A A A C
email
Retornando 107 resultados para a tag 'educopedia'

Segunda-feira, 06/01/2014

Aluno Leitor, Aluno Escritor!

Tags: 6ªcre, educopédia, mídias, riodeleitores.

 

 

Em outubro e novembro, os Embaixadores da Educopédia da 6ª Coordenadoria Regional de Educação tiveram como meta trabalhar com os alunos a produção de textos na Máquina de Publicar da Educoteca. Essa atividade teve como objetivo principal ajudar a formar alunos leitores e escritores. Vamos ver como tudo aconteceu?

 

A Máquina de Publicar é um recurso existente na Educoteca, biblioteca turbinada da Educopédia, que possibilita a criação de livros digitais de forma rápida e fácil. Ela possui várias ferramentas que permitem a inserção de diferentes mídias, com textos, imagens, músicas, efeitos sonoros e histórias em quadrinhos.

 

Ao acessar a Máquina de Publicar, é possível criar um novo livro ou editar um existente. Existem ainda ferramentas para salvar, publicar e visualizar o documento em edição. É uma forma simples e criativa de publicar seu próprio livro e compartilhar com todas as pessoas que acessarem a Educoteca!

 

Nos meses de outubro e novembro, os Embaixadores da Educopédia da Subsecretaria de Novas Tecnologias da cidade do Rio de Janeiro trabalharam a Máquina de Publicar com suas turmas e com os professores de suas unidades escolares. Os professores da 6ª Coordenadoria Regional de Educação produziram várias histórias em quadrinhos com as crianças, que foram publicadas nas redes sociais e no blog dos Articuladores da Educopédia. 

 

Na Máquina de Publicar é possível escolher vários modelos de páginas, de acordo com a história que você quer montar.

 

Alunos e professores podem produzir seus próprios desenhos para inserir na história produzida.

 

Dentre as ferramentas da Máquina de Publicar temos a inserção de imagens, vídeos, músicas e textos.

 

Antes de iniciar o trabalho na plataforma, os professores dedicaram-se à análise e à leitura de várias histórias em quadrinhos para, assim, conhecerem as características desse tipo de texto.

 

O segundo passo foi colocar a mão na massa e produzir as histórias. Ao acessar a Máquina, os alunos escolheram o modelo do template para realizar a escrita do livro. No menu "páginas", cada criança pode gerenciar a sua história, acrescentando, excluindo ou alterando a ordem dos quadrinhos.

 

No ícone "texto", eles puderam alterar a cor, a fonte e o tamanho das palavras. A ferramenta "desenho" também foi utilizada, o que permitiu a criação de figuras e a sua inserção no livro, através do botão "imagem".

 

A Máquina de Publicar possui, na aba quadrinhos, uma série de balões para serem utilizados em situações diversas. Várias músicas de fundo e efeitos sonoros fizeram parte do livro produzido pelos alunos.

 

História produzida pelos alunos da turma 1.102, da professora Rosana Miranda da Escola Municipal Paraíba.

 

História produzida pelos alunos do segundo segmento da professora Amanda Fernandes, da Escola Municipal Alberto José Sampaio.

 

História produzida pelos alunos do segundo segmento da Escola Municipal Monte Castelo, com o professor embaixador Leonardo.

 

Cada aluno, dentro da Máquina de Publicar, tem um perfil que, inicialmente, aparece como nível 1. A cada visualização, compartilhamento e avaliação que o texto receber, o aluno vai ganhando mais experiência. Quando esta atingir o limite daquele nível, passa para o próximo, que libera mais espaço para publicação.

 

O que você está esperando? Acesse a Máquina de Publicar, leia os livros, compartilhe e deixe a sua avaliação! Você estará ajudando esses alunos a se tornarem leitores ativos e escritores criativos!

 

Parabéns aos professores Embaixadores da Educopédia da 6ª Coordenadoria Regional de Educação por utilizarem a Máquina de Publicar para enfatizar o lado prazeroso de ler e escrever! É um prazer ter o trabalho de vocês no Portal Rioeduca!

