A A A C
email
Todos os posts escritos por Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE
Retornando 31 resultados para o autor 'Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE'

Quarta-feira, 31/10/2012

Maratona de Histórias

Tags: 6ªcre, riodeleitores.

 

A Escola Municipal Thomas Jefferson realizou, durante o mês de outubro, a Maratona de Histórias com os alunos da Educação Infantil ao 5º ano.  Foram dois dias de viagem ao incrível mundo da imaginação! Pais, funcionários, professores e gestores contaram histórias com o objetivo de despertar a imaginação e o prazer pela leitura, trabalhar a concentração e ensinar princípios.

 

 

 

Contar uma história é dar um presente de amor - Lewis Carrol

 

 

A experiência de ouvir e contar histórias é uma antiga arte ligada à essência do ser humano. As narrativas tradicionais expressam, em imagens, as verdades mais profundas da vida. Daí serem eternas.

 

Era uma vez...histórias de heróis, príncipes e princesas, bruxas e dragões. Todas elas mexem com a fantasia, com os sonhos e ajudam crianças e adultos a separarem, com simplicidade e beleza, muitos conflitos. É um convite para o sonhar e, sonhando, formar o próprio caminho.

 

 

A arte de contar, ler e ouvir histórias

 

Contar histórias é a mais antiga e, paradoxalmente, a mais moderna forma de comunicação. No passado, era contador de  histórias o depositário da  experiência, do conhecimento e da sabedoria.

 

Em tempos passados, o rito familiar possibilitava o clima intimista na relação entre as gerações  nas sessões de contação de história. Os tempos mudaram: a relação intimista entre as gerações  está prejudicada pelo acelerado dos ritos sociais modernos, e a nova figura do contador de história passa a ser o monitor de TV.

 

Em um mundo sem tempo como o que vivemos atualmente, torna-se necessário o resgate do instante mágico da contação de história e da leitura.

 

 

 

Criar o hábito da leitura é uma tarefa que deve envolver o hábito daqueles que com ela convive

 

 

 

A Criança e o Livro: relação crítica e reflexiva

 

 

A contação de história é um grande instrumento para despertar o senso crítico e reflexivo nas crianças, afinal, um mesmo texto pode ser interpretado de diferentes formas. Essa mediação de leitura torna-se ainda mais envolvente quando a criança se identifica com a história pelas suas experiências de vida.

 

 

A contação de história transporta a criança para outros mundos e dá vida aos seus sonhos, além de contribuir para o desenvolvimento infantil por despertar emoções e valorizar sentimentos através da magia e da atração que as histórias causam.

 

 

Contar histórias contribui para a formação do hábito de ler. Sandroni e Machado, em seu livro A Criança e o Livro: guia prático de estímulo à leitura, afirma que o amor pelos livros não é coisa que apareça de repente, é preciso ajudar a criança a descobrir o que eles lhe podem oferecer.

 

 

Maratona de Histórias na Escola Municipal Thomas Jefferson

 

 

Partindo da afirmação de que utilizamos a contação de história para promover o incentivo à leitura, podemos então dizer que sonhar, imaginar e sentir são elementos essenciais nesse processo.

 

 

Buscando desenvolver esses elementos em seus alunos, os professores da Escola Municipal Thomas Jefferson promoveram, no mês de outubro, a Maratona de Histórias. Durante dois dias, pais, funcionários, professores e a gestora contaram histórias!

 

 

Após as histórias, os alunos participaram das oficinas de desenho, dobradura e pintura sobre os temas trabalhados. Enfim, foram dois dias de viagem ao incrível mundo da imaginação!

 

 

 

O fascínio da leitura leva as crianças à concentração

 

 

 

 

O universo infantil é cheio de faz-de-conta e a criança leva para o imaginário seu mundo real

 

 

 

 

Ensinar os pequenos a amar os livros não é difícil, pois  existe um encantamento que a história transmite

 

 

 

Práticas lúdicas literárias e o processo de ensino a aprendizagem

 

 

A Maratona de Histórias realizada pela Escola Municipal Thomas Jefferson ajudou a enriquecer várias habilidades que os alunos precisam dominar: a capacidade de dar sequência lógica aos fatos, sentido da ordem, esclarecimento do pensamento, a atenção, o gosto literário, ampliação do vocabulário, o estímulo e interesse pela leitura.

