A A A C
email
Todos os posts escritos por Greice Duarte - Representante Rioeduca 9ª CRE
Retornando 11 resultados para o autor 'Greice Duarte - Representante Rioeduca 9ª CRE'

Quinta-feira, 05/04/2018

Acolhimento: o protagonismo juvenil começa aqui!

Tags: turno único, primário carioca, ginásio carioca, 9 cre.

 

O Acolhimento buscando o Protagonismo 

 

As escolas de turno único viveram no início deste ano o período do acolhimento. Um momento importante que envolveu toda a comunidade escolar da 9ª CRE, acolhendo os alunos e seus interesses, a fim de constituí-los como protagonista. 

 

 

 

Um dos principais pilares na inovação dentro da educação é a participação cada vez mais efetiva dos alunos nos processos de aprendizagem e de decisão. O protagonismo infantil, que pode e deve ser estimulado em sala de aula, começa neste contexto e traz uma série de benefícios, tanto para as crianças e suas famílias quanto para os próprios professores. 

 

E.M. Primário Lazaroni, atendendo os alunos do 1º ao 6º ano Experimental nos primeiros dias do acolhimento.

 

O acolhimento dos alunos nas escolas de turno único teve como objetivo recepcioná-los e apresentá-los à dinâmica escolar. Neste momento, os alunos foram apresentados ao conceito de Protagonismo Infantil e ao Projeto de Vida. Nos últimos anos, os alunos deixaram de ser meros espectadores e, desde os primeiros anos de vida escolar, passam a ter um papel mais ativo dentro das instituições.

 

.

Continuidade do acolhimento com integração entre alunos e professores na E.M. Primário Lazaroni.

 

É também na dinâmica do acolhimento que se dá a primeira etapa da construção do Projeto de Vida dos alunos do Primário, por meio de dinâmicas que promovem reflexões, acerca dos sonhos e dos meios para alcançá-los

 

Escolha dos alunos protagonistas do Ensino Fundamental II na E. M. Embaixador Araújo Castro.

 

O acolhimento deu-se em clima de festa com professores, protagonistas e toda comunidade escolar celebrando a volta às aulas.

 

Acolhimento e integração na E.M. Samuel Wainer com os alunos do Ensino Fundamental I

 

 

 

Acolhimento e integração na E.M. Samuel Wainer com os alunos do Ensino Fundamental I

 

“Aprender a Conviver - Faz parte da educação, aprender a lidar com pessoas diferentes, tratar de assuntos relevantes, não falar mal dos outros, não usar a força para resolver conflitos, demonstrar gentileza e sinceridade no tratamento com os colegas e professores. É justamente na escola que os alunos aprendem as regras básicas de convivência em sociedade. Para que todos possam viver juntos e aprender a viver com os outros, a educação tem um papel importantíssimo”.

(DELORS, 1999)

 

 

 

 

 

 

Integração dos alunos do 6º ao 9º ano na E. M. Miguel de Oliveira

 

“Aprender a Conhecer - Cada vivência é motivo de aprendizagem, especialmente na escola. As responsabilidades que são assumidas, a confiança que é depositada em cada um diante das tarefas do dia a dia, o trabalho nos clubes estudantis, as escolhas, as dificuldades, a dedicação nas matérias, enfim. Tudo é motivo de aprendizado. “Aprender a Aprender é saber que a formação do estudante vai além do conteúdo dos livros e da sala de aula e passa por toda a vivência e convivência dele na escola”.

(DELORS, 1999.)

 

Registros do acolhimento na E. M. Gilberto Bento: desejos para a escola que queremos

 

 

“Aprender a Ser - Se o aluno não estiver preparado para compreender que a educação deve em princípio mudar a sua vida, o seu caráter, para depois servir aos outros, então a educação falhou. Educação deve contribuir para o desenvolvimento total da pessoa, espírito e corpo, inteligência, sensibilidade, responsabilidade pessoal, espiritualidade. Todos os seres humanos devem ser preparados pela educação que recebem, para agir nas diferentes circunstâncias da vida. Só que para isso cada um deverá ter personalidade própria e desenvolver seus talentos”.

(DELORS, 1999.)

