A A A C
email
Todos os posts escritos por Suelen Corrêa
Retornando 55 resultados para o autor 'Suelen Corrêa'

Sexta-feira, 24/01/2014

O Trabalho do Professor Além da Sala de Aula...

Tags: 10ªcre.

 

O espetáculo musical “Cecilia em busca da fantasia”, da Companhia de Artes Cecilia Encena e idealizado por um Professor da Rede Municipal de Ensino, foi apresentado no dia 04/10 no Teatro da Cidade das Crianças Leonel Brizola para 400 alunos da 10ª CRE. O objetivo é aliar cultura, educação e cidadania.

 


Jayme Kamus é professor de história do CIEP Ismael Nery (10ª CRE), assim como também, professor das redes estadual e privada. Possui formação em Pedagogia e é pós-graduado em Artes Cênicas. Ele conta que a peça foi inspirada nos contos de fadas que sempre encantaram crianças, jovens e adultos em todas as épocas.

 

Professor Jayme Kamus, idealizador do espetáculo teatral.

 

A partir da concepção do professor Jayme, o espetáculo foi produzido por um colega da profissão: o professor da Rede Estadual de Ensino Peterson Soares (professor de Matemática, escritor e produtor musical). A peça tem duração de aproximadamente 70 minutos e apresenta 14 atores e 12 coreógrafos no palco.

 

 

A Cia de Artes Cecilia Encena é pioneira na região e tem quase uma década de existência. Já contou com mais de 500 jovens e adultos na sua equipe ao longo de sua caminhada. Localizada em Sepetiba, a Cia conta com uma equipe de aproximadamente 60 pessoas distribuídas em variadas funções: Elenco, coreografia, figurinistas, contrarregras, cenógrafos, técnicos de áudio e som, assessores de imprensa e alguns responsáveis de apoio que auxiliam na produção, promoção e realização dos espetáculos. Esta Companhia é administrada por Sandra Frazão (professora de Matemática da rede privada) e conta com o apoio de Jefferson Guedes (produtor executivo).

 

Companhia de Artes Cecilia Encena, no Teatro da Cidade das Crianças Leonel Brizola.

 

O elenco da Companhia Teatral.

 

A história criada por Jayme baseia-se nos contos infantis. No texto cênico de Jayme, os vilões dos contos infantis resolvem dominar o mundo da fantasia, porém a fada Sininho (que está no grupo dos vilões como espiã) descobre o plano e conta para a Rainha Cecilia, que esta escondida se fortalecendo depois da última batalha contra a bruxa Karina.

 

Já no mundo real, Cecilia e Sininho precisam encontrar, antes dos vilões, as personagens das histórias infantis que decidiram vir para cá arrumar um emprego e começar uma nova vida, porque passam a achar que as crianças por não lerem mais suas historinhas se esqueceram delas. No fim de tudo, os vilões capturam as personagens das histórias infantis, a Rainha Cecilia e retornam para o mundo da fantasia. Para provar que as personagens infantis não foram esquecidas, as crianças da plateia são convocadas a participarem da peça para ajudar a “destruir” a Bruxa Karina. E assim dá-se o tão esperado final feliz!

 

Algumas cenas do espetáculo sendo apresentadas:

 

 

 

Alunos interagindo com os atores e assistindo ao espetáculo teatral.

 

Ao término da apresentação, os alunos interagem com os atores, discutindo aspectos entre o bem e o mal, heróis e vilões.

 

Um momento que ficará eternizado na vida desses alunos que tiveram a oportunidade de vivenciar cultura e educação, na construção de um mundo melhor.

 

Suelen Corrêa

é Professora da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ªCRE

 

Contato:

suelencorrea@rioeduca.net
twitter: @suelencorrea29

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 17/01/2014

A Botija de Ouro

Tags: 10ªcre.

O CIEP 10.19.202 Ismael Nery, localizado em Santa Cruz, pertence à décima Coordenadoria Regional de Educação e presta atendimento aos alunos do 1º ao 9ª ano, PEJA e Projetos Estratégicos (Realfabetização, Aceleração).


