A A A C
email
Todos os posts escritos por Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Retornando 68 resultados para o autor 'Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre'

Segunda-feira, 07/10/2013

XXX Mostra de Dança da 6ª CRE

Tags: 6ªcre, mostradedança.

A 6ª Coordenadoria Regional de Educação realizou no dia 25 de setembro a Mostra de Dança regional dos alunos da Creche ao 9º ano. As apresentações foram feitas na Arena da Pavuna, às 9 horas, com a participação de professores, alunos, responsáveis e equipe da Gerência de Educação.

 

O projeto Mostra Municipal de Dança está comemorando 30 anos de sua realização no ano de 2013. Nesse evento, crianças, jovens e adultos das escolas da Rede Municipal de Ensino traduzem a dança em um grande espetáculo de criações, inovações e impressões.

 

Tem por objetivo oportunizar o enriquecimento do projeto pedagógico das escolas, o acesso e a experimentação de linguagem da dança. Assim, toda a comunidade escolar passará a compreendê-la como linguagem que contribui para a formação do cidadão crítico, participativo e autônomo.

 

Antes da montagem das coreografias, as escolas realizaram várias atividades em que os alunos tiveram a oportunidade de experimentar e exercitar a linguagem da dança como forma de expressão e de experiências corporais diversas.

 

 

O vídeo "Dança Incrível" mostra dançarinos que se multiplicam em um toque de mágica e demonstra toda criatividade que a dança pode desenvolver no ser humano.

 

Dançando na Escola

 

A Mostra de Dança da 6ª Coordenadoria Regional de Educação aconteceu no dia 25 de setembro, às 9 horas, na Arena Jovelina Pérola Negra, Pavuna. Ela contou com a participação de 23 escolas que, em sua maioria, homenagearam Vinícius de Moraes em suas coreografias.

 

A professora Denise Ribeiro, Assistente na Gerência de Educação da 6ª CRE, organizou todo esse evento com muita competência e amor. Ela se destaca na Extensividade por suas atitudes, que sempre buscam uma solução diferenciada para cada situação. Isso ocorre porque a professora tem paixão pelo que faz, nunca descarta as oportunidades e está sempre disposta a trocar informações. Ela faz as coisas acontecerem!

 

Para o bom andamento do evento, a professora Denise contou com a ajuda da equipe da Gerência de Educação da 6ª CRE. Todos os esforços, no dia da Mostra de Dança, foram em uma única direção: o sucesso do evento!

 

As professoras Kátia Barboza, Gerente de Educação, e Denise Ribeiro contaram com a ajuda da equipe da GED para  a realização da Mostra de Dança.

 

Antes do início das apresentações, a Gerente de Educação da 6ª CRE, professora Kátia Barboza, agradeceu a dedicação e o empenho de todos os professores e alunos para a realização da Mostra de Dança. Em seguida, a professora Cássia Cilene, apresentadora do evento, deu início ao evento.

 

A música "Leão", da obra musical Arca de Noé foi trabalhada pela Creche Municipal Sônia Maria de Moraes através de uma dança contemporânea, com movimentos corporais livres e dramatização. O poeta foi lembrado também pela Creche Municipal Marise Garcia com a coreografia "A Galinha D’Angola".

 

Através da música "As Borboletas", de Adriana Calcanhoto, as crianças da Creche Municipal Luís Carlos Prestes trouxeram o colorido e o charme das borboletas e, junto a elas, a inspiração para perseverar na construção de uma vida com mais cor. Já a coreografia "As aventuras do pato", apresentada pela Creche Municipal Yedda Marques, teve por objetivo inserir as crianças no contexto da poesia de Vinícius através do lúdico.

 

A música "Garota de Ipanema" foi interpretada pela Creche Municipal Zuzu Angel que, para comemorar o centenário de Vinícius de Moraes, abordou sua biografia através do projeto Pequenos Leitores – Do primeiro rabisco até o bê-á-bá. O Edi Firmino Costa coreografou a música "Galinha D’Angola", de Ney Matogrosso. O encantamento foi total quando as crianças entraram vestidas de collant preto e saia preta de bolinhas brancas. A plateia foi ao delírio!