 

Quer conhecer um pouco do trabalho dos Embaixadores da Educopédia? Visite o blog clicando AQUI! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

E-mail: pferreira@rioeduca.net

Twitter: @Paty_PFF
 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 16/12/2013

Educação Infantil Plugada no Universo Digital

Tags: 6ªcre, educopédia, mídias, educaçãoinfantil.

O EDI General Augusto César Sandino utiliza as novas tecnologias com os alunos da Educação Infantil em sua prática diária, pois estas permitem um exercício constante de busca do desenvolvimento pleno da criatividade. Vamos ver como o trabalho acontece?

 

As crianças das novas gerações já nasceram plugadas no universo digital. Desde pequenas sabem usar o computador, acessar a internet, manusear uma câmera digital ou um telefone celular. Além de serem instrumentos de comunicação e entretenimento, essas ferramentas tecnológicas também são importantes aliadas do ensino, desde a Educação Infantil.

 

Se o papel da escola é preparar para a vida e a tecnologia faz parte dela, a instituição educacional precisa preparar os alunos para lidar com ela desde cedo. Mas, para ser eficiente no ensino, a tecnologia precisa ser usada com objetivos pedagógicos bem definidos.

 

O EDI (Espaço de Desenvolvimento Infantil) General Augusto César Sandino utiliza as tecnologias em sua prática pedagógica e, este uso justifica-se, pois essas ferramentas permitem um exercício constante de busca do desenvolvimento pleno e da criatividade.

 

 

O aprendizado por meio da tecnologia vai além do uso do computador.

Sempre com um objetivo pedagógico bem definido.

Com a adoção das tecnologias digitais dentro e fora das salas de aula, a transmissão do conhecimento vem se tornando, rapidamente, um grande desafio para uma geração de professores que estudou e aprendeu a ensinar em uma era pré-digital.

 

Como a infância é um tempo de maior criatividade na vida do ser humano, os profissionais desse espaço entendem que é primordial buscar melhores estratégias e recursos mais adequados para estimular as crianças.

 

Os professores do EDI utilizam a plataforma da Educopédia e exploram diferentes procedimentos para a construção do conhecimento pelas crianças, agregando seus interesses e necessidades.

 

No entusiasmo que demonstraram na interação com os colegas, com o conhecimento e com os diferentes materiais, várias habilidades contidas nas Orientações Curriculares da Educação Infantil foram contempladas, tais como: expressar claramente pensamentos e ideias utilizando diferentes linguagens; descrever e representar pequenos percursos e trajetos, observando pontos de referência, e comparar características e singularidades das pessoas, objetos, acontecimentos e fenômenos.

 

As carinhas e os olhinhos cheios de curiosidade diante dos jogos oferecidos no computador encantaram os professores. Ver seus dedinhos ágeis teclando e encontrando as respostas para os desafios e indagações foi uma alegria entre os educadores. Propor estas atividades deu grande prazer a toda comunidade escolar!

 

Os educadores do EDI repensam, a todo momento, os modelos pedagógicos e o tradicional formato das salas de aula, onde o professor era o único detentor do conhecimento.

 

Nesta nova realidade pedagógica, o professor não somente ensina, mas, principalmente, aprende.

 

 

As novas tecnologias surgiram para expandir e integrar o conhecimento de forma rápida e acessível a todos. Por isso, a equipe do EDI General Augusto César Sandino integrou estas ferramentas em suas aulas.

 

Parabéns a toda a equipe pedagógica do EDI por utilizar as novas tecnologias como objeto transformador na área educacional. É um orgulho ter o trabalho de vocês no Portal Rioeduca!

 

Quer conhecer um pouco mais do trabalho do EDI? Visite o seu blog clicando AQUI! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE
E-mail: pferreira@rioeduca.net

Twitter: @Paty_PFF
 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 25/11/2013

Oficina Stop Motion

Tags: 6ªcre, capacitação, educopédia, mídias.