Hoje, vamos justamente retratar uma atividade desenvolvida pela Professora Aline Mendel.


Aline é professora de Língua Portuguesa e se encantou com a proposta do Projeto Estratégico. Pelo segundo ano consecutivo, assumiu uma turma do Projeto de Realfabetização, no qual são trabalhados conteúdos integrados que corrigem a distorção de fluxo de idade/série dos alunos.

 

Professora Aline Mendel apresentando o livro "A Botija de Ouro".


Como método de ensino, Aline utiliza não só a interdisciplinaridade, mas também a integração com valores que ultrapassam os muros da Unidade Escolar e que contribuem para a formação de cidadãos conscientes e politizados.


O trabalho com o livro "A Botija de Ouro", de Joel Rufino dos Santos, foi desenvolvido entre os dias 23 de setembro e 4 de outubro, como parte de vários eventos promovidos pela escola, já em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro). As turmas envolvidas na execução do trabalho foram 8301 (Realfa 2B / Fórmula da Vitória) e 1602.

 

Alunos confeccionando a Botija.

 

Alunos confeccionando a Botija.

 

Alunos apresentam a botija, após sua confecção.


Um detalhe que vale a pena ressaltar é que todas as atividades que Aline produz com a turma são divulgadas pelos próprios alunos. Assim, os trabalhos são conhecidos por toda a comunidade escolar. E no dia da culminância (exposição dos trabalhos desenvolvidos), todos participam.


A culminância do Projeto "A Botija de Ouro” se deu com a confecção de botijas pelos alunos, feitas com balões de festa e jornal. As botijas produzidas foram expostas no corredor do colégio.

 

Botijas produzidas pelos alunos.

 

Alunos da turma apresentando o material para os demais alunos da Unidade Escolar.

 

Objetivando a valorização da identidade do educando ao longo de todo o semestre, estão sendo trabalhados diversos livros infantis e infanto-juvenis de literatura afrodescendente, tais como Chica da Silva, de João Pedro Roriz, e Mandela: O africano de todas as cores, de Allain Serres. Nesse sentido, A Botija de Ouro foi utilizada como ponto de partida para a temática. Por isso, ao longo do trabalho, vários aspectos do legado afro foram destacados, haja vista serem elementos relevantes na composição da cultura brasileira. Assim, vídeos, textos e músicas serviram de motivação para tratar de importantes contribuições que o povo africano trouxe ao Brasil: a música, a dança, a culinária e a língua.

 

Suelen Corrêa é professora da rede municipal
e representante do Rioeduca da 10ªCRE

Contato:

suelencorrea@rioeduca.net
twitter: @suelencorrea29

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/01/2014

A Escola Municipal Mário Lago visita o CCBB

Tags: 10ªcre.

 

Em agosto, os alunos da Escola Municipal Mário Lago foram contemplados com a visita ao Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), onde está concentrada uma gama de conhecimentos sobre a história do Banco do Brasil e da Cidade do Rio de Janeiro.

 

A Unidade Escolar, pertencente à 10ª Coordenadoria de Educação (10ª CRE), está localizada no bairro de Manguariba e atende alunos do 1º ao 6º ano e da Classe especial.

 

Alunos visitando o CCBB.

 

O Centro Cultural contém o programa CCBB Educativo, que realiza visitas mediadas e atividades relacionadas às exposições e à história do CCBB.


Neste mês, no Centro Cultural, os alunos participaram de ações educativas relacionadas à exposição "Da Vinccis do Povo", do artista chinês Cai Guo-Qiang que, atualmente, vive nos Estados Unidos.


A exposição mostra o desenvolvimento das obras desse artista que, para desenvolver suas obras, nunca trabalha sozinho. Como técnica, ele utiliza pólvora e estêncil para elaborar suas obras de arte através da explosão e com a participação de muitos voluntários.


Nessa exposição, além de conhecerem as obras criadas pelo artista, todos puderam conhecer a coleção pessoal de obras adquiridas por Cai Guo-Qiang, que contém obras de artistas camponeses que um dia sonharam em voar.


Os alunos realizaram atividades de laboratório.

 

Espaços da Exposição no CCBB.

