A A A C
email
Todos os posts escritos por Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE
Retornando 31 resultados para o autor 'Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE'

Sexta-feira, 05/10/2012

Minha Primeira Biblioteca

Tags: 6ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores.

 

A professora Mônica Queiroz, do CIEP General Augusto César Sandino, dá continuidade ao Projeto Minha Primeira Biblioteca, através de atividades de literatura  realizadas com os alunos da Educação Infantil. Com isso, a professora pretende incentivar o interresse pela leitura na idade em que todos os hábitos estão sendo formados, isto é, na infância.

 

Todas as crianças precisam ter contato com livros, mesmo que ainda não saibam ler. Para os pequenos, a escrita é apenas um conjunto de marcas em folhas de papel. Um adulto, ao ler um livro para crianças, faz com que essas marcas ganhem vida e os pequenos tenham acesso a tudo que mora dentro dele.

 

A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. A proximidade com o este mundo, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas.

 

Reconhecendo a importância da Literatura Infantil para os alunos, a Gerência de Educação Infantil lançou o projeto Minha Primeira Biblioteca.  Ele tem por objetivo oferecer a cada criança de Educação Infantil dois livos que farão parte do seu acervo pessoal.

 

 

Logomarca do projeto Minha Primeira Biblioteca

 

 

Dando continuidade ao projeto Minha Primeira Biblioteca, a professora Mônica Queiroz está incentivando a formação  do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam, isto é, na infância.

 

As atividades que a professora está realizando, a partir deste projeto, levará os alunos por um caminho  onde desenvolverão a imaginação, as emoções e os sentimentos de forma prazerosa e significativa.

 

 

Alunos da Educação Infantil do CIEP Augusto César Sandino recebem os livros do projeto

 

 

 

A turma da Educãção Infantil se prepara para ouvir histórias no círculo Montessoriano

 

 

Em sintonia com a estação das flores, a professora Mônica Queiroz trabalhou com os alunos o livro A Margarida Friorenta, de Fernanda Lopes de Almeida. O livro conta a história de uma flor que sentia muito frio. Contudo, o frio que sentia não era de casaco, era de amor!

 

 

Capa do livro A Margarida Friorenta

 

 

Para transmitir a ideia do livro e levar novos conhecimentos e ensinamentos aos alunos, a professora Mônica Queiroz fez a contação da história. A sala e os alunos são preparados com carinho e organização. No momento da contação, o olhar da professora transmite o que está sendo contado. Ela se expressa com gestos, alterações de voz e com o corpo. Os alunos não tiram o olho dela!

 

Após a contação da história, a professora trabalhou com os alunos alguns ensinamentos tratados no livro. Um deles é que a melhor coisa do mundo é ter alguém com quem possamos contar! Outro ensimanento trabalhado foi que em muitos momentos de angústia, dor, solidão  e carência um simples abraço ou um gesto de carinho é o suficiente para aquecer  qualquer coração.

 

Os alunos da Educação Infantil adoram brincar de roda e esta história nos faz lembrar da cantiga de roda Onde está a Margarida?. Confira o vídeo das crianças da turma da professora Mônica Queiroz.

 

 

Professora Mônica Queiroz  brinca de roda com os alunos da Educação Infantil

 

 

A atividade acima proposta pela professora Mônica Queiroz possui grande valor educativo, pois a criança se envolve integralmente. Brincando de roda, os alunos melhoram o raciocínio e a memória, desenvolvem o gosto pelo canto e  exercitam os músculos.

 

Para deixar a sala bem florida e com jeitinho de Primavera, os alunos da Educação Infantil transformaram copos descartáveis  de café em belas margaridas. Para completar, os alunos usaram cola amarela para colorir o miolo da flor. Foi rápido, fácil e ficou lindo!

 

Nesta fase, as crianças sonham  acordadas, inventam e descobrem coisas, se aventuram em um mundo desconhecido, não têm medo de criar. Pensando neste contexto, vale destacar a importância do trabalho realizado pela professora Mônica, ao utilizar a Arte para aprimorar o conhecimento dos alunos e aguçar sua curiosidade e vontade de desvendar, já que é assim que os alunos ampliarão seu vocabulário visual e darão asas à imaginação.

