A A A C
email
Todos os posts escritos por Juliana de Oliveira (Rioeducadora 5ª CRE)
Retornando 2 resultados para o autor 'Juliana de Oliveira (Rioeducadora 5ª CRE)'

Quinta-feira, 27/12/2018

Projeto Autoestima - Empoderamento Territorial

Tags: consciência negra, autoestima, 5ªcre.

 

Aproveitando o Dia da Consciência Negra, a Escola Municipal Maestro Pixinguinha desenvolveu o Projeto Autoestima com seus alunos, trabalhando a identidade, os sonhos e objetivos de cada um. O resultado foi maravilhoso, confira!

 

 


O que é autoestima?

A autoestima, segundo o dicionário, é a qualidade de quem se valoriza, se contenta com seu modo de ser, e demonstra, consequentemente, confiança em seus atos e julgamentos.


Para falar sobre esse assunto com propriedade, a Escola Municipal Maestro Pixinguinha, no dia 10 de outubro, através da coordenadora pedagógica Vânia Loraine Barbosa de Carvalho, convidou a Articuladora Social Priscila Barbosa, que tem um canal no Youtube chamado Autoestima Diva, onde fala desse assunto sob diferentes óticas.


Uma jovem com um perfil social muito parecido com o dos nossos adolescentes, moradora de comunidade, negra, aluna de escola pública que, como tantos outros, já passou, e ainda passa, por muitas dificuldades nessa vida. Mas também é uma pessoa que não se deixou levar pelas mesmas dificuldades para desistir. Guerreira, autêntica e de um carisma sem tamanho, veio com o objetivo de mostrar aos nossos alunos que é possível ter uma vida digna, acreditar em si mesmo, nunca deixar que alguém lhe diga que não pode, que não é possível, independente do lugar onde você mora, mas que, no entanto, o local vai, sim, influenciar na sua formação.

 



“Que a autoestima é a avaliação sobre si mesmo, isso nós já sabemos, ou deveríamos saber, mas o que muitas vezes passa desapercebido é que sendo uma avaliação sobre si, ela pode ser dividida em várias camadas, nuances ou fases.


Se um indivíduo tem sua vida dividida por etapas como infância, adolescência, a transição para a vida adulta e a própria fase adulta, é de suma importância que possamos recordar que essas etapas também são avaliadas de acordo com a atmosfera vivida nessa época.


Dentro dessa análise, a questão territorial é uma das que mais causam efeito sobre a avaliação sobre nossos resultados pessoais. Um dos exemplos mais claros que podemos trazer é a do desenvolvimento educacional, social e emocional de pessoas em locais onde não há perspectiva de paz. Mesmo que tais pessoas tenham outras vivências que agreguem valor ao seu desenvolvimento, o território de constante ameaça ao seu psíquico irá interferir diretamente mais cedo ou mais tarde em suas habilidades, criatividades, potencial e avaliação sobre suas competências e até mesmo sobre quem é de fato quanto ser humano.


É claro que esse é um assunto amplo e que mais uma vez teremos subcamadas a serem consideradas, afinal nenhum indivíduo é igual ao outro, mas é preciso reforçar que quanto mais tivermos um território seguro, longe da vulnerabilidade social e com as possibilidades necessárias para desenvolvimento saudável, mais teremos seres humanos com uma avaliação positiva em mais áreas da vida. 

O que também podemos definir de efeitos colaterais de um território”. 

Priscila Barbosa

 


 


E foi a partir dessa concepção, que os alunos do 8º e 9º anos, alguns responsáveis e professores foram convidados a participarem da palestra. Segundo a equipe, acreditamos que somos multiplicadores e que conseguiremos através de ações como essas levar nossos alunos a serem empoderados e melhorarem sua autoestima, já que estão situados em uma área conflagrada pela violência de nossa cidade e por esse motivo, muitos não vêem perspectiva de mudança ou de valorização própria. Temos como objetivo, a longo prazo, que essas atitudes se reflitam no desempenho dos alunos, no gosto pelo aprender, no desafio de mudar de vida. 

A partir daí, se iniciou um trabalho de resgate dessa autoestima, aproveitando o mês da Consciência Negra, com trabalhos e reflexões em aulas de Projeto de Vida, desafiando os alunos a falarem sobre o assunto, a refletirem sobre suas condições, seus sonhos e a colocarem no papel o que eles desejam pra si mesmos.

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Maestro Pixinguinha 
Diretora Geral - Jacqueline Mello
Diretora Adjunta - Jaqueline Araújo 
Coordenadora Pedagógica - Vânia Loraine
Telefone: 3352-1005 | 2482-9875
E-mail: empixingui@rioeduca.net 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 28/04/2017

Trabalhando Vinicius de Moraes na Sala de leitura

Tags: poesia, vinícius, sala, leitura, 5ªcre.

