A A A C
email
Retornando 18 resultados para a tag 'oficina'

Terça-feira, 05/07/2016

1001 Histórias com Arte

Tags: 1ªcre, projetos, oficinas.

 

 

 

 

Ônibus com Biblioteca Itinerante leva Oficinas literárias às escolas da 1ª Coordenadoria Regional de Educação.

 

Uma parceria firmada pela Secretaria Municipal de Educação tem levado aos alunos encantamento, aprendizagem e diversão. São as oficinas do Projeto 1001 Histórias com Artes.

A ideia do projeto é inspirada no projeto ônibus-biblioteca, criado no ano 2000 pela Auto Viação 1001, que percorreu 200 cidades e atendeu a 600 mil crianças. Reformulado pela equipe da Spiral Criativa, em parceria com o Instituto JCA, o projeto tem patrocínio da Auto Viação 1001, Sit Macaé e Macaense.

 

 

Neste ano de 2016, o 1001 Histórias com Arte percorreu as escolas da nossa Rede localizadas nas regiões do Catumbi, São Cristóvão, Benfica e Caju. Foram oferecidas diversas oficinas para as crianças matriculadas no primeiro e segundo anos do Ensino Fundamental.

O primeiro impacto que o Projeto causa é a forma como ele chega à escola: um ônibus-biblioteca. Os alunos ficam num misto de surpresa, admiração e encantamento. Passado o impacto inicial, as diversas oficinas que são oferecidas tem contribuído para o processo de disseminação de leitura entre as crianças das nossas Unidades.

 

A estrela do Projeto

 

A primeira escola contemplada com o Projeto foi a Escola Municipal Gonzaga da Gama Filho, no bairro de São Cristóvão. Durante alguns dias, a biblioteca itinerante ficou estacionada na entrada da escola, realizando as atividades com os alunos da Unidade.

Para a diretora , professora Mônica Mussi, "o projeto foi MARAVILHOSO! Uma oportunidade incrível para nossas crianças". A diretora ficou muito agradecida pela experiência que foi oferecida aos alunos. Para a diretora-adjunta Laura Mello, “esse projeto envolveu e estimulou o conhecimento cultural e artístico das crianças. Além do incentivo à leitura."

 

Alunos da E.M. Gonzaga da Gama Filho, dentro da biblioteca intinerante

 

Quanto aos alunos, as opiniões mostram todo o encantamento:

"Os alunos se mostraram encantados com o projeto. Deliciaram-se na leitura de diversos livros dentro do ônibus e se divertiram com a pintura em aquarela." - Paula de Sousa Moreira, professora turma 1205.

"Achei as atividades criativas, divertidas. Gostei da representação gráfica e a música do Toquinho." - Maria Elvira Alves dos Santos, professora turmas 1203 e 1204

"Gostei de realizar a pintura fora de sala e também de ouvir a história da família e a música do Carrossel" - Kauane, aluna turma 1205

"Gostei dos livros das estantes que tava dentro do ônibus colorido com os livros" - Jorge Eduardo, aluno, turma 1105

"Gostei dos livros e da música"- Gabriela, aluna, turma 1106.

 

Alunos Produzindo Artes, após ouvir Histórias - E.M. Gama Filho

 

Na Escola Municipal Estados Unidos, no bairro do Catumbi, o ônibus estacionou no pátio da Unidade. Primeiro, veio o estranhamento com aquele veículo no meio da escola. Depois, o encantamento com as mil e umas histórias contadas e recontadas pelas monitoras do Projeto. Cada história acompanhada de uma oficina artística diferente.

 

Ativiidades no Pátio da E.M. Estados Unidos

 

Para Alessandra Nunes, diretora da Unidade, "o Projeto 1001 Histórias com Arte é excelente, muito lúdico e estimulante para as crianças. Além de ser uma proposta super diferente, o projeto inclui no seu planejamento atividades de relaxamento, contação de histórias e artes de acordo com a história contada. Os alunos ficam deslumbrados..."

 

Oficina de Artes - E.M. Estados Unidos

 

A diretora ainda nos fala que "é uma pena não estar extensivo aos demais alunos de outros anos de escolaridade. Aqui, aconteceram visitas por parte dos alunos do 3º e 6º anos e também nossos alunos do Grêmio e CEC, que são monitores da Sala de Leitura, para observarem e terem ideias para multiplicar com os alunos que não foram beneficiados. Incluo aqui minha solicitação para que, numa próxima oportunidade, os demais alunos possam também vivenciar este mundo encantado!"

