A A A C
email
Todos os posts escritos por Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Retornando 68 resultados para o autor 'Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre'

Segunda-feira, 04/11/2013

Computador e Educação? Uma Ótima Combinação!

Tags: 6ªcre, tecnologia.

 

A professora Mara Malheiros, da Escola Municipal Grandjean de Montigny, utiliza com os alunos do 4º ano NCM diferentes recursos tecnológicos para auxiliar no processo de aprendizagem. Assim, eles apresentam maior concentração e interesse, além de dinamizar as atividades propostas.

 

"Os analfabetos do próximo século não são aqueles que não sabem ler ou escrever, mas aqueles que se recusam a aprender, reaprender e voltar a aprender."


Alvin Toffler

 

O mundo vive um acelerado desenvolvimento, em que a tecnologia está diretamente ligada a atividades bastante comuns. A Escola faz parte do mundo e, para cumprir sua função de contribuir para a formação de indivíduos que possam exercer plenamente sua cidadania, participando dos processos de transformação e construção da realidade, deve estar aberta e incorporar novos hábitos, comportamentos, percepções e demandas.

 

Ao mesmo tempo em que é fundamental que a instituição escolar integre a cultura tecnológica extraescolar dos alunos e professores ao seu cotidiano, é necessário desenvolver nos alunos habilidades para utilizar os instrumentos. Conhecer e saber usar as novas tecnologias implica a aprendizagem de forma consciente e construtiva.

 

A Escola tem importante papel a cumprir na sociedade, ensinando os alunos a se relacionar de maneira seletiva e crítica com o universo de informações a que têm acesso no seu cotidiano. Isso porque hoje, mais do que nunca, é necessário que a humanidade aprenda a conviver com essas mudanças e transformações.

 

Isso pressupõe o desenvolvimento de competências relacionadas à capacidade de aprendizagem contínua, ou seja, autonomia na construção e na reconstrução do conhecimento. Entendemos que a escola é um local de construção do conhecimento e de socialização do saber, como um ambiente de discussão e de troca de experiências. É fundamental que estejam presentes no Espaço Escolar vários recursos tecnológicos, pois os mesmos permitem maiores conhecimentos que contribuem para melhoria da Educação do país.

 

Com liberdade e em conjunto crescemos e superamos as dificuldades.

 

Se alie com a força do novo e evolua!

 

Computador e Educação? Uma Ótima Combinação!

 

A professora Mara Malheiros é regente da turma 7.601 (4º NCM – Nenhuma Criança a Menos), da Escola Municipal Grandjean de Montigny. Essa instituição localiza-se na Pavuna, zona norte do Rio de Janeiro, e atende alunos da Educação Infantil ao 5º ano em dois turnos.

 

A sala de aula da professora Mara é um local de troca de experiências, interações sociais e aprendizado. Ela encara as novas tecnologias de forma natural, buscando aperfeiçoar-se para a operação dessas novidades. Como agente transformadora e formadora de opinião, oferece aos seus alunos conhecimentos e interações com essas tecnologias, tendo em vista que fazem parte do cotidiano deles.

 

A turma do 4º Ano Nenhuma Criança a Menos utiliza, constantemente, diferentes recursos tecnológicos para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem. Assim, os alunos apresentam melhor concentração e interesse, além tornar as aulas mais interessantes, dinâmicas e ricas em possibilidades.

 

As formas de aprender e de ensinar estão se diversificando e, com isso, o perfil do educador também se modifica.

 

Aulas modernizadas pelo uso de recursos tecnológicos têm vida longa e podem ser adaptadas para vários tipos de alunos, para diferentes faixas etárias e diversos níveis de aprendizado.

 

As novas tecnologias trouxeram grande impacto sobre a Educação desenvolvida nos dias atuais, criando novas formas de aprendizado, disseminação do conhecimento e, especialmente, novas relações entre professor e aluno.

