A A A C
email
Retornando 28 resultados para a tag 'entrevistas'

Quarta-feira, 22/08/2012

CIEP Glauber Rocha - Ideb 2011: 1º Lugar na Rede e 3º Lugar no Brasil

Tags: 6ªcre, entrevistas.

 

O CIEP Glauber Rocha ficou em 3º lugar no país com o Ideb 2011 e em primeiro lugar na rede. Todo este sucesso é resultado de muita dedicação e amor à educação. A prof. Iolíris Paes, diretora do CIEP, é uma líder nata e conhecida por sua competência  e empenho.

 

O Rio tem duas escolas entre as cinco melhores do Brasil nos anos iniciais do ensino fundamental. Uma delas é da 6ª CRE, o Ciep Glauber Rocha, que ficou em terceiro lugar no país com o IDEB de 8,5 e em primeiro lugar na rede. A escola atende a crianças das comunidades Quitanda, Pedreira e Lagartixa.

 

 

 

Logomarca do Ideb

 

 

O Ciep Glauber Rocha é dirigido pela prof.ª Iolíris Paes há 17 anos. A média alcançada pela escola é maior que o padrão europeu. Este sucesso todo pode ser observado no hino do Ciep, que é cantado e colocado em ação por todos na escola.

 

 

Hino do Ciep Glauber Rocha

 

 

A equipe do CIEP Glauber Rocha é formada pela Diretora Iolíris Paes, pelas Diretoras Adjuntas Regina Carla e Inês de Brito, pela Coordenadora Pedagógica Márcia Giannini e por professores extremamente dedicados. Vamos conhecer as pessoas que fazem parte desta equipe!

 

 

 

Professores do CIEP Glauber Rocha: dedicação e amor

 

 

 

 

Professores do CIEP Glauber Rocha: excelência no trabalho

 

 

 

 

Equipe do CIEP Glauber Rocha: união acima de tudo

 

 

 

 

Equipe do CIEP Glauber Rocha: orgulho da 6ª CRE

 

 

 

 

Equipe do CIEP Glauber Rocha: harmonia no conjunto

 

 

 

Se hoje o colégio apresenta índices de excelências, nem sempre foi assim. Quando a diretora Iolíris Paes começou seu trabalho, o CIEP era alvo de arrombamentos constantes. A alternativa encontrada para sanar os problemas encontrados foi trazer os pais para a escola, incentivar a leitura e fazer reforço escolar. A prof.ª Iolíris Paes destaca que não houve ações revolucionárias, mas pequenas ações que fizeram toda a diferença para o sucesso da escola.

 

 

A equipe do CIEP dá atenção a todos os alunos. A dificuldade de cada criança é investigada. A base de pensamento e de ação da escola é que todos devem ter um olhar não só para o que desponta, mas para aquele que precisa de atenção também.

 

 

De origem pobre, filha de costureira e motorista, Iolíris tinha o sonho de ser professora desde os 5 anos. Sua mãe, apesar de não ter terminado a escola, sempre colocou o estudo como prioridade.

 

 

Após muitas noites sem dormir, dividindo o tempo entre as aulas que ministrava em uma escola municipal e a faculdade de Pedagogia, à noite, ela recebeu o convite para ser diretora do CIEP Glauber Rocha, em 1995. Ali começava seu maior desafio!

 

 

 

Diretora Iolíris Paes, orgulhosa, com os alunos do Ciep Glauber Rocha

 

 

 

Aluna do Ciep, Karen, sente orgulho em estudar no Glauber Rocha

 

 

Quem pensa que Iolíris chegou ao topo, está enganado! Os sonhos continuam! A professora quer abrir no ano que vem uma turma do 6º ano na escola e mais para frente alfabetizar todos os alunos com 6 anos, assim como na escola particular. Para a vida pessoal, outro sonho: Escrever um livro que conte a sua história no CIEP e mostre que com força de vontade tudo é possível. Uma verdadeira heroína!

