A A A C
email
Todos os posts escritos por Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Retornando 68 resultados para o autor 'Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre'

Sexta-feira, 06/07/2012

Colorindo a Rotina

Tags: 6ªcre, projetos, educaçãoinfantil, artesvisuais.

 

 

A professora Andréa Malta, EDI Prof.ª Miltolina da Silva, desenvolveu com os alunos do E.I. o projeto Colorindo a Rotina, que tem por objetivo pensar nas cores como ponto de partida para trabalhar a rotina, tornando o cotidiano mais colorido e diversificaddo.

 

O planejamento dos professores do EDI Prof.ª Miltolina da Silva está pautado nos conteúdos extraídos das orientações curriculares da SME do RJ para educação Infantil. Estes são retirados e pensados nas habilidades dos educandos  , pensado também nas particularidades e funcionalidade dos conteúdos, currículo e cotidiano da classe.


A coordenação pedagógica e o corpo docente criaram o projeto inicial,  Vivendo nosso primeiro momento: acolhendo, cativando e registrando e as educadoras do EI 30 , o enxertaram com uma proposta inovadora: trazer o centro de interesse da turma para os conteúdos formais do proposta curricular. Neste  momento de conhecimento entre educandos e educadores foi percebido que registrar os primeiros momentos  seja com artes plásticas, fotos e escrita  é fundamental para conhecer os  alunos.


Foi através das cores que as professoras entenderam que as crianças chegavam ao EDI com conhecimento prévio maior que imaginavam! Cheios de histórias para contar, novidades e experiências mil!


As cores os levaram aos conceitos iniciais, contagem, escrita inicial, rabiscos e desenhos...
Nesse bimestre, o tema do nosso sub-projeto é  Colorindo a rotina . Pensar na cores como ponto de partida para trabalhar a rotina, os momentos das atividades, tornando o cotidiano mais colorido e diversificado.


 

 

Projeto Colorindo a Rotina, do EDI Prof.ª Miltolina da Silva

 

JUSTIFICATIVA:

As cores existem a partir de tudo que existe em nossa volta. As crianças aprendem sobre as cores experimentando-as no dia a dia através das inferências e contextualizando-as nas situações, na sala de aula, nas músicas e através da curiosidade de cada educando.


Deste modo, COLORINDO A ROTINA,  é um trabalho que relaciona as cores a todo contexto da rotina, seja no café da manhã, através de perguntas das educadoras sobre as cores do ambiente, seja em qualquer outro espaço da U.E, oportunizando a aprendizagem.


OBJETIVOS:

• Nomear as cores nos objetos, no ambiente e nos materiais em sala de aula;
• Relacionar as cores aos alimentos e suas variações, por exemplo, maduros ou crus.
• Promover situações para observação de mudança de cor;
• Criar oportunidades de registro em desenho e escrita;
• Reconhecer a utilização da contagem nas situações cotidianas, classificar os objetos por cores;
• Relacionar cores com movimentos do corpo, brincando com o corpo com ajuda das educadoras;
• Ampliar conhecimento das cores a partir das interpretações musicais.

 

TEMAS:

• Acolhimento, adaptação e rotina
• Carnaval
• Identidade
• Corpo
• Numerais
• Cores
• Páscoa
• Dia do Circo

 

  RECURSOS:  

Revistas
• Livros
• TV
• DVD
• Lápis de Cor
• Giz de Cera
• Canetas Grossas(PILOT)
• Guache
• Papel
• Mídias

 

AÇÕES:

 • Lembrar sempre do nosso assunto em pauta mesmo na refeição inicial (desjejum), conversando com as crianças;
• Atividades organizadas e dirigidas nas mesinhas na sala de aula variando brinquedos, com livro de pano e blocos coloridos para montar;
• Registros escritos ou desenhos (pinturas explorando assunto em questão).
• Brincadeiras no parquinho e área externa explorando o ambiente sobre as cores da natureza e o que há em volta;
• Atividades que explorem a criatividade, pintura, massinha, argila, colagem;
• Seleção prévia de leituras (auxílio da sala de leitura) para trabalhar os temas e conteúdos explorados nesse projeto.

 

AVALIAÇÃO:

Observar diariamente todas as reações e ações dos educando diante das situações de aprendizagem criadas de maneira sistemática para oportunizar a aprendizagem. Avaliar suas habilidades e proporcionar situações onde suas limitações sejam vistas de forma afetiva, compreendendo a particularidade de cada criança e dando a mesma oportunidade de criar, registrar e aprender.
A avaliação será feita em forma de relatórios bimestrais para conhecimento da escola e responsáveis.