 

 

Diante deste contexto, é que cada vez mais as escolas e os pais devem adotar a literatura infantil para a educação das crianças, pois somente assim formarão adultos competentes e responsáveis na formação de um mundo melhor.

 

 

Parabéns à equipe da Escola Municipal Thomas Jefferson por ajudar a modificar a estrutura social do futuro e a formar cidadãos com consciência social e moral capazes  de melhorar o mundo violento e conturbado em que estamos inseridos através da contação de histórias.

 

 

Você gostou desta postagem? Então envie o seu projeto e/ou ação para ser publicado no Portal Rioeduca! Será um prazer divulgar o seu trabalho ! Nós somos a seXta CRE!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatríciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

 

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 17/10/2012

Linguagem Teatral Sensibiliza, Emociona e Provoca

Tags: 6ªcre, artescênicas, riodeleitores.

A professora Luciane da Escola Municipal Cláudio Ganns realizou, no início do 2º semestre, uma Oficina de Teatro com os alunos de 3º ao 5 º ano.  O principal objetivo do trabalho foi estimular a criatividade, a memória auditiva, a oralidade, o gosto pela leitura e a desinibição para falar em público.

 

O Teatro na educação é um espaço a ser conquistado. Embora existam educadores que acreditam na força que ele tem para promover a aprendizagem e o desenvolvimento do aluno, ainda há  um grande número de professores que não aceitam, não acreditam e não dão o devido valor ao exercício teatral no processo educativo do aluno.

 

Utilizar o Teatro aliado à educação oportuniza aos educandos um conhecimento diversificado e lúdico, por que existe um clima de liberdade, no qual o aluno libera seu potencial. Quando o educando interpreta uma personagem ou dramatiza uma situação, revela parte de si mesmo, mostrando como  se sente, pensa e vê o mundo.

 

A atividade teatral ensina a aprender com a diversidade e somente assim é que ocorre a construção do conhecimento do sujeito.

Procurando aprimorar o desenvolvimento de seus alunos,  a professora Luciane da Escola Municipal Cláudio Ganns encontrou no Teatro um recurso pedagógico muito eficaz.  Ela realizou a Oficina de Teatro com os alunos do 3º ao 5º ano, tendo por objetivo estimular a criatividade, a memória auditiva, a oralidade e a desinibição para falar em público.

 

 

 

A professora Luciane encontrou no Teatro o caminho para ajudar no desenvolvimento intelectual e emocional dos alunos de 3º ao 5º ano

 

 

No primeiro momento da oficina, os alunos ouviram as histórias contadas pela professora  Luciane da Sala de Leitura e, em seguida, conversaram sobre as questões abordadas no livro.

O segundo momento foi marcado pela confecção de dedoches para a realização do Teatro de Fantoches. Esta  modalidade do Teatro permite que os alunos explorem todos os movimentos dos dedos, mãos e braços e, a partir daí, criem uma atmosfera de conhecimento do próprio corpo.

No terceiro momento, cada aluno participou, como um personagem, da contação da história escolhida .

O quarto e último momento foi a escolha de um colega para contar a história de João e Maria no Quintal de Histórias.

 

 

 

O Teatro de Fantoches teve sua origem na Antiguidade, quando modelavam-se bonecos de barro

 

 

 

O Teatro de Fantoches permite que os alunos discutam e reflitam sobre valores e atitudes, conhecendo os acontecimentos da realidade social

 

 

A aluna escolhida pela turma para contar a história de João e Maria foi a encantadora Milene. Assista ao vídeo abaixo e se deleite com esta aluna que, com sua voz, cativa  e prende a atenção de todos.

 

 

 

 

 

A oficina proposta pela professora Luciane está preparando os alunos para enfrentarem os problemas que estão por vir em sua trajetória.  Além disso, ajuda na evolução de  várias áreas, como a coordenação, a criatividade, a memorização, no vocabulário e a socialização.

 

Parabéns à professora de Sala de Leitura, Luciane,  por utilizar a linguagem teatral para perceber os traços de personalidade de cada aluno e, principalmente, para estabelecer estratégias que ajudem  no aprimoramento do trabalho pedagógico.

 

  

Você gostou desta oficina? Realize-a em sua escola e depois conte-nos como foi. Será um prazer divulgar o seu trabalho no Portal Rioeduca. Nós somos a seXta CRE!

 

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter:@PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 12/10/2012

Pequenas Crianças, Grandes Descobertas

Tags: 6ªcre, educaçãoinfantil.