 

 

Para ser bem sucedido no trabalho, a primeira coisa a fazer é apaixonar-se por ele. Parabéns à toda equipe do CIEP Glauber Rocha por demonstrar todo o seu amor pela educação carioca e por transformar o seu trabalho em fonte de riqueza e cultura.

 

 

Fonte: http://ciepglauberocha.blogspot.com.br

           http://extra.globo.com/

           http://odia.ig.com.br/

 

Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatríciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/08/2012

Ambiente Virtual da E. M. Dom Aquino Corrêa

Tags: 2ªcre, blogsdeescolas, entrevistas.

 

A E. M. Dom Aquino Corrêa está localizada no bairro de Copacabana e registra em seu portfólio virtual as atividades realizadas no espaço escolar.

 

 

O blog desta unidade escolar é moderado pela professora Adriana Dornellas, que nos conta um pouco sobre a criação deste ambiente virtual.


Adriana é professora do primeiro segmento do Ensino Fundamental e também de Artes Plásticas, além de trabalhar na E. M. Dom Aquino Corrêa e na E. M. Casa da Criança, ambas na 2ªCRE.


 

 

Professora Adriana Dornellas

 

       RIOEDUCA: Como surgiu a ideia de criar um blog para divulgar o trabalho da E. M. Dom Aquino Corrêa?       


Adriana Dornellas: Ao ser lotada na E. M. Dom Aquino, pude ver o trabalho maravilhoso que era realizado lá e procurei me informar como era divulgado o trabalho da Unidade. Como não havia uma pessoa responsável para a divulgação dos trabalhos, pedi autorização à Direção da escola e montei o blog da E. M. Dom Aquino, em 22 de abril de 2011.


A primeira postagem foi de teste para personalizar o espaço e ficar mais com a cara da escola: dinâmica, alegre, despojada. A primeira postagem publicada foi sobre a primeira reunião de responsáveis de sábado.

 

 

    RIOEDUCA: Além do blog, a escola possui perfil em algumas redes sociais. Conte-nos como aconteceu esta divulgação do trabalho da escola.    


Adriana Dornellas: Com o passar do tempo, fui percebendo que aquilo poderia ser muito mais que diversão ou passatempo.


Depois do lançamento do blog, minha vontade foi de expandir a ideia de interação às Redes Sociais. Com o consentimento da Direção da escola, comecei a aumentar a divulgação de nosso trabalho. Primeiro, montei a comunidade da E. M. Dom Aquino Corrêa, no Orkut. Com o crescimento da fama do Facebook, montei a página da escola também. Novamente, apresentei o que havia feito aos demais colegas da escola e pedi que repassassem aos seus alunos.

 

 

RIOEDUCA: O blog da E. M. Dom Aquino Corrêa foi criado em abril de 2011. Como aconteceu a apresentação deste portfólio virtual à comunidade escolar?

 

Adriana Dornellas: Fui de sala em sala para divulgar os links para acesso. Fiz papeis com estes links e distribui às crianças nessas visitas às salas de aula. A partir da segunda reunião de responsáveis, distribui com a ajuda de todos da escola o mesmo papel juntamente com cada boletim e prova entregue. Além de aproveitar um quadro que temos no pátio da escola – onde escrevi todos os links para acesso – foi feito também um cartaz para colocar na porta da escola.


Com essa divulgação, o blog teve em seis meses de criação mais de mil e duzentos acessos (atualmente, contamos com mais de dois mil e seiscentos acessos). Este acontecimento foi muito comemorado na escola!  Depois disso, tive a certeza de que eu estava no caminho certo.


Passei a divulgar o blog em minha página pessoal do Facebook e em meu perfil do Orkut. Mostrei o nosso trabalho nas páginas de outros colegas da Rede e os elogios foram muitos. Criei o perfil da E. M. Dom Aquino Corrêa, que também passou a divulgar os links com as matérias do blog. Acabei virando a responsável pela divulgação do trabalho da E. M. Dom Aquino Corrêa nas Mídias Sociais.