 

 

Muita animação e ludicidade na recepção aos alunos da E. M. Helton A. Veloso Castro

 

 

"Devemos perceber que tudo o que recebemos na escola, deve ser revertido em prática, em tomada de decisões e de atitude. O conhecimento que vem de todas as partes, não só da escola, deve se materializar em ações. Colocar em prática os conhecimentos adquiridos, desenvolvendo novas habilidades e aptidões, importantes para enfrentar as situações que se apresentarem na carreira escolar e na vida em sociedade”.

(DELORS, 1999)

 


 

Gerência de Educação - 9ª CRE

Responsável pelo Turno único: Prof. Cristina Sá

Contato: 33941978


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/12/2017

E. M. Paulo Renato com a comunidade: Construindo relações sociais positivas

Tags: 9ªcre, ginasio, comunidade, socioemocional.

 

Os alunos da Escola Municipal Paulo Renato Souza viveram experiências que visavam melhorar atitudes e habilidades para além de suas aprendizagens no Ensino Fundamental II. A equipe de direção e professores, comprometidos em desenvolver competências socioemocionais, investiram nos projetos "Visita ao Abrigo Doce Morada" e "Contar e Recontar". Acredita-se que cuidar do próximo, ajuda a construir um mundo melhor, mais justo e menos violento.

 

A Escola Municipal Paulo Renato é um ginásio carioca situado em Cosmos, que atende a 13 turmas de 7º ao 9º ano. No cotidiano dos alunos o compromisso com as aulas de Língua Portuguesa, Matemática, Inglês, dentre outras. As aprendizagens cognitivas, tão importantes nesta fase, são desenvolvidas junto às competencias socioemocionais, imprescindíveis na formação humana. Acredita-se que as relações entre indíviduos, em diferentes da fase da vida humana - infância, adolescência, idade adulta, velhice - permeadas pela afetividade, empatia e a rapidez na socialização contribuem para relações sociais positivas e assim para a sociedade.

 

Visita ao Abrigo Doce Morada

 

 

Inicialmente, em abril deste ano, os professores solicitaram aos alunos que mobilizassem a comunidade em prol da arrecadação de itens para que levassem ao abrigo. Durante a reunião de responsáveis do 2º Bimestre, conseguimos mobilizar ainda mais a Comunidade, de modo que tivemos uma grande quantidade de doações. Estiveram envolvidos no projeto, o Diretor da escola Igaro Guimarães Gouveia, o Diretor-Adjunto Liverson Rodrigo Souza Freitas, a professora de Sala de Leitura Camila Cristina Ferreira da Costa e a professora de Geografia Diene Eiras Diniz.

 

 

Na manhã do dia 01 de novembro, foi realizada a visita ao Abrigo Doce Morada, localizado na Estrada Santa Veridiana, nº 936 A, Sepetiba, Rio de Janeiro, RJ. Os alunos, acompanhados das professoras Diene Eiras Diniz e Camila Cristina da Costa Ferreira, levaram as doações de roupas e sapatos, além de todo o amor e carinho para os 75 idosos que moram no local. Segundo a professora Camila, foi um momento muito emocionante, pois os idosos ficaram surpresos ao verem nossas crianças e houve uma interação entre as diferentes gerações, com muito bate-papo e trocas de experiências. A visita foi a culminância do Projeto que envolveu toda a Comunidade Escolar, por meio de doação de roupas e sapatos, de maneira espontânea e muito carinhosa.

 

 

Para a direção da unidade, o projeto é extremamente importante para estimular a caridade, o amor e a compaixão em nossa sociedade, atualmente marcada por tanta violência. Ajudando o próximo, estaremos construindo um mundo melhor, mais justo e menos violento.


Projeto Contar e Encantar

 

Desde Março, os alunos estavam sendo preparados para contar as histórias para as crianças. Depois que escolheram as histórias e se mostraram preparados para o contato com os menores, a visita ao EDI Bianca Rocha Tavares, que fica no mesmo terreno da escola, foi realizada. Estiveram envolvidas no projeto a Coordenadora Pedagógica da escola Gisele Cristine Pimenta dos Santos e a professora da Sala de Leitura Camila Cristina da Costa Ferreira. A Direção do EDI, composta pelas professoras Mônica Casal dos Santos Lopes e Zeliana Rosa de Oliveira Pacheco, deu total apoio e incentivo ao projeto.