 

O Edi Frota Pessoa interpretou a música "O Relógio", em que os alunos reproduziram o passar do tempo e o movimento do relógio, citados na poesia de Vinícius de Moraes. O EDI General Augusto César Sandino levou todos ao mundo da fantasia ao levar príncipes e princesas ao palco da Arena Jovelina Pérola Negra.

 

O uso da dança como prática pedagógica desenvolve a criatividade, além de favorecer no processo de construção de conhecimento.

 

A dança, enquanto um processo educacional, não se resume em aquisição de habilidades, já que envolve o aprimoramento das habilidades básicas, dos padrões fundamentais do movimento, o desenvolvimento das potencialidades humanas e sua relação com o mundo.

 

A dança, ao ser inserida no conteúdo escolar, não pretende formar bailarinos. Antes disso, consiste em oferecer ao aluno uma relação mais efetiva e intimista com o aprender e o expressar-se criativamente através do movimento.

 

Os alunos do 5º ano da Escola Municipal Alípio Miranda criaram a coreografia "A Máscara", em que expressaram a questão do patriotismo com alegria e cidadania. O CIEP Oswald de Andrade mandou avisar que os jogos estão para chegar através da música "Os Deuses do Olimpo Visitam o Rio de Janeiro".

 

"Rumo a um Brasil Melhor" foi a coreografia da Escola Municipal Hildegardo de Noronha, mostrando que nossas ações no presente devem objetivar o nosso olhar no futuro. Durante a apresentação, os alunos destacaram atitudes positivas como paz, dignidade, justiça e honestidade. O CIEP Rubens Gomes trouxe alunos com saída de praia, bermudas e blusões de turista para caracterizar a trilha sonora "Garota de Ipanema". Eles deram show!

 

A coreografia da Escola Municipal Cyro Monteiro "Rio de Janeiro: Cidade Maravilhosa" traduziu a beleza da nossa cidade, seus pontos turísticos e a grandiosidade do nosso povo. A trilha sonora "Eu sei que vou te amar", da Escola Municipal Bélgica, simbolizou o sentimento mais bonito da humanidade, o amor.

 

"Água, Movimento da Vida" foi a coreografia interpretada pela Escola Municipal Paraíba. Eles mostraram que a vida de todo ser humano depende de água para viver e que nós temos a responsabilidade de evitar a poluição, preservando a água. A Escola Municipal Grandjean de Montigny também levou para o palco o tema água através da coreografia "A Natureza Vital da Água".

 

A Escola Municipal Manuel de Abreu trouxe para a Mostra de Dança o tema do Projeto Político Pedagógico da instituição, "Nas Ondas de Vinícius... Espalhe essa Onda!", mostrando a esperança e os sonhos das crianças. O Clube Escolar Pavuna interpretou a música "Povo das Estrelas", do grupo Olodum, na qual o poder ancestral é refletido no corpo dos alunos. Um verdadeiro sucesso!

 

Historicamente, o homem utilizava-se da dança apenas para expressar sentimentos e agradecimentos. Apesar desse caráter persistir ainda hoje, outros aspectos foram incorporados à dança, contribuindo para o seu crescimento enquanto arte e educação.

 

No Brasil e no mundo, a dança vem ganhando cada vez mais espaço pelos benefícios que vão desde a melhora da autoestima, passando pelo combate ao estresse, depressão, até o desenvolvimento da aprendizagem.

 

"Transumano", coreografia do Núcleo de Arte Grande Otelo, mostrou o que o mundo globalizado transforma o homem em um ser robotizado, desconectado com sua essência, desprovido de sentimentos, sensações e desejos. "Somo tão jovens", da Escola Municipal Mário Piragibe, mostrou a importância dos nossos jovens para um futuro positivo.