 

 

A professora Maristela Porto ministrou a oficina de animação Stop Motion em 12 de novembro, às 9 horas, na Escola Municipal Rose Klabin. Teve como público-alvo os professores Embaixadores e Articuladores da Educopédia. O objetivo principal é oferecer aos educadores novas possibilidades de trabalhar conteúdos em sala de aula.

 

Stop Motion é uma técnica de animação quadro a quadro usando uma máquina de filmar, com uma câmera fotográfica e um computador. Utilizam-se modelos reais em diversos materiais, sendo o mais comum a massinha de modelar.

 

Os modelos são movimentados e fotografados. Essas imagens são montadas em uma película cinematográfica, criando a impressão de movimento. Nessa fase, podem ser acrescentados efeitos sonoros, como fala e música.

 

A técnica Stop Motion é utilizada como instrumento pedagógico pela professora Maristela Porto, da Escola Municipal Paraíba. Através da técnica, a educadora trabalha vários conteúdos com os alunos de forma dinâmica e criativa.

 

Uma de suas animações é o curta Os Vermes Perigosos, criado em 2011 pelos alunos da turma 1.201 da Escola Municipal Paraíba. A animação foi toda feita em massinha de modelar e conta a história de um verme que resolveu constituir família dentro da barriga de uma menina. O final é surpreendente! Vamos assistir?

 

 

Animação produzida sob a orientação e direção da professora Maristela Porto.

 

A Articuladora da Educopédia Thaís Duarte convidou a professora Maristela Porto para realizar uma oficina de animação para os Embaixadores da Educopédia da 6ª Coordenadoria Regional de Educação e para os Articuladores da Educopédia das outras CRE's. O convite foi aceito de imediato e com muita alegria!

 

A oficina Stop Motion foi realizada no dia 12 de novembro, na Escola Municipal Rose Klabin, às 9 horas, em parceria com a Subte - Subsecretaria de Novas Tecnologias -, representada pela professora Susan Rocha - Coordenadora dos Articuladores -, e com a Gerência de Educação da 6ª CRE através da professora Patrícia Fernandes.

 

Para criar o Stop Motion, a professora Maristela utilizou um computador, um programa para edição de vídeos - o Muan -, uma máquina fotográfica e massinha de modelar de várias cores para a criação das personagens.

 

 

A história do Stop Motion remonta aos primórdios do cinema. O mágico e ilusionista francês George Méliès viu nessa arte uma ótima possibilidade para dar sequência aos seus truques misteriosos que encantavam a todos.

 

 

Planeje sua filmagem! Procure elaborar um roteiro, espaço de movimentação dos personagens e cenário para não ter nenhuma surpresa durante a filmagem e acabar perdendo tempo e trabalho.

 

Os professores produziram dois vídeos com a técnica Stop Motion. O primeiro vídeo teve duração de onze segundos e mostra um pássaro indo em busca de comida. O segundo durou dois segundos e fez uma homenagem à Proclamação da República através da bandeira do Brasil. Confira os vídeos clicando AQUI.

 

Os professores ficaram encantados com a técnica de animação e com as diversas possibilidades de uso desse instrumento como recurso pedagógico: desenvolvimento do trabalho em grupo, aprimoramento da escrita e da leitura, construção de habilidades manuais e de manuseio de instrumentos tecnológicos; além do desenvolvimento da habilidade de contar histórias.

 

Todos saíram da capacitação com ideias interessantes para colocar em prática e, principalmente, pensando em novas formas de fazer educação através de uma proposta que incentive, cative e surpreenda os alunos. Isso é fazer educação de qualidade!

 

 

Suavidade de movimentação: para tornar mais real sua animação, suavidade nos movimentos é essencial.

 

 

Usada tanto em desenhos animadas quanto em filmes com atores reais, essa técnica é bastante difundida no meio cinematográfico e há algumas décadas faz parte da rotina criativa de diversas pessoas ao redor do mundo.