 

Na história A Margarida Friorenta há uma Borboleta Azul muito boazinha. Vendo que a flor tremia de frio, contou para a menina Ana Maria para que esta pudesse ajudar.

 

Os alunos da turma de Educação Infantil  confeccionaram a Borboleta Azul e, inspirados no poema As Borboletas de Vinícius de Moraes, fizeram borboletas de outras cores também!

 

 

Alunos da Educação Infantil confeccionam a Borboleta Azul

 

 

A linguagem da arte, assim como a leitura, devem estar presentes em todas as turmas de Educação Infantil, como vimos na turma da professora Mônica Queiroz. Ligar a leitura e a arte ao lúdico, ao jogo, ao brincar, ao criar e ao imaginar, possibilitam a criança não só o conhecimento cognitivo, mas, principalmente, do sensível.

 

O projeto Minha Primeira Biblioteca, que faz parte do programa Rio, uma Cidade de Leitores, tem por objetivo incentivar e fortalecer o hábito da leitura, por prazer, de alunos da rede municipal de ensino. A professora Mônica Queiroz está contribuindo para este movimento através de seu trabalho, que é conhecido por todos na 6ª CRE.

 

Parabéns à professora Mônica Queiroz por ajudar a formar um Rio de Leitores e, principalmente, por propiciar através do seu trabalho o desenvolvimento artístico e cognitivo de seus alunos.

 

Gostou desta postagem? Deixe um recado para a professora Mônica Queiroz! Vamos prestigiar o trabalho dos nossos colegas da Rede! Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 26/09/2012

A Magia da Leitura e os Recursos Digitais

Tags: 6ªcre, educopédia, riodeleitores.

 

Algo especial acontece quando se usam os recursos digitais para promover o desenvolvimento das competências de leitura e escrita. Novos papéis para os professores e para os alunos surgem num processo de ensino e aprendizado orientado, cooperativo, crítico e criativo de investigação e partilha de recursos. A E. M. Thomas Jefferson trabalha, desde as séries iniciais, promovendo essa magia: o interesse pela leitura na era digital.

 

O gosto pela leitura desenvolve-se, principalmente, na infância. Exatamente por isso, o trabalho com livros sempre teve e terá enorme espaço dentro da sala de aula. Contudo,  vivemos uma nova realidade em que os alunos atraem-se muito mais pela linguagem digital e acabam desviando o olhar da linguagem impressa.

 

Frente a este cenário, a pergunta é: Como despertar o interesse pela leitura em um mundo marcado essencialmente pela linguagem digital?

 

Não pense que essa é uma pergunta impossível de ser respondida! A Educoteca, Biblioteca Turbinada da Educopédia, e a disciplina Asas de Papel, também presente na Educopédia, buscam atrair o olhar do jovem digital para a leitura de livros impressos.

 

 

Educoteca e Asas de Papel  presentes na Plataforma Digital Educopédia

 

 

Por meio de vídeos, músicas, animações e cartoons, a criança entra em contato com obras literárias. Entretanto, para conhecer melhor, ela deve recorrer à obra original. O objetivo não é substituir a obra impressa, mas sim despertar o interesse do aluno por ela.

 

A Escola Municipal Thomas Jefferson é um exemplo de instituição de ensino em que os professores trabalham a fim de promover o interesse pela leitura na era digital. As professoras das turmas 1101 e 1501 realizam aulas criativas utilizando a magia da leitura e os recursos digitais.

 

A turma 1101 trabalhou com o livro Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque. A professora utilizou a aula 28 da disciplina Asas de Papel, vários recursos digitais e o livro impresso.

 

 

Professores aliam os recursos da Educopédia ao gosto pela leitura

 

 

A professora fez a leitura da história e incentivou a participação oral dos alunos sobre a compreensão do texto, a personagem principal e seus medos. Em seguida, os alunos realizaram a aula 28 da disciplina Asas de Papel, que relembrou o conto de Chapeuzinho Vermelho através de imagens mostradas no datashow.

 

 

Alunos despertam o prazer pela leitura através da Educopédia

 

 

Orientados pela professora, os alunos da turma 1101 citaram as diferenças entre  o conto clássico e a releitura de Chico Buarque de Hollanda. O Quiz da atividade 9 da disciplina Asas de Papel foi respondido pelos alunos em parceria.