 

O Caderno Pedagógico, oferecido pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, é usado sempre apoiado no Datashow, possibilitando uma abordagem inovadora do currículo e a inserção de ferramentas colaborativas nas práticas pedagógicas. Ele amplia o universo de informações que o professor leva para a sala de aula e torna mais simples determinadas atividades expositivas em que o professor precisa ficar preso ao quadro de giz.

 

Diferentes softwares, vídeos e músicas são explorados em sala de aula, objetivando a melhor qualidade do processo educacional. O uso do primeiro permite que o usuário complemente e interfira no produto e nas respostas, possibilitando múltiplos caminhos de pesquisa e de soluções dos problemas. Assim, o aluno está sendo levado a desenvolver sua criatividade, reflexão e raciocínio, tornando-o inovador, desafiador, crítico e provocativo.

 

O segundo oferece conteúdos audiovisuais que podem mostrar diferentes pontos de vista sobre um determinado assunto, fomentando os debates e as discussões em sala; ajuda estudantes com dificuldades; incentiva os alunos a produzirem e compartilharem conteúdo. O terceiro promove a interação, motivação e cria uma atmosfera de aprendizagem mais prazerosa e descontraída.

 

O resultado de todo este trabalho não poderia ser outro senão o sucesso dos alunos, que se tornam mais independentes do professor. E, por consequência, a sala de aula se transforma em um local no qual se tiram dúvidas e se aprofundam questões, além de facilitar o trabalho cooperativo entre os alunos.

 

Os recursos tecnológicos utilizados pela professora Mara Malheiros com seus alunos, oferecem meios que ampliam a relação ensino e aprendizagem, diminuindo as barreiras de tempo e espaço, através de ambientes que extrapolam a sala de aula física e convencional.

 

Novas tecnologias implicarão em novas competências para lecionar, mas também tornarão as competências tradicionais mais necessárias, mais ligadas umas nas outras e mais integradas.

 

As novas tecnologias vieram para diminuir empecilhos que impedem o progresso do indivíduo, melhorando seu desempenho com ferramentas eficazes que condicionam qualidade e agilidade, garantindo uma maior aplicabilidade.

 

Parabéns, professora Mara Malheiros, por ser elemento de transformação da qualidade social da escola. Receptividade, paciência, sensibilidade, atenção e respeito são características presentes em seu dia a dia. São elas que levaram seus alunos ao sucesso! É um prazer ter o seu trabalho no Portal Rioeduca!

 

Conheça um pouco mais do trabalho da professora Mara Malheiros visitando o seu blog. É só clicar AQUI! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Twitter: @Paty_PFF
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 28/10/2013

Projeto Fala Aí!

Tags: 6ªcre, protagonismojuvenil.

 

O projeto Fala Aí, elaborado pelas professoras Marilene e Isabel, da Escola Municipal Baden Powell, vem sendo realizado com os alunos do 6° ao 9° ano.  O objetivo é desenvolver a capacidade de comunicação dos educandos,  levando-os a refletir sobre os assuntos abordados na escola.

 

A Escola Municipal Baden Powell localiza-se em Guadalupe, zona norte, e atende alunos do 6º ao 9º ano da comunidade do Muquiço. A gestora dessa unidade escolar, professora Giselda Alves, e sua equipe procuram dar voz e vez aos adolescentes, fazendo com que eles atuem no contexto social respondendo a problemas reais onde o jovem é sempre o ator principal.

 

A escola realiza uma forma de educação para a cidadania, não pelo discurso das palavras, mas pelo curso dos acontecimentos. Passam essa mensagem criando acontecimentos, em que o jovem ocupa uma posição de centralidade, de fonte de liberdade e de compromisso.

 

De acordo com essa proposta de trabalho, a professora de Sala de Leitura, Marilene Alcântara de Souza, criou o projeto Fala Aí!, que procura ampliar a autonomia, a solidariedade e as competências pessoal, social, produtiva e cognitiva dos alunos. Ele faz muito sucesso entre os adolescentes da escola. Vamos conhecê-lo?

 

 

Quando você evolui, tudo ao seu redor evolui também. Quando decidimos ser o melhor que podemos, tudo o nosso redor fica muito melhor. Faça o seu melhor! Seja protagonista da sua vida!

