A A A C
email

Quinta-feira, 11/04/2019

Escola Municipal Alzira Araújo - 9ª CRE

Tags: 9ºcre, ginásio carioca, esportes, basquete.

 

Atletismo e basquete transformam escola em Campo Grande 

 

A Escola Municipal Alzira Araújo, localizada na rua Ari Lobo, n° 430, no bairro Adriana em Campo Grande, dispõe de duas quadras: uma coberta, com ampla arquibancada e outra descoberta, que fora recém reformada com recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE- Qualidade). Criado em 1995 pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o programa tem por finalidade prestar assistência financeira às escolas, em caráter suplementar, a fim de contribuir para manutenção e melhoria da infraestrutura física e pedagógica. 

 

 

Equipe gestora da escola

 

 

Assim que assumiu a Direção da escola, a professora Simone Pralon de Oliveira percebeu a vocação dos estudantes para a prática esportiva e não pensou duas vezes: fez da vocação natural o princípio filosófico e pedagógico que norteiam a Unidade de Ensino. A equipe gestora, com o apoio dos professores e da comunidade local, investiu pesado na proposta e construiu uma pista de atletismo onde os alunos já dão os primeiros passos sob a orientação da professora Carla Faleiro.

 

 

Discentes treinando sob o olhar atento da professora

 

 

O projeto NBAA (Novo Basquete Alzira Araújo), sob o comando do professor Rafael Andrade, acontece durante as aulas regulares de Educação Física. O objetivo do projeto é possibilitar ao aluno uma maior vivência desta modalidade olímpica, através da aprendizagem das regras que norteiam o desporto, assim como o desenvolvimento de técnicas e habilidades básicas. Paralelo a isso, o estudante começa a ganhar autonomia e melhorar o rendimento dentro de sala de aula. O nome NBAA foi pensado como uma forma de criar um link entre a maior liga mundial de basquete da atualidade e a identidade da UE, possibilitando assim um maior estímulo à prática desta modalidade esportiva. As primeiras aulas do ano letivo de 2019 já mostram como profissionais dedicados transformam a unidade, possibilitando que os alunos sonhem e alcancem seus objetivos de vida.

 

 

 

Alunos treinam com o professor Rafael Andrade

 

 

O Projeto Político Pedagógico da unidade lança mão da prática esportiva como estímulo da cognição, desenvolvimento das habilidades psicomotoras e socialização. Certamente, serão grandes talentos em nossa escola. A cada dia usamos mais vezes e falamos mais alto nosso lema: "orgulho de ser Alzira", afirma a gestora Simone Pralon.

 

 

Para saber mais sobre a Escola Municipal Alzira Araújo:

Direção Geral: Simone Pralon de Oliveira
Direção Adjunta: Marcia Andreia Mendonça de Carvalho 
Coordenação Pedagógica: Lorena Lopes da Fonte
Telefone: 3394-1961
Email: emaaraujo@rioeduca.net

 

 


Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 

Contato para publicações

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 10/04/2019

Escola Municipal Antônio Bandeira - 8ª CRE

Tags: 8ªcre, sustentabilidade, reciclagem, artes.

 

A Escola Municipal Antônio Bandeira apresentou aos alunos o conceito de sustentabilidade em consonância com a criatividade e o lúdico. Os alunos criaram fantasias e adereços com materiais recicláveis. No dia do baile de carnaval, realizado na escola, cada um queria apresentar a sua fantasia e falar sobre o seu processo criativo.

 

 

 

Aluna Giulia de Jesus Oliveira, da Turma 1502 na E.M. Antonio Bandeira

 

 

No ano de 2018, a Escola Municipal Antônio Bandeira iniciou o PROJETO SAPOLÊ. A primeira iniciativa da proposta estava pautada na formação de leitores tanto na escola, como em toda a comunidade do Sapo, no bairro de Senador Camará.

No atual ano letivo, a E.M. Antônio Bandeira iniciou outra etapa do projeto com novos desafios e propostas, pois além de promover a leitura, a equipe pedagógica tem como objetivo levar os alunos à uma séria reflexão e a uma tomada de postura em relação ao futuro do nosso planeta.

Com o tema "Formando Grandes Leitores para a Construção de um Futuro Sustentável", a Escola Municipal Antônio Bandeira planeja uma série de ações para a conscientização de seus alunos, a fim de que possam se tornar cidadãos atuantes na comunidade em que vivem.

A apropriação da leitura como meio de construir saberes para um posicionamento crítico é o que a escola pretende construir com cada aluno.  

 

Alunos preparando os materiais recicláveis para a realização da Oficina de Fantasias e Adereços

 

 

Dando início às ações de 2019, os alunos foram levados a refletir e buscar alternativas para as questões ambientais.