 

 

 

Educoquiz realizado pelos alunos da turma 1101

 

 

 

Para sintetizar a compreensão do texto como um todo, os alunos assistiram uma história animada da Chapeuzinho Amarelo. Esta animação é uma adaptação da história citada e recupera as informações sobre o enredo que foi apresentado, aos poucos, nas atividades da Educopédia.

 

 

Animação Chapeuzinho Amarelo utilizada pela professora da turma 1101

 

 

Mais adiante, a professora apresentou aos alunos alguns slides preparados por ela para trabalhar a escrita.

 

 

Professora utiliza partes do livro Chapeuzinho Amarelo para realizar atividades de escrita com os alunos

 

 

Para trabalhar com os medos de Chapeuzinho Amarelo e das crianças, professora e alunos discutiram o tema medo e, a seguir, assistiram a um vídeo sobre o tema em questão, feito por alunos de uma escola municipal.

 

 

Vídeo Você tem medo de quê? preparado pelos alunos do Núcleo de Arte Grande Otelo

 

 

A aula foi finalizada com o registro em cartolina dos medos dos alunos da turma e o manuseio do livro Chapeuzinho Amarelo. Depois de todo o trabalho que foi realizado, todos queriam levar o livro para ler!

 

 

Alunos manuseiam o livro Chapeuzinho Amarelo

 

 

Os recursos digitais, atualmente, são fontes de formação de novos leitores. Eles motivam os alunos, desenvolvem competências da língua e a criatividade, fornecem um manancial de informações e prepara para o futuro na sociedade da informação, oferecendo desafios  significativos.

 

Parabéns à professora da E. M. Thomas Jefferson por utilizar recursos tão poderosos para o desenvolvimento das competências de leitura e escrita. Esta ação, com certeza, proporciona uma aprendizagem mais autônoma e permite uma maior participação em atividades de colaboração; o que tende  a aumentar o interesse e a motivação dos alunos.

 

 

Quer conhecer o trabalho que a professora da turma 1501, da Escola Municipal Thomas Jefferson, realizou utilizando a leitura e os recursos digitais? Então não perca a postagem da semana que vem!  Nós somos a seXta CRE!

 

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 14/09/2012

Semeando Novas Atitudes

Tags: 6ª, cre, creches, saúde, meioambiente.

 

O EDI Professora Rosenice Rocha Roque realiza com os alunos do Maternal I o projeto Semeando Novas Atitudes, que tem por objetivo promover  bons hábitos alimentares desde os primeiros anos de vida.  É de extrema importância que a alimentação durante a infância seja rica e balanceada para o desenvolvimento intelectual e cognitivo da criança.

 

Na infância, a alimentação tem vital importância, pois nos primeiros anos de vida, os ossos e os dentes estão sendo formados, sem falar na parte neurológica. Uma criança mal nutrida tem dificuldades de aprendizagem e de concentração, fragilidade nos ossos, dentes fracos e muitos outros problemas.

 

Os hábitos alimentares adequados ou não, são formados até os 2 anos de idade, e serão os mesmos por toda a vida do indivíduo, se não houver preocupação em mudá-los.

 

Tendo em vista a re-educação alimentar, os hábitos inadequados devem ser revertidos e os bons hábitos incentivados. Esta tarefa não é apenas dos pais, uma vez que a criança vai crescendo, ganhando espaço e formando sua opinião sobre muitos fatos e entre eles, a sua alimentação, mas também da escola, professores, amigos e meios de comunicação através dos seus programas e anúncios publicitários.

 

Pensando nisso, o EDI Professora Rosenice Rocha Roque construiu o projeto Mini Horta do Maternal I: Semeando Novas Atitudes! Esse projeto surgiu a partir de um projeto maior da creche, que é o da alimentação, onde as crianças aprendem, através das atividades, a importância dos alimentos à saúde.

 

Com isso, cresceu um desejo de que cada aluno pudesse plantar e cuidar do seu vegetal e observar seu desenvolvimento até a hora em que ele é colhido e utilizado  na cozinha chegando assim ao seu prato. Sendo assim, todos se uniram em favor da horta e da da sustentabilidade, reutilizando as caixas de leite que seriam jogadas fora para o plantio das sementes.