 

Projeto Fala Aí!

 

Os professores da Escola Municipal Baden Powell perceberam que os alunos tinham necessidade de falar, mas não tinham um canal de comunicação seguro. E, embora quisessem se expressar, nem sempre queriam ser identificados, por isso, foi permitido o uso de apelidos. Esse projeto procura dar aos alunos a possibilidade de se comunicarem entre si e com a comunidade escolar, pelo menos, uma vez a cada bimestre.

 

Ele acontece desde 2010 e sempre se renova, porque os alunos trazem novas ideias, que vão sendo incorporadas ao projeto. Há alunos que já saíram da escola e, mesmo assim, voltam para deixar no Fala aí! as suas mensagens.

 

Objetivos do Projeto:

 

  • Desenvolver nos alunos a capacidade de comunicação;
     
  • Levar os alunos a refletirem sobre os assuntos abordados;
     
  • Mostrar aos alunos que o ato de agradecer, informar e reivindicar é direito do aluno (cidadão);
     
  • Promover a interação de ex-alunos com os atuais;
     
  • Encorajar a escrita;
     
  • Promover a interação entre os alunos dos dois turnos e até dos ex- alunos;
     
  • Capacitar os alunos para exercerem seus direitos, demonstrando a necessidade de respeitar o limite do outro;
     
  • Incorporar nos alunos a responsabilidade do que se escreve levando em consideração as suas consequências.

 

Protagonismo juvenil significa a participação do jovem como ator principal em ações que não dizem respeito a sua vida privada, familiar e afetiva. Mas sim a problemas relativos ao bem comum, seja na escola ou na sociedade.

 

 

O jovem é protagonista de sua formação e de sua história, e a escola o estimula a discutir temas importantes durante o projeto Fala Aí!.

 

Como o Projeto foi Desenvolvido:

 

O texto abaixo é colocado em várias áreas da escola em papel ofício para que os alunos saibam que o Fala aí! está em atividade. A cada quinze dias, a urna é aberta, os recados são lidos, e aqueles que obedecem as regras de respeito e moralidade são expostos no mural.

 

Participe do “Fala aí!". Este é um canal de comunicação entre os membros desta comunidade e todos poderão participar. Escreva o que você está sentindo sobre qualquer assunto. Pode falar de futebol, de amor, de paixão, pode reclamar, pode dar sugestões e até se declarar para alguém. O seu nome só será colocado no recado se você quiser. Participe! Teremos o maior prazer em ouvi-lo e ver seu recado publicado no mural. Mas, cuidado! Não podemos faltar com o respeito a ninguém.

 

 

O segundo passo é forrar uma caixa, enfeitá-la e colocar o nome do projeto. Ela passa a ser a urna onde os alunos colocarão seus recados. Um aluno é designado para, durante o recreio, tomar conta dessa urna. Em horários fora do recreio, a urna fica à disposição dos alunos na sala de leitura.

 

 

Depois de quinze dias, a caixa é aberta, os recados são lidos e separados. Os que não podem ser publicados, por não obedecerem às regras combinadas, são descartados. Os recados possíveis de serem publicados são digitados e colocados num mural.

 

 

Material Necessário para a Execução do Projeto:

 

  • Papel para forrar todo o mural antes de colocar os recados;
     
  • Uma caixa;
     
  • Papel de presente ou colorido para forrar a caixa;
     
  • Tesoura e cola;
     
  • Papel para recortar letras;
     
  • Computador para digitar os recados;
     
  • Papel para os alunos escreverem os seus recados;
     
  • Canetas para os alunos escreverem os recados;
     
  •  Mesa para colocar a caixa fora da sala de aula, com espaço para os alunos pousarem o papel para escrever;
     
  •  Um aluno responsável para cuidar da caixa quando está fora da sala de leitura.

 

 

O protagonismo juvenil deve priorizar a intervenção comunitária, procurando, com a ação concreta dos jovens, contribuir para uma sociedade mais justa.

