A A A C
email
Todos os posts escritos por Taís Ferraz Duarte
Retornando 50 resultados para o autor 'Taís Ferraz Duarte'

Quarta-feira, 06/11/2013

Pesquisa x Plágio Escolar

Tags: professor, mídia.

 

A velocidade com que as informações chegam até os jovens nos dias de hoje otimizam o tempo e facilitam a pesquisa em sites na internet.



É importante que o professor oriente os alunos esclarecendo que a tecnologia e a internet oferecem grandes oportunidades de enriquecimento, compartilhamento de ideias e opiniões, download de livros e imagens à serviço de quem acessar.

 

Em sala de aula, cabe ao professor a orientação quanto ao uso da internet para que a atividade proposta seja realmente considerada uma pesquisa e o trabalho final não represente simplesmente uma cópia, ou seja, um plágio.

 

Aluna utilizando a internet através do netbook em parceria com o material escrito.


Segundo a Wikipedia: "O plágio é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autor original. No ato de plágio, o plagiador apropria-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria da mesma".

 

Inevitavelmente podem ocorrer transcrições de trechos para o material que está sendo produzido sem que sejam dados os devidos créditos ao autor. Isso pode acontecer devido à falta de conhecimento e orientação, não podendo, dessa maneira, ser considerado “plágio de má fé”, mas precisa ser esclarecido que trata-se de uma ação errada.

 

O plágio escolar é cada vez mais percebido pelos professores nos trabalhos dos alunos do Ensino Médio e Superior e constitui crime.

 

Fonte: http://educador.brasilescola.com/orientacoes/plagios-no-ambito-escolar.htm.

 

Algumas ações desenvolvidas pelo professor devem estimular a pesquisa, a comparação de textos, levando-os à reflexão, sendo capazes de chegar as suas próprias conclusões e redigindo textos de sua autoria, tais como:

 

  • pesquisar em mais de um site;
  • comparar opiniões - existem informações equivocadas na internet e até mesmo erradas;
  • esclarecimento quanto ao plágio;
  • regras e normas para citações;
  • objetivos claros quanto ao que se pretende com a pesquisa e planejamento;
  • disponibilizar tempo suficiente para execução da pesquisa e eventuais dúvidas que poderão surgir no decorrer do processo até a entrega final.

 

Fonte: http://educador.brasilescola.com/orientacoes/plagios-no-ambito-escolar.htm.

 

Uma pesquisa mal orientada na vida escolar pode se tornar um hábito, um vício que só trará como único prejudicado o aluno, que estará se privando do conhecimento, do desenvolvimento enquanto cidadão crítico.

 

As teclas Crtl+C e Crtl+V enquanto atalhos são funcionais, mas não podem substituir a capacidade de leitura, análise e criação dos nossos alunos.

 

Estimule seu aluno a ser um grande pesquisador!!

 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/10/2013

Monitoria em Sala de Aula

Tags: professor, saladeaula.

O trabalho de monitoria desenvolvido pelo professor em sala de aula em parceria com os alunos tem como principal objetivo facilitar o processo de ensino-aprendizagem, auxiliando a relação professor-aluno e desenvolvendo atitudes cooperativas.

 

Buscando o atendimento dos alunos dentro das suas diversidades em sala de aula, o trabalho de monitoria visa desenvolver e estimular tanto os alunos monitores quanto aqueles que são atendidos pela monitoria paralelamente ao trabalho do professor.

 

Independentemente da disciplina que se propõe à prática da monitoria, é fundamental levar em consideração o planejamento e o estabelecimento de objetivos claros e específicos, que devem ser discutidos com a turma. Para a escolha dos monitores, vários aspectos devem ser considerados, dentre eles: maturidade, conhecimento do conteúdo e abordagem clara para com os colegas.

 

 

Atividade de monitoria em Matemática realizada pela aluna com a supervisão da professora.

 

As atividades de monitoria devem ser gradativamente introduzidas na rotina escolar, pois, se mal planejadas e mal orientadas, podem trazer resultados inesperados e aquém das expectativas e dos objetivos propostos.

 

A escolha de monitores precisa ser feita com cautela, pois, além de dominar o conteúdo, os alunos precisam desenvolver certa maturidade para a compreensão de que o trabalho deles é ajudar e orientar, e nunca fazer o trabalho para o colega!

 

 

Alunos da E. M. Vice-Almirante Paulo de Castro envolvidos em atividades colaborativas.

 

Não existe “receita pronta”, regras a serem seguidas pontualmente para que esse tipo de prática funcione.