 

 

Projeto Mini Horta do Maternal do EDI Prof.ª Rosenice Rocha Roque

 

Objetivo:

 


* Valorizar a alimentação saudável
* Acompanhar o crescimento dos vegetais
* Valorização dos seres vivos
* Despertar o gosto por alimentos naturais
* Reutilização de materiais reciclados

 


Desenvolvimento:

 


Inicialmente, será desenvolvida como introdução ao trabalho, uma história sobre plantas para que os alunos tenham um conhecimento prévio no momento em que começarem a trabalhar com  horta. A história será contada  na sala e no espaço do solário momentos antes de iniciar o plantio.

 


Nas caixinhas de leite, devidamente cortadas e lavadas, as crianças trabalharão com a terra, mexendo e irrigando para receber as sementes, abrindo espaço para o plantio. Depois de plantadas as sementes todos os dias, na hora da ida ao solário, elas irrigarão acompanhando assim o crescimento da planta, que nesse primeiro momento será o espinafre.

 

 

Alunos do Maternal I realizam o plantio da semente de espinafre

 

 

 

Alunos do maternal participam dos cuidados com o plantio da semente de espinafre

 

 


Passado o tempo de crescimento, vem o da colheita, onde os pequenos colherão o espinafre e levarão para que seja preparado na sua alimentação. Durante todo o processo as professoras devem orientar aos alunos para que eles percebam a importância dos elementos da natureza utilizados neste processo relacionando-os com a importância que eles também tem para o ser humano, proporcionando assim a valorização da natureza e dos seres vivos. Lembrando sempre de estarem atentas às indagações feitas pelas crianças, que sempre contribuem ricamente no desenvolvimento da atividade.

 

 


Recursos:


As crianças; caixa de leite para a acomodação das sementes e da terra; terra;  sementes e água.

 


Avaliação:

 


Durante o processo, as crianças desfrutarão do contato com os elementos da natureza, vivenciarão novas experiências e descobertas no meio ambiente, acompanhando o crescimento da planta, valorizando uma alimentação saudável.

 

 

 

Alunos do Maternal ouvem histórias sobre  alimentação e colocam em prática o que aprenderam

 

 

 

Alunos ficam encantados com a história contada pela professora

 

 

 

As primeiras sementes de espinafre começam a brotar

 


 

Parabéns a toda equipe do EDI Professora Rosenice Rocha Roque por promover uma re-educação alimentar a nível escolar desde os primeiros anos, fazendo desta maneira o possível para reverter os hábitos alimentares incorretos. Isto será possível, sobretudo, com o exemplo da Escola, aplicando esses conhecimentos oferecendo um cardápio equilibrado e saudável.

 

Envie você também o seu projeto para ser publicado no Portal rioeduca! Aproveite este espaço de interação e troca de experiências! Ele é seu, é meu, é nosso! Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE

Twitter:@PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 12/09/2012

Semana de Educação Infantil na E. M. Paraíba

Tags: 6ªcre, educaçãoinfantil, artesvisuais, artescênicas.

 

A E. M. Paraíba realizou a Semana de Educação Infantil com a participação dos responsáveis e seus filhos. Esta semana teve por objetivo propiciar momentos prazerosos entre família e escola, além de  desenvolver as áreas de conhecimento necessárias para uma aprendizagem efetiva.

 

O mundo todo desperta para a importância da Educação Infantil. Até pouco tempo atrás, esse ensino era tido como de menor interesse. Hoje sabemos que a estimulação precoce das crianças ajuda muito  o aprendizado futuro. Desenvolve suas capacidades motoras, afetivas e de relacionamento social. O contato das crianças com os educadores e seus pares transforma-se em relações de aprendizado.

 

A Educação Infantil começa a ser vista como o alicerce da aprendizagem, aquela que deixa a criança pronta para aprender.

 

A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro investe muito nesta área da educação. As ações vão desde a contratação de professores por meio de concurso público, ampliação de vagas nas escolas, capacitação dos docentes para a realização de um trabalho pedagógico consistente, até ações desenvolvidas exclusivamente para o desenvolvimento integral do aluno da Educação Infantil. Cito, como exemplo, a Semana de Educação Infantil ocorrida em agosto.

