer Share