O protagonismo juvenil, a autonomia e o senso de responsabilidade coletiva pautaram as discussões que foram propostas aos alunos e funcionários da Unidade Escolar.

A reciclagem foi um dos temas mais abordados, visto que o lixo é um dos grandes problemas da sociedade moderna. O descarte cada vez maior de materiais na natureza e também o acúmulo de lixo próximo às residências foram apontados como fatores de risco ao bem estar e à saúde dos moradores das grandes cidades.

Nesse contexto, os alunos da E.M. Antônio Bandeira não só falaram sobre reciclagem, eles colocaram o conceito em prática!

No baile de carnaval, que aconteceu no dia 28 de fevereiro, os estudantes criaram todas as fantasias e adereços a partir de materiais reciclados.

Sacolas de plástico, caixa de ovos, papelão, garrafas pet, rolinhos de papel higiênico e outros materiais foram transformados em matéria prima. Os alunos se organizaram em grupos para selecionar, preparar e criar as fantasias, que foram o ponto alto do Baile de Carnaval da escola.
 

 

 

 

Alunos apresentando as fantasias produzidas com materiais recicláveis

 

Outras ações já estão em andamento no PROJETO SAPOLÊ na E.M. Antônio Bandeira, pois a equipe acredita que uma escola viva deve ser dinâmica, criativa e estar ligada à todas as demandas sociais.

 

“A escola segue plantando sonhos na Comunidade do Sapo, em Senador Camará, fazendo da Educação uma poderosa arma contra as desigualdades e mostrando aos nossos alunos e suas famílias que mesmo com escassez de recursos podemos fazer a diferença, pois acreditamos e lutamos por uma Educação Pública de qualidade!” - Professora Maria de Fátima Borge

 

 

 

O Rioeduca parabeniza aos alunos e professores da E.M. Antônio Bandeira!

 

 

 

Alunos da E.M. Antônio Bandeira no desfile realizado no Bailinho de Carnaval da unidade escolar

 

 

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui: SAPOLÊ 

 

 

Escola Municipal 08.17.029 Antônio Bandeira

End.: Est. Engenheiro Humberto Bandeira Melo - Senador Camará

Email: embandeira@rioeduca.net

Tel.: 2404-5624

Diretora Geral:Elisangela Bittencourt

Diretora Adjunta: Cristiane de Miranda

Coordenadora Pedagógica: Célia Regina  Vimercate

Professora Regente de Sala de Leitura: Sanydier Barreto

 

 

 

 

Entre em contato com o representante da sua CRE e participe do Rioeduca!


 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 10/04/2019

Escola Municipal Hélio Smidt - 3ªCRE

Tags: 3ªcre, leitura, sala de leitura.

 

A leitura é uma das mais importantes formas de interação com o mundo. Por esse motivo, a Escola Municipal Helio Smidt iniciou, em 2019, o trabalho da Sala de Leitura proporcionando diferentes mundos, encontros e leituras. Confira! 

 

 

 

 

Incentivar o hábito da leitura desde a infância é fundamental, pois através dela desenvolvemos a capacidade de formar cidadãos ativos, conscientes e críticos. Nesse contexto, é papel da escola fomentar a leitura desde a Educação Infantil, dando continuidade no Ensino Fundamental e Ensino Médio, de forma que a complexidade dos textos seja aumentada de maneira gradativa.  

  

 

 

 


 

Cabe a educação resgatar o repertório que toda criança possui e que adquiriu através de suas experiências, além de apresentar diversas manifestações, culturas e conhecimentos.


A leitura como ferramenta pedagógica desperta o interesse por meio da interação com o imaginário do leitor, assim como, traz possibilidades de uma visão mais ampla sobre a sociedade.
 

 

 

Pensando nisso, a professora de Sala de Leitura da Escola Municipal Helio Smidt realizou o primeiro encontro literário de 2019.

 

"Fiz a inscrição dos alunos que gostariam de participar e nos reunimos para escrever poesias. No primeiro momento, conversamos sobre nossas memórias poéticas e em seguida as crianças escreveram suas próprias poesias. No segundo momento, convidei o autor Matheus Seixas para uma entrevista com o grupo." relata a professora da Sala de Leitura, Ana Cristina Pimentel Machado
 

 

 

 

Ainda segundo a professora Ana:


"No dia marcado para o encontro com o autor, selecionamos algumas perguntas a serem feitas. Matheus foi brilhante nas respostas e ficou emocionado com o interesse das crianças. A maioria delas pediu a opinião dele sobre seus registros e ouviram atentas ao poeta. Duas alunas, Hellen (5º ano) e Maria Clara(6º ano) recitaram suas poesias para o grupo. Foi um dia de muito aprendizado e que, certamente, ficará no imaginário dos alunos e leitores."
  