 


Dentre as atividades realizadas no laboratório, os alunos aprenderam a usar o estêncil (do inglês stencil), que é uma técnica utilizada pelo artista. Com o objetivo de aplicar um desenho ou ilustração, que pode representar um número, letra, símbolo tipográficos ou qualquer outra forma de imagem figurativa ou abstrata, a tinta é aplicada através de corte ou perfuração em papel ou acetato.


Outra atividade desenvolvida pelos alunos foi a Técnica de Mozarts do Povo, no projeto “Musicando”. O objetivo era escrever uma frase relacionada à exposição e criar uma melodia para ela, utilizando vários instrumentos.


A visita ao espaço foi de grande importância para a aplicação de conceitos trabalhados em diversas disciplinas que fazem parte do currículo do Ensino Fundamental.


Os professores das disciplinas de História, Ciências e Geografia puderam aproveitar os conceitos da evolução da tecnologia, os contextos socioeconômicos e históricos, além do uso de várias técnicas que trabalham o raciocínio.


É, também, uma oportunidade dos alunos entrarem em contato com o Centro do Rio de Janeiro, pois muitos deles ainda não tiveram a oportunidade de passar por um lugar tão importante e repleto de construções antigas e memórias de acontecimentos históricos ocorridos no Brasil.

A professora responsável pelo Projeto na Unidade Escolar é Micheli Pires da Silva, regente nas turmas de 6º ano na disciplina de Ciências.

 

Alunos participando das atividades no CCBB.

 


Além dessa, outras exposições do CCBB já foram visitadas pelos alunos da Unidade Escolar, contemplando diversos anos de escolaridade, tais como as exposições: “Movie-se – Nos tempos da animação” e “ELLES – Mulheres artistas”.
 

 

Suelen Corrêa

é professora da rede municipal

e representante do Rioeduca da 10ªCRE

suelencorrea@rioeduca.net

twitter: @suelencorrea29

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 03/01/2014

Trajetória da Meralina

Tags: 10ªcre.

A E. M. Meralina de Castro, da 10ª CRE, realizou muitos projetos no decorrer de 2013 a partir do seu Projeto Político Pedagógico, envolvendo todos da Unidade Escolar. 

 


Um pouquinho da história da Unidade Escolar


A Escola Municipal Meralina de Castro está localizada na Rua Cravolândia, Lote 2, nas proximidades do terreno onde ficava o antigo Palácio Real e Imperial de Santa Cruz, hoje ocupado pelo Batalhão Escola de Engenharia, do Exército.


O Projeto Político Pedagógico “Uma perspectiva de Identidade no Exercício da autonomia”, tem como meta preparar para o exercício da cidadania visando uma sociedade mais justa e igualitária.

 

A Escola tem seu nome em homenagem à Professora Meralina de Castro, de expressiva e dedicada atuação ao magistério em toda a região da atual Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Meralina deixou ótimos exemplos de devoção e manifestação de amor às crianças e adolescentes, transmitidos aos alunos e professores mais jovens, incluindo os seus descendentes, como é o caso da professora Eliane de Castro Atallah Rebelo, bisneta da patronesse, que trabalhou durante muitos anos nas Escolas Municipais Joaquim da Silva Gomes, Sócrates Gâlveas, Manoel Porto Filho e Professora Dione Freitas Felisberto de Carvalho.

 


 

 Professora Meralina de Castro.

 

Fundada em 4 de dezembro de 1964, a escola possui um total de 410 alunos e atende da Educação Infantil ao Ensino Fundamental, e tem como gestores: Sônia Marisa (Diretora Geral), Roseli Macedo (Diretora Adjunta) e Dilma Lopes (Coordenadora Pedagógica).

 

Placa da fundação da Unidade Escolar.

 

Sônia Marisa (Diretora Geral), Dilma Lopes (Coordenadora Pedagógica),

Roseli Macedo (Diretora Adjunta). 

 

O Projeto Pedagógico prima pela construção de cidadãos autônomos que valorizem as raízes históricas e culturais. Sendo assim, o papel da Escola como divulgadora de cultura é de suma importância para que sejam reforçados e resgatados valores e tradições, buscando pesquisar com os alunos as diferenças culturais encontradas em nosso país, incentivando a valorização desta pluralidade.