 

Além das unidades citadas, a Escola Mestre Waldemiro e o CIEP Henfil também receberam as ações do Projeto.

 

Enfim , uma oportunidade ímpar para nossos alunos! Afinal, eles merecem o Melhor!

 

Um pouquinho da nossas escolas:

E.M. Gonzaga da Gama Filho

Endereço: Rua Gustavo Cordeiro de Farias, 578 - Benfica

Direção: Mônica Mussi da Silva Sobral

Telefone: 3895-8644

E-mail: emgfilho@rioeduca.net:

A escola recebeu esse nome em homenagem ao Patrono Deputado Luiz Gonzaga da Gama Filho, parlamentar que exerceu altas funções na Secretaria de Educação e Cultura do antigo Estado da Guanabara. A escola atende aos alunos da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, além do Projeto Aceleração 1 e PEJA , em horário parcial.

 

E.M. Estados Unidos

Endereço: Rua Itapiru, 453 - Catumbi

Direção: Alessandra Nunes Pereira Ribeiro

Telefone: 2213-5658

E-mail: emeunidos@rioeduca.net

 

O nome da Escola foi uma homenagem ao país homônimo. Atualmente a Unidade atende alunos da Educação Infantil ao nono ano do Ensino Fundamental, em turmas de horário parcial.

 

Professor Alexandre Roque de Araujo
Representante Rioeduca.net da 1ª Coordenadoria Regional de Educaçãoalexandrearaujo@rioeduca.net
Twitter: @Alexandre_Roque
Whatsapp 98733-1970

 

COMENTE E COMPARTILHE

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/07/2016

Favela Mundo no Engenho da Rainha

Tags: favela mundo, oficinas.

 

 

 

 

FAVELA MUNDO OFERECERÁ MAIS DE 300 VAGAS EM OFICINAS CULTURAIS NA ESCOLA MARECHAL ESTEVÃO LEITE DE CARVALHO


Contra turno será com muita alegria e para toda a comunidade escolar

 

O projeto Favela Mundo, que acaba de se despedir da Escola Municipal Pedro Aleixo na Cidade de Deus inicia atividades para crianças, jovens e responsáveis no Engenho da Rainha, em 11 de julho.


Após beneficiar mais de 550 crianças na zona Oeste da cidade a entidade parte para a zona norte, onde pretende beneficiar mais de 300 alunos.


O projeto conta com patrocínio do MetrôRio, Prefeitura do Rio e da Secretaria Municipal de Cultura e levará à escola aulas de danças brasileiras, hip hop, jazz, capoeira, teatro e violão para crianças e jovens de 6 a 18 anos e oficinas de artesanato, maquiagem e decoração de unhas para os responsáveis. “Acreditamos que para o desenvolvimento pleno, o aluno precisa ter o apoio da família. Desenvolvemos atividades voltadas aos pais pois dessa forma conseguimos entender melhor o dia a dia de cada criança, conhecemos seus problemas reais e podemos, todos juntos, criar estratégias para que ele cresça de forma saudável. Outro fator importante e fundamental é que as oficinas para os adultos tem o foco na geração de renda, assim as famílias adquirem conhecimentos para ajudar no sustento de suas casas.” Comenta Marcelo Andriotti, idealizador do projeto.

 


Fundada em 2010 a ONG Favela Mundo já beneficiou mais de 2.300 crianças e jovens de 92 comunidades. Representou o Brasil em diversos eventos no extrerior, entre eles destacam-se o Congresso Internacional de Pedagogia de Havana/Cuba, UNAOC-EF Summer School, na ONU em Nova Iorque e em 2014 o projeto foi reconhecido como um “modelo de inclusão social nas grandes cidades”, no World Cities Day, na Sede das Nações Unidas. Ao todo a Favela Mundo já esteve presente, levando a bandeira de nosso país, em 8 eventos estrangeiros.


Em agosto a África receberá o Favela Mundo no NAIMUN, evento que ocorrerá no Marrocos e debaterá formas de aplicar os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. A entidade será a única brasileira convidada, entre mais de projetos de mais de 50 países.


