A A A C
email
Todos os posts escritos por Lilian Ferreira (texto retirado do Educação Nota DEZ)
Retornando 3 resultados para o autor 'Lilian Ferreira (texto retirado do Educação Nota DEZ)'

Sexta-feira, 27/01/2012

O Uso da Internet como uma Extensão da Leitura para os Jovens

Tags: educaçãonotadez, desafiorioeduca.

 

Sou professora de Sala de Leitura do Ginásio Experimental Carioca Von Martius, 9ª CRE, Campo Grande e participo de uma revolução na qualidade da educação pública da cidade do Rio de Janeiro. Educadora desde 1984, há mais de 25 anos iniciei minha carreira na Escola IPEG, da 10ª CRE, como professor II, alfabetizando crianças. Mais tarde, em 1986, através de um concurso da prefeitura do Rio, passei para minha 2ª matrícula, desta vez como professor I de Matemática, na 9ª CRE, em Campo Grande.

 

Com o nascimento do meu 1º filho, e por motivos pessoais, tive que pedir exoneração de minha 1ª matrícula, dando aulas apenas de Matemática para o 2º segmento. Em 1999, quando nasceu meu 3º filho, consegui ficar novamente com duas matrículas, dando aulas de Matemática.

 

Em minhas aulas sempre me preocupei com a escrita e a interpretação da leitura. Na solução dos problemas matemáticos o raciocínio lógico só aparece depois da interpretação. Este cuidado constante abriu espaço para que, junto aos cursos de Informática Educativa, eu me tornasse professora de Sala de Leitura. Isso mesmo, uma professora de Matemática na Sala de Leitura! Aconteceu logo depois, do nascimento do meu 4º filho, em 2001. Com minha licença maternidade fiz alguns cursos de Informática e fiquei responsável pela Sala de Leitura e pelo Laboratório de Informática da Escola Municipal Von Martius. Imaginem! Ainda não existia a Educopédia…(Leia mais sobre a história da professora Maria Cristina Neves)

 

 

                                                                            

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 26/01/2012

Inovando com Recursos Educativos – a Educopédia na 7ª CRE

Tags: educopédia, educaçãonotadez, 7ªcre.

 

Sou Professor do Ensino Fundamental, uso as Tecnologias de Informação e Comunicação e participo de uma revolução na qualidade da educação pública da cidade do Rio de Janeiro. Hoje, estamos focados em unir computador e educação e nos perguntamos: Será que a máquina poderá substituir o efetivo trabalho pedagógico? Poderá afetar o binômio ensino x aprendizagem?

 

Vários sistemas computacionais foram e ainda estão sendo desenvolvidos com essas características e têm desempenhado tarefas que contribuíram para essa abordagem educacional, que serão muito valorizadas por profissionais que compartilham dessa nova visão de educação. Por outro lado, existem profissionais que se enquadram facilmente em sistemas de ensino sofisticados, que desejam sistemas computacionais com qualidades de inteligência.

 

O uso do computador na educação deverá promover mudanças na abordagem pedagógica vigente – e não apenas colaborar com o professor, para tornar mais eficiente o processo de transmissão de conhecimento. A utilização da informática na educação deve ser analisada como processo de modernização, renovação e troca de resultados. Bill Gates (1995: 316), proprietário da empresa Microsoft, em seu livro “A Estrada do Futuro” ressalta que a capacidade para a inovação será muito importante para superar as desigualdades sociais e culturais entre classes e povos. Ou seja, essa inclusão ultrapassará as fronteiras da educação convencional, dando às escolas oportunidades para renovar a forma de se trabalhar os conteúdos programáticos. (continue lendo o relato do professor Vitor Hugo Almeida)

 

 

                                                                            

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 24/01/2012

Quando a Aula Transpõe as Paredes da Sala e se Estende por Toda a Escola

Tags: educaçãonotadez.

 

Sou professora de uma turma de aceleração do Projeto Autonomia Carioca – Acelera 1B e participo de uma revolução na qualidade da educação pública da cidade do Rio de Janeiro. Minha turma é pequena, tem 18 alunos (na época da aula) com idades entre 12 e 15 anos, com defasagem série/idade. Comecei na última semana de abril a lecionar na Rede Pública de Ensino e encontrei vários alunos com problemas sérios de comportamento e de aprendizagem

 

A proposta do projeto para a solução desses problemas prevê que no início de cada aula haja uma dinâmica ou brincadeira de integração. Entretanto, alguns alunos eram bem reticentes quanto à participação nesta atividade. Mas, com o tempo, essa resistência foi sendo vencida e houve um maior entrosamento entre os alunos, melhorando também a forma como se relacionavam. Com o tempo deixei que eles escolhessem qual seria a dinâmica utilizada, de modo a desenvolver a autonomia e o espírito de liderança.

 

Outra proposta do Autonomia Carioca é oferecer uma nova perspectiva de ensino, voltada para a apreensão dos conteúdos e desenvolvimento do pensamento crítico. Constava no planejamento do “módulo 1”, uma aula sobre biodiversidade e ecossistema. Dentro da ideia ‘freiriana’ é prevista uma aula-passeio, mas, como não havia tempo de organizar um passeio fora da escola, para tornar a aula menos teórica e mais concreta, resolvi utilizar o pátio da escola, que possui algumas árvores e plantas.

 

Logo, no dia 16 de junho de 2011, esperei que todos os outros alunos da escola entrassem em suas salas, levei os meus alunos ao pátio central e pedi que se imaginassem cientistas/biólogos e observassem e descrevessem tudo ao seu redor, utilizando-se de desenhos ou da escrita para relatar o que observavam. (Confira o desfecho dessa história da professora Edilene Almeidab no Educação Nota DEZ)

 

 

                                                                            

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share