 

 

No dia 31 de maio, os alunos da Escola Municipal Paulo Renato Souza, acompanhados da professora de Sala de Leitura, Camila Cristina da Costa Ferreira e da Coordenadora Pedagógica, Gisele Cristine Pimenta dos Santos, deram continuidade ao Projeto "Contar e Encantar" no EDI Bianca Rocha Tavares. O projeto consiste em levar os alunos do segundo segmento do Ensino Fundamental para as creches e EDIs para que eles possam contar histórias infantis para as crianças menores. Segundo a professora Camila, os alunos contam as histórias com tanto entusiasmo e personalidade que eles parecem até atores profissionais. Eles usam diversos artifícios, principalmente fantoches, para contarem as histórias com a maior realidade possível. Os alunos menores adoram o contato e a interação com os mais velhos.

 

 

De acordo com a Direção da unidade, o projeto é de fundamental importância, pois estimula o afeto e o respeito entre as crianças. Os maiores cuidam dos menores, dando-lhes incentivo à leitura e à imaginação.
 

Parabenizamos à equipe da E. M. Paulo Renato pelas aprendizagens oportunizadas aos alunos para a plena formação humana!

 

Quer saber mais sobre a unidade:

ESCOLA MUNICIPAL PAULO RENATO DE SOUZA

Endereço: R. Jacareúba, 283-487 - Cosmos, Rio de Janeiro - RJ, 23058-250

Telefone‎: ‎(021) 3384-2545

E-mail‎: ‎empaulorenato@rioeduca.ne

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 14/12/2017

Interações, Linguagens e Sentidos: Integração da EI ao EF é tema de seminário na 9ª CRE

Tags: 9ªcre, ged, interações, integração, educação infantil, ensino fundamental.

O Seminário Regional “Interações, Linguagens e Sentidos: Aprendizagens dos cinco aos setes anos” aconteceu na 9ª CRE, nos dias 08 e 09 de novembro, com discussões entre os profissionais do Nível Regional, Central e de EDIs, Creches e Escolas da Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro, considerando as interações, linguagens e sentidos, no processo de aprendizagens das crianças dos 5 aos 7 anos, da Educação Infantil ao Ensino Fundamental, durante a Educação Básica.

 

A abertura do evento foi realizada pela Professora Rita Simone para o público de Coordenadores Pedagógicos e Professores Articuladores na manhã do dia 08 de novembro. Os alunos da Escola Municipal Primário Dulce Araújo, anfitriã do evento, apresentaram a canção vencedora do FECEM na regional “A janela de Carolina“ com o Prof. Elton e receberam o carinho e aplausos do público. No dia 09, os alunos apresentaram um coral de flautas e também a coreografia participante da Mostra de Dança Regional, esbanjando graça e beleza em seu número.

 

Parabéns ao Prof. Rodrigo Costa e á toda equipe da E. M. Primário Dulce Araújo pelo envolvimento dos alunos em diferentes atividades artístico-culturais e por acolher o Seminário Regional na 9CRE.

 

Coordenadores Pedagógicos, Professores Articuladores, Diretores e Profressores regentes participaram discutindo com professores que atuam no Nível Regional e Central sobre as aprendizagens das crianças de cinco aos sete anos, da Pré Escola à Alfabetização.


As mesas redondas oportunizaram a discussão sobre as aprendizagens das crianças dos cinco aos sete anos. No primeiro dia, a Professora Fabíola Farias (Gerente de Educação Infantil) e a Professora Cristina Lima (Gerente de Alfabetização) apresentaram valiosas contribuições sobre Infância, Linguagem e Educação. No segundo dia, a Professora Janaína Cruz (Gerência de Ensino Fundamental) e a professora Greice Duarte (Gerência de Educação 9ªCRE) discorreram sobre O Desenvolvimento da Aprendizagem no processo de Alfabetização e leitura e Escrita na Educação Infantil. O contexto de formação e acompanhamento da Gerência de Educação foi apresentado pela professora Letícia Cruz, responsável pela Alfabetização na GED 9ª CRE. A transição das crianças da Educação Infantil para o Ensino Fundamental, bem como as possibilidades e dificuldades na integração entre as etapas da Educação Infantil e Ensino Fundamental foram assuntos discutidos.

