A A A C
email
Todos os posts escritos por Juliana de Oliveira (Representante Rioeduca 5ª CRE)
Retornando 27 resultados para o autor 'Juliana de Oliveira (Representante Rioeduca 5ª CRE)'

Segunda-feira, 10/10/2016

Festa da Amizade na E. M. Gaspar Vianna

Tags: 5ªcre, valores olímpicos, valores paralímpicos.

 

 

A Escola Municipal 05.14.023 Gaspar Vianna tem um tradicional evento anual chamado “Festa da Amizade”, que tem como objetivo principal enriquecer o conhecimento dos alunos sobre os temas específicos abordados em cada festividade e fortalecer comportamentos e valores relativos à respeito mútuo, trabalho em equipe e união da mesma, solidariedade e amizade.

 

Este ano a “Festa da Amizade” aconteceu em 16 de Julho de 2016 e com o tema “A Viagem Olímpica de Gasparzinho”. Toda a festa foi baseada em nosso PPP “Somos todos Campeões” e nossos alunos fizeram uma volta ao mundo dos países participantes das olimpíadas de 2016. Durante todo semestre foram trabalhados diversos temas e assuntos sempre priorizando os valores olímpicos: amizade, respeito, excelência e os valores paralímpicos, como determinação, coragem, igualdade e a inspiração. Valores estes que são uma rica fonte de inspiração para os jovens, seus amigos, sua comunidade e a sociedade como um todo.

 

 

Assim foram realizados concursos dos mascotes olímpicos e paralímpicos da escola com votação, premiação dos melhores e escolha dos nomes. Diversos trabalhos em todas as disciplinas abordando os temas e descobrindo curiosidades sobre algumas delegações participantes, confecções de bandeiras com sucatas e no dia de nossa festa para culminar nossos trabalhos e fechar com chave de ouro nosso 1º semestre, tivemos apresentações de diferentes danças representando os diversos países participantes dessas olimpíadas, brincadeiras, comidas e bebidas típicas.

 

 

Para o êxito e a excelência desse trabalho tivemos o apoio e a participação de toda a comunidade contribuindo e privilegiando o evento, o apoio fundamental dos professores do primeiro e do segundo segmento, da educação infantil e ainda dos professores da sala de recursos, que se empenharam em trabalhar as questões pertinentes aos valores olímpicos e paraolímpicos com os alunos, assim como a questão cultural dos países participantes desse evento. Os trabalhos das turmas ficaram em exposição na própria escola. Ainda contamos com a total colaboração de funcionários e da equipe de gestão da nossa escola, o que propiciou o sucesso desse evento. Foi uma festa surpreendente e muito animada!

 

Sobre o Projeto Político-Pedagógico da escola: “SOMOS TODOS CAMPEÕES”
 

Justificativa:

Á partir de relatos dos responsáveis e professores, identificamos a necessidade de um projeto onde fosse priorizado o combate à violência, drogas como fator motivador da violência, racismo, bullying, desigualdades sociais, conflitos religiosos, gravidez na adolescência, sexualidade e integração com meio ambiente. Esse projeto visa dentro do contexto social em que vivemos a necessidade de priorizar a “vida” em todos os seus aspectos: conhecimento, formação, valorização e transformação.

Essa proposta contempla a formação integral do ser, fundamental para a construção de uma nova sociedade com vida saudável, de qualidade e mais solidária, primando por valores e priorizando as relações sociais, equilibrando o desenvolvimento dos aspectos cognitivo e emocional.

O projeto “Somos todos campeões” justifica-se pelas competências básicas que a vida passou a exigir de todos nós e consequentemente dos jovens: dominar e colocar em prática os valores olímpicos e paralímpicos: amizade, respeito e excelência e determinação, coragem, igualdade e inspiração. Além de entender os vários conceitos de cidadania, tornando-se um cidadão consciente de seus deveres e direitos. Sendo assim, a escola, como mediadora dessas competências, deve acompanhar as mudanças.