Para participar das aulas gratuitas na Escola Marechal Estevão Leite de Carvalho, no Engenho da Rainha, é preciso a autorização dos responsáveis e cópia da identidade e CPF. O projeto terá a duração de 12 meses e tem como principal objetivo diminuir as taxas de evasão, aumentar o interesse dos alunos pela vida escolar e oferecer novas oportunidades de crescimento pessoal para os alunos.

 

 


“Nós da escola Marechal estamos empolgados e realmente acreditando que a Favela Mundo vem pra somar com nosso “Projeto Vida”, acreditamos que irá dar um significado pra uns e ressignificar a vida de outros alunos. Porque alguns não têm essa perspectiva de futuro. Creio que podem encontrar na dança e demais oficinas novas oportunidades de melhoramento em suas vidas, quem sabe um novo emprego, uma nova perspectiva, ... um novo olhar pras suas vidas. É isso que estamos esperando do Favela Mundo, porque nós da escola estamos nessa perspectiva de sempre dar um ressignificado. Infelizmente alguns de já estão empenhados e abraçados pelo tráfico. Outros veem o tráfico como ascensão social dentro da comunidade onde vivem. Nós da Marechal sempre lutamos contra isso é nosso dever nos quatros anos que estamos aqui lutar contra isso e mostrar pra eles que existe sim novas oportunidades. Após quatro anos em frente à escola vejo muito mais alunos entrando no ensino médio do que eu via quando eu entrei aqui, mas não quer dizer que isso é tudo. Eu acredito em 100% porque se eu não acreditasse em 100% eu não estava na educação. Hoje nós estamos alcançando 80% e acredito que com a entrada de vocês existe perspectiva de 100%. Porque não sonhar com 100% e é com essa linha de pensamento, de raciocínio, de crença na educação que eu sei que a Favela Mundo vai somar.” – comenta Valéria Maria Ferreira Guedes Machado, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Marechal Estevão Leite de Carvalho.

 


A dura realidade da comunidade, pobre em projetos culturais é o que está levando a Favela Mundo para o Engenho da Rainha, como uma ferramenta de integração, crescimento pessoal e aumento da autoestima dos moradores.


Para o diretor Comercial e Marketing do MetrôRio, Ricardo Nunes, essa iniciativa vem reforçar o compromisso da Concessionária em contribuir com a formação do cidadão. “Esta parceria firmada com a Favela Mundo irá contribuir para o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos moradores das comunidades do entorno da estação Engenho da Rainha. O MetrôRio tem consciência do seu papel e procura estimular esse convívio social. O projeto estimulará aptidões pessoais e profissionais, abrindo um novo leque de opções para essas pessoas”, disse.

 

Início das aulas: 11 de julho

Para informações adicionais sobre inscrições, os interessados podem entrar em contato pelo telefone (21) 2236-4129 ou pelo site www.favelamundo.org.br
 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 06/06/2016

Favela Mundo Despede-se da Cidade de Deus Após Beneficiar Mais de 500 Crianças e Jovens

Tags: favela mundo, oficinas.

 

 

 

 

Parceria entre Educação e Cultura marcaram o ano na E.M. Pedro Aleixo

 

O projeto Favela Mundo, iniciado em 2015, na Escola Municipal Pedro Aleixo com patrocínio da LAMSA, Prefeitura do Rio e da Secretaria Municipal de Cultura finalizará suas atividades no próximo dia 24 de junho com grande festa e apresentação dos alunos de danças (brasileiras, hip hop, jazz e maculelê), teatro e violão. A despedida ocorrerá às 14h na própria escola, onde o projeto foi desenvolvido durante os últimos 10 meses.


Alcançando a marca de 559 alunos de 22 comunidades da Cidade de Deus e adjacências e de 35 escolas, as oficinas deixarão saudades nos alunos que puderam ver a escola como um local prazeroso de estar, de desenvolvimento humano e de fazer amigos até mesmo de locais historicamente rivais.


Ao todo foram preenchidas 1.001 vagas nos oito cursos que foram desenvolvidos durante o último ano: canto, danças brasileiras, desenho, hip hop, jazz, maculelê, teatro, violão e decoração de unhas (para os responsáveis dos alunos).

