A A A C
email
Retornando 107 resultados para a tag 'educopedia'

Quarta-feira, 03/10/2012

Direitos e Deveres: Exercício de Cidadania

Tags: 6ªcre, educopédia.

 

A professora Mara Malheiros, da Escola Municipal Thomas Jefferson, realizou com a turma 1.501 um trabalho voltado para a construção de noções de justiça e responsabilidade social através do livro Se Criança Governasse o Mundo, de Marcelo Xavier.

 

As eleições de outubro invadiram os noticiários brasileiros e as ruas do nosso país. Os alunos percebem isso em casa e na escola e, mesmo que ainda não sejam eleitores, acabam se interessando, comentando e até se informando a respeito dos candidatos locais e suas propostas.

 

 

Símbolo das Eleições 2012 retirado do site oficial do TRE

 

 

O momento favorece o trabalho com questões ligadas à cidadania, à democracia e à responsabilidade social. E é o que muitas escolas vêm fazendo, como mostra o trabalho realizado na Escola Municipal Thomas Jefferson pela Professora Mara Malheiros da turma 1.501, onde foram  trabalhados os direitos e deveres como exercício da cidadania através do livro Se Criança Governasse o Mundo, de Marcelo Xavier.

 

 

 

Capa do livro Se Criança Governasse o Mundo, de Marcelo Xavier

 

 

Trata-se  de uma história que promove soluções para diversas situações sociais que afligem a população na sociedade atual, apresentadas a partir do imaginário infantil.

 

A professora Mara Malheiros distribuiu uma folha para cada grupo, na qual escreveu o título do livro, que deveria ser completado pelo grupo livremente. As frases utilizadas foram as listadas a seguir:

 

* Se Criança Governasse o Mundo, as pessoas ...

* Se Criança Governasse o Mundo, o trânsito seria ...

* Se Criança Governasse o Mundo, as guerras ...

* Se Criança Governasse o Mundo, os pobres ...

* Se Criança Governasse o Mundo, todas as crianças...

* Se Criança Governasse o Mundo, todas as famílias...

* Se Criança Governasse o Mundo, os programas de televisão...

* Se Criança Governasse o Mundo, a saúde seria ...

* Se Criança Governasse o Mundo, a educação seria ...

* Se Criança Governasse o Mundo, as árvores ...

 

Durante algum tempo, os alunos registraram na folha o final de frase. Em seguida, os participantes de cada grupo fizeram a leitura da frase completada apresentando suas opiniões para a turma.

 

 

Alunos da turma 1.501 fazem o registro por escrito da continuação do nome do livro

 

 

 

Alunos da turma 1.501 leem para o grupo suas opiniões sobre como completaram o título do livro

 

 

Após a análise das propostas dos alunos, foi feita a apresentação do livro Se Criança Governasse o Mundo e a sua interpretação oral. Assuntos como o conceito de democracia, direitos  e deveres foram abordados pela professora.

 

A Cartilha Digital sobre os Direitos Humanos foi apresentada aos alunos. Nela, o Menino Maluquinho mostra aos jovens os 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos de forma simples e divertida.

 

A professora Mara utilizou a cartilha como forma de ampliar o acesso a informações básicas de cidadania. Para trabalhá-la, realizou debates e uma campanha eleitoral na sala de aula para eleger o prefeito e os vereadores fictícios da turma.

 

 

Professora promove um debate com os alunos sobre os Direitos Humanos através da cartilha de Ziraldo

 

 

 

Alunos da turma 1.501 conhecem seus direitos e deveres através da cartilha digital

 

 

Os alunos candidatos preencheram uma tabela gerada no Word e projetada no quadro branco com suas propostas de trabalho, caso fossem eleitos.

 

 

Tabela preenchida pelos alunos candidatos da turma 1501

 

 

Cada aluno confeccionou o seu próprio Título de Eleitor digitando suas informações no computador. Ao término, o documento era impresso.

