A A A C
email
Todos os posts escritos por Sinvaldo do Nascimento Souza, 10ª CRE
Retornando 52 resultados para o autor 'Sinvaldo do Nascimento Souza, 10ª CRE'

Segunda-feira, 08/10/2012

Planos, Programas, Projetos e muitas Ações na Escola Municipal Tatiana Memória

Tags: 10ªcre, escola, do, amanhã, bairro, educador, pse, ncm, ias, patrono.

Escola cheia de vida, efervescente, movimentada, encantadora. Assim é a E.M Tatiana Chagas Memória, da 10ª CRE, localizada no bairro Jardim Maravilha, Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

 

Com 1.100 alunos do 6º ao 9º ano, por ser uma das unidades classificadas como “Escola do Amanhã”, e por estar localizada em uma área cuja população ainda carece de espaços para a prática do lazer e da cultura, a E.M Tatiana Chagas Memória tem sido o principal ponto de encontro dos adolescentes e jovens de uma boa parte do bairro Jardim Maravilha.

 


A E.M. Tatiana Chagas memória funciona em três turnos, sendo que à noite o espaço é compartilhado com o Governo do Estado, com turmas do Ensino Médio.

 


É uma escola muito vistosa, tanto por situar-se na parte mais elevada da Rua Pedro Osório, quanto pelas características externas do prédio, revestido com tijolos vitrificados. Não há muros, mas sim um aramado de ferro que circunda todo o prédio, permitindo a visualização das atividades que são realizadas na área externa.

 


O nome da Patronesse, Tatiana Chagas Memória, é lembrado e reverenciado na escola, conforme vejo em notícia postada por Amanda Teles, no Portal do Bairro Educador Guaratiba.

 


Segundo Amanda Teles, nas comemorações do 4º aniversário das novas instalações da escola, além da apresentação da Fanfarra, com repertório variado de músicas, incluindo o “Hino da Cidade Maravilhosa” e “Asa Branca”, foi lançado o primeiro número do “Jornal Educativo”, com a biografia da Patronesse Tatiana Chagas Memória.

 


Tatiana Memória trabalhou com o professor e antropólogo Darcy Ribeiro, sendo a sua principal auxiliar na implantação do Programa Especial de Educação responsável pela construção dos CIEPs no Estado do Rio de Janeiro, no Governo Leonel Brizola.

 


Foi ela quem presidiu a Fundação Darcy Ribeiro, até o dia do seu falecimento, em 3 de março de 2007.

 


Nascida a 10 de setembro de 1927, Tatiana Memória atuou em diversas áreas ao longo de sua vida, especialmente televisão, teatro e educação. De 1962 a 1968 trabalhou na TV Globo, em 1968 assumiu a direção de produção do Teatro Novo, no Rio de Janeiro; e a partir de 1970 trabalhou no Centro Brasileiro de Televisão Educativa (TVE). Em 1982, por indicação de Darcy Ribeiro, assumiu a direção do Centro Técnico de Inhaúma, da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

 


Além do Bairro Educador, que é um dos projetos do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, o CIEDS, a E. M Tatiana Memória, por ser uma “Escola do Amanhã”, também participa do Programa Saúde na Escola (PSE), uma parceria entre os ministérios da Saúde e da Educação que tem o objetivo de reforçar a prevenção à saúde dos alunos brasileiros e construir uma cultura de paz nas escolas.

 


No dia 6 de setembro de 2012, quinta-feira, quando estive visitando a Escola Municipal Tatiana Chagas Memória, pude acompanhar de perto algumas das atividades pela Equipe 8 do Núcleo de Educação e Saúde, com palestras, levantamento de dados biométricos, como peso e altura dos alunos, e orientação às alunas gestantes, no total de seis adolescentes.

 


Conversando com alguns alunos do 8º ano, participantes da palestra sobre sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis, pude constatar o grande interesse de todos.

 


A palestra, coordenada pela enfermeira Daise e pela técnica de enfermagem Débora, contou também com o apoio da educadora comunitária Vilma e de outras integrantes do PSE da E.M Tatiana Memória.

 


Segundo a enfermeira Daise, a divisão dos grupos por sexo, foi um pedido dos próprios alunos, já que, em se tratando de tema sobre a sexualidade, eles ficariam bem mais à vontade para perguntas e comentários.

 


Os programas do Instituto Ayrton Senna, de caráter emergencial de alfabetização também estão presentes na Escola Municipal Tatiana Chagas Memória.