 

 

 

Professores da E. M. Dom Aquino Corrêa

 


As publicações mais recentes do blog mostram como aconteceram os preparativos e a realização da Festa Junina. Vejamos os registros sobre este evento. 

 

 

 

 

 

Os professores também entraram no clima da Festa Junina e se vestiram de acordo com o evento e a mesa de guloseimas foi um sucesso.


“A Equipe Dom Aquino também entrou na onda dos modelitos. Todos da equipe usaram roupas e acessórios muito coloridos! As crianças adoraram ver que os adultos também entraram no clima junino!” – Retirado do blog da escola


"Neste dia, foi oferecido às crianças uma deliciosa canjica, feita com muito carinho pelas nossas maravilhosas merendeiras!
Nossa mesa de guloseimas, mais uma vez, foi bem farta e todos puderam se esbaldar nos deliciosos quitutes que os responsáveis enviaram para abrilhantar ainda mais a nossa festa!”
– Retirado do blog da escola


 

 

Equipe da E. M. Dom Aquino Corrêa durante a Festa Junina

 

Agradecimentos à professora Adriana Dornellas por enviar as informações sobre o blog da E. M. Dom Aquino Corrêa.

 

Conheça mais sobre o trabalho da E.M. Dom Aquino Corrêa visitando seu blog

http://www.emdomaquinocorrea.blogspot.com.br/

 

Professor, divulgue também o blog de sua escola aqui no portal Rioeduca, basta entrar em contato com o representante de sua CRE.

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

Professora: Renata Carvalho _ Representante do Rioeduca, na 2ª CRE

Email: renata.carvalho@rioeduca.net

Twitter: @tatarcrj

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 31/07/2012

O Subprojeto Gentileza Gera Amizade Apresenta: A Pipa e a Flor

Tags: 2ªcre, entrevistas, riodeleitores.

O subprojeto “Gentileza Gera Amizade” está sendo desenvolvido pela E. M. Maria Leopoldina e faz parte do projeto anual cujo tema é: Gentileza Gera Gentileza.

 

 

A professora Patrícia Ávila desenvolveu, de acordo com a proposta da escola para o ano de 2012, um trabalho com seus alunos referente ao tema amizade e solidariedade.


Patrícia leu e realizou atividades com as turmas do primeiro ano do Ensino Fundamental, usando o livro “A Pipa e a Flor”, escrito por Rubem Alves. Ela nos conta como foi desenvolver com os pequeninos um projeto cujo tema é tão importante para a formação do cidadão.


 

 

Mural confeccionado após o trabalho com o livro "A Pipa e a Flor", de Rubem Alves

 

 

RIOEDUCA: Conte-nos sobre a escolha do tema “Gentileza Gera Amizade”.

 

Patrícia Ávila:     Gentileza gera Amizade é um subprojeto baseado no PPP da Escola Municipal Maria Leopoldina, que no ano de 2012, tem por tema: ”Gentileza gera Gentileza”. A equipe da escola acredita que quem quer um mundo melhor, deve estar consciente de que esse mundo só será possível se feito de pessoas também melhores. Tornar-se uma dessas pessoas agora é uma boa forma de tornar o mundo melhor hoje.


A fábula “A Pipa e a Flor”, de Rubem Alves, permite trabalhar o tema do projeto escolhido para o 1º ano: Amizade. Ela versa sobre o amor, o egoísmo, a liberdade, a relação com o outro, como gerar gentileza nas nossas relações e ainda permite ao leitor escolher um dos três finais que o autor apresenta para a história.

 

 

RIOEDUCA: Qual o principal objetivo deste subprojeto?


Patrícia Ávila: É mostrar às crianças, de forma lúdica, que devemos dar valor a atitudes positivas, descobrindo qualidades e usando-as no nosso dia-a-dia. A história foi contada e trabalhada com eles com a intenção de mostrar o que se pode semear para o futuro.