 

Parabéns a todos os envolvidos no processo de organização da oficina Stop Motion e, principalmente, à professora Maristela Porto, que transmitiu de forma simples e criativa o seu fazer pedagógico, contribuindo para a melhoria da educação carioca. É um prazer ter o seu trabalho no Portal Rioeduca!

 

Quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante do Rioeduca da sua Coordenadoria! Este espaço é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

E-mail: pferreira@rioeduca.net

Twitter: @Paty_PFF

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 30/09/2013

Educoteca, a Biblioteca Turbinada da Educopédia

Tags: 6ªcre, educoteca, educopédia.

A professora Maristela Porto, da Escola Municipal Paraíba, utlizou o livro digital A Raposa e as Uvas com os alunos do 1º ano com o objetivo de trabalhar os conteúdos planejados de forma dinâmica e inovadora.

 

TIC's, tecnologias de informação e comunicação. Cada vez mais, parece impossível imaginar a vida sem essas letrinhas. Entre os professores, a disseminação de computadores, internet, celulares, câmeras digitais, e-mails, mensagens instantâneas, banda larga e uma infinidade  de engenhocas da modernidade provocam reações variadas.

 

Qual desses sentimentos combina mais com o seu? Expectativa pela chegada de novos recursos? Empolgação com as possibilidades que se abrem? Temor de que eles tomem o seu lugar? Desconfiança quanto ao potencial prometido? Ou, quem sabe, uma sensação de impotência por não saber utilizá-los ou por conhecê-los menos do que os próprios alunos?

 

Se você se identificou com mais de uma alternativa, não se preocupe. Por ser relativamente nova, a relação entre a tecnologia e a sala de aula ainda é um pouco confusa e conflituosa. Precisamos colocá-la em ordem, buscando respostas a duas questões cruciais. A primeira delas: quando usar a tecnologia em sala de aula? A segunda: como utilizar estes novos recursos?

 

A pergunta inicial pode ser respondida estabelecendo um critério: só vale levar a tecnologia para a classe se ela estiver a serviço da aprendizagem. As dúvidas sobre o melhor jeito de usar as tecnologias serão respondidas a seguir, a partir de uma ação pedagógica realizada pela professora Maristela Porto, da Escola Municipal Paraíba.

 

Com o trabalho da professora Maristela Porto, veremos que ninguém aprende só, mas em contato com o outro. E que as novas tecnologias poderão nos auxiliar a compartilhar experiências e conhecimentos.

 

O vídeo Educação e Vida faz uma reflexão sobre as vantagens de se unir o velho ao novo para obtermos sucesso.

 

Lembre-se! Não há aprendizagem sem abertura! Ter uma mente aberta é ter escolhas!

 

 

Educoteca, a Biblioteca Turbinada da Educopédia

 

A professora Maristela Porto trabalha, desde 2011, na Escola Municipal Paraíba, em Anchieta. Este ano ela é regente de uma turma de 1º ano e tem o grande desafio de alfabetizar os pequeninos. Essa luta está sendo facilmente vencida com a ajuda das novas tecnologias e da competência e comprometimento da professora com a aprendizagem de seus alunos.

 

A professora Maristela Porto é uma educadora consciente de seu papel na era da informação e da comunicação. Ela tem o dom de perceber as potencialidades das  ferramentas que têm ao seu alcance e fazer uso delas para mediar o conhecimento. Desda forma, divide com seus alunos o palco da construção de um saber partilhado.

 

Maristela Porto  também atua como professora de Mídias para os alunos do primeiro segmento na FAETEC - RJ.

 

Ela faz uso da Educoteca -  Biblioteca Digital da Educopédia -  em suas aulas, que conta com vários livros interativos. O uso dessa tecnologia está ajudando a tornar seus alunos protagonistas do processo de ensino e aprendizagem.