 

O Ginásio Carioca Coelho Neto apresentou duas coreografias: "Banzai" e "Brasileirinho". A primeira mostrou a dança japonesa como um elemento das cerimônias religiosas e o termo banzai como uma saudação que expressa o sentido de unidade, coesão e longevidade. A segunda representou as diversas atividades físicas que permitem a busca da superação dos limites físicos e mentais, originando a formação dos futuros campeões.

 

"Beleza Carioca", coreografia do Ginásio Carioca Leão Velloso, foi inspirada no poeta e compositor Vinícius de Moraes. Os alunos retrataram a beleza da mulher carioca e da cidade do Rio de Janeiro. A Escola Municipal Charles Anderson Weaver terminou a Mostra de Dança apresentando a coreografia "Sem Ar". Através dela, os alunos demonstraram que, cultivando o respeito, colhemos amizade e, juntos, cooperamos para fortalecer os laços que nos unem.

 

A dança tem se tornado um estilo alternativo nas práticas pedagógicas, por orientar o movimento corporal de cada aluno de forma a explorar sua capacidade de criação, estimulando o autoconhecimento e favorecendo para aprendizagem.

 

Esse evento foi, sem dúvida, um dos maiores catalisadores da manifestação e expressão do movimento humano. A dança foi usada como meio de crítica social para o questionamento de valores preestabelecidos, padrões repetitivos e modismos. A criatividade foi um elemento marcante em todas as apresentações.

 

Parabéns a todas as escolas que fizeram da Mostra de Dança da 6ª CRE um grande sucesso!

 

Você quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua CRE! Aproveite este espaço e divulgue sua prática pedagógica. Este espaço é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

Twitter: @Paty_PFF

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 30/09/2013

Educoteca, a Biblioteca Turbinada da Educopédia

Tags: 6ªcre, educoteca, educopédia.

A professora Maristela Porto, da Escola Municipal Paraíba, utlizou o livro digital A Raposa e as Uvas com os alunos do 1º ano com o objetivo de trabalhar os conteúdos planejados de forma dinâmica e inovadora.

 

TIC's, tecnologias de informação e comunicação. Cada vez mais, parece impossível imaginar a vida sem essas letrinhas. Entre os professores, a disseminação de computadores, internet, celulares, câmeras digitais, e-mails, mensagens instantâneas, banda larga e uma infinidade  de engenhocas da modernidade provocam reações variadas.

 

Qual desses sentimentos combina mais com o seu? Expectativa pela chegada de novos recursos? Empolgação com as possibilidades que se abrem? Temor de que eles tomem o seu lugar? Desconfiança quanto ao potencial prometido? Ou, quem sabe, uma sensação de impotência por não saber utilizá-los ou por conhecê-los menos do que os próprios alunos?

 

Se você se identificou com mais de uma alternativa, não se preocupe. Por ser relativamente nova, a relação entre a tecnologia e a sala de aula ainda é um pouco confusa e conflituosa. Precisamos colocá-la em ordem, buscando respostas a duas questões cruciais. A primeira delas: quando usar a tecnologia em sala de aula? A segunda: como utilizar estes novos recursos?

 

A pergunta inicial pode ser respondida estabelecendo um critério: só vale levar a tecnologia para a classe se ela estiver a serviço da aprendizagem. As dúvidas sobre o melhor jeito de usar as tecnologias serão respondidas a seguir, a partir de uma ação pedagógica realizada pela professora Maristela Porto, da Escola Municipal Paraíba.

 

Com o trabalho da professora Maristela Porto, veremos que ninguém aprende só, mas em contato com o outro. E que as novas tecnologias poderão nos auxiliar a compartilhar experiências e conhecimentos.

 

O vídeo Educação e Vida faz uma reflexão sobre as vantagens de se unir o velho ao novo para obtermos sucesso.

 

Lembre-se! Não há aprendizagem sem abertura! Ter uma mente aberta é ter escolhas!

 

 

Educoteca, a Biblioteca Turbinada da Educopédia

 

A professora Maristela Porto trabalha, desde 2011, na Escola Municipal Paraíba, em Anchieta. Este ano ela é regente de uma turma de 1º ano e tem o grande desafio de alfabetizar os pequeninos. Essa luta está sendo facilmente vencida com a ajuda das novas tecnologias e da competência e comprometimento da professora com a aprendizagem de seus alunos.

