A A A C
email
Todos os posts escritos por Sinvaldo do Nascimento Souza, representante da 10ª Coordenadoria Regional de Edu
Retornando 7 resultados para o autor 'Sinvaldo do Nascimento Souza, representante da 10ª Coordenadoria Regional de Edu'

Segunda-feira, 22/10/2012

Harmonia, vibração e tonalidade

Tags: 10ªcre, patrono, ncm, realfa, acelera, mais educação, rio de leitores.


 

 

Na escola que tem como patrono o mais conhecido padre músico da história brasileira, situada na Rua da Orquestra e nas cercanias das ruas do Compositor, do Pianista, do Gravador, do Letrista, do Cantor e do Sabiá, realiza-se trabalho de conjunto almejando a educação de qualidade.

 

 

Fotos da montagem acima, a partir da primeira foto superior à esquerda: 1 - Capa do livro de autoria da professora Cleofes Person de Matos sobre o Padre José Maurício Nunes Garcia, Patrono da Escola; 2 - Professora Heleacir da Silva Siqueira, com uma das suas alunas da turma 8401.  3 - Professor Ricardo, de Artes Cênicas, com alunos do 6º ano caracterizados para apresentação teatral de avaliação; 4 - Professoras Cintila Damasceno Lima, de Inglês, organizadora do Blog da escola; Jaqueline dos Santos Muniz, diretora e Marta Magalhães de Souza, coordenadora pedagógica; 5 - Aluno do 1º ano, da turma 1102, da professora Elisabete Figueiredo Serrano,  iniciando o processo de leitura;

 

 

Ao marcar a visita à Escola Municipal Padre José Maurício, o que despertou a minha curiosidade, quando consultei o Google Maps, foi a quantidade de nomes de ruas relacionados à música.

 


A escola está localizada na Rua da Orquestra.  Antes de chegar até lá passei pela Rua do Compositor e depois me depareicom outros nomes, como Rua do Sabiá, Rua do Pianista, Rua do Gravador, Rua do Letrista e Rua do Cantor.

 

O próprio patrono da escola, Padre José Maurício Nunes Garcia, foi o mais importante compositor de música sacra da História do Brasil colonial.

 


 

 

Segundo informações do diretor adjunto, professor Francisco de Assis Souza, que já foi diretor geral da escola, tais denominações provém da época do surgimento dos conjuntos habitacionais, na administração do então governador Carlos Lacerda, do Estado da Guanabara, que procurava dar certa identidade aos conglomerados urbanos que foram surgindo a partir da década de 1960.

 

 

 

Placa de bronze da inauguração da E.M Padre José Maurício na administração do governador Carlos Lacerda, no então Estado da Guanabara.


 

 

Desde então, a população cresceu, as características rurais foram desaparecendo aos poucos, e a Escola Municipal Padre José Maurício, inaugurada no dia 3 de dezembro de 1964, teve o numero de matrículas ampliado, sendo uma das raras unidades escolares do município do Rio de Janeiro que ainda funcionam em três turnos.

 

 

 


Toda aquela região de Guaratiba, incluindo o sub bairro do Jardim Maravilha, carecede novas escolas, creches, espaços de educação infantil.   Conforme informações repassadas pelas diretoras Jaqueline dos Santos Muniz da escola Padre José Maurício e Margarete Rodrigues da escola Padre Carlos Henrique de Souza, a Prefeitura do Rio está atenta e preocupada com a situação, tanto que, o IPLAN Rio tem realizado visitas e inspeções, procurando áreas para novas construções além de estudar todas as possibilidades de reforma, ampliação e reconstrução dos prédios escolares existentes.

 
 

O prédio original da Escola Municipal Padre José Maurício, construído há quase meio século, destinava-se, inicialmente, aos alunos do antigo primário, mas hoje, além de turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental, há também outras do 6º, 7º e 8º anos.

 

Existe ainda uma turma de ensino especial para alunos deficientes auditivos.  A professora regente dessa turma, Elisabete Figueiredo Serrano, é auxiliada pelo intérprete Everton, vinculado à Associação dos Profissionais Tradutores e Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais do Rio de Janeiro, a APILRJ.


 

O prédio anexo, construído há dez anos, que inclui quatro salas de aula, dois banheiros e uma casa para morador, já se encontra pequeno diante do grande número de procura de matrículas.

 
 

Assis e Jaqueline informam que a Escola Municipal Padre José Maurício recebe adolescentes vindos de longe, inclusive da Ilha de Guaratiba, com um efetivo total que já chega a 876 alunos.