 

Dentre os títulos disponíveis na Educoteca, a professora utilizou com os alunos do 1º ano o livro A Raposa e as Uvas. Essa fábula conta a história de uma raposa que, morta de fome, foi até um vinhedo. Ao ver a parreira carregada, ela lambeu os beiços. Só que sua alegria durou pouco, pois não conseguia alcançar as uvas. Cansada, acabou desprezando o que não conseguiu obter com facilidade.

 

O livro digital foi projetado na sala de aula com a ajuda do Datashow e, durante o trabalho, várias ferramentas foram utilizadas: seleção de partes do texto, inserção de notas, glossário, pintura das páginas, jogos interativos e etc.

 

A Educoteca oferece ferramentas para selecionar uma parte do texto e copiar, marcar ou inserir uma nota de texto e também uma nota da página. Ao encontrar uma palavra desconhecida, é possível usar o Glossário para ver seu significado. O Índice exibe todas as marcações, notas e pinturas que foram feitas pelo usuário naquele livro.

 

Você pode classificar o livro de uma a cinco estrelas, marcar um livro como favorito, comentar ou gostar de um livro. Também é possível compartilhar nas redes sociais. Alguns livros ainda trazem conteúdos extras, como jogos ou papéis de parede do livro, que podem ser transferidos para o computador.

 

A Educoteca é um Recurso Educacional Aberto (REA). Isso significa que qualquer professor pode utilizar os livros que estão disponíveis na plataforma com seus alunos sem nenhum custo.

 

Em seguida, os alunos aprenderam um pouco mais sobre a raposa através de uma apresentação no Datashow. Eles puderam conhecer algumas características da personagem principal do livro digital: seu habitat, suas características físicas, seu tempo de vida, seus principais e outras descobertas.

 

A professora Maristela ofereceu a cada aluno uma folha com uma parte da história do livro A Raposa e as Uvas para os alunos pintarem e identificarem nas palavras escritas - Raposa e Uvas - o quantitativo de sílabas e letras de cada uma.

 

Em seguida, os alunos receberam uma folha contendo o desenho de alguns animais mamíferos e outra com vários nomes. Cada aluno teve que procurar na sua lista de palavras aquela que correspondia ao nome dos animais mamíferos da folha e colá-los no desenho certo. Foi um excelente exercício de leitura e escrita!

 

Muitos educadores já perceberam o potencial das novas tecnologias e procuram levar novidades para a sala de aula, seja com uma atividade prática no computador, com videogame, tablets e até mesmo com o celular.

 

Os alunos de hoje aprendem com muita facilidade e rapidez, mas cansam-se facilmente das práticas repetitivas do ensino cotidiano. Num mundo em constante transformação, eles anseiam sempre por mais e mais novidades.

 

Cada aluno tem necessidades e dificuldades diferentes e, por isso, jogos e atividades lúdicas que integrem conteúdos podem ser apoios importantes para o professor no desenvolvimento e planejamento das aulas.

 

A alfabetização, período vivido pelos alunos da professora Maristela, é a fase em que se inicia o processo de formação intelectual e pessoal da criança. Por isso, esse período não deve ser caracterizado apenas como uma etapa da vida. As salas de aula devem sempre ter novidades para estimular os alunos. O professor deve ser dinâmico e inovador! Desse modo, será mais fácil trabalhar com as novas tecnologias, instrumento que serve para estimular o ensinar e o aprender.

 

A professora Maristela Porto é um exemplo para nós na utilização desse instrumento! No cotidiano de sua sala de aula, ela busca formas de ensinar visando tornar o ensino mais atrativo. E, como vimos, uma das alternativas usadas por ela foi aliar o prazer e o divertimento, o digital e o analógico.

 

Professora Maristela Porto, você é a peça chave desse processo! Através do seu trabalho, a aprendizagem de seus alunos é atrativa, dinâmica e contínua. É um prazer ter o seu trabalho no Portal Rioeduca! Conte sempre conosco! Parabéns!

 

Você quer ter o seu trabalho publicado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua Cre! Aproveite este espaço! Ele é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

Twitter: @Paty_PFF

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share