 


Conversei com os professores Wagner e Janne, ambos de Língua Portuguesa, mas que atuam como regentes das turmas 8302 e 8301, Realfabetização 2 B.

 


Visitando as salas das duas turmas e conhecendo um pouco sobre a atuação de cada professor, fui informado sobre as atividades realizadas em módulos, para que os alunos se apropriam dos conhecimentos e passam a ler e a produzir textos em diferentes situações, com clareza e coesão.

 


Wagner e Janne mostraram algumas das tarefas desenvolvidas pelos alunos naquela semana dedicada aos “Contos de Assombração”.

 


As salas foram devidamente ambientadas com a ajuda dos próprios alunos, que também indicaram as “Palavras de Arrepiar”, todas relacionadas ao tema proposto pelo módulo.

 


A “Tatiana Memória” é uma escola encantadora pela simpatia dos seus alunos, funcionários e professores, todos bastante solícitos, não poupando esforços para ajudar, prestar informações, mostrar seus trabalhos em sala de aula ou em outras áreas da escola.

 


Foi assim com a professora Zuleide, de artes visuais, mostrando alguns dos lindos murais produzidos por ela e por seus alunos; com o professor e oficineiro Zitto (José Lourenço), falando sobre as oficinas de criação de livros artesanais; as professoras de Ciências, Cleidilene e Mariana, comentando as suas aulas e o sonho de ver o laboratório da escola em pleno funcionamento; a professora Fátima, com seus alunos do 9º ano, mostrando o mangá (história em quadrinhos em estilo japonês) com a cronologia da Segunda Guerra Mundial e a agente educadora Norma e a educadora comunitária Vilma, mostrando o seu carinho no atendimento aos alunos e se dispondo a ajudar a todos, sempre que necessário.
 

 

Rosana, diretora, e Vânia, diretora adjunta, são uns amores de pessoas. Receptivas, atenciosas e dispostas a colaborar em todo o trabalho que fiz para o Rioeduca, não se importaram em nenhum momento de estar presentes nos registros fotográficos, mesmo diante daquela efervescente quinta-feira, com turmas saindo para passeio, palestras sendo realizadas, véspera de feriado, ação da equipe móvel do Programa Saúde na Escola, atendimento aos pais, responsáveis, professores, funcionários e alunos, e as aulas e demais atividades acontecendo normalmente.

 

 

 


É assim a Escola Municipal Tatiana Chagas Memória, com muitos planos, projetos, programas e principalmente ações, que são realizadas no dia a dia do bairro Jardim Maravilha, em Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 


 

 

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 03/10/2012

Alunos do 9º ano fazem cronologia da Segunda Guerra Mundial em mangá

Tags: 10ªcre.

O estilo japonês de histórias em quadrinhos conhecido como mangá foi utilizado pelos alunos da Escola Municipal 10.26.026 Tatiana Chagas Memória, na confecção da linha do tempo registrando os principais acontecimentos da Segunda Guerra Mundial.

 

A Escola Municipal Tatiana Chagas Memória está situada na Rua Pedro Osório nº 360, Jardim Maravilha, Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e foi uma das escolas premiadas com o 14º salário, por ter atingido as metas previstas pelo MEC e SME/Rio, para o Índice de Desenvolvimento Básico da Educação, referente ao ano de 2011.

 


Da professora Fátima Aparecida Costa Veiga, minha colega de História e de histórias, recebo e-mail com o relato de uma das criativas e bem desenvolvidas atividades realizadas por ela com seus alunos do 9º ano, turmas 1901, 1902, 1903 e 1904.

 


Fátima possui duas matrículas na rede municipal. Na Escola Municipal Burle Marx, um dos destaques do Ideb e do IdeRio nas avaliações dos últimos anos, ela dá aulas para alunos das turmas do 6º e do 7º ano, e na Tatiana Memória, optou pelo 9º ano.

 


Segundo ela foi bom variar a faixa etária.

 


Antes de ter a sua cessão autorizada para a E.M. Tatiana Memória, a professora Fátima trabalhou em Santa Cruz, na Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, quando tive oportunidade de acompanhar parte do seu trabalho, sempre buscando valorizar o uso da imagem nas suas aulas de História.

 


Vi, por exemplo, alunos do 6º ano, produzindo desenhos retratando detalhadamente aspectos pitorescos do mundo medieval, com descrição precisa das atividades, costumes, personagens e características da sociedade da Idade Média.

