A A A C
email
Retornando 5 resultados para a tag 'fotografia'

Quinta-feira, 15/11/2018

EDI Professora Solange Conceição Tricarico em Projeto "O Olhar Infantil na Fotografia"

Tags: 4ªcre, fotografia, edi.


Espaço de Desenvolvimento Infantil Professora Solange Conceição Tricarico em Projeto "O Olhar Infantil na Fotografia"

 

O projeto “O olhar Infantil na Fotografia” foi desenvolvido no EDI Solange Conceição Tricarico, na Maré, pelos alunos do Maternal II, turma EI-31, durante o mês de Agosto de 2018. A professora Ariene Vitalino da Silva mediou as atividades com a ajuda das Agentes de Educação Infantil, Andréia Kvacek e Luciana Motta.

 

 

 

 

 

A ideia de falar sobre a fotografia surge a partir da curiosidade mostrada pelas crianças diariamente nos registros fotográficos em sala de aula. A aluna, Pandora, queria sempre registrar os momentos de interação dos amigos da turma e percebemos o grande interesse que outros alunos compartilhavam em fotografar.- Professora  regente da turma Ariene.

 

 

 

 

O principal objetivo foi desenvolver práticas que favorecessem a exploração, a observação, a experiência de registrar e sensibilizar o olhar. Durante o projeto, a equipe buscou a valorização do olhar infantil. Como proposta educativa, as crianças conheceram diversas câmeras fotográficas, desde as que usavam filme até as câmeras atuais, aprenderam que antes as câmeras não mostravam a foto na hora como acontece hoje e ficaram encantadas ao conhecer os “negativos”.

 

 

 

 

Também, foi explorado os diversos espaços do EDI com o uso de câmeras confeccionadas com sucata, brincando, reciclando e experimentando a arte de fotografar. A Unidade Escolar recebeu um fotógrafo profissional, chamado Victor Vieira, que contou numa roda de conversa sobre sua profissão e ensinou as crianças como usar uma máquina profissional.

 

 

 

 

Alguns álbuns fotográficos foram mostrados e se pode perceber que muitas crianças não conheciam a foto impressa, já que com os avanços tecnológicos a maior parte dos responsáveis prefere guardar suas fotos no pendrive ou nas redes sociais. Um dos álbuns que mais encantou as crianças foi o das fotos de casamento, apresentado através de uma narração em que as crianças faziam a partir das fotografias mostradas.

 

 

 

 

Para finalizar, os responsáveis foram convidados para uma roda de conversa sobre suas experiências, lembranças e casos com as câmeras antigas.

 

Segundo a equipe, foi muito bom partilhar esse momento emocionante, no qual muitos relataram, com carinho, o uso das câmeras e suas experiências com a fotografia.

 

Durante o projeto, o que mais me chamou atenção foi como a câmera fotográfica se fez aliada das crianças, o fotografar, como prática pedagógica, potencializou as experiências de expressão dos alunos. Professora regente da turma Ariene.

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: EDI Professora Solange Conceição Tricarico

E-mail: edistricarico@rioeduca.net

Telefone: 3884-5678

 

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/08/2018

Resgatando e Valorizando o Hábito Pela Leitura

Tags: cre10, 10ªcre, fotografias, leitura.

 

Escola Municipal Professora Zélia Carolina da Silva Pinho promove atividades como Exposição de Fotografias e Leitura Lounge com o intuito de despertar nos alunos o interesse pela leitura através de propostas diferenciadas.

 

A Escola Municipal Professora Zélia Carolina da Silva Pinho está localizada a Rua Felipe Cardoso, n° 1536 – Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 20 turmas, com 657 alunos do 6° ao 9° ano. Tem como diretora, a professora Tânia Maria Gonçalves dos Santos, como diretor adjunto, o professor Eduardo do Amaral Santos e, como coordenadora pedagógica, a professora Luana Fortunato Costa.