RIOEDUCA: Como foi o desenvolvimento do subprojeto "Gentileza Gera Amizade" ?

 

Patrícia Ávila: A história foi contada, incluindo os três finais propostos pelo autor. Discutimos os três finais e votamos para escolher o preferido da turma. Após esse momento, fizemos a recontagem da história de modo coletivo no blocão. Depois, fizemos isso de modo individual, quando cada um também ilustrou uma parte da história, montando um livro pipa. Montamos um painel com a pipa, em forma de livro, trazendo a reescrita e as ilustrações da história feitas por eles. Cada criança montou a sua flor de E.V.A. e na folhinha escreveu o que queria semear: amizade, respeito, superação, gentileza, igualdade, bondade, paz, fé, transformação, verdade, felicidade, carinho e liberdade. A pipa e todas as flores confeccionadas fizeram parte do painel, sendo que algumas foram montadas e “plantadas” em copinhos com massinha.

 

 

 

Alunos confeccionando flores para o painel

 

 

RIOEDUCA: Depois de ler a história e conversar sobre temas tão importantes como: amizade, solidariedade e respeito. Quais frutos puderam ser colhidos deste trabalho?


Patrícia Ávila: As crianças curtiram muito essa atividade, desde a história, a escolha do final, a confecção das flores e do livro pipa. Algumas das crianças já conseguem escrever frases formando pequenos textos e puderam livremente, ao final do projeto, fazer isso, expressando suas opiniões sobre as atividades realizadas. Além disso, o projeto proporcionou uma riqueza de material para trabalhar com a alfabetização partindo diretamente do texto lido. Conseguimos também alcançar o objetivo proposto para o projeto, já que é comum, quando eles se desentendem que um ou outro aponte para a palavrinha “amizade” presa na porta da nossa sala.


 

 

Alunos participando das atividades

 

 

Os alunos também deixaram suas opiniões sobre a atividade realizada com o livro “A Pipa e a Flor”.

 

“Eu gostei da história porque a flor tem que aprender a respeitar a pipa do jeito que ela é. A gente tem que respeitar o outro”.  Aluna: Maria Eduarda – 1ºano

 

“A pipa foi muito gentil com a flor. Eu gostei de escolher o final”. Aluna: Rita de Cássia – 1ºano

 

“A flor virou borboleta. A borboleta ficou gentil. Eu gosto de ser gentil”. Aluno: Arthur – 1ºano

 

Assista no vídeo abaixo ao livro produzido pelos alunos do 1ºano do Ensino Fundamental da E. M. Maria Leopoldina, com a orientação da professora Patrícia Ávila.

 

 


Parabéns e muito sucesso à professora Patrícia Àvila, aos alunos do primeiro ano e a toda equipe da E. M. Maria Leopoldina!   

 

Professor, divulgue também o seu trabalho aqui no portal Rioeduca. Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/06/2012

Jogando Xadrez nas Aulas de Educação Física

Tags: 2ªcre, entrevistas, jogos.


O Xadrez é um jogo que exige concentração e interesse. Foi com o objetivo de desenvolver estas habilidades que a professora Fernanda Derzi acrescentou este jogo às aulas de Educação Física.

 

 

Fernanda Derzi Saldanha é licenciada em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e no momento está lotada na E. M. Lúcia Miguel Pereira. Para nos contar sobre o desenvolvimento desta atividade durante suas aulas, a professora concedeu uma entrevista ao portal Rioeduca.

 

 

Professora Fernanda Derzi Saldanha

 

Rioeduca: Como surgiu a ideia de agregar o xadrez às aulas de Educação Física?