 


Interações, linguagens e sentidos tiveram destaque nas práticas de professores da Pré-Escola e 1° ano nas ricas experiências apresentadas nos dois dias do seminário. No exercício continuo de fazer-se professor, contaram suas experiências com as crianças e momentos significativos que marcaram as práticas.

 


Algumas experiências apresentadas:

• Biomas Brasileiros Na Educação Infantil, Prof. CARLA RIBEIRO VALE, (09.18.809);

• É Brincando Que Se Aprende, CRISTIANE MUNFORD E OUTRAS (09.18.801);

• Projeto Terrário, Prof. VALÉRIA ALVES (09.18.810);

• Meu amigo Lobo, Prof. ANA RAQUEL DA SILVA (09.18.823);

• Projeto "Animais Que Eu Amo", Prof. ERIKA SOUZA DE AZEVEDO (09.18.002);

• Projeto O Grande Rabanete, prof. ESTER DE SOUZA FERREIRA KNAUER (09.18.099);

• Encontro De Alfabetização: CIEP Doutel De Andrade E EDI Dom Bosco!”, Prof. AUDREI ALONSO BRITO DO NASCIMENTO (09.18.510);

• Eu Sou O Artista....Descobrindo E Valorizando A Própria História, Prof. GECILENE RODRIGUES DA SILVA (09.18.009);

• Era uma vez, a pré escola..., Prof. RAQUEL (09.18.051);

• Projeto "Quem Lê Vive Mais", Prof. ELAINE DA SILVA S. NASCIMENTO (09.18.503);

• Viajando diariamente na leitura e na escrita, Prof. KARLA FERREIRA DA SILVA DUARTE DE AMORIM (09.18.037);

• Trupe de Contação de histórias (dramatização), Prof. FLÁVIA MARINA OLIVEIRA MAIA (09.18.815);

• A Criança Aprende Brincando, Prof. ANDREA COSTA DO NASCIMENTO DE SÁ;

• Leitura de Mundo: Múltiplas palavras e sentidos, Prof. LUCIANA ROSA FREIRE TAVARES (09.18. 828);

• Do Baú do Marco Altino 'novas' histórias vão surgindo: chuva de diversidade, poesia e encantamento com Obax e Nafisa. Profs. Ana Carolina Moura / Luziana Cardoso Campos / Perla Maria de Oliveira (09.18. 813);

• Brincando em família, Prof. Sonia Campanhã De Oliveira (09.18.837);

• “Na infância é normal brincar no quintal”: vivências e experiências de turmas de pré-escola II no EDI Profº Dersu Gabriel Bicego (09.18.823).

 


 

A Gerência de Educação da 9ª CRE agradece as equipes do Nível Central e  das unidades escolares pela participação nesta discusão tão importante para a continuidade das aprendizagens das crianças, da Educação Infantil à Alfabetização. 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 08/12/2017

EDI Ludmila Máximo Moreira Cardoso há cinco anos de mãos dadas com a comunidade

Tags: 9ªcre, edi, literatura, diversidade.

 

 

O Espaço de Desenvolvimento Infantil Ludmila Máximo Moreira Cardoso comemorou seus cinco anos de mãos dadas com a comunidade, construindo sua história. Neste ano de 2017 realiza o Projeto Pedagógico Anual – “Era uma vez... O Reino Encantado do EDI Ludmila formando pequenos leitores”, que tem por objetivo despertar na criança e na comunidade o gosto pela leitura.

 

“A Literatura infantil é, antes de tudo, literatura, ou melhor, é arte: fenômeno de criatividade que representa o Mundo, o Homem, a Vida, através da palavra. Funde os sonhos e a vida prática; o imaginário e o real; os ideais e sua possível/impossível realização.” (Cagneti,1996, p.7)

 

A literatura infantil leva a criança à descoberta do mundo, onde sonhos e realidade se incorporam, onde a realidade e a fantasia estão intimamente ligadas, fazendo a criança viajar, descobrir e atuar num mundo mágico; podendo modificar a realidade.

