A A A C
email
Todos os posts escritos por Renata Carvalho
Retornando 78 resultados para o autor 'Renata Carvalho'

Terça-feira, 14/03/2017

Meu Bichinho de Estimação

Tags: 2ªcre, alfabetizacao, literatura.

 

A professora Silvia Kirschbaum produziu um livro junto com sua turma de segundo ano do CIEP Doutor Bento Rubião. A apresentação do livro à comunidade escolar aconteceu em uma manhã de autógrafos.

 

"Meu Bichinho de Estimação" - Livro produzido pelos alunos do segundo ano do CIEP Doutor Bento Rubião


 

A fase da alfabetização é sem dúvida uma das mais importantes da vida escolar do aluno. A professora Silvia Kirschbaum contou ao portal Rioeduca o processo da construção de um livro com os alunos do segundo ano.


“Primeiramente porque considero a Instituição Escola como produtora de cultura. Em segundo lugar, acredito que todos nós podemos nos tornar autores, principalmente nossos alunos. E o fato de nossos alunos observarem suas próprias produções, sejam elas verbais ou pictóricas, publicadas em livros, ou em outras diversas formas de publicações, assim como expostas em murais da escola ou da sala de aula, contribuem para a formação da identidade social de cada um deles, além de reforçarem sua autoestima. Assim, buscava um tema para editar um livro escrito e ilustrado por eles. Minha turma, composta de estudantes muito falantes, apresentava ao mesmo tempo a timidez ao falar justamente nas rodas de conversa. Entretanto, eu os observei muito expressivos ao contarem a história de seus bichos de estimação. Esta conversa de roda surgiu espontaneamente e todos tinham uma história a contar. Uma história interessante, um causo. Na mesma hora, eu disse para eles que faríamos um livrinho com suas histórias. ”  Professora Silvia Kirschbaum.

O objetivo do projeto didático pedagógico era relacionar a oralidade com a escrita, fixando a escrita dos nomes próprios. O primeiro passo foi a elaboração de um texto coletivo no blocão em forma de tabela, onde foram registrados quais são os animais de estimação de cada aluno e qual é o nome próprio de cada um deles.

 

Registro no blocão

 

Em um segundo momento a turma participou de leitura de livros infantis, que tinham animais como personagens. Neste momento, o objetivo foi ampliar a leitura de diferentes narrativas que apresentassem relação do ser humano com animais, de forma explícita ou implícita.

A professora fazia votação com os alunos do livro a ser lido, aproveitando para praticar a cidadania e também para desenvolver neste momento a leitura e interpretação de gráficos, fixando o pensamento matemático.

 

Escolha do livro a ser lido pela turma.

 

No momento da escrita, os alunos puderam escrever sozinhos seus textos ou contar com a colaboração da professora e dos colegas. Após a escrita os textos foram revisados de forma coletiva ou individual, mostrando aos educandos a necessidade de revisar o texto após a escrita.

 

Revisão do texto junto com a turma.

 

“Quando comecei a editar as páginas do livro com os textos já revisados, no computador de casa, eu as levava para a sala de aula no dia seguinte e apresentava a produção à turma na forma de projeção, utilizando o Datashow. Nós líamos todos juntos o texto, então digitado e editado. Depois conversávamos e eu escutava suas opiniões.” Professora Silvia Kirschbaum

Durante a produção da capa do livro, a professora projetou no quadro branco uma história de Ruth Rocha, “A Escolinha do Mar”. Mostrou a capa do livro, dialogando com os alunos sobre a função de uma capa de livro, quais os elementos verbais e não verbais aparecem na capa. Neste dia também foi escolhido o nome do livro, através de votação.

A apresentação do livro à comunidade escolar aconteceu em uma reunião de responsáveis. A professora Sílvia relata como foi este encontro.

“A manhã de autógrafos me surpreendeu, a presença foi praticamente da metade da turma. Tanto os alunos como os pais demonstraram emoção e gratidão por um momento tão importante para a vida dessas crianças. Para mim, esta experiência deve ser renovada a cada ano. É muito interessante o resultado de editar produções da escrita dos estudantes do município, pois muitas escolas ainda buscam de seus alunos apenas produções escolares. Acredito que a escola deve produzir cultura, valorizando assim a cultura que as crianças produzem, pois criança é um ser pensante e criativo em crescimento.”  Professora Silvia Kirschbaum

 

Professora Silvia e aluna na manhã de autógrafos.


A professora Silvia Kirschbaum agradece o incentivo e as orientações da professora Regina Martins, que acompanhou a turma através do projeto Escola em Foco.

O portal Rioeduca agradece a professora Silvia por compartilhar conosco esta rica experiência do processo de alfabetização.