 

Sugestão de atividades para compor a rotina


UM PINCEL, MUITOS PAPÉIS

 


IDADE: 3 a 4 anos     TEMPO: De 15 a 30 minutos     ESPAÇO: Sala de atividades

 

MATERIAL: Lápis de cor, giz de cera grande ou pincel grosso e vários tipos de suporte, como papel espelho, cartolina, papel cartão de cores diferentes, papel enrugado, papéis com recortes inusitados (com um furo no meio, por exemplo) ou, ainda, madeira, argila etc.


OBJETIVOS: Experimentar diferentes suportes gráficos; explorar várias possibilidades de registro gráfico; perceber diversas formas de expressão; e desenvolver habilidades motoras (dependendo do material, o ato de desenhar exige mais ou menos força, delicadeza para não rasgar etc.). Com um mesmo pincel, lápis de cor ou giz de cera, as crianças desenham sobre papéis de diferentes cores, formas, tamanhos e texturas (e até sobre outros tipos de materiais, como a madeira). Elas vão perceber diferentes efeitos ou tonalidades de um lápis, por exemplo, quando usado sobre superfícies diversas.

 

CADA UM É DO SEU JEITO


IDADE: 3 anos      TEMPO: Uma hora        ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

 

MATERIAL: Papel Kraft, tesoura, canetas hidrocor e fita adesiva.

 

OBJETIVOS: Construir a imagem do próprio corpo e trabalhar a autoestima. Cada criança deita sobre uma folha de papel para que você possa desenhar a silhueta dela. Recorte o contorno, escreva o nome da criança e entregue a ela para completar o desenho com olhos, mãos, joelhos etc. Nesse momento, incentive a criança a observar o próprio corpo. Não espere nada figurativo. Quando todos concluírem o trabalho, cole as silhuetas lado a lado na parede e estimule a observação: “Olha! A Iara é mais alta que o Pedro”. Converse bastante sobre as particularidades de cada uma. Esse diálogo contribui para a construção da autoimagem e da autoestima, pois a criança interioriza o afeto que você e os colegas têm por ela, expresso na conversa. Sempre conversando sobre as cores usados, pergunto o porque da cor escolhida...


 

CANTINHO DE LEITURA


IDADE:  9 meses  TEMPO: De 10 a 15 minutos por dia    ESPAÇO: Sala de atividades

 

MATERIAL: Tapete ou colchão, bonecos de pano e fantoches de personagens familiares às crianças e vários livros.

 

OBJETIVOS: Interessar-se por histórias e explorar os livros. A experiência de manusear livros desde cedo, colabora com o aprendizado da leitura. Escutar histórias com regularidade também favorece a formação de melhores leitores e apreciadores do universo literário. Organize em sua sala um espaço de leitura que as crianças possam freqüentar e explorar, entrando em contato diariamente com livros, álbuns de imagens, fantoches e bonecos de pano. Vale lembrar que esse espaço deve ser confortável, acolhedor e atrativo. Assim, as crianças se envolvem por um tempo maior com suas atividades. Os livros e demais materiais expostos precisam ser resistentes. Se acontecer de algum ser rasgado ou amassado, conserte e ponha em uso novamente. Leia livros para o grupo. Por causa da idade, as crianças não ficarão sentadas em roda, como as mais velhas. O interesse de uma criança pequena por uma história lida pode ser percebido por reações de alegria ou tentativas de encenar a história. Observe esses sinais e incentive as crianças que os emitiram. Ao escolher as histórias para ler ou contar, opte por livros com ilustrações de qualidade. Não se preocupe com variedade, porque as crianças pequenas gostam de ouvir várias vezes a mesma história. Antes ou depois da leitura, lembre de dar um tempo para as crianças manusearem livremente os livros.

(MOVIMENTO) MEU CORPO


Para a criança pequena, mover-se é muito mais do que mexer o corpo ou se deslocar. É uma forma de se comunicar. A aquisição de novas habilidades permite que ela atue de forma cada vez mais independente no mundo. Essa autonomia só é conseguida com a confiança em si mesma e no ambiente. Por isso, é fundamental que a escola ofereça possibilidades de auto conhecimento e um espaço seguro e estimulante.
No EI 30, todas as manhãs, brincamos de acordar nosso corpo. Mexemos com o corpo de forma significativa, as crianças respondem ao estímulo dado pela professora, cantando e dançando, por exemplo.