 

 

Alunos confeccionam o seu Título de Eleitor

 

 

 

 

Título de Eleitor confeccionado pelos alunos da turma 1501

 

 

Após todos os conhecimentos trabalhados, a professora propôs a produção de uma História em Quadrinhos coletiva com fotos dos alunos candidatos no Power Point.

 

 

 História em Quadrinhos produzida pelos alunos da turma 1501

 

 

As eleições ainda irão acontecer na turma 1501 da Escola Municipal Thomas Jefferson. Os alunos candidatos e os alunos eleitores aguardam esse dia com muita ansiedade!

 

Com esta atividade, a professora Mara Malheiros, da Escola Municipal Thomas Jefferson, construiu noções de justiça e responsabilidade social; refletiu com seu grupo sobre as condições sociais da infância no nosso país; destacou a importância de valores como igualdade, respeito e solidariedade para que todos tenham uma vida digna e; principalmente, mostrou a importância do exercício dos direitos e deveres do cidadão em uma prática democrática.

 

Essa é a Escola Municipal Thomas Jefferson! Um Novo Caminho, Novas Ideias!

 

Parabéns à professora Mara Malheiros por despertar a consciência cidadã das crianças e proporcionar oportunidades para que possam pensar, questionar, criticar e dar opiniões do que seria preciso para que possamos viver em um país melhor.

 

Gostou  desta postagem? Deixe um comentário para a equipe da Escola Municipal Thomas Jefferson. Vamos prestigiar e valorizar o trabalho de excelência realizado pelos nossos colegas. Nós somos a seXta CRE!

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 26/09/2012

A Magia da Leitura e os Recursos Digitais

Tags: 6ªcre, educopédia, riodeleitores.

 

Algo especial acontece quando se usam os recursos digitais para promover o desenvolvimento das competências de leitura e escrita. Novos papéis para os professores e para os alunos surgem num processo de ensino e aprendizado orientado, cooperativo, crítico e criativo de investigação e partilha de recursos. A E. M. Thomas Jefferson trabalha, desde as séries iniciais, promovendo essa magia: o interesse pela leitura na era digital.

 

O gosto pela leitura desenvolve-se, principalmente, na infância. Exatamente por isso, o trabalho com livros sempre teve e terá enorme espaço dentro da sala de aula. Contudo,  vivemos uma nova realidade em que os alunos atraem-se muito mais pela linguagem digital e acabam desviando o olhar da linguagem impressa.

 

Frente a este cenário, a pergunta é: Como despertar o interesse pela leitura em um mundo marcado essencialmente pela linguagem digital?

 

Não pense que essa é uma pergunta impossível de ser respondida! A Educoteca, Biblioteca Turbinada da Educopédia, e a disciplina Asas de Papel, também presente na Educopédia, buscam atrair o olhar do jovem digital para a leitura de livros impressos.

 

 

Educoteca e Asas de Papel  presentes na Plataforma Digital Educopédia

 

 

Por meio de vídeos, músicas, animações e cartoons, a criança entra em contato com obras literárias. Entretanto, para conhecer melhor, ela deve recorrer à obra original. O objetivo não é substituir a obra impressa, mas sim despertar o interesse do aluno por ela.

 

A Escola Municipal Thomas Jefferson é um exemplo de instituição de ensino em que os professores trabalham a fim de promover o interesse pela leitura na era digital. As professoras das turmas 1101 e 1501 realizam aulas criativas utilizando a magia da leitura e os recursos digitais.

 

A turma 1101 trabalhou com o livro Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque. A professora utilizou a aula 28 da disciplina Asas de Papel, vários recursos digitais e o livro impresso.

 

 

Professores aliam os recursos da Educopédia ao gosto pela leitura

 

 

A professora fez a leitura da história e incentivou a participação oral dos alunos sobre a compreensão do texto, a personagem principal e seus medos. Em seguida, os alunos realizaram a aula 28 da disciplina Asas de Papel, que relembrou o conto de Chapeuzinho Vermelho através de imagens mostradas no datashow.

 

 

Alunos despertam o prazer pela leitura através da Educopédia

 

 

Orientados pela professora, os alunos da turma 1101 citaram as diferenças entre  o conto clássico e a releitura de Chico Buarque de Hollanda. O Quiz da atividade 9 da disciplina Asas de Papel foi respondido pelos alunos em parceria.