O contato da professora Silvia Kirschbaum silviabaum@gmail.com

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/02/2017

Aqui o mosquito não se cria - 2ªCRE

Tags: 2ªcre, dengue, zika, chikungunya.

 

No início do ano letivo as escolas da 2ªCRE realizaram uma campanha de conscientização sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

 


A Mobilização contra a Tríplice Epidemia de Arboviroses - Dengue, Zika e Chikungunya – tem como objetivo conscientizar os alunos e a comunidade escolar sobre as ações importantes relacionadas ao combate do mosquito Aedes. Através de atividades pedagógicas e parceria com os postos de saúde, os alunos conheceram várias maneiras de cuidar do ambiente prevenindo a proliferação do mosquito.

A Escola Municipal Shakespeare, seguindo o cronograma que trata dos cuidados e ações sobre este assunto, programou para o dia dez de fevereiro uma caminhada no entorno da escola envolvendo toda a comunidade escolar.


Durante a semana as turmas trataram do assunto da campanha, elaboraram cartazes, assistiram vídeos, realizaram pesquisas e atividades, confeccionaram crachás e panfletos para serem entregues durante a caminhada. A caminhada partiu da escola até o Parque Lage onde foi feita uma parada estratégica.

A animação foi tanta que houve até grito de guerra:

"Meu brother, meu vizinho, minha tia
Elimine a água parada
Aqui o mosquito não se cria!"

 

Dando prosseguimento à campanha: “Aqui mosquito não se cria”, a turma 1502 e sua professora Jaci Simões criaram uma paródia da marchinha Cabeleira do Zezé:

"Olha que a dengue vem aí
Não vai conseguir, não vai conseguir (2x)
Será que vem a Chikungunya
Será que vem aquela Zika
Aqui não vai ter mais jeito
Da dengue persistir
Xó Aedes aegypti (4x) "

 

A marchinha fez parte do grito de carnaval da unidade escolar, onde os alunos participaram indo até a frente da escola para distribuir panfletos e cantar a marchinha.

 

Alunos na campanha contra as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes.

 

Preocupados com a possível epidemia de Arboviroses, a Escola Municipal Mario da Veiga Cabral e sua comunidade escolar envolveram-se na campanha “Aqui mosquito não se cria”, refletindo a respeito das ações necessárias à prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti.

Durante essa reflexão as turmas desenvolveram vários trabalhos destacando as ações de prevenção, os sintomas das doenças, a importância da ação de cada um em seu território, a divulgação da carta de orientação junto às famílias, bem como diversos trabalho artístico a partir do tema. Um dos trabalhos desenvolvidos foi o coral de alunos, que se apresentou aos responsáveis na escadaria da escola, cantando a música da campanha de combate ao mosquito, interpretada por Ivete Sangalo “Palmas pelo Brasil”.

 

Apresentação do coral.

 

Desde que se iniciou o ano letivo, as crianças da Creche Galdino Manoel da Silva vêm trabalhando na campanha “Aqui Mosquito Não se Cria” aprendendo mais sobre algumas medidas de prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes.

Os berçários I e II ouviram histórias e coloriram um mosquito gigante enquanto aprendiam uma música sobre o tema.

Já o maternal I confeccionou placas de conscientização sobre o combate ao Aedes aegypti e se juntou ao Maternal II numa passeata no entorno da creche para chamar a atenção da comunidade para este assunto tão importante.

As crianças do maternal II fizeram um circuito de “Caça ao Mosquito da Dengue” no pátio da unidade escolar e puderam identificar possíveis focos de proliferação do mosquito como água parada em pneus e potes destampados.

Além disso, também foi incluída a rotina de passar repelente várias vezes ao dia e nessa ocasião a equipe pedagógica aproveitou para relembrar com as crianças a importância de fazermos a nossa parte na prevenção e combate as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

No dia da reunião dos responsáveis, a creche recebeu a visita da equipe de saúde da Clínica da Família do bairro do Andaraí, para uma roda de conversa sobre o assunto, trabalhando a conscientização e prevenção das Arboviroses.

 

Passeata em torno da creche.

 

Parabéns às unidades escolares que desenvolveram atividades de conscientização sobre a importância de prevenir a proliferação do mosquito Aedes.

 

O contatos das unidades escolares citadas são:

Escola Municipal Shakespeare emshakespeare@rioeduca.net

Escola Mário da Veiga Cabral emvcabral@rioeduca.net

Creche Galdino Manoel da Silva cmgaldino@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 21/12/2016

Conta Outra Vez...

Tags: 2ªcre, leitura, escrita.

 

A Escola Municipal Menezes Vieira desenvolveu um projeto interdisciplinar com o objetivo de estimular o gosto pela leitura entre os educandos.