 

Os professores da E. M. Paraíba têm plena consciência de que a Educação Infantil é essencial para uma aprendizagem efetiva, pois ela socializa, desenvolve habilidades e melhora o desempenho escolar futuro. Isto proporciona à criança resultados superiores ao chegar ao Ensino Fundamental.

 

 

Semana de Educação Infantil na E. M. Paraíba

 

 

Pensando nisso, a Semana de Educação Infantil da E. M. Paraíba foi recheada de atividades que tinham por objetivo desenvolver as várias áreas do conhecimento. No primeiro dia, os professores realizaram com os alunos atividades que proporcionaram o desenvolvimento da linguagem oral, movimento , natureza e sociedade.

 

 

Responsáveis participam do lançamento do Caderno Pedagógico e da avaliação das atividades

 

 

As professoras realizaram, durante toda a semana, a exposição dos trabalhos realizados pelos alunos no pátio da escola.

 

A Educação Infantil, segundo os professores da E. M. Paraíba, está  em processo de desenvolvimento e tem por base o PPP da escola, onde a Qualidade de Vida é o ponto de partida para  realização de todas as atividades. Os professores destacam que o conhecimento da nossa cultura nos traz também qualidade de vida e, por isso, as atividades desenvolvidas na Semana de Educação Infantil tiveram como temática o Folclore Brasileiro.

 

 

Reponsáveis participam das atividades da Semana de Educação Infantil  com seus filhos

 

Pensando em proporcionar uma boa qualidade de vida aos alunos e responsáveis, a E. M. Paraíba realizou exercícios físicos e palestras com os presentes.

 

As linguagens oral e visual, as Artes, a Matemática, o Movimento, a Natureza e a Sociedade foram as áreas de conhecimento exploradas no segundo dia. Vários trabalhos artísticos foram construídos a partir da contação de história realizada pelas professoras. Os olhos das crianças brilhavam ao verem seus responsáveis participando daquele momento! Foi emocionante a participação da família neste evento!

 

 

Pais ajudam seus filhos na realização dos trabalhos artísticos

 

 

 

Alunos mostram, orgulhosos, os trabalhos feitos por eles e seus pais

 

 

De acordo com os professores da E. M.  Paraíba, a Qualidade de Vida abrange todas as áreas, a educacional, a social e a cultural. E, para viverem e serem Uma Escola Melhor em um Mundo Melhor elas começarão esta qualidade na educação Infantil.

 

Para despertar nos responsáveis e nos alunos  o desejo de uma vida saudável, foi realizada uma palestra sobre alimentação, além de  trabalhos específicos com os alunos sobre a importância de comer as frutas que são servidas na merenda da escola.

 

 

Professoras trabalham com os alunos a importância de uma boa alimentação

 

 

 

Responsáveis participam da alimentação de seus filhos na escola

 

 

No quarto dia, houve uma interação do projeto Acelera 1A com a Educação Infantil através da Oficina de Degustação. Os alunos puderam experimentar vários alimentos e descobrir novos sabores. A criançada aproveitou e comeu de tudo!

 

Oficina de Brinquedos de Sucata e Oficina de Degustação

 

 

A linguagem teatral não ficou de fora desta semana tão importante para os pequeninos da Educação Infantil. Os alunos representaram as cantigas de roda Terezinha de Jesus e A Linda Rosa Juvenil. Neste momento eles colocaram todo o seu talento à mostra. São verdadeiros artistas!

 

 

Alunos do E. I. representam a cantiga de roda A Linda Rosa Juvenil

 

 

 

Alunos do E. I. representam a cantiga de roda Terezinha de Jesus

 

 

No quinto dia, toda escola prestigiou o trabalho desenvolvido pelos alunos da Educação Infantil. Esta semana foi um verdadeiro sucesso!

 

Parabéns aos professores e responsáveis da E. M. Paraíba por acreditarem que investindo na Educação Infantil estarão proporcionando um futuro mehor para seus alunos e filhos. O trabalho da escola junto aos alunos e comunidade merece reconhecimento. Vocês são  10!

 

Gostou desta postagem? Envie o seu projeto e/ou ação para ser publicado no Portal Rioeduca! Este espaço é seu, é nosso! Aproveite para divulgar o excelente trabalho que você e sua escola realizam em prol de uma educação de qualidade. Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share