 

Para que se desenvolva o protagonismo juvenil, é necessário desenvolver um novo tipo de relacionamento entre jovens e adultos. Em que o adulto deixa de ser um transmissor de conhecimentos para ser um colaborador e um parceiro do jovem na descoberta de novos conhecimentos e na ação comunitária.

 

Educar para a participação é criar espaços para que o educando possa empreender, ele próprio, a construção de seu ser. Aqui, mais uma vez, as práticas e vivências são o melhor caminho, já que a docência, como está posta hoje, dificilmente dá conta das múltiplas dimensões envolvidas no ato de participar.

 

O projeto Fala Aí! se mostra como um dos mecanismos para o fortalecimento da educação para uma cidadania ética e responsável. Isso porque desenvolve o exercício da cidadania, da formação da identidade, do autoconceito e autoestima, e assim, de sua autonomia, que é o cerne do protagonismo em si.

 

Parabéns às professoras Marilene e Isabel por fazerem do projeto Fala Aí! um importante mecanismo para o fortalecimento da educação para uma cidadania ética e responsável. É um orgulho ter o trabalho de vocês no Portal Rioeduca!

 

Quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua CRE! Divulgue suas práticas pedagógicas! Este espaço é meu, é seu é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Twitter: @Paty_PFF
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 21/10/2013

Projeto CriÁrvore

Tags: 6ªcre, extensividade.

 

No mês de setembro, o CIEP João do Rio, em Guadalupe, realizou o projeto CriÁrvore com os alunos do 1º e do 2º ano. O objetivo principal é conectar os alunos com o desenvolvimento de uma árvore e potencializar o ensino através da interdisciplinaridade.

 

Se você está pensando um ano à frente, semeie uma semente. Se você está pensando dez anos à frente, plante uma árvore”. Poeta Chinês, 500 a.C.

 

Houve tempo em que plantar uma árvore era um prazer, brincadeira de criança. Tempos depois se tornou uma espécie de obrigação civil divulgada amplamente por diversas e contínuas campanhas. Infelizmente o prazer não existe mais, nem as campanhas.

 

É preciso resgatar o olhar das pessoas para esses seres vegetais! Cada árvore é única na sua textura, cor, cheiro, folhas, flores e frutos. Está sempre presente como um símbolo maior, marcante e sábio. Acompanham nossas histórias, gerações após gerações, nunca se fazendo indiferente à presença do ser humano, ao contrário, sempre nos dando muito do que necessitamos.

 

A essência da beleza humana está protegida dentro da nossa alma, assim como a semente que a árvore gera para se multiplicar. Todo nosso potencial e valores estão dentro dessa semente que temos que cuidar alegremente, dando condições para esses valores tão belos brotarem, crescerem e inspirarem… E podemos acessá-los através do cuidado, respeito e amor com outros seres da natureza!

 

 

"A árvore que sabia dar-se" é uma história sobre a amizade sem condições. Que é, ao mesmo tempo, uma lição de consciência ecológica. Foi baseada no clássico infantil de Shel Silverstein (1930-99) "A Árvore Generosa" (1964).

 

Vamos apreciar a natureza e as árvores da mesma maneira como apreciamos a presença de um amigo sincero!

 

Projeto CriÁrvore

 

O Centro Integral de Educação Pública (CIEP) João do Rio localiza-se em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, e atende alunos da Educação Infantil ao 5º ano. A gestora desta unidade escolar, professora Deise Nunes, juntamente com sua equipe, pensa em deixar cidadãos melhores para o futuro do nosso planeta.

 

Por isso, as professoras Alexandra Moreira (1.102) e Noemi Pereira (1.201) entraram de cabeça no projeto CriÁrvore, desenvolvido pela E/SUBE/CED – Extensividade, em parceria com o Centro de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente. Esse projeto consiste na distribuição de sementes de árvores nativas da mata atlântica para a produção de mudas.

 

As professoras receberam um kit contendo as sementes e o manual com as instruções de cada etapa do projeto. O objetivo principal é  conectar os alunos ao processo de desenvolvimento de uma árvore, de modo que eles presenciem a germinação e o desenvolvimento das sementes até a sua plenitude.