 



 

 

 

Assim como uma orquestra precisa de conjunto, harmonia, tonalidade e vibração para o sucesso da sua apresentação, também o trabalho da Escola Municipal Padre José Maurício, como de qualquer outra unidade escolar, requer a combinação de certos elementos que vão proporcionar os resultados almejados. No caso da escola em questão, a excelência na qualidade da educação.

 


Eis o caminho que vem sendo percorrido sob a liderança da diretora Jaqueline, que conta com o apoio do diretor adjunto Assis, com a dedicação e empenho da coordenadora pedagógica Marta Magalhães de Souza e de toda equipe escolar, composta por 22 professores e 14 funcionários.

 

Algumas professoras da Escola Municipal Padre José Maurício já trabalham na unidade há vários anos É o caso da professora Gardênia Alves de Almeida, que já foi diretora adjunta e atualmente trabalha como regente da turma 1401.

 


 

 

 

Acompanho a professora Gardênia, na saída dos seus alunos, ao final do primeiro turno, e tenho a felicidade de poder conhecer um pouco da dedicação daquela experiente educadora, que já está readaptada em uma das suas matrículas, mas ainda mantém vigor para dar a tonalidade certa na vibração tão necessária ao conjunto harmônico da orquestra simbolizada pela escola.

 


Sobre outros projetos existentes na Escola Municipal Padre José Maurício, como o “Realfabetização 2B”, o “Mais Educação” e o “Nenhuma Criança a Menos”, a coordenadora pedagógica, professora Marta Magalhães de Souza, faz um breve resumo.  Ela explica que todos têm como objetivo proporcionar aulas de reforço aos alunos com idades defasadas em relação aos anos de estudo.  Isto cria possibilidades para a permanência deles por mais tempo na escola, participando de oficinas e atividades atrativas a fim de que recuperem o tempo perdido.

 

Durante a minha visita, além dos professores já citados (Elisabete e Gardênia), outros mais merecem menção especial.  São eles: o professor de Artes Cênicas, Ricardo; a professora de Inglês Cintila, responsável pela criação e manutenção do Blog da escola; e a experiente professora Heleacir, que se destaca pela dedicação à turma 8401, buscando a correção idade/estudo, no Projeto Acelera.

 


 

 

O Padre Músico, José Maurício Nunes Garcia, considerado o maior compositor de música sacra do período de transição do Brasil Colonial para o Brasil Imperial, certamente aprovaria o esforço de todos da Escola Municipal que leva o seu nome.  Eles trabalham com o objetivo de promover um trabalho conjunto, harmonioso e vibrante, em busca de sintonia por uma educação de qualidade naquela região do bairro de Guaratiba.

 


Contatos: Professor Sinvaldo do Nascimento Souza, representante do Rioeduca na 10ª Coordenadoria Regional de Educação.
E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net

Twitter: @SinvaldoNSouza


 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 17/10/2012

Simpatia e Companheirismo na E. M. André Vidal de Negreiros

Tags: 10ªcre, peja, escola 3.0, patrono, evento, fórmula da vitória, ncm, mais educação.


 

 

“André Vidal de Negreiros” é o nome de uma das escolas municipais de maior visibilidade em Santa Cruz, 10ªCRE, com  alunos do 6º ao 9º ano,  vindos das comunidades do Rollas, Morro das Pedrinhas, Conjunto Antares, Cesarão, e Avenida João XXIII.

 

 

 

 

Mesmo quem não conhece  o bairro de Santa Cruz, já deve ter ouvido falar das comunidades Antares, Rollas e Cesarão, que são conjuntos habitacionais populosos, em território ocupado a partir da década de 1960, hoje consideradas áreas de permanente conflagração.

 

A grande procura de matrículas na Escola Municipal André Vidal de Negreiros tem a ver não só com o histórico anterior da unidade escolar que já foi considerada uma referência de qualidade na educação municipal em nossa cidade, mas também com a localização central, ao lado do único shopping do bairro, do centro comercial e das principais linhas de ônibus.

 

 A E.M. André Vidal de Negreiros funciona de segunda a sexta-feira, das 7 horas da manhã até as 22 horas.  Além de turmas no primeiro e segundo turnos, passou a funcionar, a partir do início deste ano letivo, no horário da noite, com o Programa de Educação de Jovens e Adultos, o PEJA.