 

MÚSICA DOS NOMES


IDADE: 4 meses   TEMPO: 30 minutos       ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou jardim.

 

OBJETIVOS: Reconhecer o próprio nome e reforçar o vínculo com o educador. Escolha uma música na qual você possa incluir o nome das crianças. Alguns exemplos: “Se Eu Fosse um Peixinho”, “A Canoa Virou”, “Ciranda, Cirandinha” e “Fui ao Itororó”. Reúna a turma em um local agradável e cante. Os bebês também podem participar, já que a intenção é fazer com que se familiarizem com os nomes. Aos que já andam, sugira uma roda, que vai se formando com aqueles que ouvem o próprio nome.


 

Vamos ver as fotos selecionadas pela professora Andréa Malta das atividades realizadas no primeiro trimestre de 2012 com o EI 30.

 

 

Primeiros momentos colando, experimentando cores e vivenciando a aprendizagem!

 

 

 

Conhecendo a turma e a turma conhecendo os professores ... primeiro com crachás..

 

 

O carnaval é a primeira data comemorativa do ano letivo no  planejamento do EDI.... atividades plásticas com diversidade de materiais.

 

 

 

A  audição de histórias aliada às respostas e percepções das crianças já no início do dia  direciona à criatividade que vai além de um planejamento engessado pela rotina, mas que dá conta das exigências de uma demanda  que preza pela inovação  no dia a dia!

 

 

 

Os conteúdos são trabalhados com experimentações mil! Aqui, “Família” é mostrada com auxilio de bonecos brancos, negros e até orientais, ora brincando com grupos onde a avó é a chefe do grupo, ora a mãe, ora apenas o pai. Retrato de uma sociedade que dá um novo significado ao conceito de família em todo tempo.

 

 

 

O portfólio como recurso na prática pedagógica auxilia na construção dos relatórios individuais  aliado às observações diárias . O capricho na confecção,  revela, não somente às crianças mas também aos responsáveis, o tamanho da responsabilidade na avaliação e o próprio desenvolvimento da criança.

 

 

 

Os educadores se alegram quando as crianças revelam através de riscos, desenhos sua percepção de mundo e da realidade que as cercam.

 

 

 

A culminância do dia das mães se revela como uma mostra de trabalhos artísticos na música, na dança e na arte do registro escrito.

 

 

 

Mais uma vez, a leitura como ponto de partida para aprendizagem!

 

 

 

          

 

Alunos experimentam a corda e brincam com ela

 

 

 

Alunos iniciam a escrita da letrinha do próprio nome!!! Mas aqui a escrita não é uma exigência do docente, é o resultado das ansiedades e da experiência de um mundo letrado onde todos nós estamos inseridos!

 

Parabéns à professora Andréa Malta e às Auxiliares de Creche, Cheron e Joselma, por desenvolverem este trabalho tão importante para o desenvolvimento dos alunos do EDI. Vocês fazem a diferença na vida dessas crianças!!!!! Temos muito orgulho em ter profissionais como vocês como colegas de trabalho!

 

Professor (a), envie você também o seu projeto para ser publicado no Portal Rioeduca! Este espaço é meu, é seu, é nosso! Nós somos a seXta CRE!

 

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/06/2012

Contando História na Escola

Tags: 6ªcre, educação, infantil, projetos.

 

A E. M. Dep. Pedro Fernandes realizou com os alunos o projeto Contando Histórias na Escola. O projeto parte do princípio que difundir o gosto pela leitura através da união escola e família, é um benefício à comunidade e aos alunos.

 

A E. M. Dep. Pedro Fernandes atende crianças na faixa etária de 3 anos a seis meses à 6 anos. São crianças com personalidades e características bastante diferentes e intensas. Nesta fase, é percebida a necessidade de desenvolvimento da autonomia, concentração, a construção da identidade, o desenvolvimento da imaginação e de formas adequadas para expressar ideias e sentimentos, de compartilhar conhecimento, trabalhar a linguagem oral, o respeito e a capacidade de escutar o outro e o saber esperar a vez.

 

Pensando numa forma prazerosa, para as crianças, de desenvolver essas necessidades, surgiu a ideia de convidar os responsáveis para contar histórias. Este projeto foi pensado quando a equipe pedagógica percebeu, na comemoração do Dia dos Avós, o interesse e alegria das vovós em contar histórias e cantar para as crianças. Era visível o prazer que as avós sentiam por estarem narrando suas histórias. E, assim, surgiu o projeto Contando Histórias na Escola!