 

O professor tem que levar em conta a realidade de sua turma e em que momento a monitoria o auxiliará.

 

Cuidados para que se tenha sucesso:

  • maturidade; 
  • prontidão;
  • definição de quais conteúdos necessitam de reforço e se os alunos escolhidos estão aptos;
  • criação de grupos pequenos para serem monitorados rendem mais;
  • orientação e “monitoramento” dos monitores;
  • rodízio entre os monitores, procurando contemplar as diversas áreas do conhecimento;
  • uma vez introduzida a prática, que se torne uma constante;
  • feedback à equipe pedagógica sobre as atividades desenvolvidas, os resultados, apresentando os aspectos positivos e os negativos que deverão ser analisados com propostas de mudanças.

 

As atividades de monitoria favorecem a interação, criam vínculos, estabelecem confiança entre professor e alunos e, principalmente, entre os próprios alunos.

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 23/10/2013

Fique Ligado no SkyDrive

Tags: professor, mídias.

 

O Skydrive é um serviço (software) de armazenamento de arquivos em nuvens da Microsoft, que permite guardar arquivos na internet de maneira pública ou privada.

 

Através da conta de e-mail Rioeduca, você pode ter acesso ao SkyDrive, bastando para isso acessar com mesmo login e senha. 

 

É importante lembrar que desde o dia 30 de agosto vem ocorrendo a migração do e-mail Rioeduca, que agora é acessado através do endereço http://mailoffice365.com

 

 

Mais informações em: Rioeduca - Programa e Ações.

 

 

O Skydrive é um serviço que visa facilitar o acesso e o compartilhamento de arquivos sem a necessidade destes estarem em um pendrive, ou termos que necessariamente, carregar nossas máquinas.

 

Com o Skydrive, os arquivos ficam armazenados em nuvens podendo ser acessados através de qualquer computador com acesso à internet.

 

Assista ao vídeo tutorial: Como usar o SkyDrive.

 

 

Trata-se de uma ferramenta de utilização simples que possui três pastas: documentos, imagens e públicos. O usuário também pode criar outras pastas.

 

Uma opção interessante é o compartilhamento dos arquivos (fotos, documentos, planilhas) do SkyDrive com qualquer outra pessoa, através da opção “públicos”.

 

Há também a possibilidade de sincronizar os seus arquivos existentes no computador, laptop, tablet e até smartphone com a nuvem através da instalação do software nos aparelhos.

 

 

Sincronização dos arquivos de computadores, tablets e smartphones para SkyDrive.

 

Experimente o SkyDrive! Maior facilidade na sincronização de seus projetos, planejamentos, provas e exercícios, com acesso via web!

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 16/10/2013

Conectado nas Nuvens

Tags: professor, mídias.

A computação em nuvens (do inglês: "cloud computing") é uma tendência recente da tecnologia que vem crescendo e conquistando adeptos. Para a utilização e o acesso às "nuvens”, você só precisa de um navegador e de acesso à internet, podendo assim armazenar arquivos fora do seu computador.

 

Certos de que a tecnologia de serviços de dados chegou para ficar, devemos buscar informações e nos atualizar quanto ao seu uso, lançando mão de seus benefícios.

 

Em sala de aula não seria diferente.

 

Muitas vezes pode assustar por ser mais uma novidade a ser aprendida. Porém, a  incorporação e utilização da "computação em nuvem" nas tarefas pessoais e profissionais otimiza o tempo e facilita o acesso a arquivos.

 

 

 

Caso se necessite ter acesso a algum documento, planilha, imagem, foto ou até vídeo, com a tecnologia em “nuvens”, isso será possível.

 

De maneira prática, as "nuvens” facilitam o acesso aos arquivos que foram salvos e que estão disponíveis na web e não no disco rígido do computador.

 

É a facilidade e a possibilidade de acessar arquivos independentemente do lugar que esteja. Desde que exista conexão com internet e que estes sejam armazenados em um dos aplicativos como: Dropbox, Google Drive ou Skydrive, entre outros existentes.
 

 

Através do Dropbox, Google Drive ou Skydrive você poderá acessar arquivos através de outro computador.

 

Dessa maneira, pesquisando, trocando e procurando experimentar, a "computação em nuvens" é mais uma tecnologia que pode auxiliar o professor no planejamento das aulas, feedback com os demais colegas e auxiliar os alunos na sua utilização através da troca e compartilhamento de informações, conteúdos, atividades e trabalhos.

 

Veja mais em Revista Nova Escola5 respostas para você começar a usar a computação em nuvens.

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: 
taisduarte@rioeduca.net

 

 


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share