Podemos dizer que é uma escola de efetivo numeroso; são 1.200 alunos matriculados, dezenove funcionários, cinquenta professores e mais a equipe da direção, composta pelo diretor Cristiano Vinicius Lago de Souza; Monique Onório, como adjunta, e Juliana Vaz da Costa, como coordenadora pedagógica.

 

O diretor Cristiano é professor de Educação Física e já lecionou na Escola Municipal Professor João Gualberto Jorge do Amaral, da 10ª CRE, onde aprendeu muito com o diretor Victor, conforme faz questão de ressaltar.  Ele vem cativando, gradativamente, os adolescentes ali matriculados, desde que assumiu a direção.

 

 Lidar com mais de mil adolescentes e pré-adolescentes não é tarefa muito fácil, mas tanto o diretor, como a sua diretora adjunta, Monique, e a coordenadora pedagógica conhecem bem a frase: “não se pega mosca com vinagre, e sim com mel”.

 

 


Companheirismo, simpatia, concessão de cuidados especiais, zelo, dedicação e muita paciência são atributos da direção e da maioria do corpo docente no contato diário com os alunos desta U.E.

 

 

 

 

 

 

 


Os resultados vão aparecendo mesmo com alunos vindos de comunidades tão divergentes, pois eles se ajustam às normas de boa conduta.  Com isso, a escola tem cumprido as metas da SME Rio e alguns resultados positivos começam a fluir, como, por exemplo, a concessão do prêmio anual de qualidade na educação, com professores e funcionários que trabalharam na escola em 2011, recebendo o 14º salário.

 


Neste ano de 2012, a Escola Municipal André Vidal de Negreiros conseguiu classificar 57 alunos para a segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática, incentivando ainda mais o estado de espírito de toda a comunidade escolar.

 


Para melhorar o desempenho dos alunos com conceito Insuficiente (I), a escola desenvolve dois projetos no contraturno: o “Mais Educação”, com diversas oficinas, incluindo letramento e matemática e o “Nenhuma Criança a Menos” (NCM), com reforço escolar direcionado aos alunos reprovados no ano anterior.

 


Segundo o diretor Cristiano, os estagiários têm colaborado bastante, auxiliando nas aulas do reforço.

 


A escola se destaca também nas aulas de Educação Física graças aos esforços e empenho dos professores e alunos, inclusive com a participação garantida nos Jogos Estudantis e a conquista de medalhas em várias modalidades.

 


Neste mês de outubro, terá início a uma campanha para conscientização das alunas sobre a gravidez na adolescência. O projeto, que vai incluir palestras, exibição de filmes sobre sexualidade, gincanas em parceria com postos de saúde, foi idealizado em razão do grande número de alunas gestantes, que, na maioria dos casos, abandonam os estudos.   Além de prestar informações sobre a gravidez na adolescência, o projeto pretende orientar as alunas para que não fiquem desamparadas no momento de ter o bebê.  Outra intenção do projeto é criar condições para que elas continuem estudando, evitando a evasão escolar.

 


O Projeto Político Pedagógico da U.E. recebeu o título de “A escola que temos e a escola que queremos: reconstruindo a identidade e reformulando conceitos e valores” e envolve toda a comunidade escolar.

 


No planejamento da “Sala de Leitura Maria Clara Machado”, as atividades alusivas à leitura aparecem em destaque na programação de todos os bimestres e inclui parceria com a comunidade escolar.

 


Como unidade que já está devidamente integrada ao sistema Escola 3.0, que tem cedido seu espaço para a capacitação de professores da 10ª CRE em oficinas sobre a Educopédia e Pé de Vento, a E.M André Vidal de Negreiros vem dando bons exemplos na utilização das novas tecnologias, contando com a colaboração dos alunos embaixadores da Educopédia.

 


No laboratório de informática, o diretor Cristiano apresenta com muita alegria e orgulho alguns dos ex-alunos da Escola Municipal André Vidal de Negreiros que, voluntariamente, retornam à escola para ajudar naquilo que é possível, inclusive auxiliando os colegas na realização de pesquisas.

 

 

A Escola Municipal André Vidal de Negreiros está mudando para melhor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


A simpatia e o companheirismo da equipe da direção são alguns dos fatores responsáveis pelos novos rumos que a escola vem tomando com o apoio dos professores e funcionários, o empenho dos alunos, a presença dos pais e responsáveis, além das diversas parcerias que estão sendo consolidadas na atual gestão administrativa.

 

 

 

 

Contato: Sinvaldo do Nascimento Souza, representante da 10ª Coordenaria Regional de Educação.
E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net Twitter: @SinvaldoNSouza


 

 

 

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 15/10/2012

Cinema tem tudo a ver com Educação

Tags: 10ªcre, cinema.