“No Brasil, a literatura infantil tem início com obras pedagógicas e, sobretudo, adaptações de obras de produções portuguesas, demonstrando a dependência típica das colônias.” (Cunha, 1999, p.23)

Na transição Brasil Colônia para república é a partir das manifestações nacionalistas e regionalistas que se dá o aparecimento dos primeiros livros para crianças escritos e publicados por brasileiros.

Na comemoração dos cinco anos do EDI, as crianças experimentaram as linguagens artísticas, transitando pelas obras de autores nacionais, canções de Bia Bedran, dentre outros, considerando o projeto pedagógico em questão. Contou ainda com a participação do filho da Patronesse Ludmila, narrando a todos um pouco da história da sua mãe, homenageada na data.

 

 

 


Dentre as atividades vividas pelas crianças neste dia:

• o Berçário apresentou com muita desenvoltura e alegria “A Boneca de Lata”;

• o Maternal I cantou e dançou com a alimentação saudável, apresentando a Música “Abóbora faz melão”;

• o Maternal II levantou a platéia ao delírio com apresentação da música “Aeróbica Tropical”;

• a Pré-Escola do turno da manhã apresentou a música “Desengonçada”, que de desengonçados não tinham nada, estavam muito animados e com muita sincronia;

• a Pré-Escola do turno da tarde apresentou a música “É bom cantar”, ensinando a todos que prestar atenção é sempre muito bom.

 

CONTANDO EM VERSO E PROSA A DIVERSIDADE INDÍGENA E NEGRA

 

 

O EDI Ludmila tem discutido há tempos com seus pares a Lei 11.645/2008, que altera a Lei 9.394/1996, na qual estabelecem as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a inclusão no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena”. A intenção é fazer com que as questões indígenas e afro-brasileiras sejam abordadas de forma a apreciar e respeitar as diferentes culturas, propiciando a valorização da identidade e o pertencimento negro e indígena, a desconstrução de estereótipos e a quebra do preconceito que atingem também os pequenos.

Na continuidade do Projeto Pedagógico Anual, nas experiências com o “ERA UMA VEZ...”, a diversidade indígena e negra foi contada em verso e prosa em outra atividade com as crianças. O tema foi abordado a partir das obras de autores brasileiros, como Daniel Munduruku, Ana Maria Machado, Yaguarê Yamã, Claudio Fragata, Jaciana e Leandro Melquiades, Gercilga de Almeida, Kayodê, dentre outros.

O projeto culminou através de oficinas literárias com o grupo PIBID da FEUC sobre Literatura Africana e Afro-brasileira com a professora coordenadora Janice Rosane Silva Souza; oficinas indígenas com as turmas do Berçário EI-11 e EI-12 sobre plantio de hortaliças; Maternal I EI-21 com pinturas corporais indígenas e pré-escola EI-41, EI-42 e EI-51 com oficina de instrumentos indígenas pau-de-chuva; mostra de trabalhos; apresentação de Capoeira com a turma do Maternal II EI-31; Dança do Carimbó com a turma do Maternal II EI-32 e Recital de Poesia “Canção do Exílio” do autor Gonçalves Dias com a turma Pré-escolar EI-51.

Segundo a direção da unidade, "foi uma manhã muito construtiva, pois toda a comunidade escolar (professores, agentes, pais, responsáveis e nossas crianças) puderam participar das oficinas".

 

 

BIBLIOGRAFIA:

BRASIL. Lei 11.645/08 de 10 de Março de 2008. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.
BRASIL, Lei de Diretrizes e B. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.
CAGNETI, Sueli de Souza. Livro que te quero livre. Rio de Janeiro: Nórdica, 1996.
CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil: Teoria e prática.18 ed.São Paulo: Ática,1999.

 

Quer saber mais sobre a unidade:

Espaço de Desenvolvimento Infantil Ludmila Máximo Moreira Cardoso

Endereço: R. Pedro Leão Veloso, S/N - Campo Grande, Rio de Janeiro - RJ, 23055-130

Telefone: (21) 3403-0777

 

;
 


   
           



Yammer Share