 

A Creche Municipal Albert Sabin realiza com seus alunos o projeto "Pequenas Crianças, Grandes Descobertas" que tem por objetivo caracterizar a instituição escolar como um ambiente sadio e adequado para a descoberta de si mesmo e dos outros.

 

Segundo a presidenta Dilma Rousseff, investir em creche é a chance que o país tem de enfrentar na raíz o problema da desigualdade entre ricos e pobres.

 

 A fala acima reflete a importância da creche na vida escolar da criança, pois é neste ambiente que ela terá acesso aos melhores estímulos pedagógicos, sendo despertada a curiosidade.

 

A escola para crianças de até 3 anos deixou de ser significado apenas de cuidado ou assistência social há muito tempo.  Trata-se agora de um espaço de ampliação do repertório de experiências da criança.  Neste repertório, está incluída também a vivência da cultura escrita, que nada tem a ver com alfabetização precoce. São estórias lidas pela professora, receitas seguidas pelas crianças e outras atividades que ajudam no interesse e na aprendizagem futura.

 

Diante desta realidade, a Creche Municipal Albert Sabin realiza com seus alunos o projeto "Pequenas Crianças, Grandes Descobertas" que tem por objetivo caracterizar a instituição escolar como um ambiente sadio e adequado para a descoberta de si mesmo e dos outros.

 

 

Alguns momentos do projeto Pequenas Crianças, Grandes Descobertas

 

 

Os professores da Creche Municipal Albert Sabin acreditam ser imprescindível que as creches levem em conta que as crianças, desde que nascem, são cidadãos de direitos, indivíduos únicos e singulares e, principalmente, seres sociais e históricos que produzem e consomem cultura.

 

Para construir esses cidadãos, a Creche realiza atividades que ajudam os alunos a desenvolverem conceitos em diferentes áreas de conhecimento, utilizando as linguagens artísticas, experimentando situações de aprendizagem e tendo da brincadeira como  instrumento de apropriação.

 

As ações realizadas também despertam o gosto e o prazer pela leitura, através do contato com diversos portadores de texto de forma lúdica e significativa, desenvolvendo uma postura investigativa em relação ao mundo social e natural.

 

 

Alunos fazem descobertas entrando em contato com diversos portadores textuais

 

 

 

Alunos realizam descobertas através da linguagem artística e da brincadeira

 

 

 

Alunos da Creche Municipal Albert Sabin experimentam o espaço escolar

 

 

 

Alunos despertam para o letramento através de atividades de investigação

 

 

O conhecimento nesta fase, como vimos nas imagens mostradas, ocorre, basicamente, por meio da ação, da interação com os colegas e com os adultos, da brincadeira, da imagianção e do faz de conta.

 

Portanto, a dinâmica de trabalho da Creche Municipal Albert Sabin demonstra considerar o aspecto lúdico e contribui para a construção de conhecimentos imprescindíveis aos alunos da Educação Infantil. 

 

Parabéns a toda equipe da Creche Municipal Albert Sabin por oferecer a seus alunos um ambiente com diferentes e novas oportunidades de aprendizagem.

 

Gostou desta postagem? Deixe um comentário sobre o projeto da Creche Municipal Albert Sabin! Vamos prestigiar e valorizar o trabalho realizado pelos professores da rede municipal de ensno. Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 10/10/2012

Jovens Cientistas

Tags: 6ªcre.

 

 

 

A professora Heloísa do Ciep Doutor Adão Pereira Nunes, em parceria com o Bairro Educador e o SESC, realizou  a Oficina Sustentabilidade e Educação com os alunos da turma 1.302, ensinando a transformar óleo de cozinha em sabão.  A ação procurou despertar o pensamento científico e investigativo das crianças .

Você já parou para pensar que estudar Ciências é essencial para o desenvolvimento de crianças e adolescentes? Disciplina obrigatória no currículo escolar, ela é tão importante quanto o estudo da língua e da matemática.

 

O conhecimento científico ajuda a compreender o mundo e suas transformações.  Mostra que há sempre inúmeras explicações por trás de tudo o que acontece.  Isto estimula a reflexão e a formulação de hipóteses.

 

É muito importante que o aluno aprenda a pensar cientificamente, ou seja, a formular hipóteses e desenvolver um raciocínio.   Quando tenta entender o mundo e a natureza, o estudante passa a pensar de maneira cada vez mais lógica.