Para saber mais sobre a escola:

Gaspar de Oliveira Vianna, médico e cientista paraense, nasceu em Belém a 11 de maio de 1885. Foi aluno do antigo Liceu Paraense, hoje Colégio Estadual Paes de Carvalho. Estudou Medicina no Rio de Janeiro, pois àquela época não existia ainda uma Faculdade de valor, versando sobre temas de Histologia, Histopatologia, Parasitologia, Micologia, Dermatologia e Terapêutica. Foi ele quem esclareceu, aos 23 anos de idade, as alterações anátomo-patológicas da então recém-descoberta doença de Chagas. Aos 27 descobriu a cura das leishmanioses, contribuindo para a salvação de milhões de vidas, em quatro dos continentes do globo, pelo que é considerado UM DOS MAIORES BENFEITORES DA HUMANIDADE. Genial e incansável, em menos de seis anos de exercício da profissão publicou 22 trabalhos científicos de inestimável valor.


Não é grande orgulho a Escola Municial 05.14.023 Gaspar Vianna trazer o nome deste médico exemplar como patrono?

A escola municipal Gaspar Vianna está localizada no Bairro Araújo em Irajá, conta com atendimento desde a Educação Infantil até o 9º ano e prima por uma educação de qualidade, busca permanente dos gestores e dos professores dessa unidade escolar.

 

Desenho do aluno Patrick Rosemberg em 18/05/2011 – foto de Gaspar Vianna
 

A escola:

E.M. 05.14.023 Gaspar Vianna
Rua Heron Domingues 122, Irajá - 21230-420
emvianna@rioeduca.net
3372-5041 3372-5665
http://emgasparvianna.blogspot.com.br/

 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 26/09/2016

Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

Tags: 5ªcre.

 


   


 Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

 

“A questão que se coloca é a importância de se entender a relação cultura e educação. De um lado está a educação e do outro a ideia de cultura como lugar, a fonte de que se nutre o processo educacional para formar pessoas, para formar consciência”.

(TRINDADE, 2000, p. 17)
   

A Escola Municipal (05.14.015) Barcelona em parceria com a Biblioteca Popular de Irajá João do Rio e o Projeto do grupo Mosaicos, através da Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro, desenvolveu com os alunos diferentes atividades culturais em um trabalho de excelência, proporcionando-lhes um enriquecimento enquanto educandos, cidadãos e sujeitos de múltiplas habilidades artísticas, que são estimuladas e descobertas nas respectivas oficinas.

 

Todas as quintas-feiras, os alunos da E. M. Barcelona vão à Biblioteca Popular de Irajá caminhando, acompanhados dos professores da escola, para participarem de atividades desenvolvidas pelo grupo Mosaicos. No mês de julho de 2016, foram feitas as seguintes oficinas, em três quintas-feiras diferentes: Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

 

 

Na biblioteca, os alunos são recebidos por um grupo formado por artistas que vão desenvolver várias oficinas culturais com os mesmos.

Acontece na Biblioteca Popular de Irajá - João do Rio - o projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida, com oficinas de artes, sessões de histórias, saraus de música e poesia, entre outras atividades culturais.


O evento, que vai até setembro com encontros semanais e programação gratuita, faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica e realizará sessões especiais de histórias sobre os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. O “Mosaicos” também convida grupos de outras frentes culturais.

Para viver democraticamente em uma sociedade plural é preciso respeitar os diferentes grupos e culturas que a constituem. A sociedade brasileira é formada não só por diferentes etnias, como também por imigrantes de diferentes países. Além disso, as migrações colocam em contato grupos diferenciados. Sabe-se que as regiões brasileiras têm características culturais bastante diversas e que a convivência entre grupos diferenciados nos planos social e cultural muitas vezes é marcada pelo preconceito e pela discriminação.

O grande desafio da escola é reconhecer a diversidade como parte inseparável da identidade nacional e dar a conhecer a riqueza representada por essa diversidade etnocultural que compõe o patrimônio sociocultural brasileiro, investindo na superação de qualquer tipo de discriminação e valorizando a trajetória particular dos grupos que compõem a sociedade.

Nesse sentido, a escola deve ser local de aprendizagem de que as regras do espaço público permitem a coexistência, em igualdade, dos diferentes. O trabalho com Pluralidade Cultural se dá a cada instante, exige que a escola alimente uma “Cultura da Paz”, baseada na tolerância, no respeito aos direitos humanos e na noção de cidadania compartilhada por todos os brasileiros. O aprendizado não ocorrerá por discursos, e sim num cotidiano em que uns não sejam “mais diferentes” do que os outros.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pluralidade.pdf

Parabéns à Escola Barcelona pela parceria com a Biblioteca Popular de Irajá e pelo trabalho dignificante e de grande êxito para a promoção de uma educação de qualidade, objetivando a formação de cidadãos. Parabéns ao grupo Mosaicos pela iniciativa fundamental na transformação e enriquecimento social.