 

A equipe gestora é formada por professores que acompanham a trajetória da Unidade. A diretora, professora Tânia Maria Gonçalves dos Santos, debuta junto a escola, que neste ano completou 15 anos, pautados no empenho em construir um espaço democrático e organizado, que valoriza o aluno como parte principal do processo ensino- aprendizagem.

 

Pelotão da Bandeira da Unidade Escolar

 

O estímulo à leitura é sempre um desafio para o professor de língua portuguesa, uma vez que o desinteresse pela prática é frequente entre adolescentes de hoje, tão imersos a uma realidade virtual que, muitas vezes, desestimula a concentração. Dessa forma, pensando em uma maneira de despertar nos aprendizes uma vivência agradável e estimulante de leitura, os professores realizaram uma atividade um pouco diferente das realizadas habitualmente no ambiente escolar. 

 

 O texto trabalhado com as minhas turmas no 1° bimestre foi o conto “Venha ver o pôr do sol”, de Lygia Fagundes Teles. No entanto, eu gostaria de estar com a turma durante a leitura para perceber como era a postura de cada aluno. Dessa forma, não pedi para que lessem o texto em casa. A atividade deveria acontecer na escola. Como muitos alunos não têm o hábito de ler em casa, tentei encontrar alguma forma de proporcionar-lhes um ambiente que oferecesse o relaxamento e a descontração que o lar oferece. Verifiquei que havia na escola uma sala de instrumentos, onde não ocorriam aulas em meu horário com as turmas, e resolvi fazer a atividade por lá. Como havia poucas mesas e cadeiras, os alunos poderiam ficar como quisessem, inclusive deitados. O resultado superou as expectativas, pois os alunos ficaram 40 minutos em silêncio lendo o texto e ainda finalizaram a leitura bastante exaltados com um dos personagens.  afirma a professora Lygia Figueira

 

 

Alunos da 1801 em atividade de leitura

 

Como o resultado da atividade foi muito proveitoso, a direção da escola resolveu investir na sala, transformando-a em um espaço preparado para receber bem os alunos. Sendo assim, com as próximas turmas, o ambiente estava mais bonito, com paletes, colchonetes e flores.

 

A proposta da atividade foi oferecer aos alunos a leitura de um bom texto de maneira relaxada e concentrada. Alguns trabalhos surgiram em decorrência da atividade, mas se deram de maneira natural, a pedido de alunos ou devido a uma reflexão ocorrida após debate. A turma 1801, por exemplo, decidiu adaptar a história para uma peça. Selecionaram atores, diretores, pensaram no cenário e no figurino. Na turma 1902, o texto gerou reflexão sobre os temas feminicídio e independência da mulher. A professor propos que se expressassem sobre as reflexões que fizeram a partir do texto. Foram feitos desenhos, maquetes, poesias, vídeos, cartazes e músicas. Na 1901, os alunos se dividiram para um seminário sobre mulheres. Um dos grupos pesquisou e apresentou sobre a autora Lygia Fagundes Teles.

 

Diante da necessidade de se trabalhar valores, dentre os quais o cuidado e o respeito com o próximo e, ainda, no anseio de resgatar o gosto pela leitura, a professora Andréia pensou em uma proposta que pudesse englobar as prioridades mencionadas. Contudo, havia a necessidade de encontrar uma proposta que possibilitasse uma leitura única para toda turma 1606, tendo em vista a inviabilidade de se dar conta de várias leituras ao mesmo tempo e que essa fosse realizada no ambiente, pois somente assim se teria a certeza de que todos de fato iriam ler o livro. Em consulta a sala de Leitura, ela encontrou o livro “O Pequeno Príncipe” com 11 exemplares. Como a direção havia criado o espaço Leitura Lounge, o projeto pode ser realizado de maneira que os alunos pudessem ter um espaço diferenciado para realizar a leitura.