 

A professora Maristela Porto é uma educadora consciente de seu papel na era da informação e da comunicação. Ela tem o dom de perceber as potencialidades das  ferramentas que têm ao seu alcance e fazer uso delas para mediar o conhecimento. Desda forma, divide com seus alunos o palco da construção de um saber partilhado.

 

Maristela Porto  também atua como professora de Mídias para os alunos do primeiro segmento na FAETEC - RJ.

 

Ela faz uso da Educoteca -  Biblioteca Digital da Educopédia -  em suas aulas, que conta com vários livros interativos. O uso dessa tecnologia está ajudando a tornar seus alunos protagonistas do processo de ensino e aprendizagem.

 

Dentre os títulos disponíveis na Educoteca, a professora utilizou com os alunos do 1º ano o livro A Raposa e as Uvas. Essa fábula conta a história de uma raposa que, morta de fome, foi até um vinhedo. Ao ver a parreira carregada, ela lambeu os beiços. Só que sua alegria durou pouco, pois não conseguia alcançar as uvas. Cansada, acabou desprezando o que não conseguiu obter com facilidade.

 

O livro digital foi projetado na sala de aula com a ajuda do Datashow e, durante o trabalho, várias ferramentas foram utilizadas: seleção de partes do texto, inserção de notas, glossário, pintura das páginas, jogos interativos e etc.

 

A Educoteca oferece ferramentas para selecionar uma parte do texto e copiar, marcar ou inserir uma nota de texto e também uma nota da página. Ao encontrar uma palavra desconhecida, é possível usar o Glossário para ver seu significado. O Índice exibe todas as marcações, notas e pinturas que foram feitas pelo usuário naquele livro.

 

Você pode classificar o livro de uma a cinco estrelas, marcar um livro como favorito, comentar ou gostar de um livro. Também é possível compartilhar nas redes sociais. Alguns livros ainda trazem conteúdos extras, como jogos ou papéis de parede do livro, que podem ser transferidos para o computador.

 

A Educoteca é um Recurso Educacional Aberto (REA). Isso significa que qualquer professor pode utilizar os livros que estão disponíveis na plataforma com seus alunos sem nenhum custo.

 

Em seguida, os alunos aprenderam um pouco mais sobre a raposa através de uma apresentação no Datashow. Eles puderam conhecer algumas características da personagem principal do livro digital: seu habitat, suas características físicas, seu tempo de vida, seus principais e outras descobertas.

 

A professora Maristela ofereceu a cada aluno uma folha com uma parte da história do livro A Raposa e as Uvas para os alunos pintarem e identificarem nas palavras escritas - Raposa e Uvas - o quantitativo de sílabas e letras de cada uma.

 

Em seguida, os alunos receberam uma folha contendo o desenho de alguns animais mamíferos e outra com vários nomes. Cada aluno teve que procurar na sua lista de palavras aquela que correspondia ao nome dos animais mamíferos da folha e colá-los no desenho certo. Foi um excelente exercício de leitura e escrita!

 

Muitos educadores já perceberam o potencial das novas tecnologias e procuram levar novidades para a sala de aula, seja com uma atividade prática no computador, com videogame, tablets e até mesmo com o celular.

 

Os alunos de hoje aprendem com muita facilidade e rapidez, mas cansam-se facilmente das práticas repetitivas do ensino cotidiano. Num mundo em constante transformação, eles anseiam sempre por mais e mais novidades.

 

Cada aluno tem necessidades e dificuldades diferentes e, por isso, jogos e atividades lúdicas que integrem conteúdos podem ser apoios importantes para o professor no desenvolvimento e planejamento das aulas.

 

A alfabetização, período vivido pelos alunos da professora Maristela, é a fase em que se inicia o processo de formação intelectual e pessoal da criança. Por isso, esse período não deve ser caracterizado apenas como uma etapa da vida. As salas de aula devem sempre ter novidades para estimular os alunos. O professor deve ser dinâmico e inovador! Desse modo, será mais fácil trabalhar com as novas tecnologias, instrumento que serve para estimular o ensinar e o aprender.