 

 

 

Educoquiz realizado pelos alunos da turma 1101

 

 

 

Para sintetizar a compreensão do texto como um todo, os alunos assistiram uma história animada da Chapeuzinho Amarelo. Esta animação é uma adaptação da história citada e recupera as informações sobre o enredo que foi apresentado, aos poucos, nas atividades da Educopédia.

 

 

Animação Chapeuzinho Amarelo utilizada pela professora da turma 1101

 

 

Mais adiante, a professora apresentou aos alunos alguns slides preparados por ela para trabalhar a escrita.

 

 

Professora utiliza partes do livro Chapeuzinho Amarelo para realizar atividades de escrita com os alunos

 

 

Para trabalhar com os medos de Chapeuzinho Amarelo e das crianças, professora e alunos discutiram o tema medo e, a seguir, assistiram a um vídeo sobre o tema em questão, feito por alunos de uma escola municipal.

 

 

Vídeo Você tem medo de quê? preparado pelos alunos do Núcleo de Arte Grande Otelo

 

 

A aula foi finalizada com o registro em cartolina dos medos dos alunos da turma e o manuseio do livro Chapeuzinho Amarelo. Depois de todo o trabalho que foi realizado, todos queriam levar o livro para ler!

 

 

Alunos manuseiam o livro Chapeuzinho Amarelo

 

 

Os recursos digitais, atualmente, são fontes de formação de novos leitores. Eles motivam os alunos, desenvolvem competências da língua e a criatividade, fornecem um manancial de informações e prepara para o futuro na sociedade da informação, oferecendo desafios  significativos.

 

Parabéns à professora da E. M. Thomas Jefferson por utilizar recursos tão poderosos para o desenvolvimento das competências de leitura e escrita. Esta ação, com certeza, proporciona uma aprendizagem mais autônoma e permite uma maior participação em atividades de colaboração; o que tende  a aumentar o interesse e a motivação dos alunos.

 

 

Quer conhecer o trabalho que a professora da turma 1501, da Escola Municipal Thomas Jefferson, realizou utilizando a leitura e os recursos digitais? Então não perca a postagem da semana que vem!  Nós somos a seXta CRE!

 

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Domingo, 16/09/2012

Educoencontro: o futuro já é parte do presente

Tags: 10ªcre, educopédia, rioeduca.

Aconteceu neste sábado, 15 de setembro de 2012, na Escola Municipal Orsina da Fonseca, o Ginásio Experimental Carioca da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (2ªCRE), o esperado encontro dos professores educopedistas, rioeducadores, representantes dos embaixadores das CREs, além dos mobilizadores e articuladores, ligados a Subsecretaria Especial de Assuntos Estratégicos da SME/Rio.

 

 

 

 


 

Cerca de trezentos professores de escolas de todas as dez CREs e dos diversos setores do nível central da Secretaria Municipal de Educação, estiveram reunidos das 8h e 30minutos até as 13 horas para dar sequência ao projeto revolucionário da Educopédia, que foi implantado no Rio de Janeiro em 2009, mas que já alcançou projeção nacional e internacional.

 


O Educoencontro começou com a habitual confraternização dos professores, participando de um café de boas-vindas, até que as famílias de educopedistas e de rioeducadores se juntassem em grupos, com os seus respectivos coordenadores pedagógicos, dando início ao primeiro momento daquela reunião especial.

 


Durante uma hora, das 9 às 10 horas, os professores estiveram reunidos em nove equipes agrupadas de acordo com as famílias: Língua Portuguesa; Produção Textual; Literatura Infantil; Matemática; Ciência; História; Geografia, Fundamental I; Artes; Música: Educação Física; Educação Infantil; 3º ano Reforço; Alfabetização; PEJA; Educação Especial; Inglês; Espanhol; Objetos de Aprendizagem, além do grupo das mobilizações, formado pelos articuladores; embaixadores da Educopédia; Mídias Sociais; Mobilizadores e Rioeducadores.
No segundo momento, das 10 às 11 horas, houve o desdobramento das equipes, em dezoito grupos, cada qual tratando especificamente dos assuntos relacionados às suas famílias, com informes, apresentação dos novos integrantes, orientação sobre as postagens, avaliação interna e perspectivas para o planejamento dos programas, ações e atividades de 2013.

