A A A C
email
Retornando 61 resultados para a tag 'dengue'

Quinta-feira, 02/03/2017

EDI Morro da Fé na campanha contra o mosquito da dengue

Tags: 4ªcre, dengue, edi.

 

 

Estamos vivendo um momento de muita atenção nas escolas municipais do Rio de Janeiro no sentido de uma grande moblização contra a Dengue. Transmitida pelo mosquito Aedes aegypt, a Dengue é um problema que se espalha rapidamente pelo mundo.

 



O EDI Morro da Fé abraçou a campanha “AQUI MOSQUITO NÃO SE CRIA”, desenvolvendo atividades com o objetivo de conscientizar a comunidade escolar e a comunidade local sobre como acontece a proliferação do mosquito, quais os sintomas da doença e como podemos evitar e acabar com ciclo de reprodução do Aedes aegypti.

 


 

As professoras de Educação Infantil, Viviane Nunes da Pré-Escola I, Leilane Souza e seus Agentes de Educação Infantil Roberval Eugênio e André Luiz da turma Maternal II e Cristiane Silva da Pré-Escola II, desenvolveram atividades lúdicas e pedagógicas com as turmas do Maternal II e da Pré-Escola II. Produziram cartazes, assistiram vídeos sobre o tema da campanha e a culminância se deu com uma passeata junto com os responsáveis na comunidade do Morro da Fé. #Façaasuaparte

 


 

No Espaço de Desenvolvimento Infantil Morro da Fé praticamos uma educação que garanta o protagonismo das crianças e a parceria com os responsáveis em uma convivência afetiva e produtora com objetivo de desenvolver a Educação de qualidade que almejamos.
 

 

 

 


Parabéns pelo trabalho da Equipe do EDI Morro da Fé e pelo apoio de toda a comunidade escolar. Juntos somos mais fortes!
 

 

Sobre a escola:

EDI MORRO DA FÉ
Rua Maturacá nº 366 Penha Circular
Telefone: 3458 1406
Gestoras: Maria Amélia de S. Rodrigues da Silva e Adriana Oliveira da Silva
 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/02/2017

Aqui o mosquito não se cria - 2ªCRE

Tags: 2ªcre, dengue, zika, chikungunya.

 

No início do ano letivo as escolas da 2ªCRE realizaram uma campanha de conscientização sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

 


A Mobilização contra a Tríplice Epidemia de Arboviroses - Dengue, Zika e Chikungunya – tem como objetivo conscientizar os alunos e a comunidade escolar sobre as ações importantes relacionadas ao combate do mosquito Aedes. Através de atividades pedagógicas e parceria com os postos de saúde, os alunos conheceram várias maneiras de cuidar do ambiente prevenindo a proliferação do mosquito.

A Escola Municipal Shakespeare, seguindo o cronograma que trata dos cuidados e ações sobre este assunto, programou para o dia dez de fevereiro uma caminhada no entorno da escola envolvendo toda a comunidade escolar.


Durante a semana as turmas trataram do assunto da campanha, elaboraram cartazes, assistiram vídeos, realizaram pesquisas e atividades, confeccionaram crachás e panfletos para serem entregues durante a caminhada. A caminhada partiu da escola até o Parque Lage onde foi feita uma parada estratégica.

A animação foi tanta que houve até grito de guerra:

"Meu brother, meu vizinho, minha tia
Elimine a água parada
Aqui o mosquito não se cria!"

 

Dando prosseguimento à campanha: “Aqui mosquito não se cria”, a turma 1502 e sua professora Jaci Simões criaram uma paródia da marchinha Cabeleira do Zezé:

"Olha que a dengue vem aí
Não vai conseguir, não vai conseguir (2x)
Será que vem a Chikungunya
Será que vem aquela Zika
Aqui não vai ter mais jeito
Da dengue persistir
Xó Aedes aegypti (4x) "

 

A marchinha fez parte do grito de carnaval da unidade escolar, onde os alunos participaram indo até a frente da escola para distribuir panfletos e cantar a marchinha.

 

Alunos na campanha contra as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes.

 

Preocupados com a possível epidemia de Arboviroses, a Escola Municipal Mario da Veiga Cabral e sua comunidade escolar envolveram-se na campanha “Aqui mosquito não se cria”, refletindo a respeito das ações necessárias à prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti.