 

Sobre “O Projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida” 

É um desdobramento do projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Repertório, que, ao longo do ano de 2015, foi acolhido de forma muito especial pela Biblioteca Popular Municipal de Irajá – João do Rio. O sucesso do projeto fez o grupo olhar para o futuro, propondo que a biblioteca seja também um espaço de experimentação e criação artística em diálogo com outras artes e outros artistas. Assim, contemplado pelo Programa Fomento Cidade Olímpica, o projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida prevê, ao longo de cinco meses de trabalho, três estreias construídas em parceria com um artista/coletivo convidado, tendo como foco intersecções com as artes plásticas, a música e a dança.

O grupo
Nós somos atores, pesquisadores e músicos que resolvemos combinar nossos talentos e formações para contar histórias. Trazemos contos, aventuras, causos, sagas, canções e até umas “mentirinhas” de vez em quando para dividir com o nosso público essa tão antiga arte de narrar. A ideia é tecer com as histórias um novo fio de Ariadne: um que ao invés de levar à saída, traga as pessoas, sejam elas crianças ou crescidas, para dentro do imenso labirinto da literatura e também da tradição oral.
A trajetória
Desde 2008 o Grupo Mosaicos, idealizado por Luciana Zule e também composto por Maria Coelho e Rudi Garrido realiza seu trabalho em bibliotecas, livrarias, centros culturais, escolas, SESC´s, projetos vinculados à prefeituras, como o Ciranda de Histórias (RJ), além de programas de rádio e televisão. A pesquisa musical, relativa à proposta de trabalhar a música como fio condutor da narrativa tal qual a palavra, aproximou o grupo da linguagem do rádio, sendo esta hoje outra vertente de nosso trabalho.

Fonte: http://www.grupomosaicos.com/

 

Biblioteca Popular de Irajá
Avenida Monsenhor Félix, 512 - Irajá.
Telefone: 2482-3582
bpiraja.culturapresente@gmail.com
www.facebook/bibliotecapopulardeirajajoãodorio
Aberta de segunda a sexta, das 9h às 17h.

 

Sobre a escola:
A Escola Municipal Barcelona E/CRE(05.14.015) é uma escola que atende o Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano e o Supletivo PEJA no Regular Noturno. Está localizada na Rua Gustavo Martins 76, Irajá - 21220-480. O e-mail da escola é embarcelona@rioeduca.net e os telefones são 2482-3314 2482-9975. Atualmente a Escola está sob a direção de Luciani de Oliveira Bezerra.

 

Gostou da nossa publicação sobre a escola Barcelona? Gostaria de publicar e mostrar pra nossa rede o trabalho de excelência da sua escola? Entre em contato com o(a) Rioeducador(a) da sua CRE. Para as publicações das escolas da 5ªCRE, envie e-mail ou mande um WhatsApp para 996730934: 

 

 

 


                                    



 


 

 



   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 12/09/2016

Jogando Goalball. O Valor da Superação!

Tags: olimpíadas, paralimpíadas, 5ªcre.

 


   

 


     Na Escola Municipal Velinda Maurício da Fonseca não podia ser diferente: todos ficaram ansiosos para a chegada das Olimpíadas Rio 2016. O tema escolhido para o ano letivo de 2016 foi “Valores Olímpicos: O maior legado”. Nessa viagem através do esporte, os professores das turmas de 5º ano levaram os alunos a conhecerem bem de perto os esportes Olímpicos e Paralímpicos, que nos ensinam valores importantíssimos para o desenvolvimento global dos alunos.

 

Os alunos assistiram diferentes vídeos sobre os esportes Olímpicos e Paralímpicos, produzindo textos, cartazes e Maquetes sobre o tema. A produção das maquetes sugeridas pela professora Geyza contou com a construção dos locais das competições e modalidades Olímpicas. Com muita DETERMINAÇÃO, eles produziram lindas maquetes.

Após estarem inseridos no “universo paralímpico” e discutirem sobre o tema Inclusão, os alunos começaram a vivenciar as dificuldades de se praticar os esportes paralímpicos, entendendo o verdadeiro sentido da palavra “SUPERAÇÃO”. O Professor, Luiz André de Educação Física, propôs a realização de duas modalidades paralímpicas: o Vôlei sentado e Goalball.