 


Segundo relato da professora Fátima, o trabalho realizado pelos alunos do 9º ano da Escola Municipal Tatiana Memória envolveu todos os recursos disponíveis. Desde a pesquisa em apostilas, livros, jornais e revistas até o uso da Internet, embora, segundo ela, o sinal ainda é bastante precário.

 


Como usuária das redes sociais, Fátima orientou os seus alunos até pelo Facebook, esclarecendo dúvidas, sugerindo sites e links para pesquisas, como também compartilhando fotos, mapas e imagens sobre a Segunda Guerra Mundial.

 

 

 

 


O trabalho dos alunos do 9º ano da E M Tatiana Memória, que ficou em exposição durante certo tempo, foi muito elogiado pela direção, professores e alunos das demais turmas, que ficaram muito impressionados com todos os acontecimentos da Segunda Guerra Mundial, principalmente com as atrocidades cometidas nos campos de concentração e extermínio dos judeus pelos nazistas.

 


“Vi que muitos alunos se esforçaram bastante para fazer um trabalho bonito. Foi muito positivo para todos, porque, mesmo após a montagem do trabalho, percebi o interesse dos alunos indo obter, por conta própria, mais informações sobre o tema abordado. Acho que o objetivo inicial foi atingido”, finalizou a professora Fátima.

 





 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 03/10/2012

Discutindo etnicidade na escola

Tags: 10ªcre, riodeleitores, rio, sem, preconceito, rio, cidadania.

A condição ou consciência de pertencimento a um grupo étnico passou a ser tema discutido nas aulas de História da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, da 10ª CRE.

 

 

 

O tema da questão racial sempre esteve presente nas aulas e trabalhos de História da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, principalmente em ocasiões específicas, como a semana em que se comemora o dia da abolição da escravatura, ou no mês de novembro, em que se distinguiu um dia para lembrar a consciência negra.

 


O artigo 26-A, da Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira, nas escolas e colégios de ensino fundamental e médio, tanto as da rede pública, como as particulares.

 


Na E. M Joaquim da Silva Gomes, seguindo o que está previsto na própria lei, a questão racial passou a ser abordada com ênfase nas disciplinas de História, Geografia, Língua Portuguesa e Artes, embora os conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira sejam sugeridos também para as demais disciplinas.

 

 


Para a professora Alessandra Racy, regente de História de algumas turmas da escola, a temática da etnicidade tem possibilitado aos alunos compreender a importância de todos os grupos étnicos na formação da sociedade brasileira, bem como recuperar dados fundamentais sobre os diversos momentos da participação dos negros nas lutas libertárias ocorridas em nosso país.

 


Sempre que possível, os professores da E. M. Joaquim da Silva Gomes incluem o estudo da História da África e dos africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, buscando reconhecer e valorizar a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil, como está previsto na Lei 10.630.

 


No início do mês de setembro de 2012, a sala de leitura da escola recebeu exemplares de três títulos da Coleção Herói Brasileiro, de autoria do escritor e cartunista Maurício Pestana, tratando, especificamente, de lutas e realizações dos africanos e de seus descendentes na História do Brasil.

 


Maurício Pestana, que há 30 anos vem publicando livros educativos em formato de história em quadrinhos, elaborou e editou, em 2011, os livros sobre a “Revolta da Chibata”; “Revolta dos Búzios” e “Revolta dos Malês”.

 


São obras de fácil manuseio e agradável leitura, dotadas de conteúdo histórico, que contribuem para esclarecer a participação dos negros em três intensas lutas pela garantia e preservação dos seus direitos fundamentais.

 


Sobre a “Revolta dos Búzios”, os editores da “Pestana Arte & Publicidade, responsável pela publicação dos livros de Maurício Pestana, esclarece que se trata de “parte integrante da obra do artista, publicada em sua primeira edição em parceria com a Escola Olodum...”

 


A obra trata do conflito urbano ocorrido na cidade de Salvador, Bahia, envolvendo libertos, escravos e ex-escravos, cujos líderes passaram a ter seus nomes reconhecidos como heróis nacionais.

 


O livro “A Revolta da Chibata”, tendo como líder principal o marinheiro João Cândido, também teve a sua publicação inicial em parceria com a Escola Olodum e, ainda que se tratando de fato bem mais conhecido nos estudos históricos brasileiros, ajuda a aproximar o leitor mais jovem do episódio, por conta do seu formato em quadrinhos.