 

O monitoramento do projeto está sendo feito através do registro de fotografias, desenhos e histórias. Um contador de árvores está sendo construído para que, em 2014, se faça uma estimativa de quantas árvores cresceram junto ao projeto, quantas foram plantadas nas escolas e quantas foram destinadas ao reflorestamento.

 

 

A professora Alexandra Moreira, turma 1.102, tem o intuito de criar, naturalmente, uma consciência ecológica e abrir espaço para a preservação da natureza pelas futuras gerações.

 

A escola é um ambiente propício para se levar educação ambiental e formar cidadãos mais responsáveis.

 

Com o projeto CriÁrvore, a professora Noemi Pereira, turma 1.201, está propondo um novo caminho que levará seus alunos a uma nova relação com o meio ambiente.

 

Estimular nas crianças o respeito ecológico e mostrar a elas a importância da sua participação no cuidado com o meio ambiente em que vive é um dos objetivos do projeto CriÁrvore.

 

Com este projeto, os professores do CIEP João do Rio puderam oferecer aos alunos atividades interdisciplinares, mostrando a importância da valorização das árvores, além de torná-los agentes responsáveis pela criação e transformação da sua realidade.

 

O trabalho realizado com os alunos ajudará a determinar as atitudes e posturas das crianças frente ao mundo. Através do exemplo dado na escola, eles crescerão e se tornarão adultos comprometidos em todos os aspectos, inclusive no respeito ao nosso planeta. Como vimos, a educação ambiental é levada a sério no CIEP João do Rio!

 

Parabéns às professoras Alexandra Moreira e Noemi Pereira, por abraçarem este projeto de forma tão consciente! Os questionamentos acerca dos problemas ambientais devem ser encarados de forma coletiva, em que todos os cidadãos podem e devem fazer a sua parte. É um orgulho ter o trabalho desta equipe de sucesso no Portal Rioeduca!

 

Conheça um pouco mais do trabalho do CIEP João do Rio visitando o Facebook da escola! Para curtir, clique AQUI!

 

Quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua CRE! Divulgue suas práticas pedagógicas! Este espaço é meu, é seu é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Twitter: @Paty_PFF
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 14/10/2013

II Festival de Talentos

Tags: 6ªcre, protagonismojuvenil.

 

A Escola Municipal Otávio Kelly realizou no começo de outubro, na Arena Jovelina Pérola Negra, o II Festival de Talentos com o objetivo de potencializar a aprendizagem dos alunos. Essa ação pedagógica contou com a participação de toda a comunidade escolar: alunos, professores, gestores, funcionários e responsáveis. 

 

Bailando no ar, gemia inquieto o vaga-lume: “Quem me dera que eu fosse aquela loira Estrela, que arde no eterno azul, como uma eterna vela!”. Mas a Estrela, fitando a Lua, com ciúme: “Ah, se eu pudesse copiar-te o transparente lume!”.

 

Mas a Lua, fitando o Sol com azedume: “Mísera! Tivesse eu aquela enorme claridade imortal, que toda a luz resume!”. Mas o Sol, inclinando a rútila capela: “Pesa-me esta brilhante auréola de nume... Por que não nasci eu um simples vaga-lume?”

 

O texto acima é de Machado de Assis e fala da insatisfação do vaga-lume, da Estrela, da Lua e do Sol com o que possuíam e como invejavam o destino e talentos alheios. É só uma ilustração, mas retrata muito bom o comportamento humano. Lamentamos por não saber cantar, dançar, jogar futebol, andar de bicicleta. Como se o que não sabemos e o que somos fossem defeitos ou deficiências.

 

Imagine se todos tivessem as mesmas habilidades ou gostos? Que destino triste teria o mundo! Por mais simples que sejam as nossas habilidades, são as que temos e, por isso, são preciosas.

 

O vídeo acima é um exemplo de simplicidade, humildade e talento de sobra!

Curta e se emocione!