 

 

Momentos do Projeto Contando Histórias na Escola

 

 

O projeto parte do princípio de que difundir o gosto pela leitura, através da união escola e família, é benefício à comunidade e aos alunos. A equipe da E.M. Dep. Pedro Fernandes entende que com a união e a soma de esforços de todos, num trabalho conjunto, conseguir-se-á uma sociedade mais preparada para a vida.

 

 

O ato de leitura é um ato cultural e social e ter acesso à boa literatura é dispor de uma informação cultural que alimenta a imaginação e desperta o prazer pela leitura. A importância dos livros e demais portadores de textos  é incorporada pelas crianças na medida que possibilitamos momentos de leitura, onde as crianças possam manusear e ler os livros. Um outro fato que consideramos importante é deixar as crianças levarem um livro para casa, para ser lido junto com seus familiares permitindo que as crianças desde muito pequenas, possam construir uma relação prazerosa com a leitura. Compartilhar essas descobertas com seu familiares é um fator positivo nas aprendizagens das crianças, dando um sentido  mais amplo para a leitura. (Referencial Curricular Nacional de  Educação Infantil)


 

Este projeto tem por objetivo geral, desenvolver a linguagem oral e escrita dos alunos através da leitura e contação de histórias, integrando família e escola.

 

Veremos abaixo a turma da professora Hildene. Nesta turma, a contação de histórias foi feita pela mãe do aluno Daniel, a senhora Maria Estela. A mãe do Daniel contou a história Bibi, vai pra cama para os pequeninos. Ele ficou muito feliz com a presença da mamãe na escola!

 

 

Mamãe Maria Estela conta histórias para os alunos do EI

 

 

No dia 1º de junho de 2012, a senhora Valdiva, avó do aluno Ryann Lucas, visitou a turma EI 10 para contar a história O Baile, de Mary França.

 

 

A vovó Valdiva conta histórias para os alunos do EI 10

 

 

A turma ficou super empolgada! Eles queriam ver as imagens e fazer muitas perguntas sobre os animais do livro. Os alunos ficaram felizes com a presença de alguém fora da rotina para animá-los com uma bonita história.

  

 

Alunos do EI 10 ficam encantados com a história

 

O netinho da senhora Valdiva ficou muito orgulhoso com a vovó dele! Parabéns à vovó Valdiva!

 

 

Vovó Valdiva e seu netinho Ryann Lucas

 

 

Abaixo, a mamãe Lucilene  conta a história O Mundinho, no auditório da escola. Os alunos da professora Susana prestaram atenção em tudo. Não perderam nenhum detalhe!

 

 

Mamãe Lucilene conta para os alunos a história O Mundinho

 

 

Na turma EI 17, da prof.ª Cristiane, quem contou história foi a Flávia, mãe da aluna Hellen.

 

 

Mamãe Flávia conta histórias para os amiguinhos de sua  filha Hellen

 

 

Na turma da professora Patrícia, a vovó Marlene contou a história Os Dez Amigos. Seu netinho Victor e as outras crianças da turma ficaram encantadas!

 

 

Vovó Marlene encanta os alunos com a história Os Dez Amigos

 

 

No EI 10, Luciflávia, mãe do aluno Hugo Henrique contou a história Magnólia. Foi um sucesso! Seu filho Hugo ficou orgulhoso da mamãe!

 

 

Mamãe Luciflávia conta a história Magnólia para os alunos do EI

 

No dia 19 de junho a turma do EI recebeu a visita de Angélica, mãe da aluna Emanuelle. A mamãe escolheu um clássico da literatura, A Bela e a Fera, que é uma das histórias de princesa que a filha adora.

 

Também participou da contação de histórias o primo da Emanuelle, o Raul, que é de nacionalidade espanhola e veio passar as férias com a prima.

 

 

Mamãe Angélica conta a história A Bela e a Fera para os alunos do EI

 

 

Parabéns à equipe da E.M. Dep. Pedro Fernandes por possibilitar momentos de leitura prazerosa aos alunos e à comunidade escolar.

 

Envie você também o seu projeto para ser publicado no Portal Rioeduca! Este espaço é meu, é seu, é nosso! Aproveite para divulgar o maravilhoso trabalho que você realiza em sua escola! Nós somos a seXta CRE!