 

 Alunos sem nenhuma concentração em sala de aula se silenciaram diante da encantadora leitura do livro “O Pequeno Príncipe” e a todo instante demonstravam curiosidade em saber sobre o final da história. Em determinados momentos, fazia intervenções com a preocupação de que todos estivessem no mesmo momento da leitura ou próximos e, ainda, buscando neles o entendimento sobre a importância de uma simples florzinha para o Pequeno Príncipe e o que ele foi capaz de fazer para cuidar dela. Desta forma, trabalhamos valores no sentido de como cuidar um do outro, do que devemos fazer para cativar as pessoas, que todos são importantes independente de quem seja. Foi um momento mágico, finalizado com um lindo musical cantado por toda turma.  afirma a professora Andréia Souza

 

 

Alunos da 1606 no espaço Leitura Lounge

 

 

Outra projeto de grande sucesso na Unidade Escolar foi a exposição de fotografias organizada pela professora de Artes, Fernanda Miguel. As fotografias foram produzidas pelos alunos do 9º ano após estudo resumido e adaptado a faixa etária da história da fotografia.

 

As fotografias feitas com aparelhos celulares e filtros artesanais, que vão de papéis coloridos, cd, descartáveis, espirais de cadernos e diversos outros materiais.

 

 

 Um processo que começa no escuro de uma caixa, onde a luz se transforma poeticamente em imagem. A câmara escura é nosso primeiro objeto de transformação do olhar, treinando a observação da paisagem, enquadramento, luz e sombra, plantando a semente da fotografia na alma de nossos alunos. A intenção maior do trabalho não estava apenas nas imagens que resultaram dele, mas em desenvolver nos alunos um olhar crítico de mundo, uma observação maior, não só de pequenos detalhes e novas belezas, como de tudo que os rodeiam.  afirma a professora Fernanda Miguel.

 

 

Fotografia de aluna do 9° ano

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.062) E. M. Professora Zélia Carolina da Silva Pinho.
E-mail: emzpinho@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 18/05/2018

Projeto “Meu olhar na escola” na E. M. Santos Dumont

Tags: projeto, fotografia, fotográfico, olhar, escola, 5ªcre.

 

A E. M. Santos Dumont, em um trabalho colaborativo, incentivou seus alunos a produzirem suas próprias imagens, utilizando os recursos tecnológicos e registrando momentos significativos do dia a dia. Confira!

 

 

Nome do projeto: Projeto Fotográfico "Meu Olhar"
Data de realização: novembro de 2017
Local: Escola Municipal Santos Dumont

Idealizadora: professora Patricia Tavares
Participantes: professora Patricia Tavares, professora Cecília Couto, o fotógrafo Bruno Sophia e os alunos do 5º ano
 

"Fotografar é colocar na mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração", bem definiu o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004)

 

O projeto “Meu olhar na escola” foi realizado com os alunos do 5º ano da Escola Municipal Santos Dumont, localizada em Marechal Hermes. Nele os estudantes participaram de aulas teóricas, práticas e o celular foi um grande aliado.

 


Responsável pela atividade, a professora e também fotógrafa Patricia Tavares contou com a participação da Professora da Sala de Leitura, Cecília Couto, da professora de Educação Física, Aurita Silva, além da parceria do fotógrafo Bruno Sophia, para realização do projeto. 

O principal objetivo do projeto foi incentivar o conhecimento da linguagem fotográfica e os recursos disponíveis no celular para a produção de imagens.

 

 

Uma vez que a comunicação através de imagens está em evidência e muitos estudantes possuem aparelhos celulares, torna-se importante a promoção de ações produtivas que envolvam os alunos em situações que eles vivenciem rotineiramente.


Com esse objetivo, foram realizadas aulas de fotografia, durante todo o mês de novembro do ano de 2017 e, no dia 28 do mesmo mês, promoveu-se a culminância do projeto, através de uma exposição aberta à Comunidade Escolar com as fotos produzidas durante as aulas. 

A Unidade Escolar também realizou um Concurso Fotográfico, que elegeu o autor das “melhores” imagens, com premiação para os(as) vencedores(as).