Fernanda Derzi: Tudo se iniciou quando meu filho, com apenas seis anos, começou a ter aulas de xadrez na escola. Achei muito interessante, pois passei a observar a crescente capacidade de raciocínio e concentração que ele demonstrava nos minitorneios realizados pela escola, e nas tomadas de decisões no seu cotidiano. Isso ficou na minha cabeça. No início deste ano, surgiram algumas mudanças no sistema escolar e algumas aulas de Educação Física passaram a ser ministradas em sala de aula. Foi quando surgiu a oportunidade de fazer o minicurso de xadrez realizado pela própria prefeitura. Lá aprendi algumas técnicas e progressões pedagógicas para serem usadas com as crianças. Nesse ínterim, a diretora da escola disse que tinha disponível alguns jogos de xadrez guardados no almoxarifado. Pronto, me entusiasmei, e uni o útil ao agradável.

 

 

Rioeduca: Conte-nos sobre o desenvolvimento das aulas de Educação Física utilizando os jogos de xadrez.


Fernanda Derzi: No início do bimestre, comecei contando um pouco da história do xadrez, e iniciamos com as batalhas dos peões, seguindo sempre uma sequência pedagógica para que eles pudessem ir acompanhando aos poucos. Logo depois, fui introduzindo outras peças de fácil manuseio. Por fim, chegamos ao final desse bimestre jogando xadrez com todas as peças do tabuleiro, o que gerou um grande fascínio nos alunos. Agora, estamos começando a organizar minitorneios dentro de suas próprias turmas, para que possamos, a seguir, organizar um torneio com todas as turmas. Para isso, estou usando uma ferramenta bem interessante que é o programa Swiss Perfect 98, que organiza os participantes, diz quantas rodadas são necessárias para aquele quantitativo de alunos, vai criando o ranking de classificação, até chegar ao campeão. Muito interessante! Eles adoraram a novidade.

 

 

Rioeduca: Jogar xadrez exige muita concentração. É possível perceber a mudança de postura dos alunos durante as aulas?


Fernanda Derzi: Sim, com certeza. Percebo claramente nas aulas de Educação Física no pátio e durante as próprias aulas de xadrez, que existe uma euforia natural inicial, mas quando se voltam para a atividade é como se mais nada existisse lá fora. É fantástico! Eu me surpreendo quando vou passando pelas mesas e observo uma dupla totalmente concentrada, trabalhando o raciocínio lógico, e o discernimento entre tomar uma decisão certa ou errada.

 

 

Alunos jogando xadrez durante as aulas de Educação Física

 

 

Rioeduca: Como acontece a participação dos alunos durante as aulas?


Fernanda Derzi: Eles são bastante participativos, criativos, dão sugestões de jogadas visando suas consequências, etc. E assim, vamos ilustrando todo esse esquema no quadro. E eles também entraram na história dos castelos medievais, dos cavaleiros, das torres bem altas, dos conselheiros do rei, e do próprio rei e rainha. A aceitação foi instantânea!

 

 

Alunos da turma 1401 jogando xadrez

 

Os alunos também deixaram suas opiniões sobre jogar xadrez durante as aulas de Educação Física. Vejamos:
 

 

 

Maria Clara da Silva: “Foi muito bom aprender xadrez porque é muito bom para o aprendizado e para a concentração. A gente faz campeonato e quando estamos jogando nós nos divertimos. Eu aprendi a jogar xadrez porque a professora ensinou muito bem e agora estou aqui, fera no xadrez. Eu adoro xadrez!”

 

Flávia Júlia de Souza Netto: “Eu aprendi muita coisa, também melhorei em Matemática, gostei muito porque eu competi na sala, e ensinei a minha família a jogar, meus amigos e colegas estão sempre jogando.”

 

Douglas Silvestre Ferreira da Silva: “Jogar xadrez é a melhor coisa que eu aprendi quando a Educação Física é na sala. Eu adoro fazer torneio na sala.”

 

Parabéns à professora Fernanda pela iniciativa de agregar esta atividade tão enriquecedora às aulas de Educação Física. Muito sucesso!

 

 

Professor, divulgue também o seu trabalho e o de sua escola no portal Rioeduca. Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua CRE.

 

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

 

Professora Renata Carvalho _ Representante do Rioeduca na 2ªCRE

Email: renata.carvalho@rioeduca.net

Twitter: @tatarcrj

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share