 

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rieoduca na 6ª CRE

Twitter: PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/05/2012

1ª Dia Temático do Projeto Amigos da Escola

Tags: 6ªcre, eventos.

 

O CIEP Rubens Gomes comemorou o 1º Dia Temático do projeto Amigos da Escola, no dia 18 de maio. Este evento teve como temática o valor da leitura, que busca desenvolver nos alunos o prazer pela leitura e a alfabetização dos mesmos no primeiro ano do Ensino Fundamental.

 

 


Vista da frente do Ciep Rubens Gomes

 


O CIEP Rubens Gomes foi criado em 1987, a partir da mobilização da Equipe da Comunidade. O Patrono do CIEP, Rubens Gomes, nasceu em outubro de 1917. Pertenceu à comunidade de Camboatá, onde residiu durante muitos anos. Nesta comunidade, ele desenvolveu papel de total relevância à comunidade.


Por tantos serviços prestados à comunidade e ao centro comunitário de Camboatá, a Diretora desta Unidade Escolar solicitou, em uma assembleia extraordinária realizada em 1988, que desse ao CIEP o nome de Rubens Gomes.


A equipe gestora do Ciep é formada pelos professores Hugo Ribeiro, Diretor Geral; Sheila Regina, Diretora Adjunta; Leida dos Santos, Apoio à Direção e Rosângela Dias, Coordenadora Pedagógica.


No dia 18 de maio, o Ciep Rubens Gomes comemorou o 1º dia Temático do projeto Amigos da Escola 2012, que tem como temática neste ano o valor da leitura. Este projeto foi criado pela Rede Globo em favor de promover a educação básica da escola pública, onde professores, pais, alunos e a comunidade são convidadas a participar de forma caridosa.


O projeto Amigos da Escola tem como objetivo o incentivo à leitura e aos estudos. Essa é uma maneira de promover a educação e ajudar muitas crianças e adolescentes a desenvolver o gosto pelos estudos e a melhorar a qualidade do ensino nas escolas.

 

 


Símbolo do projeto Amigos da Escola da Rede Globo

 


Este projeto está mais do que adequado diante da realidade de tantas escolas que buscam desenvolver em seus alunos o prazer pela leitura e a alfabetização dos mesmos no primeiro ano do Ensino Fundamental. Por isso, a escola aproveitou o dia 18 de maio para apresentar o belo trabalho voluntário desenvolvido na U. E., mas também expor para a comunidade escolar todas as produções e projetos desenvolvidos ao longo do bimestre em nossas salas de aula, que além da temática da leitura, teve como preocupação o tema: saúde mental e higiene.

 

 


CiIEP Rubens Gomes recebe o projeto Amigos da Escola

 


Toda a comunidade escolar se envolveu e o fruto desse trabalho foi visto nessa data, com trabalhos lindos e empolgantes!


Além da mostra de cartazes nos corredores, organizada pelos professores da U. E., teve a apresentação do grupo de percussão, liderado pelo voluntário Ramsés; a apresentação da equipe de Karatê, treinada pelo voluntário Marlon Cardoso e as apresentações de dança, com o voluntário Jordi.

 

 


Alunos tocam percussão no pátio do CIEP Rubens Gomes

 

 

 


Alunos fazem apresentação de karatê no CIEP Rubens Gomes

 

 

 

 


Alunos e professores fazem exposição de cartazes no pátio do CIEP Rubens Gomes

 

 

 


Alunos produzem trabalhos manuais

 


O desenvolvimento de leitura prazerosa na Rua da Leitura, projeto da U. E., organizada pela professora Grasiani da Sala de Leitura, foi um dos pontos marcantes do dia. Este momento contou com a participação especial, no violão, do professor de Educação Física Paulo. Os responsáveis participaram de uma palestra com o tema saúde e cidadania, que contou com a presença da equipe do Bairro Educador, representado por Amarildo Pinto e o TES da escola, Lauro Trajano.

 

 


Professora e alunos leem no Corredor da Leitura

 


 

  

Alunos escutam atentos à leitura feita pela professora

 

 

 


Professor Paulo canta para os alunos na Rua da Leitura
 

 

 

 

 

Alunos auxiliam na exposição da Rua da Leitura

 


Segundo o Diretor Hugo Ribeiro, tudo foi um sucesso e o grupo está de parabéns pelo envolvimento e desenvolvimento de um trabalho de qualidade para a comunidade que atende.