 


O  Tela Brasil chegou à Santa Cruz,  mostrando que é possível aproximar a Educação do Cinema. Centenas de alunos e professores das escolas da 10ª CRE participaram das oficinas e da programação cinematográfica.

 

 

 

O bairro de Santa Cruz, contando também com Sepetiba, já possuiu cinco salas equipadas para projeções de filmes. Na parte central de Santa Cruz havia, até a década de 1970, dois grandes e luxuosos cinemas: o Cine Fátima, que ficava no subsolo da igreja matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, e o Cine Palácio Santa Cruz, que deu lugar às atuais agências dos bancos do Brasil e Itaú, na Rua Felipe Cardoso.

 


 Atualmente, o cinéfilo que ama o cinema como arte ou forma de lazer precisa se deslocar até o West Shopping, no bairro de Campo Grande, ou seguir para o Recreio ou Barra da tijuca. Não há mais nenhum cinema em Santa Cruz.

 

Como cinema tem tudo a ver com educação e o filme, enquanto manifestação cultural, pode e deve estar presente nas atividades curriculares, foi muito feliz a iniciativa da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, de fazer parceria com o Programa Tela Brasil, trazendo para Santa Cruz os projetos “Cine Tela Brasil” e “Oficinas Itinerantes Cine Tela Brasil na Era Digital”.

 

Da esquerda para a direita: Eduardo Abad, coordenador da Oficina Tela Brasil para alunos; Luciana Coelho, produtora da Oficina e do Educativo Tela Brasil; Aneíze Borges, coordenadora do Projeto Tela Brasil na 10ª CRE; Érica Pinheiro, diretora do CIEP Papa João XXIII, onde foram realizadas as oficinas e projeções e Fabrício Borges, colaborador da Oficina para alunos.

 

 Aneíze Borges, Cristiane Ribeiro, produtora de campo e Rosa Raimundo, gerente da GED da 10ª CRE.

 

 

Rosa Raimundo, gerente de Educação da 10ªCRE (ao lado direito) com a diretora do CIEP Papa João XXIII, professora Érica Pinheiro, onde foram realizadas as oficinas e projeções do "Cine Tela Brasil".


A “sala” do cinema itinerante do “Cine Tela Brasil” foi instalada no CIEP Papa João XXIII, no conjunto habitacional do mesmo nome e vem contando com intensa programação desde o dia 17 de setembro, prolongando-se até o dia 5 de outubro.

 
A divulgação do projeto tem sido feita pelo correio eletrônico da Gerência de Educação da 10ª CRE e as escolas distantes do conjunto João XXIII contamcom ônibus para transporte dos professores e alunos inscritos nas oficinas ou apenas interessados na programação dos filmes.

 
Além do CIEP Papa João XXIII, inscreveram-se para os projetos do “Cine Tela Brasil”, as seguintes escolas e cieps: Sócrates Gâlveas. Manoel Porto Filho; Roberto Coelho, Zulmira Telles; Japão; Marinheiro João Cândido; Barão de Itararé; Dione Felisberto; Ismael Nery; Adalgisa Nery; Maria Helena Alves Portilho; Chico Mendes; Nelson Hungria; Joaquim da Silva Gomes; Eduardo Rabello e André Vidal de Negreiros.

 De acordo com a faixa etária dos alunos e o nível de ensino, foram relacionados os filmes mais adequados aos alunos.  A programação, também levando em conta tais critérios, pode ser definida no período das 8h:30 minutos da manhã até as 21 horas.

 Entre os filmes exibidos, constam: “Bicho de Sete Cabeças”, “Rio”, “A Turma da Mônica”, “Eu e meu guarda chuva”, “A máquina” e “As melhores Coisas do Mundo”.

 


De acordo com as informações do Portal Tela Brasil,  acessado pelo endereço http://www.telabr.com.br, o “Educativo”, que é um dos projetos do Tela Brasil, “fornece canais de aprendizado da linguagem audiovisual, contribuindo para que o professor utilize o cinema como ferramenta interdisciplinar e como meio para formar alunos mais criativos e atuantes, dentro e fora da escola.”
 

 Pelo Portal Tela Brasil, os professores também poderão obter materiais de apoio com sugestões de atividades para as disciplinas dos ensinos fundamental I, fundamental II e médio, além de inúmeros links com a História do Cinema no Brasil e no Mundo, Projetos, Oficinas, Notícias, informações sobre concursos e catálogo com contatos de produtoras, distribuidoras, salas de exibição, cinemas itinerantes, cineclubes, escolas de cinema e instituições ligadas ao universo audiovisual.