 

 

Trabalho realizado na sala de leitura da Escola Municipal Tarsila do Amaral, pela professora de sala de leitura Maria de Fátima Gomes de Souza, tendo como foco as poesias de Vinícius de Moraes, no mês de março de 2017. 

 

 

O plano de ação da sala de leitura da Escola Tarsila do Amaral está pautado no seu Projeto Político Pedagógico que é “Reciclando nosso viver: viver em harmonia, lição do dia a dia.”

Nosso objetivo, de acordo com o o PPP, é: promover experiências que possam levar nossos alunos à reflexão e à compreensão de que podemos viver em harmonia com o próximo, a partir de pequenas atitudes no nosso dia a dia, como por exemplo, o respeito ao colega, ao professor, aos funcionários da escola e a todas as pessoas com quem eles convivem.

A sala de leitura tem vários objetivos, mas podemos destacar como o principal, a promoção da leitura em diferentes situações, despertando, principalmente no aluno, o prazer de ler.

Nosso Plano de Ação está dividido nas seguintes ações, podendo ser encaixadas outras, de acordo com as orientações vindas da Sala de Leitura Polo, sobre projetos a serem realizados durante o ano letivo: POESIA NA ESCOLA, GENTILEZA GERA GENTILEZA, CONTOS DE FADAS, ESTÓRIAS DE ARREPIAR, MARATONA DE HISTÓRIAS, ISSO É FOLCLORE, MÃE ÁFRICA - CONTOS AFRICANOS E SALÃO DO LIVRO.

 

 

O trabalho com poesias será realizado durante todo o ano letivo, mas será mais intenso no primeiro bimestre, devido ao concurso anual de poesias realizado pela SMEEL.

A metodologia a ser utilizada será: leitura de diferentes poesias, utilizar letras de músicas, ilustrar poesias trabalhadas, realizar oficinas de poesias, participar do concurso anual de poesias da SMEEL e realizar um sarau de poesias.

Por que trabalhar poesia?

Como diz Afonso Romano de Sant'Ana: “A poesia sensibiliza qualquer ser humano. É a fala da alma, do sentimento. E precisa ser cultivada”.

Mesmo sabendo da importância da poesia na vida do seres humanos, como mostra acima Afonso Romano, muitas escolas esqueceram-na, principalmente nos anos iniciais, dando mais prioridade aos textos em prosa.

 

 

O objetivo de se trabalhar poesia na escola, não é transformar os alunos em grandes escritores de poemas e sim transformá-los em leitores aptos a interpretar e compreender o que o poeta quis transmitir. É ampliar o repertório literário, conhecer as características do gênero, conhecer autores, explorar a linguagem oral, valorizando a entonação da voz, fluência, ritmo e dicção para aperfeiçoar a oralidade e brincar com a sonoridade das palavras.

Para isso, a proposta é que sejam trabalhadas atividades que proporcionem momentos lúdicos aos alunos, tendo em vista, exercícios de imaginação, de fantasia e de criatividade.

Baseado nisso, a professora de sala de leitura da Escola Tarsila do Amaral, iniciou o bimestre trabalhando as poesias de Vinicius de Moraes, por ser um autor carioca conhecido e de grande importância no Brasil.

Participaram das atividades, a professora de sala de leitura Maria de Fátima Gomes de Souza e alunos das turmas do 1º ao 5º ano.

A professora escolheu o livro Arca de Noé, de Vinicius de Moraes, e selecionou algumas poesias.

 

 

Algumas foram lidas pela professora. Outras, alunos que já dominavam a leitura leram para seus colegas. Também foi assistido o DVD Chico e Vinicius, que continha as poesias musicadas. Os alunos ficaram encantandos ao assistir os clipes das poesias, pois puderam ter a oportunidade de assistir as animações e perceberam que muitas poesias, já faziam parte de suas vidas, desde a época que entraram na Educação Infantil.

Os alunos ilustraram as poesias através de seus próprios desenhos, que depois foram expostos em murais. Além dos desenhos, também foi trabalhada a questão da estrutura da poesia, características do gênero, como, estrofes, versos e rimas.

Esse traballho foi realizado em duas semanas. Mas terá sua continuidade por todo o ano letivo, tendo sua culminância com um sarau de poesias.

Parabéns ao trabalho de valorização da leitura junto aos nossos alunos, através de autores de grande importância no nosso país! Parabéns a escola pelo trabalho de excelência!

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Tarsila do Amaral E/CRE(05.14.028)
Diretor: Renata Azevedo Costinhas da Silva
Diretora Adjunta: Bárbara Gonçalves
Endereço: Rua Hannibal Porto 451
Bairro: Irajá
Telefone: 3373-2039 / 3373-2293
E-mail: emtarsila@rioeduca.net

Texto enviado pela profª Maria de Fátima Gomes de Souza (Professora da Sala de Leitura)

 


 


   
           



Yammer Share