A A A C
email
Todos os posts escritos por Rute Albanita
Retornando 78 resultados para o autor 'Rute Albanita'

Quinta-feira, 14/06/2012

Em Busca de uma Escola Sustentável

Tags: 1ªcre, projetos.

 Dia 11 de junho, a Escola Municipal Portugal foi escolhida pela SME para dar boas- vindas a alunos e professores de 8 países da América Latina que estão no Rio para participação de premiação de redações com a temática da Conferência Mundial de Meio Ambiente Rio+20.

 


 

Após serem recebidos pela direção e cooordenação da escola e pela Professora Catarina, da Divisão de Mídia-Educação da SME, alunos e professores puderam visitar as dependências da escola e conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pelos alunos e professores. Trabalho este que está exposto nos corredores da unidade, fruto do comprometimento dos professores da escola.

 


 

Após conhecerem a escola, os alunos e professores puderam participar do Evento EM BUSCA DE UMA ESCOLA SUSTENTÁVEL. A professora Cristhiane Ponte, diretora da escola, deu boas-vindas aos colegas e alunos da América Latina e apresentou um breve histórico da unidade. A seguir, o professor Alexandre Roque, coordenador pedagógico, apresentou o trabalho desenvolvido, despertando a consciência crítica para a busca de  uma sociedade sustentável. Apresentou projetos que são realizados e parcerias que são firmadas objetivando a viabilidade do projeto.

 

Sustentabilidade

 


 

Alunos do 5º ano (profa. Janne e profa.. Glória) leram poesias que realizaram durante as oficinas do Projeto Poesia na Escola, cuja temática principal foi a sustentabilidade. A aluna Camila Girão, da turma 1201 (professora Lenize), leu para os colegas dos países irmãos o Livro MUNDINHO, uma das diversas obras literárias que são utilizadas por nossos professores nesse trabalho de conscientização.

 

Os alunos do grêmio leram a CARTA POR UM MUNDO SUSTENTÁVEL, ganhadora do concurso realizada por nossa Secretaria entre as escolas no Município. A Seguir, a aluna Ingrid, da turma 1303 (professora Cláudia) leu o poema HERDEIROS DO FUTURO.

 

A leitura do poema foi seguido pela apresentação do coral da Escola, que apresentou o poema em sua versão musicada, trabalho este regido pela professora Marta, que também é diretora-adjunta da unidade escolar. Na oportunidade, a professora Marta apresentou a oficina de percussão com latinhas, que foi um grande sucesso de público. Alunos e professores vibraram.

 

 A professora Catarina, da SME, falou um pouco de sua impressão em relação ao trabalho da escola e disse ter ficado muito satisfeita com o que nossa escola vêm desenvolvendo.

 

Após um breve lanche, os alunos da turma 1301,  juntamente com os alunos que visitavam a escola Portugal, participaram de uma oficina coletiva de Produção textual, com a professora Glória, regente de sala de Leitura. Foi enriquecedor para crianças essa troca de experiências que puderam ter com crianças que vivem outras realidades.


A Escola Municipal Portugal e toda equipe Rioeduca se orgulham com o empenho de todos os professores para que a unidade caminhe em busca de um escola verdadeiramente sustentável.

 

Fonte: Blog da Escola Municipal Portugal

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 31/05/2012

Projeto Africanidades

Tags: 1ªcre, projetos.




A Creche Municipal Espaço Livre da Criança, localizada no Morro do São Carlos, no Estácio, desenvolveu o projeto Africanidades que tem como principais objetivos apresentar, de forma lúdica, o continente africano às crianças, seus aspectos naturais, bem como suas diferenças étnicas e culturais e de reafirmar a constante presença da marca africana dos nossos ancestrais na literatura, na música, na criatividade, na forma de viver, de pensar, de andar, de falar, de rir, de rezar e de festejar a sua vida.