 

 

"Vale frisar que as características dessa linguagem, como luz, ângulo, perspectiva, composição, planos, textura, foco e movimento, não devem ser abordadas somente de forma expositiva. Esse conteúdo todo deve ser aprofundado durante a apreciação e análise das imagens feitas por pessoas comuns e por profissionais. Pois é com a visualização e as intervenções do professor que o aluno o perceberá de forma contextualizada e terá condições de avaliar o impacto que os vários elementos causam quando são usados conscientemente e quando o autor não os conhece."

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/1048/olhar-fotografico

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.15.027) Escola Municipal Santos Dumont

Endereço: Pça. 15 De Novembro 29 Marechal Hermes

E-mail: emdumont@rioeduca.net

Tels: 3018-2134 | 3018-2656


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 12/07/2017

Os Diferentes Modos de Ver!

Tags: 8ªcre, educação, infantil, fotografia.

 

A Creche Municipal Fazenda Coqueiros II apresenta o inédito projeto "Os Diferentes Modos de Ver". A iniciativa tem como objetivo registrar o olhar das crianças através da câmera fotográfica, estimular sua criatividade, expressão oral e protagonismo.

 

 

 

Desde a mais tenra idade é possível estimular e promover o contato das crianças com as mais variadas expressões artísticas. 

O projeto realizado pela Creche Municipal Fazenda Coqueiros II visa não a importância da beleza estética da imagem, mas a capacidade da criança de produzir, criar, desenvolver suas habilidades e  expressar seu olhar de mundo.

Atualmente, é comum o registro de diferentes momentos do cotidiano e essas imagens são postadas nas redes sociais. A proposta foi dar às crianças a oportunidade de registrar lugares, coleguinhas ou momentos que são significativos para elas e em seguida expressar oralmente seus sentimentos. Essa ação torna-se um exercício de elaboração de impressões, ideias e interpretação do mundo pelo olhar da criança.

 

 

O projeto teve início durante a rodinha de integração, no momento das novidades. As professoras apresentaram várias fotos para as crianças. Eram imagens de diferentes contextos, como helicópteros, princesas, árvores e pessoas. 

Os alunos foram convidados a manusearem essas fotos e descreverem o que viam nas imagens. Cada uma contou o que percebeu e em seguida toda a turma foi convidada a listar as características de cada foto.

Durante a conversa foi perguntado às crianças qual era a foto que eles mais gostaram e depois foi proposto que eles usassem a máquina fotográfica para que fizessem fotos dos espaços que mais gostam dentro da creche.

Foi um momento de muita curiosidade e todos quiseram participar!

 

 

A segunda etapa do projeto foi realizada no dia seguinte. Já com as fotos feitas pelas crianças, o trabalho foi direcionado aos pequenos grupos que foram organizados para fazerem a observação das imagens.

As crianças surpreenderam com relatos muito bem detalhados de cada foto, inclusive identificavam o autor da maioria delas. Esse foi um momento rico para explorar a expressão oral, a organização do pensamento e o trabalho cooperativo.

Para encerrar o projeto foi organizada uma exposição com as fotos feitas pelos alunos e o registro de suas falas durante as etapas de elaboração do mesmo.

 

 

"Esse projeto mostrou que cada criança tem um modo diferente de ver a creche e que cada cantinho tem um significado peculiar para elas. Mostrou também que as imagens que vemos na nossa instituição cotidianamente podem ser vistas com outros olhos, não sendo cenas estáticas, mas estando em constante movimento (...)"

 

                                                                                 Mayra Souza, PEI da Creche Municipal Fazenda Coqueiros II

 

 

Para entrar em contato com a Creche Fazenda Coqueiros II: cmfcoqueiros2@rioeduca.net

 

 

Qual é a novidade na sua escola? Compartilhe!

Entre em contato com o Rioeduca.

 

 


   
           



Yammer Share