 



Ao fazer a abertura da reunião dos participantes do grupo de mobilizações, a professora Raphaella Marques, que atualmente coordena a Equipe de Mídias Sociais, falou da necessidade de que todos conheçam os demais integrantes das equipes e que estejam atentos para as futuras parcerias.

 


 

Segundo Raphaella, diante do crescimento e do sucesso do Programa, vai ser preciso cada vez mais, maior comunicação e maior interação entre as famílias da Educopédia e do Rioeduca.

 


Lilian Ferreira, professora de Língua Portuguesa e gerente do Rioeduca, ao falar na sua apresentação, mencionou a relação visceral da Educopédia com o Rioeduca, citando vários exemplos práticos que justificam cada vez mais o trabalho interativo e parceiro de todas as famílias.

 

 

 

 


 

 

Lilian também chamou a atenção dos professores para a mobilização cada vez mais acentuada que se verifica na Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro que, segundo disse, saiu de um processo estático para uma experiência dinâmica, pois, com a Educopédia e com o Rioeduca, começaram a fluir incontáveis possibilidades de práticas pedagógicas para serem utilizadas em sala de aula.

 

 

 


Dando sentido pedagógico ao educoencontro, foram realizados dois minicursos, das 11h 30 minutos até as 13 horas, quando as professoras Andrea Verdan e Luciana Alves de Jesus abordaram, respectivamente, os temas: “A forma de postagem das aulas na plataforma Educopédia exerce influência significativa no interesse dos alunos em utilizá-las?” e “Aprender na cibercultura: o desenvolvimento da leitura por meio da autonomia.”

 

 

 

 


 

 

Antes do encerramento do Educoencontro, foi apresentado um vídeo com as novidades mais recentes da Educopédia e anunciadas as próximas conquistas, já em fase de consolidação, como a repaginação do Portal do Rioeduca, a contratação de professores que vão atuar produzindo postagens especiais sobre a relação aluno, família e escola; educação infantil; Extensividade; Rio de Leitores e temas com viés pedagógico direcionados aos professores da Rede.

 

 


 

Foi acertada, a escolha da Escola Municipal Orsina da Fonseca para a realização de mais um Educoencontro, por ser um local bastante agradável, arborizado, com salas amplas e bem equipadas, estacionamento espaçoso e ao lado de uma estação do Metrô e de ruas servidas por diversas linhas de ônibus, facilitando assim a acessibilidade dos professores vindos de qualquer ponto da cidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Contatos: sinvaldosouza@rioeduca.net Twitter: @SinvaldoNSouza

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 11/09/2012

Literatura de Cordel - Rima Marcante, Temas Atuais

Tags: 5ªcre, educopedia.

A professora Tânia Almeida e a turma 1602, da Escola Municipal Maestro Pixinguinha, trabalharam várias poesias e a de cordel foi a que mais agradou aos alunos, pela rima marcante e por seus temas atuais.

 


Literatura de  Cordel, um gênero literário com características únicas, de métrica, rima e textos desenvolvidos em linguagem coloquial, foi tema dos trabalhos desenvolvidos pela professora Tânia Regina Almeida, da área de Língua Portuguesa na E. M. Maestro Pixinguinha. Alunos da turma 1602 ao conhecerem a poesia de Cordel ficaram apaixonados, pois sua rima é fácil de ser lida e criada.

 

 

Turma 1602 - E. M. Maestro Pixinguinha

 

Segundo a professora Tânia, os objetivos desse trabalho são de conhecer e criar versos de cordel, observando o modo como ele é estruturado; reconhecer as unidades fonológicas: rimas, sílabas, início e término de palavras; familiarizar com a grafia e o significado das palavras chave do cordel. 