O projeto “Conta Outra Vez...” foi um trabalho conjunto entre a sala de leitura e os demais professores da escola, com interesse maior de despertar nas crianças o gosto pela leitura e a escrita de forma atrativa e lúdica. Também teve o intuito de ampliar a bagagem cultural dos pequeninos. O projeto trouxe a possibilidade dos alunos interagirem com seus pares e educadores através dos trabalhos propostos.

Os alunos do primeiro ano trabalharam com o tema “Pintores Brasileiros”, utilizando histórias relacionadas aos artistas plásticos brasileiros Tarsila do Amaral, Portinari e Vick Muniz. A proposta foi apresentar, através das histórias, as pinturas e a história de vida dos artistas mencionados e finalizar com a importância da reciclagem e o cuidado com o meio ambiente.

 

Alunos das turmas do primeiro ano.

 

As turmas do segundo ano participaram de contações de histórias sobre o mundo das bruxarias, lendas do folclore brasileiro e histórias de suspense. Durante as atividades houve oportunidade para cada criança criar sua história de terror.

 

Alunos das turmas do segundo ano durante o projeto.

 

Chapeuzinho Vermelho no Rio de Janeiro” foi o tema trabalhado pelos alunos do terceiro ano. Iniciando o trabalho com o conto clássico Chapeuzinho Vermelho, no tempo e no espaço, a ideia foi trazer os personagens para a vida cotidiana dos alunos. Chapeuzinho Vermelho foi passear pelos bairros e pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro. Durante do projeto as crianças, em grupos, criaram diferentes histórias sobre o assunto.

 

Alunos do terceiro ano.

 

A partir do interesse e da leitura da turma pelos livros “Diário de um Banana”, as crianças do quarto ano produziram textos individuais através dos seus diários e um diário Weekend com anotações sobre o final de semana.

 

Alunos do quarto ano trabalhando a coleção "DIário de Um Banana"

 


As turmas do quinto ano trabalharam o tema “O Negro no Brasil”. Através da contação de histórias africanas tendo como objetivo a reflexão sobre os princípios étnicos, morais e culturais. Os alunos no dia da culminância contaram algumas lendas africanas e mostraram produções em forma de cartazes e máscaras africanas.

 

Alunos do quinto ano

 

Aprendendo sobre o Holocausto” foi o tema escolhido para os alunos do sexto ano. A partir de alguns filmes que retratam a segunda guerra, debates e leituras de partes do livro “O Diário de Anne Frank”, a turma produziu, individualmente, uma carta para a Anne Frank e um desenho sobre o holocausto. Produziram também dois murais: um sobre a guerra e outro relacionado à paz.

 

Mural produzido pelos alunos do sexto ano.

 

Parabéns a toda equipe da Escola Menezes Vieira por proporcionar à comunidade escolar projetos que desenvolvam o gosto pela leitura e pela escrita. Obrigada por compartilhar conosco as atividades realizadas e sucesso na caminhada escolar!

O contato da unidade escolar é: emvieira@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 07/12/2016

Diário do Aluno – É Hora de Registrar o Dia a Dia

Tags: 2ªcre, diario do aluno, leitura, escrita.

 

Durante o ano letivo de 2016, os alunos do Sexto Ano Experimental foram convidados a registrar em um diário os fatos mais importantes do dia a dia.

 


A alunos das turmas do Sexto Ano Experimental da 2º CRE participaram de uma atividade sobre o registro do cotidiano.

O registro aconteceu através do “Diário do Aluno”. A ideia foi proporcionar ao aluno um momento de escrita espontânea, onde ele pudesse registrar os fatos que foram mais interessantes em seu dia. O registro foi feito usando a escrita e também complementando com desenhos.

Um dos objetivos da atividade era ajudar na organização do pensamento para elaborar um texto e estimular o gosto pela escrita. Para realizar o trabalho os alunos tiveram acesso a vários textos e filmes do gênero diário, inclusive, os livros e os filmes “O Diário de um Banana”, que tanto faz sucesso com os jovens desta faixa etária.

O resultado final foi uma coletânea com os textos produzidos pelos alunos e também depoimentos dos professores sobre este processo de aprendizagem.

Abaixo temos algumas páginas dos diários produzidos pelos alunos do Sexto Ano Experimental da 2ªCRE, assim como, a fala dos professores sobre a experiência.

 

 

 

 

 

 

 

Agradecimentos especiais aos professores regentes do Sexto Ano Experimental da 2ªCRE e a professora Adriana Monteiro, GED 2ªCRE, por compartilhar conosco estas atividades tão importantes na prática do incentivo a escrita.

O contato da Gerência de Educação da 2ªCRE é: gedcre02@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share