 

A professora Maristela Porto é um exemplo para nós na utilização desse instrumento! No cotidiano de sua sala de aula, ela busca formas de ensinar visando tornar o ensino mais atrativo. E, como vimos, uma das alternativas usadas por ela foi aliar o prazer e o divertimento, o digital e o analógico.

 

Professora Maristela Porto, você é a peça chave desse processo! Através do seu trabalho, a aprendizagem de seus alunos é atrativa, dinâmica e contínua. É um prazer ter o seu trabalho no Portal Rioeduca! Conte sempre conosco! Parabéns!

 

Você quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua Cre! Aproveite este espaço! Ele é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

Twitter: @Paty_PFF

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/09/2013

Oficina de Xadrez

Tags: 6ªcre, oficina.

O professor Antônio Baptista, da E. M. Comandante Arnaldo Varella, realizou com os alunos do 6º ao 9º ano a Oficina de Xadrez. O objetivo é desenvolver o pensamento cognitivo, o raciocínio lógico, a disciplina, o respeito, a concentração, a autoestima e a integração do aluno com os sujeitos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem.

 

“Só aprende quem tem fome e por isso é preciso despertar a fome de saber. Ensinar o voo não é tarefa que se possa fazer. Porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado”.


Rubem Alves

 

Observemos uma criança ensaiando seus primeiros passos e, mais adiante, aprendendo a andar de bicicleta e, depois, a escrever. No início, sente-se insegura diante do desafio. Não basta dizer a ela os passos a serem dados, pois é dela que precisa brotar a decisão de ensaiá-los até que, quase magicamente, se ponha a andar. Então é capaz de desdobrar-se, fazer e refazer os passos, errar e aprender com o erro, até acertar e poder dizer: "Agora sei!" "Aprendi!" Curiosidade, desejo, esforço e dedicação são os combustíveis neste trajeto.

 

Dessa forma, o aprender torna-se prazeroso, pois exigiu esforço e superação. Não se chega à meta planejada sem percorrer o caminho que leva até ela. O caminho será tão mais bonito e encantado quanto forem os desafios enfrentados. Se não for assim, se tudo for muito fácil, não emana satisfação.

 

Do outro lado da moeda das aprendizagens estão as mãos que nos apoiam. Essas mãos, muitas vezes, são as de um professor que transmite através de suas ações o prazer de ensinar, de dividir sua sabedoria. Essa divisão não segue as leis da matemática: ensinar leva o educador a atualizar seus próprios conhecimentos e a se tornar um constante aprendiz.

 

Desperte sua fome de saber! Tudo é possível, basta sonhar e estar disposto a fazer de tudo para lá chegar.

 

Aprender com Prazer faz toda a Diferença!

 

“Só aprende quem tem fome e por isso é preciso despertar a fome de saber”. Essa frase de Rubem Alves traduz a prática pedagógica dos professores e da equipe gestora da Escola Municipal Comandante Arnaldo Varella que atende alunos do 6º ano 9º ano. Procuram constantemente tornar mais prazerosa e efetiva a relação dos estudantes com o conhecimento e com a escola.

 

Essa aprendizagem lúdica vem sendo despertada nos alunos da escola através da realização de oficinas no período da manhã. Uma delas é a Oficina de Xadrez, que é oferecida dois dias na semana sob orientação do professor Antônio Baptista.

 

A escolha da realização dessa oficina se deu pelo fato do xadrez ser um jogo de estímulos e respostas para problemas e por ele ajudar a desenvolver a capacidade cognitiva do aluno. Melhoras significativas na memória, imaginação, concentração e inteligência são percebidas em quem pratica este jogo.

 

Como podemos ver, o xadrez é uma grande ferramenta no aprendizado. O professor Antônio Baptista relatou no blog da escola que os alunos apresentam-se compenetrados e dispostos a não errar no próximo lance, analisando e investigando cada jogada, elementos da Matemática pura e aplicada.