 

 


Responsáveis assistem palestra sobre saúde e cidadania

 

 

Parabéns a todos os professores e alunos do CIEP Rubens Gomes pelo trabalho de excelência que realizam. Temos muito orgulho em ter vocês na nossa rede.
 

 

Professor, envie você também o seu projeto!
O Portal Rioeduca foi feito para você! Aproveite esta oportunidade e divulgue o excelente trabalho que você realiza em sua escola!
Envie o seu projeto para a representante do Rioeduca da sua CRE!


 

 

 

Patricia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/05/2012

Um Novo Olhar sobre a Fazenda

Tags: 6ªcre, troféurioeduca.

 

 

 A E. M. Pedro Fernandes realiza  com seus alunos e com a comunidade escolar o Projeto Um Novo Olhar Sobre a Fazenda, com o objetivo de resgatar a história da Fazenda Botafogo e o respeito  por parte dos moradores, pelas suas origens.

 

 


Vista do Conjunto Habitacional Fazenda Botafogo

 


A E. M. Pedro Fernandes localiza-se em Acari e atende a alunos da Educação Infantil. A equipe gestora da escola é formada pela Diretora Geral Junia Raquel, pela Diretora Adjunta Rosangela Coimbra e pela Coordenadora Pedagógica  Ana Lúcia Coutinho.

 

 


Equipe Gestora da E. M. Pedro Fernandes e Coordenadora da 6ª CRE (2ª da direita para a esquerda)

 


Fazenda Botafogo é um conjunto habitacional localizado dentro do bairro de Coelho Neto. O conjunto foi criado juntamente com o Distrito Industrial que leva o mesmo nome no final da década de 1970 e tem como limites o Rio Acari, ao Norte e a Oeste, que faz divisa respectivamente com os bairros de Pavuna e Barros Filho e a Avenida Pastor Martin Luther King Jr,  juntamente com a linha 2 do Metrô, fazendo divisa com o bairro de Acari.

 

 

 


Mapa de localização da E. M. Pedro Fernandes

 


O projeto Um Novo Olhar Sobre a Fazenda tem como prioridade resgatar a história da Fazenda Botafogo por meio de relatos orais. O projeto tem o objetivo de identificar  junto à comunidade e aos moradores mais antigos  as mudanças ocorridas no local ao longo dos anos, a partir da convivência entre as pessoas.


Vista do Conjunto Habitacional Fazenda Botafogo

 


A Unidade Escolar busca o reconhecimento e o respeito pelas suas origens, reafirmando as conquistas individuais e coletivas, além da capacidade de discernir direitos e deveres no meio social.


Mais que promover o exercício da cidadania, onde os mais velhos repassam conhecimentos e valores aos mais jovens, a utilização do método da história oral é também capaz de recuperar a história local pelos seus próprios agentes.

 

 


Alunos realizando atividades a partir do Projeto Um Novo Olhar Sobre a Fazenda

 


A escola começou conversando com os alunos sobre as coisas boas que existem no bairro. Eles citaram várias e as mais comentadas foram: Vila Olímpica, a escola, várias linhas de ônibus e o metrô. Os professores e alunos resolveram registrar de maneira lúdica, com desenhos, pinturas e, é  claro, com muitas fotos dos alunos. Foi o máximo! Eles não conseguem parar de olhar as suas fotos.

 

 


Alunos construindo o ônibus da turma

 

 

 


Ônibus pronto: a criançada não ficou de fora dele

 

 

 

 

Alunos fazem  a representação do Conjunto Habitacional onde moram

 

 

 


O prédio do Conjunto Habitacional Fazenda Botafogo e seus moradores

   

 

A história oral é considerada como fonte identitária de um povo, capaz de retratar realidades, vivências e os modos de vida de uma comunidade em cada tempo e nas mais variadas sociabilidades.


Este tipo de fonte não só permite a inserção do indivíduo, mas o resgata como sujeito no  processo histórico e feitos do seu tempo.


     

      Parabéns aos professores, alunos e equipe gestora da E. M. Pedro Fernandes por proporcionar à comunidade escolar uma oportunidade de expressar tudo o que viveu, sentiu ou pensou e procurar corrigir, no presente, para melhorar no futuro.
          

 

   

Gostou desta matéria? Deixe um recado para a equipe da E. M. Pedro Fernandes!
Envie você também o projeto de sua escola para ser publicado no Portal Rieoduca!
Este espaço foi feito para você! Aproveite!

 


Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE
Twitter: @PatriciaGed
E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

  


   
           



Yammer Share