Nesse período de familiarização com a poesia popular, a profª Tânia convidou a profª Regina Bizarro, graduada em Língua Portuguesa e redatora do Portal Rioeduca, para falar aos alunos sobre o tema. Regina é autora de livretos de cordel e participou com poesias em Coletâneas da Camara Brasileira de Jovens Escritores (CBJE). No dia 15 de agosto passado, aconteceu o encontro com os alunos da turma 1602 e a professora propôs a criação de poesias após falar  sobre Literatura de Cordel, sua história e suas regras.

 

 

Cordéis feitos por alunos da Turma 1602

 


Os alunos ficaram atentos às informações e ouviram a poesia intitulada Novos Tempos - O Cordel na Internet, através do site Compadre Lemos .

A professora Regina explicou regras básicas do cordel, que envolvem entonação das palavras através das sílabas tônicas, além de conversar sobre os variados temas, pois estes são, em geral, do cotidiano os quais permeiam momentos da nossa vida. Ela também falou sobre o poeta Patativa do Assaré, um ícone da poesia popular, sendo seu trabalho reconhecido internacionalmente e agraciado no Brasil com o título de doutor "honoris causa" por Universidades locais.

 

 

Profª Tânia, na primeira foto; alunos com profªs Tânia e Regina; cordel feito pela turma

 


Logo após, os alunos passaram a criar poesias e algumas foram lidas em sala de aula. Devido ao grande interesse dos alunos pelo cordel o propósito foi atingido. Eles ficaram motivados a compor poesias e aprenderam a observar aspectos da grafia, unidades fonológicas, sílabas, que serão transformadas em livretos e deverão estar sendo expostos ao fim do ano na semana da cultura, conforme informação da professora da turma.


A professora Regina Bizarro dá algumas dicas de como trabalhar literatura de cordel em sala de aula:


Num trabalho inicial, distribua uma cópia de uma poesia de cordel para a turma; dite algumas palavras do cordel distribuído e peça aos alunos que as circulem; leia uma estrofe e peça aos alunos que marquem as suas rimas; faça o ditado de algumas palavras fáceis de rimar e verifique se os alunos já estão estabelecendo relações entre a fala e a escrita. Com essas atividades você poderá perceber em que aspectos da aprendizagem os alunos avançaram e o que ainda necessita ser mais trabalhado.


Outra dica: apresente uma poesia de cordel à turma. Organize os alunos numa roda e peça que um deles segure um objeto qualquer. Solicite à turma que leia as primeiras palavras rimadas escritas nas fichas anteriormente separadas, como por exemplo, as palavras MÃO/CORAÇÃO; o aluno que estiver com o objeto deverá dizer outra palavra que rime com MÃO/CORAÇÃO, entregando o objeto para um colega; cada aluno que receber o objeto deverá dizer uma palavra que rime com MÃO/CORAÇÃO; à medida em que as crianças falarem as palavras, o professor poderá listá-las no quadro chamando atenção para a sua grafia e o seu som; repetir o mesmo procedimento com outras palavras do cordel.

 

A literatura de cordel é gênero literário riquíssimo, tanto na forma como no conteúdo. Por considerá-la tão rica, especialistas a têm como uma ferramenta excepcional para desenvolver nos alunos o comportamento leitor.

 
Você também pode encontrar nas aulas digitais da Educopédia o tema Cordel acessando a disciplina de Língua Portuguesa, aula 17, 6ºano = Lendas urbanas e cordel: características e temáticas.


E então, gostaram?  Visitem o blog da professora Tânia Almeida: http://i9suasaladeaula.blogspot.com/ . Lá encontrarão outros trabalhos desenvolvidos nas suas turmas.

 

 Escreva um e-mail ao representante da sua CRE relatando uma experiência ou mesmo um projeto desenvolvido por você ou sua escola. Para saber clique em SOBRE NÓS no Portal Rioeduca.


Profª Regina Bizarro - Representante do Rioeduca/5ªCRE

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

Twitter: @rebiza

Facebook: https://www.facebook.com/#!/rebiza


                                


   
           



Yammer Share