 

Jogo realizado entre alunos da turma 1601 e do Projeto Acelera 2B.

 

A alegria dos alunos demonstra o quanto o lúdico é uma importante ferramenta de apoio ao ensino da Matemática.

 

Alunos das turmas 8301 e 1601, analisando todas as possibilidades de uma boa jogada.

 

Os alunos da turma 1601 foram extremamente receptivos!

 

Mas não são somente as habilidades mentais que melhoram com o desenvolvimento do jogo de xadrez. Outras aptidões como perseverança, capacidade de estudo, autoconhecimento, organização pessoal, motivação, organização pessoal, motivação e ambição também são desenvolvidas com a prática deste jogo.

 

Parabéns ao professor Antônio Baptista e a toda equipe da Escola Municipal Comandante Arnaldo Varella por contribuir para uma educação voltada para a interação social na busca pela formação integral do cidadão. O trabalho desenvolvido por vocês ajuda a despertar o espírito reflexivo e crítico dos nossos alunos.

 

A inserção dessa atividade na rotina dos educandos vem colaborar na formação de pessoas capazes de enfrentar os diversos desafios que estão por surgir e, mais do que isso, saber que suas ações e atitudes voltam-se para o processo de desenvolvimento cognitivo.

 

É um orgulho ter o seu trabalho no Portal Rioeduca!

Parabéns professor Antônio Baptista!

 

Quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante do Rioeduca de sua Cre! Este espaço é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª Cre
Twitter: @Paty_PFF
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 16/09/2013

Dia Mundial da Internet Segura 2013

Tags: 6ªcre, núcleodearte.

O aluno João Paulo Santiago ganhou o prêmio do concurso de vídeo do Dia Mundial da Internet Segura na categoria adolescente. O aluno produziu o vídeo na Oficina de Animação Experimental do Núcleo de Arte Grande Otelo.

 

Na internet dá para fazer muitas coisas boas e divertidas. Mas existe um outro lado ruim e  perigoso, especialmente para as crianças e os adolescentes. Quanto mais informados eles estiverem, mais fácil irão se proteger e aproveitar o que há de bom.

 

Pensando nesta questão, a Safer Net Brasil lançou no início do ano o concurso do Dia Mundial da Internet Segura 2013. Ele teve como propósito incentivar a participação de adolescentes e jovens nas campanhas de promoção do uso responsável e seguro da internet, debatendo a questão da cidadania na web brasileira, para que possamos, todos juntos, aumentar ainda mais as oportunidades trazidas pelas novas tecnologias de comunicação e informação.

 

Para concorrer ao prêmio em uma das categorias, adolescente (13 a 17 anos) ou jovem (18 a 21 anos), o candidato deveria criar um vídeo, de até dois minutos, que ilustrasse o tema Direitos e Deveres Online: Conecte-se com Respeito.

 

Diversas técnicas como animação, efeitos de texto, desenhos, stop motion poderiam ser utilizadas. Os vídeos enviados foram avaliados segundo os seguintes critérios: objetividade, replicabilidade, qualidade na abordagem do tema, originalidade, efeito multiplicador e interatividade.

 

O vídeo da campanha brasileira para o Dia Mundial da Internet Segura foi coordenado no Brasil pela Safernet, Ministério Público Federal e Comitê Gestor da Internet do Brasil.

 

Navegar na internet é uma experiência única e maravilhosa, mas cuidado com os excessos. Visitar lugares novos, dar um abraço e se exercitar ao ar livre, por exemplo, são tão importantes quanto descobrir o mundo virtual. Tem hora certa para tudo!

 

Quer conhecer um pouco mais sobre o concurso Dia Mundial da Internet Segura 2013 para se preparar para o próximo ano? Então clique AQUI!

 

Aluno da 6ª CRE é premiado no concurso do Dia Mundial da Internet Segura

 

Na primeira semana de julho, o Núcleo de Arte Grande Otelo recebeu uma ótima notícia. O aluno João Paulo Santiago havia sido selecionado como finalista do Concurso de Vídeo do dia Mundial da Internet Segura na categoria adolescente.