Durante essa reflexão as turmas desenvolveram vários trabalhos destacando as ações de prevenção, os sintomas das doenças, a importância da ação de cada um em seu território, a divulgação da carta de orientação junto às famílias, bem como diversos trabalho artístico a partir do tema. Um dos trabalhos desenvolvidos foi o coral de alunos, que se apresentou aos responsáveis na escadaria da escola, cantando a música da campanha de combate ao mosquito, interpretada por Ivete Sangalo “Palmas pelo Brasil”.

 

Apresentação do coral.

 

Desde que se iniciou o ano letivo, as crianças da Creche Galdino Manoel da Silva vêm trabalhando na campanha “Aqui Mosquito Não se Cria” aprendendo mais sobre algumas medidas de prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes.

Os berçários I e II ouviram histórias e coloriram um mosquito gigante enquanto aprendiam uma música sobre o tema.

Já o maternal I confeccionou placas de conscientização sobre o combate ao Aedes aegypti e se juntou ao Maternal II numa passeata no entorno da creche para chamar a atenção da comunidade para este assunto tão importante.

As crianças do maternal II fizeram um circuito de “Caça ao Mosquito da Dengue” no pátio da unidade escolar e puderam identificar possíveis focos de proliferação do mosquito como água parada em pneus e potes destampados.

Além disso, também foi incluída a rotina de passar repelente várias vezes ao dia e nessa ocasião a equipe pedagógica aproveitou para relembrar com as crianças a importância de fazermos a nossa parte na prevenção e combate as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

No dia da reunião dos responsáveis, a creche recebeu a visita da equipe de saúde da Clínica da Família do bairro do Andaraí, para uma roda de conversa sobre o assunto, trabalhando a conscientização e prevenção das Arboviroses.

 

Passeata em torno da creche.

 

Parabéns às unidades escolares que desenvolveram atividades de conscientização sobre a importância de prevenir a proliferação do mosquito Aedes.

 

O contatos das unidades escolares citadas são:

Escola Municipal Shakespeare emshakespeare@rioeduca.net

Escola Mário da Veiga Cabral emvcabral@rioeduca.net

Creche Galdino Manoel da Silva cmgaldino@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 20/07/2016

Conscientizar para Combater o Aedes aegypti

Tags: 2ªcre, dengue.

 

 

 

Os alunos do sétimo ano da Escola Municipal Francisco Manuel aprenderam, durante as aulas de Ciências, ações que podem prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti e as doenças causadas por ele.

 


As turmas 1.702 e 1.703 da E. M. Francisco Manuel estão empenhadas no combate ao mosquito Aedes aegypti. A professora Vera Nácia, regente das turmas na disciplina Ciências, nos enviou um relato contando como o projeto foi desenvolvido.

 

 

Além de conhecer o perfil das três doenças transmitidas por esse mosquito, os alunos aprenderam que podem conscientizar os colegas, vizinhos e parentes de como é simples acabar com os criadouros evitando a dengue, a chikungunya e a zica, doenças que podem trazer complicações sérias a saúde.


Além de cartazes e debates em sala de aula, eles apresentaram um seminário sobre o assunto, ressaltando que um mosquito não pode vencer uma nação consciente e cidadã.

 

Cartazes produzidos durante o projeto.

 


O Projeto Político Pedagógico da unidade escolar prevê ações de cidadania e desenvolvimento da autonomia, escrita e leitura. E, para complementar, a professora Vera auxiliou os alunos na construção de slides sobre diferentes assuntos abordados. Além de estudar, os educandos conseguiram construir os conhecimentos de forma mais sólida utilizando as novas tecnologias.


Os alunos se reuniram em grupos para montar o trabalho mediado pela professora Vera. E apresentaram, através de seminários, os conhecimentos adquiridos em sala de aula e por meio das pesquisas em grupos.

 

Apresentação de seminários.

 


De acordo com a professora Vera, no momento das apresentações dos seminários, cada grupo apresentou seu tema e ela e os demais colegas fizeram perguntas sobre o assunto.


Agradecemos a professora Vera Nácia por compartilhar conosco esta experiência de aquisição do conhecimento através de pesquisas em grupos. Desejamos sucesso a toda unidade escolar.

 

O contato da professora Vera Nácia é: veranacia@hotmail.com

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net
 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 24/06/2016

CIEP Pontes de Miranda no Combate ao AEDES: Um Por Todos, Todos Por Um!