 


O terceiro livro que enriqueceu o acervo da sala de leitura da E. M Joaquim da Silva Gomes tem o título de “A Revolta dos Malês”, que, segundo os editores, é um retrato fiel de um dos maiores levantes ocorridos no Brasil no seu período de colonização.

 


Os malês eram negros alfabetizados, islamizados, que lutaram contra a escravidão e contra a intolerância religiosa, na tentativa de garantir os seus direitos de professar a própria fé.

 

 


A discussão que vem sendo promovida nas aulas de História das turmas da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes sobre etnicidade, além de cumprir o que está previsto na Lei Federal nº 10.639, de 2003, vem servindo como tema auxiliar para outras abordagens e conscientização dos alunos sobre questões relacionadas à intolerância religiosa, preconceito, discriminação, racismo, xenofobismo e bullying, para que não sofram interdições culturais, e nem sejam mais consideradas como tabus em sala de aula.

 


 

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 26/09/2012

Saúde bucal na Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes

Tags: 10ªcre, rio, saudável, pse.

Em parceria com a Clínica da Família Ernani Braga, a Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, da 10ª CRE, promoveu uma semana dedicada à saúde bucal, dirigida aos alunos.

 

O programa de saúde bucal confirma a excelente articulação que vem acontecendo desde 2009, entre as secretarias municipais de Educação e de Saúde da Prefeitura do Rio, que, de forma conjunta, constroem propostas de solução para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

 


Localizada na Avenida João XXIII com Rua 16, no bairro de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, a Clínica da Família Ernani de Paiva Ferreira Braga, inaugurada em 27 de junho de 2012, já atendeu mais de 27 mil pessoas, contribuindo para fazer a cobertura de 96,4% da Área de Planejamento AP 5.3, da 19ª Região Administrativa.

 

 

 

Drª Sílvia, dentista, Kátia Cristina e Adelina, técnicas em saúde bucal com alguns alunos da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes que participaram da palestra e orientação sobre a forma correta de escovação dos dentes. 

 

 

 

 Drª Sílvia, à esquerda e Adelina, técnica em saúde bucal à direita com alunos da EM Joaquim da Silva Gomes,  na Semana da Saúde Bucal, de 27 a 31 de agosto de 2012.


 

Com duas equipes de Saúde Bucal, a Clínica da Família Ernani Braga vem atendendo às escolas localizadas no eixo da Avenida João XXIII, com as escolas Liberdade, CIEP Papa João XXIII, Escola Municipal Zulmira Telles, E. M Professora Dione Felisberto de Carvalho, Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, entre outras.

 


Na semana reservada à campanha pela saúde bucal, realizada de 27 a 31 de agosto na Escola Municipal 10.19.047 Joaquim da Silva Gomes, da 10ª CRE, foram atendidos cerca de 1000 alunos, dos três turnos, sendo que os do primeiro e segundo turnos participaram de palestras, receberam orientação sobre os cuidados que devem ter com a higiene bucal e receberam kits contendo fio dental, pasta e escova de dente e aplicação do flúor, além da prática individual da escovação.

 


Os alunos do Programa de Educação de Jovens e Adultos, o PEJA, receberam o mesmo kit, com orientações sobre o programa em sala de aula, repassadas pelos professores.

 


Na Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, o Programa de Saúde Bucal contou com a participação da odontóloga Drª Sílvia, e com o apoio das técnicas em Kátia Cristina e Adelina.

 


Segundo informações repassadas pela técnica em saúde bucal, Kátia Cristina de Oliveira Xavier, as ações da campanha começaram em sala de aula, com todas as turmas da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes tendo a oportunidade de acompanhar palestra com explicações e orientações sobre os cuidados que se deve ter para evitar doenças na boca, decorrentes da má escovação.

 


Após a palestra os alunos foram conduzidos em grupos para receberem a aplicação do flúor e orientação sobre a forma correta para a escovação dos dentes.

 


Durante a realização da campanha pela saúde bucal, com todos os alunos sendo examinados por profissionais especializados em Odontologia, foram selecionados aqueles que apresentaram algum tipo de lesão na boca, para serem encaminhados à Clínica da Família Ernani Braga, onde serão atendidos com prioridade e emergência em busca da solução dos problemas decorrentes.

 

 

 

 

 

 


A campanha de saúde bucal na Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes acontece uma vez por ano e os alunos, de modo geral, têm demonstrado grande interesse em participar das ações relacionadas ao programa.

 

Contatos: sinvaldosouza@rioeduca.net Twitter: @SinvaldoNSouza 
 

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share