 

O vídeo produzido por João Paulo foi construído na Oficina de Animação Experimental do Núcleo de Arte Grande Otelo, que é oferecida aos alunos da rede pública municipal de educação da cidade do Rio de Janeiro.

 

O objetivo dessa oficina é trabalhar a linguagem da animação, oportunizando a vivência de experiências no campo desta arte. Apresentar, conhecer e experimentar alguns conceitos e técnicas elementares de animação, dentro da estética poética trash, que possibilita mais liberdade de criação e uma preocupação menor com relação à escassez de recursos e/ou de tempo.

 

Uma das técnicas usadas na oficina de animação é a live action, a arte de registrar imagens em movimento. Para realizar essas animações, é necessário ter disciplina, concentração, persistência, criatividade e espírito de colaboração.

 

Na avaliação geral do trabalho, a professora Imaculada Conceição viu como é importante levar em consideração a capacidade poética dos alunos em trabalhar com o improviso, com o inusitado e com o acaso. Assim, eles podem mostrar a capacidade de criar e recriar realidades estáticas a partir  do que se apresenta como material e ideias propostas.

 

A criatividade é o que impulsiona ideias criativas.

 

A oficina de animação  é uma das formas de desenvolvimento da curiosidade, da motivação e do impulso exploratório das crianças.

 

Experiências interessantes ajudam a ativar energicamente o “sistema de busca” que dá base à capacidade criativa. Essas habilidades ajudam a criança a se relacionar bem, a conhecer lugares, se aventurar sem inseguranças e a superar obstáculos com determinação.

 

João Paulo demonstra ser um ótimo aluno, é aplicado, possui uma família o apoiando e torcendo para seu sucesso e, acima de tudo, respeita os demais e sabe aproveitar as chances que tem para construir novos conhecimentos. Ele usou de toda a sua criatividade na produção dos vídeos na oficina de animação.

 

Diante de tudo isso, João Paulo tem um caminho de muito sucesso a trilhar. Ele já tem muitas vitórias e uma delas foi no concurso Dia da Internet Segura 2013, na categoria adolescente, com o vídeo "Respeito na Web: Conecte-se com Respeito". Ele foi o ganhador do segundo lugar e recebeu como prêmio uma máquina fotográfica e um kit da SaferNet Brasil.

 

Vídeo produzido pelo aluno João Paulo na oficina de animação do Núcleo de Arte Grande Otelo que o levou a conquistar o segundo lugar no concurso Dia da Internet Segura 2013.

 

O semestre foi chegando ao fim e nada da premiação ser entregue. No dia 12 de julho, para alegria de todos, uma encomenda chegou até a escola para o aluno.  O turno de trabalho já havia terminado e os colegas do João já tinham ido embora, com exceção de seu amigo Rubilemes que presenciou a emoção de todos.

 

Esse prêmio traduz toda a competência do aluno João Paulo ao tratar de um tema de grande relevância no nosso século para as crianças e jovens. Ele mostrou, acima de tudo, que a internet não é uma terra sem lei. Se você tem direitos e deveres em casa, na escola e em outros lugares, você também tem direitos e deveres na web. Pense nisso!

 

Parabéns pela conquista, João Paulo! Os sonhos são como uma bússola, indicando os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar. São eles que nos impulsionam, nos fortalecem e nos permitem crescer. Sua caminhada está só começando, mas você já é um vencedor! É um orgulho tê-lo no Portal Rioeduca!

 

A parceria da família com a escola sempre será fundamental para o sucesso da educação de todo indivíduo.

 

Pais e educadores necessitam ser grandes e fiéis companheiros nessa nobre caminhada da formação educacional do ser humano.

 

Você quer ver o seu aluno no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante do Rioeduca da sua CRE e divulgue os alunos que são destaque na sua escola! Será um prazer tê-lo no Portal Rioeduca! Este espaço é meu, é seu é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

Twitter: @Paty_PP

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share