 

 

O primeiro esporte PARALÍMPICO praticado por eles foi o vôlei sentado. Com CORAGEM aceitaram o desafio. Em função das dificuldades que encontraram, foi realizado com uma formação com mais de seis participantes por equipe e, após várias adaptações, acabaram gostando, porém acharam bem difícil!

O outro esporte praticado foi Goalball, uma modalidade paralímpica praticada por deficientes visuais. Para que os alunos tivessem acesso a uma bola de Goalball, o Prof. Luiz André entrou em contato com a CBDV (Confederação de Desporto de Deficientes Visuais) que, através do professor Felipe, cedeu uma bola de Goalball para que a experiência fosse completa. Foi um momento muito emocionante, pois os alunos tiveram que lidar com as dificuldades dos movimentos com os olhos vendados. Em seguida, hora de iniciar o jogo de Goalball com muita INSPIRAÇÃO. 
 

 

Muito interessante e não menos importante - IGUALDADE - foi a participação da turma auxiliando os alunos que, vendados, jogavam o Goalball. Mostrando e aprendendo a dificuldade de “cuidar” dos colegas que sem enxergar deveriam através de seus comandos, andar para frente, abaixar, pegar a bola e arremessar. 

Importante ressaltar que essas atividades também foram realizadas com os nossos alunos da Classe especial, que nos ensinam a cada dia a importância da palavra superação e os valores Paralímpicos: Determinação, Coragem, Igualdade e Inspiração.

Parabéns aos envolvidos nesse trabalho de excelência, que demostra todo o comprometimento com a qualidade da educação e a importância dos valores olímpicos e paralímpicos para a formação dos alunos!
 

 

A história dos Jogos Paraolímpicos


Os primeiros eventos competitivos voltados para pessoas com deficiência surgiram na Inglaterra e nos Estados Unidos, logo após a Segunda Guerra Mundial – muito em função de inúmeros ex-combatentes terem perdido membros ou a audição enquanto lutavam.

Os primeiros jogos foram realizados em Stoke Mandeville, onde localizava-se um importante hospital e o Centro Nacional de Lesionados Medulares, em 1948. O Centro foi criado pelo governo inglês com a ajuda do neurologista Ludwig Guttmann para tratar os soldados feridos na guerra. Para tanto, os médicos adotaram o esporte como parte da reabilitação médica. Essa não era uma prática muito comum naquela época. Embora já acontecessem algumas promoções esportivas para portadores de deficiência, os Jogos de 1948 foram considerados um marco na história do esporte paraolímpico e ficaram mundialmente conhecidos como os Jogos de Stoke Mandeville, que reuniram 16 atletas, todos veteranos de guerra.

A realização dos Jogos de Stoke Mandeville, “coincidiu” com os Jogos Olímpicos de Londres, deixando claro, desde o início, o desejo do médico Ludwig Guttmann da criação de uma Olimpíada para os portadores de deficiência. O sucesso do método implantado pelo neurologista com seus pacientes foi tão grande que, pouco a pouco, médicos do mundo inteiro passaram a usar o esporte também como uma nova forma de reabilitar seus pacientes.

E já que pessoas portadores de deficiência de outros lugares, além da Inglaterra, estavam praticando esporte, nada melhor do que organizar uma nova competição. E foi assim que, em 1952, foram realizados os Jogos Internacionais de Mandeville, que reuniram nada menos do que 130 atletas ingleses e holandeses.

O sonho de Guttmann, porém, concretizou-se mesmo em 1960, com a realização dos Jogos Paraolímpicos de Roma, evento considerado pelo Comitê Paraolímpico Internacional, como o primeiro grande evento. Os Jogos Paraolímpicos de Roma, chamados de Olimpíadas dos Portadores de Deficiência, reuniram 400 atletas, de 23 países, porém, todos cadeirantes. A competição teve todo o apoio dos dirigentes mundiais e desde então, os Jogos Paraolímpicos passaram a ser realizados nas mesmas cidades e nas mesmas instalações dos Jogos Olímpicos. 

                                                                                                                       Fonte:http://esporte.hsw.uol.com.br/jogos-paraolimpicos1.htm



 A escola:

Escola Municipal Velinda Maurício da Fonseca
E/CRE(05.15.009)
Rua Marupiara 105, Rocha Miranda - 21510-210
emvelinda@rioeduca.net
3372-5544 3373-1086

 

 

 

 


                                    


 


 



   
           



Yammer Share