Para a equipe da creche, pensar as “Africanidades Brasileiras” é pensar também em movimentos corporais, em danças, na importância da tradição oral, em cantigas tradicionais, na música... O jongo, o tambor de crioula, o samba e o maracatu, por exemplo, trazem o colorido, o gingado e a beleza dos ritmos de origem africana. Sendo assim, proporcionamos às crianças ouvirem músicas e conhecerem instrumentos típicos. No entanto, mais do que saber reconhecer um som, a unidade deseja que os pequenos tornem-se capazes de valorizar a diversidade presente na musicalização do povo brasileiro.

 

 

No projeto Africanidades, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer e utilizar o chocalho, o pandeiro, o agogô, a caixa de fósforos, o tambor, o berimbau, bem como outros instrumentos, a fim de que pudessem se expressar musical e corporalmente.

 

 

A Creche trouxe para dentro do seu espaço a capoeira e a escola de samba mirim para apresentação, integrando ao projeto as diversas manifestações culturais já existentes na comunidade e referendando assim o seu valor cultural. Por meio desse contato, propomos também a confecção de instrumentos, agora produzidos pelas próprias crianças e com o uso de sucatas.

 

 

As lendas e as cantigas de origem africana, recontadas de geração em geração por meio da tradição oral, também foram revividas em brincadeiras, em momentos de contação de histórias, na confecção dos livros das turmas, entre outros. Na literatura, buscamos trazer contos africanos (como “Ynari, a menina das cinco tranças”, “A bonequinha preta”, “Ajdar, o dragão da Terra”, “A lenda do tambor africano”, “Como surgiu a galinha d’angola”.) e textos de autores brasileiros (como “O menino marrom”, “Tekinho o menino do samba”, “O menino Nito”, “Jambo”, “Uma manhã com os bichos da África” além de outros) para que pudessem conhecer e valorizar a pluralidade e afinidade dos nossos povos.

 

 

Nas artes plásticas, as professoras apresentaram obras de grandes pintores nas quais se destacaram a pluralidade e a diversidade étnica dos brasileiros. Para tanto, foram selecionadas pinturas como “A negra” de Tarsila do Amaral, “O mestiço” de Portinari, “Pelourinho” de Ana Mendina e “Arlequins” de Di Cavalcanti, entre outros, para que a criança, em contato com parte importante da produção artística brasileira, amplie suas concepções estéticas, conheça obras de grande valor cultural, utilize técnicas diversas para realizar as releituras de uma ou mais obras e, primordialmente, valorize a diversidade expressa em nossos corpos, na cor da pele, nas formas e nas cores dos nossos olhos e cabelos, nas nossas maneiras, enfim, de ser e de atuar no mundo. 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 31/05/2012

Laços de Família

Tags: 1ªcre, projetos.

 


                     

         Durante todo esse mês de maio, a Creche Senninha, situada na Comunidade Parque Alegria, Caju, esteve envolvida no projeto "Laços de Família".  Foram grandes e marcantes os momentos para todos que puderam vivenciar as atividades realizadas. 

 



         Projeto "Laços de Família"

 

Justificativa:



 

A participação da família no ambiente escolar é de fundamental importância para o desenvolvimento de nossas crianças. Por isso, faz-se necessário o acompanhamento da família no processo de aprendizagem, tanto no lar quanto na sua vida escolar.



Objetivos:

 

 

Incluir a família no processo ensino-aprendizagem como parceiros e colaboradores.
Identificar os componentes que formam uma família.
Conscientizar as crianças sobre a importância da família.
Promover a integração entre família e creche.
Ressaltar a importância da afetividade na família e na creche.

 

 


 

Desenvolvemos junto às crianças algumas atividades  com o objetivo principal de integrar família e creche

 

 

Fonte: Blog Senninha

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 31/05/2012

Que o Mundo nos Veja como uma Cidade de Leitores

Tags: 1ªcre, projetos.

 No ano de 2011, a  professora Martha Maria Gomes  foi convidada a participar do Ginásio Experimental Carioca, um projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro que prevê a implantação de várias ações para que possam ser replicadas para outras escolas do Município.