 

Alguns Projetos desenvolvidos

 

Copa das Confederações:

 

A Escola Meralina de Castro, antenada com todos os acontecimentos atuais, promoveu debates e pesquisas, não somente sobre a Copa das Confederações, mas incluiu temáticas que produziram nos alunos uma consciência de que todos devem participar para construir um país campeão também nos aspectos sociais, ressaltando a importância do papel de cada um, pois as mudanças da realidade começam com mudança do indivíduo.

 

Foi realizado também um pequeno torneio de futebol, organizado pela professora de Educação Física Aline, em que todos os alunos tiveram a oportunidade de criar e consolidar laços de amizade e compreender melhor os parâmetros de competitividade e cooperação, além de se destacar a importância do esporte como instrumento de inclusão e de seus benefícios para a saúde da mente e do corpo.

 

Atividades desenvolvidas com o tema "Copa das Confederações".

 

* Dia do Meio Ambiente

 

No dia 5 de junho comemora-se o Dia do Meio Ambiente. Essa data foi escolhida em 1972, quando foi realizado pela ONU um encontro com o objetivo de tratar de assuntos ambientais. O encontro ficou conhecido como Conferência das Nações Unidas. Estavam presentes na conferência 113 países e 250 ONG's que buscaram, reunidos, soluções para a degradação que o ser humano tem causado no Planeta.


Nossa Escola prima sempre pela formação integral de seus educandos. Dessa forma, a temática ambiental está sempre presente e em destaque em nosso currículo, objetivando formar cidadãos conscientes e uma geração que busque um modo de vida sustentável. É importante ressaltar que, com a modernidade e o consumismo contemporâneo, os prejuízos ambientais têm se tornado maiores.

 

O desmatamento, a diminuição da água potável, a destruição da camada de ozônio, o acúmulo de gases estufa, a redução da biodiversidade, a extinção de animais e espécies vegetais são assuntos que devem ser tratados na escola com alunos de todas as idades, pois quanto mais cedo for formada essa consciência, mais consolidados estarão os conceitos de respeito à natureza e a vida em geral.

 

Toda a comunidade deve ser incluída nessa conscientização. Os vizinhos, responsáveis e toda a comunidade têm participado de eventos com a temática ambiental, para que possamos buscar mudanças na visão e no comportamento de todos.
 

 

Atividades desenvolvidas sobre o Meio Ambiente.

 

* Visita ao 15º Salão do Livro

 

O incentivo ao prazer pela leitura é constante e, no Projeto Pedagógico, os professores primam por valorizar o uso de diversos tipos textuais, buscando formar uma geração de leitores capazes de selecionar, apreciar, interpretar e produzir textos de qualidade.


No dia 13 de junho, os alunos tiveram a oportunidade de visitar o 15º Salão FNLIJ do Livro para crianças e jovens, realizado no Centro de Convenções Sulamérica. É um dos eventos literários mais importantes do país e totalmente voltado ao público infantil e juvenil; 85 estandes, sendo 71 editoras tiveram exposição de obras, com foco na literatura infanto-juvenil.

 

As crianças puderam participar de rodas de conversa com os principais escritores e ilustradores. Acompanharam atentas a leitura de histórias (realizada pelos próprios autores) e mergulharam totalmente no universo da leitura. Todos os alunos e professores que participaram do evento receberam um livro de presente, como forma de despertar o hábito da leitura.

 

Visita ao 15º Salão do Livro.

 

Assim, envolvendo toda a comunidade escolar e desenvolvendo projetos que cativem a participação dos alunos, a Unidade Escolar tem sido um exemplo pedagógico de iniciativa e criatividade.

 

Parabéns aos Gestores!

Parabéns aos Professores!

Parabéns a toda Comunidade Escolar!

 

Suelen Corrêa
é professora da rede municipal de ensino e
representante do Rioeduca da 10ª CRE

 

Contatos:
suelencorrea@rioeduca.net
twitter: SuelenCorrea29

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share