 

Por meio da Ciência, a criança entenderá como funciona todo a planeta e, principalmente, que tudo que é vivo está interligado, conectado de alguma maneira. Vai compreender, ainda, a necessidade de se preservar a natureza, reciclar o lixo, poupar água e não poluir o ar.

 

Procurando desenvolver estas e outras habilidades em seus alunos, o Ciep Doutor Adão Pereira Nunes está trabalahndo com o projeto Sustentabilidade e Educação.  Contando com a parceria do Bairro Educador, a equipe do Ciep conseguiu levar aos alunos, através do SESC, uma oficina que ensinou a turma 1.302  da professora Heloísa a transformar óleo de cozinha em sabão.

 

 

 

Alunos participam da Oficina oferecida pelo SESC

 

 

Inicialmente, a professora Heloísa discutiu com os alunos alguns assuntos.  Ela ensinou que, depois de usado, o óleo de cozinha pode ter dois destinos que são: dar uma enorme dor de cabeça e prejuízo tanto para o seu bolso como para o meio ambiente ou se transformar em economia e, eventualmente, em receita extra.

 

Após inúmeras colocações, os alunos concluíram que a segunda opção era a mais adequada. Então, os representantes do SESC realizaram uma oficina na turma, ensinando os alunos a transformarem o óleo de cozinha, que seria jogado na natureza, em benefício para a escola e para o planeta.

 

Antes de iniciar a oficina, o SESC passou para os alunos os cuidados que devemos ter ao manipular os ingredientes desta receita.  É preciso usar luvas e utensílios de madeira ou plástico para preparar a mistura, pois a soda cáustica pode causar queimaduras na pele.

 

 

 

Alunos da turma 1.302 ouvem atentos as explicações do representante do SESC

 

 

Em seguida, os alunos foram observando e aprendendo sobre os ingredientes, suas quantidades e o modo de fazer o sabão. Conheça abaixo os detalhes da receita usada para transformar o óleo de cozinha em sabão.

 

Ingredientes:

 

- 5 litros de óleo de cozinha usado

- 2 litros de água

- 200 milímetros de amaciante

- 1 quilo de soda cáustica em escama

 

Modo de Fazer:

 

Coloque a soda cáustica em escamas no fundo de um balde. Adicione água fervendo e mexa até diluir a soda. Acrescente o óleo  de cozinha usado e continue mexendo. Misture bem o amaciante. Jogue a mistura em uma forma e deixe descansar por 24 horas. No dia seguinte, corte as barras de sabão e comece a usar.

 

 

Alunos observam atentos a ordem da mistura dos ingredientes da receita

 

 

 

Alunos da turma 1.302 participam da transformação do óleo em sabão e apresentam o produto final

 

 

As crianças fizeram o sabão e doaram para a cozinha Ciep. Eles compreenderam que a produção deve ser feita sob a orientação de um adulto devido ao manuseio de material perigoso para crianças.  Também aprenderam a reutilizar o que consumimos.

 

Eles levaram para casa a receita e aceitaram o compromisso de ensinar aos pais, familiares e vizinhos que o óleo não pode ser descartado de qualquer maneira para não poluir o meio ambiente.

 

Esta ação realizada no Ciep Doutor Adão Pereira Nunes, em parceria com com o SESC e o Bairro Educador, estimula a criatividade além de  ajudar os alunos a serem mais questionadores e responsáveis por suas próprias ações.

 

O estudo realizado com os alunos da turma 1.302 incentiva a imaginação, a observação e a capacidade de elaborar hipóteses para que depois sejam feitos os relatos.  Ensina, ainda, a buscar informações que permitam achar respostas para os questionamentos.

 

Além de importante para o futuro dos alunos, Ciências é a disciplina escolar que tem um grande potencial para entreter os alunos. Então, o que você está esperando para transformar suas aulas em pura diversão e aprendizagem? Coloque esta ideia em prática!

 

Parabéns à professora Heloísa e aos seus parceiros, Bairro Educador e SESC, por ajudarem a transformar o ensino de Ciências mais prazeroso e desafiador, através da interação de professores e alunos e de atividades investigativas.

 

Envie você também o seu projeto e/ou ação para ser publicado no Portal Rioeduca! Vamos compartilhar experiências em prol de um objetivo comum: a melhoria da educação carioca. Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share