Tags: 9ªcre, projeto, aedes, zika, dengue.

 

 

 

 

O CIEP Francisco Cavalcante Pontes de Miranda se mobiliza para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. 

 

Desde o início do ano letivo, a Coordenação Pedagógica, junto à Sala de Leitura e à comunidade escolar, vinham pensando em questões que implicam tanto no individual quanto no coletivo. Dessa forma, foi importante pensar em ações que mobilizassem não apenas os alunos, mas toda a unidade escolar, bem como a comunidade do entorno. Assim, as turmas, desde a Educação Infantil, foram discutindo a importância de uma grande mobilização. Os educadores lançaram mão de vários recursos, explorando diferentes linguagens (vídeos, livros, panfletos, jornais, histórias em quadrinhos, músicas, jogos etc.), a fim de mostrar o quanto era imprescindível conhecer o problema para pensar em ações coletivas de combate ao mosquito Aedes Aegypti e propiciar uma vida mais saudável.

 

 

Aos poucos as ideias foram se solidificando e favorecendo o protagonismo infanto-juvenil. Com as nossas crianças e adolescentes conscientizados e participativos nessa empreitada, o Projeto foi ganhando força e conquistando nossos aliados, ao passo que novas estratégias foram sendo propostas. Logo no início do 1º bimestre, todos os responsáveis foram convidados a participar da Campanha de Mobilização de Combate ao Aedes Aegypti, através de uma palestra, com vídeo e debate, além do compromisso de realizar pequenas ações em sua residência e no entorno.

 

 

No dia da grande Mobilização contamos com parcerias externas e com atividades pedagógicas e recreativas, envolvendo uma abordagem bilíngue (Línguas Portuguesa e Inglesa). Os alunos tiveram a oportunidade de abordar o assunto de forma interdisciplinar, através de: produção de cartazes, tirinhas, charges, tabelas de sintomas, paródias, móbiles, reaproveitamento de materiais, jogos (“Let’s kill Zika!”, jogo da memória, etc.) e dramatização (“Uma visita indesejada”). Na ocasião, tivemos a visita de agentes de saúde da Clínica da Família, que atende a comunidade local, auxiliando na panfletagem e na conscientização acerca das doenças causadas pelo Aedes. 

 

 

Os alunos tiveram a oportunidade de visitar a Estação de Tratamento de Água (ETA Guandu/CEDAE). A discussão não se limitou ao tratamento da água, pelo contrário, os técnicos articularam questões para a conscientização ambiental dos alunos, a fim de evitar a poluição dos rios, o desperdício de água, o desmatamento, etc. Outras ações também foram sendo agregadas, com outros profissionais da saúde (médico, enfermeira, técnicos em Enfermagem), uma vez que o foco principal é a vida saudável: vacinação de meninas, saúde bucal, palestra sobre hanseníase e tuberculose, além da Oficina sobre plantas medicinais, realizada pela SMDS (com técnicos agrícolas da Fazenda Modelo). A saúde mental também foi enfatizada, em parceria com os “Doutores da Alegria”, através do espetáculo “Festa no Céu”, incentivando os alunos a viajarem pelo mundo da leitura e da imaginação, a fim de compreender melhor o mundo em que vivemos.

 

 

Oportunamente, no Dia do Brincar sem Muros, enfatizamos mais uma vez a necessidade do envolvimento de todos nessa mobilização, integrando atividades lúdicas e artísticas, quando os responsáveis interagiram com as crianças através de jogos como: cabra-cega e “Estação de tratamento de combate ao mosquito”, que teve as seguintes etapas: colocar terra nos vaso de planta; retirar a água parada das garrafas pet; colocar água nas vasilhas e tampar; recolher o lixo (bolinhas) e ensacar; tampar as garrafas abertas; bater/matar os mosquitos sobreviventes (produzidos com pet). Em seguida, os responsáveis produziram esculturas com frutas e legumes, junto às crianças, e a sobra (cascas) foi reaproveitada para o processo de compostagem do solo; o que favoreceu discutir alimentação saudável, reaproveitamento de alimento e alimentação alternativa.

 

 

Contato com o CIEP pelos telefones 3394-0622 e 3364-1620, ou pelo e-mail ciepfmiranda@rioeduca.net.

 

 

 


                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share