 

 

 

Quer saber mais sobre esse trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.
E/CRE (03.13.034) E. M. Helio Smidt
Diretora: SHEYLA REGINA FERNANDES PEREIRA DA SILVA
E-mail: emhsmidt@rioeduca.net
Telefone: 3273-5131

 

 

 

 



   
           



Yammer Share

Terça-feira, 09/04/2019

Escola Municipal Leonel Azevedo - 11ª CRE

Tags: 11ªcre, laboratório de ciências, produção de texto, gênero textual, ciências.

 

A Ciência como ferramenta no desenvolvimento da leitura e da escrita

 

A professora Renata Rodrigues, que atua no 5º ano da Escola Municipal Leonel Azevedo (11.20.015), vem desenvolvendo um projeto, que engloba experiências e atividades educativas como ferramenta para desenvolvimento da leitura, compreensão e escrita. O projeto chama-se Leitura e Escrita como Ciência.   

 

 

A professora iniciou o projeto, apresentando, para os alunos, imagens relacionadas às experiências que eles iriam realizar

 

 

Segundo a professora, o projeto consiste em vivenciar uma experiência ou atividade de cunho científico ou cultural. A partir dessa vivência, os alunos elaboram um texto coletivo, fazem uma cópia relacionada com a experiência ou simplesmente relatam no papel o que aprenderam, possibilitando assim, o desenvolvimento da escrita e da leitura. Além disso, o exercício é uma forma dos alunos colocarem no papel uma percepção nova do mundo. 

 

 

Alguns dos materiais utilizados pelos alunos

 

 

Através das experiências realizadas em sala de aula, a educadora fomenta a expressão escrita, a curiosidade, o saber, o senso investigativo, a observação e o prazer em aprender a realidade,agregando novos conhecimentos, ainda que em estágio bem inicial.

 

 

Alunos experimentando e registrando suas descobertas

 

 

A proposta da professora é desenvolver, ao longo do ano letivo, experiências que estejam relacionadas aos descritores de Ciências e que elas possam ajudar no desenvolvimento  da autonomia na leitura e escrita.

Neste início de ano letivo, foram abordados os temas água, atmosfera e clima, abrindo a posibilidade de experimentar, a partir dos seguintes conhecimentos:

 

  • Construção de terrários;
  • Fotossíntese;
  • Diferentes tipos termômetros;
  • Temperatura dos meios;
  • Entendimento da relevância da meteorologia no dia a dia;                      
  • Combustão e aquecimento global - combustível e comburente;
  • Dilatação dos gases, líquidos e sólidos.

 

 

 

Momentos de observação e registro das atividades desenvolvidas

 

 

 

 

 

Em reportagem, a Revista Nova Escola pontua que de acordo com vários especialistas, aprimorar a competência dos alunos nas diferentes modalidades de registro deveria ser uma preocupação constante de todo professor, sobretudo daqueles que trabalham com as crianças das séries iniciais, ainda pouco familiarizadas com o método científico.

 Para Maria Tomazello, pesquisadora do Núcleo de Educação e Ciências da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep), toda atividade de registro deve ocorrer num contexto de investigação, em que uma situação-problema seja apresentada aos estudantes. "Assim, eles pesquisam e argumentam sobre o assunto estudado, aproximando-se dos conceitos científicos usando as próprias ideias. (Revista Nova Escola -Fev. 2011) https://novaescola.org.br/conteudo/1114/a-importancia-do-registro-em-ciencias 

 

 

 

 

 

Desenvolver a competência dos alunos nas três espécies de registro deve ser um cuidado constante. O desenho, o texto instrucional (passo a passo das experiências) e por fim, o texto informativo são essenciais para o diálogo entre realidade e ciência, garantindo aprendizagens fundamentais para a formação de cidadãos autônomos, críticos e participativos, aptos a atuar dignamente na sociedade em que vivem.

 

“O começo de todas as ciências é o espanto de as coisas serem o que são”.

(Aristóteles)

 

 

Fontes e referências:

Wikipedia

Revita Nova Escola

Depositphotos

Climatempo

 

Quer saber mais?

 

Contatos: 

Escola Municipal Leonel Azevedo (11.20.015)

Rua Luís Sá, S/Nº Portuguesa 21920-400

emlazevedo@rioeduca.net

3393-2550 3353-9990

Diretor: Zaldir Ramos Davilla

Coordenadora Pedagógica: Herika Bastos de Medeiros

 

 

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share