 

Além do projeto, foi convidada pela diretora da escola a assumir a sala de leitura da instituição. Como professora de Língua Portuguesa, pós-graduada em “Leitura e Produção Textual” pela UFF, Martha sempre sonhou em  trabalhar entre os livros, porém jamais imaginaria que passaria grande parte da semana em um lugar que ela considera maravilhoso, junto de pessoas que possuem algo em comum: o prazer de ler!

 

 

A professora Martha  compartilhou com o Rioeduca o projeto "Que o Mundo nos veja como uma Cidade de Leitores".  Encante-se com o relato que a própria professora escreveu e nos enviou:

 

"Fiquei muito feliz em ver que os alunos se entusiasmaram bastante com o fato de a biblioteca ficar aberta oito horas por dia, 40 horas semanais, funcionando como uma extensão da sala de aula, com o total apoio dos professores. Para completar minha alegria, ainda passamos a contar com uma bibliotecária, a Fabíola (chamada carinhosamente de tia Fafá), uma excelente profissional que veio se somar à equipe.

 


Ler dá dignidade – e ela tem consciência disso. Creio no que diz Daniel Penac, em seu livro ‘Como um romance’: “se, entretanto, o prazer de ler ficou perdido (…) ele não se perdeu assim tão completamente. Desgarrou-se apenas. Fácil de ser reencontrado”. Basta procurarmos o caminho que facilite esse reencontro que ele nos conduzirá a lugares onde só o mundo maravilhoso da leitura pode nos levar.

 


Seria muito difícil apontar para algo que, para mim, é uma estratégia eficaz de motivação para a leitura. Não gostaria que soasse como algo imperativo. Mas, como deixar que os alunos permaneçam horas na escola, sem que lhes sejam oferecidos leituras de qualidade, clássicos ou obras de autores que eles jamais conheceriam, se não houvesse a mediação, como diria Barthes, da “leitura afetuosa”? Leituras compartilhadas, círculos de leituras, infinitas descobertas… Pensando nisso, criei a disciplina eletiva “Machado: superação e arte”. Confesso que, no início, tive medo da rejeição dos alunos, mas o resultado foi surpreendente. Numa turma de 14 alunos inscritos, pelo menos quatro apaixonaram-se por Machado de Assis. Se fosse apenas um, já seria gratificante. O resultado foi além das minhas expectativas.


Em outubro, inscrevi-me no concurso “Escola de Leitores”, um projeto do Instituto C&A, em parceria com a Fundação do Livro e a Prefeitura do Rio. Convidei alguns profissionais a participar comigo do projeto “Central de Leitores”, que elaborei e que tem o objetivo de fazer com que os livros circulem cada vez mais na escola e fora dela. Dentre outras ações, uma vez por bimestre será montada uma tenda na praça que fica em frente à escola, onde haverá distribuições de livros, leituras de poemas e textos, enfim, uma verdadeira festa literária. Dessa forma, as pessoas que passam pelos arredores da Central do Brasil terão acesso a livros literários.


Nosso projeto foi um dos vencedores do concurso. Neste ano, teremos muitas outras ações voltadas para a leitura, como resultado destas parcerias, e poderemos contribuir ainda mais para o crescimento do projeto “Rio, uma cidade de leitores”.

 

O Rio vai sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, atraindo os olhares de todo o mundo. E meu sonho é que as pessoas nos vejam como uma cidade de leitores, de cidadãos críticos e conscientes, que desfrutam da leitura pelo prazer. Quando há uma equipe engajada em um só propósito, com um desejo ardente de concretização de ideias, fica tudo mais fácil. Se, numa pequena escola, conseguimos contagiar nossos alunos e levá-los ao maravilhoso mundo da leitura, poderemos fazer algo muito maior, que atinja a população inteira. Alguém duvida?"

 

O Rioeduca parabeniza o GEC Rivadávia Corrêa e a Professora por este projeto tão importante para nossas crianças e nossa cidade.

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share