 

Agora, não esqueça!

Nunca seremos plenos em tudo. E nem ignorantes em tudo.

Ainda bem que é assim!

 

 

II Festival de Talentos na Escola Municipal Otávio Kelly

 

A Escola Municipal Otávio Kelly localiza-se na Pavuna e atende alunos da Educação Infantil ao 5º ano. A diretora da unidade escolar, professora Patrícia de Moraes, e a sua equipe utilizaram os talentos dos alunos e dos professores para potencializar a aprendizagem e o trabalho pedagógico.

 

No início do mês de outubro, a escola, realizou o II Festival de Talentos na Arena Jovelina Pérola Negra, Pavuna. Esse evento contou com a participação de professores, alunos e responsáveis. Cada um teve a oportunidade de apresentar o seu talento individualmente ou em grupo.

 

Desenvolver competências e adquirir conhecimento são tarefas que a equipe pedagógica da escola realiza com maestria. Mas eles vão além! Durante todo o processo do Festival de Talentos, os professores levaram seus alunos à reflexão, promoveram a criatividade, o empreendedorismo, o gosto pela descoberta e o talento de cada um.

 

Cada ser humano é único e tem um talento essencial para expressá-lo nesse mundo. Podemos ter alguns talentos e com empenho expressá-los todos.

 

Investir no talento de alunos e professores é condição fundamental para as escolas não se tornarem organizações estagnadas.

 

Os professores perceberam que quando os alunos descobrem o seu talento, o que move a  paixão interior e para o qual cada um naturalmente é bom, eles demonstram mais esforço, mais dedicação, mais empenho, mais motivação e obtêm mais sucesso.

 

Esse festival faz parte da proposta pedagógica da escola desde que as crianças entram na Educação Infantil. Ele faz com que a comunidade escolar experimente diferentes atividades, vivencie e sinta onde encontrar o seu bem-estar e a sua motivação para agir. É aqui que a escola tem um papel importante e decisivo. Não só por descobrir talentos, mas em promovê-los após essa descoberta.

 

Joaquim Cortez não teria sido brilhante se não tivesse tido excelentes mestres que o ajudassem a articular o seu corpo e a dançar como ninguém. As características naturais podem ser propícias para determinada atividade, mas a dedicação, o treino, o esforço, o empenho e o exercício são fundamentais para o desenvolvimento do talento. Não basta ter talento, é preciso aperfeiçoá-lo!

 

Na busca do autoconhecimento e da descoberta do talento, é necessário que se percorra os seguintes caminhos: sonhe; saiba mais seus pontos fortes e fracos; tenha determinação, disciplina e persistência; e mantenha sempre a mente aberta para a próxima realização.

 

Ninguém supera uma pessoa que nasce com um talento e consegue desenvolvê-lo com maestria. Dessa forma, com certeza, atinge a excelência. É isso que chamamos de "dom".

 

Como vimos, o ensino desenvolvido na Escola Municipal Otávio Kelly está atento aos talentos naturais das crianças, mas também fomenta que o talento por si não é suficiente. Para o êxito, o talento é um excelente começo, mas não é garantia de sucesso. Este é adquirido com esforço, persistência, inteligência, dedicação e muita vontade.

 

A Escola Municipal Otávio Kelly é visionária, estimula a atitude de ir mais além, sonhar mais alto, alcançar novos desafios e superar barreiras e adversidades. Escolas com visão incubam alunos que se projetam. Tornemo-los realidade…

 

Parabéns a todos os professores, alunos, responsáveis, funcionários e gestores por fazerem do II Festival de Talentos um momento enriquecedor; onde talento e aprendizagem caminharam juntos.

 

O talento cria suas próprias oportunidades. Mas, às vezes, parece que o desejo intenso cria não apenas suas próprias oportunidades, mas seus talentos.

 

Quer conhecer um pouco mais sobre o Festival de Talentos da Escola Municipal Otávio Kelly? Então, clique AQUI!  Não deixe de aproveitar este espaço para divulgar o seu trabalho! Ele é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @Paty_PFF

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share