 

Nas duas fotos acima, professores e alunos aguardando a entrada no cinema e início da exibição do filme

 

Nossos agradecimentos às professoras Rosa Raimundo, Aneíze e Norma, da Gerência de Educação da 10ª CRE, pelo envio das fotos e parceria com o Rioeduca.

 

 

Contato: Professor Sinvaldo do Nascimento Souza, representante da 10ª Coordenadoria Regional de Educação da SME Rio
E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net
Twitter: @SinvaldoNSouza

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 10/10/2012

Festa da Alfabetização

Tags: 10ªcre, alfabetização, educação infantil.

 

O Dicionário Houaiss registra o substantivo feminino “festa” também como alegria e regozijo. Foi exatamente o que aconteceu na Escola Municipal Euclides Roxo, da 10ª CRE, por ocasião da assinatura do “Pacto Carioca pela Alfabetização”: uma celebração festiva para selar o compromisso de todos pela alfabetização.

 

Na foto acima, a professora Eni, da Turma de Educação Infantil EI-10, firmando a sua

assinatura no termo de compromisso do "Pacto Carioca pela Alfabetização".

 

Foi uma reunião da comunidade escolar daquele trecho da Estrada Roberto Burle Marx, em Barra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 


 Alunos, professores, funcionários, equipe da direção, e inúmeros pais e responsáveis estiveram presentes naquele momento muito especial na história da Escola Municipal Euclides Roxo.

 


 A escola tem a sua história muito antiga, a começar pelo próprio prédio principal, cujas paredes, portas e janelas parecem revelar segredos que não podem ser ocultados, pois se referem a temas importantes como escola, aprendizado, educação, cidadania, alfabetização...

 

 


 Se a história registra o conjunto de informações e conhecimentos relativos ao passado da Escola Municipal Euclides Roxo, ela também permite que o enredo e a narração dos acontecimentos possam avançar à medida que fatos novos se tornem realidade, como foi o dia da assinatura do “Pacto Carioca pela Alfabetização”.

 


 O pacto é compromisso assumido, firmado, e que começa a ser cumprido por todas as escolas da Rede Municipal de Educação da Prefeitura do Rio de Janeiro.

 


 Assinado solenemente, no dia 31 de julho de 2012, pela secretária de Educação da Cidade, Claudia Costin, o Pacto Carioca pela Alfabetização no 1º ano do Ensino Fundamental, faz parte do “Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa”.

 


 O Rio de Janeiro, mais uma vez, deu grande passo à frente no salto de qualidade na Educação.

 


 A Escola Municipal Euclides Roxo, que foi destaque na 10ª CRE, nos resultados do último Ideb (Índice do Desenvolvimento da Educação Básica), já vem trabalhando, há vários anos, com o compromisso da alfabetização na idade certa.

 

 


 Analisando o texto do Projeto Político Pedagógico e acompanhando de perto algumas das ações da Escola Municipal Euclides Roxo, dá para constatar a preocupação da direção, dos professores e de toda a comunidade escola no sentido de fazer com que os alunos da Educação Infantil estejam imersos em ambiente letrado e que, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental, todos estejam alfabetizados.

 


 O compromisso firmado pelos pais e responsáveis e assinado na reunião bimestral realizada no dia 4 de agosto de 2012, garante, na forma textual, a responsabilidade das famílias para que as crianças não faltem às aulas, como ponto fundamental para a alfabetização e também a obrigação quanto ao acompanhamento da vida escolar do aluno.

 


 A festa da alfabetização na Escola Municipal Euclides Roxo foi um importante acontecimento na história da comunidade de Barra de Guaratiba.

 


  As unidades escolares daquela região vêm se destacando no compromisso para reduzir a evasão dos alunos e melhorar cada vez mais os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb, e do Índice de Desenvolvimento da Educação do Rio de Janeiro (Ide-Rio).

 


Os resultados satisfatórios são as metas da SME alcançadas, garantindo aos professores e funcionários daquelas escolas, o recebimento do 14º salário como “Prêmio Anual de Desempenho”, como é o caso da E.M Euclides Roxo.

 

 

 

 

Contatos: Sinvaldo do Nascimento Souza, professor representante da 10ª Coordenadoria Regional de Educação (10ª CRE). E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net – Twitter: @SinvaldoNSouza

 

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share