 


Marcelo Andriotti, criador do projeto, comenta “Sempre foi um objetivo fazer essa parceria com a SME. Logo no primeiro ano do Favela Mundo, em 2010, obtivemos a incrível marca de 100% dos alunos estudando formalmente, sem casos de evasão escolar. Tal fato rendeu-nos um convite para irmos à Cuba no Congresso Internacional de Pedagogia de Havana em 2011. Mas o projeto ocorria em espaços alugados ou associação de moradores. Estar dentro da escola nos mostraria o real impacto do projeto na vida dos alunos. Não foi fácil. Tivemos muitos obstáculos e precisamos adaptar toda a nossa metodologia ao dia a dia de uma instituição formal de ensino. Era preciso diariamente conter a alegria e empolgação dos alunos, que chegavam e saiam eufóricos de nossas aulas. Mas a ajuda e apoio de todo o corpo docente e principalmente da direção da escola foi fundamental e o projeto foi um sucesso.”


A repercussão pode ser também percebida pelo depoimento de alguns pais:


“O projeto é para minha filha está sendo muito bom, ela está mais responsável com os horários, aparência e vestuário. Antes ela era muito manhosa, chorava por tudo, hoje vejo que ela está mais forte, ativa e com personalidade. O projeto Favela Mundo deu a oportunidade das crianças fazerem uma coisa útil com o tempo ocioso.” - Patrícia da Silveira (mãe).


“Meu filho antes de praticar as atividades da Favela Mundo não tinha iniciativa para nada, mas quando começou fazer as oficinas notei que ele pouco a pouco voltou a se interessar pelos estudos, ajudar dentro de casa. Em minha opinião Favela Mundo é tudo de bom, não só para o meu filho, mas para todas as crianças que estão tendo a oportunidade de participar desse projeto.” - Luiz Antônio dos Santos Lena (pai).


“Vão com aquele pensamento: ”Escola novamente!” Retornam pra casa como se tivessem ido ao um parque de diversões. Obrigado Favela Mundo!” Lucio (pai).

 


A comprovação do sucesso do projeto na escola também pode ser notado com a satisfação da direção da escola:


“Dar a oportunidade aos nossos alunos e à comunidade de participar de várias atividades e desenvolver diferentes habilidades foi uma escolha acertada. Essa é a Escola que queremos, com alunos integrados e participativos, descobrindo o seu eu e fazendo acontecer. São raras as parcerias e essa foi positiva e agregadora. Ver alunos que nunca tinham dançado, representado ou tocado, fazendo e apresentando o resultado do esforço individual e coletivo é de uma alegria imensurável. Foi fácil, moleza? Claro que não. Tivemos problemas, ajustes foram necessários. Mas, quando todos trabalham direcionados para o bem comum, as coisas fluem positivamente. Agradeço à todos que estiveram juntos nessa proposta e execução.” Comenta Maria Angélia Cunha Martins, Diretora da Escola que desde o primeiro momento foi uma grande apoiadora da parceria.

 

 

“Eu percebo uma mudança no comportamento das crianças, na sociabilização e no envolvimento que eles ficam com a escola, é um vinculo a mais deles com a educação além de aproximar os pais, que nos eventos e apresentações podem ver o que os filhos estão aprendendo” complementa Neusa Alves, coordenadora pedagógica.

A alegria que as crianças transmitiam no vai e vem da escola, com o uniforme colorido do projeto chamou a atenção de outra instituição e no início de 2016 a direção da Creche Municipal Margarida Gabinal, também na CDD, solicitou que algumas aulas fossem realizadas no local. Desde março aulas de teatro e dança fazem parte da rotina de 88 crianças atendidas pela instituição.

A ONG Favela Mundo, que desenvolve o projeto de mesmo nome, tem uma trajetória de sucesso e reconhecimento internacional. Representou o Brasil em diversos eventos pedagógicos e culturais em Cuba, México e Estados Unidos, além de fazer parcerias com instituições da Argentina, Colômbia e Venezuela.

A Favela Mundo foi o cartão de visitas do Brasil na ONU nos últimos 3 anos em importantes eventos. Em 2014 foi uma das duas únicas entidades do mundo inteiro convidada a participar do World Cities Day, onde foi apresentada como um “Modelo de Inclusão Social nas Grandes Cidades”.

 


Após beneficiar mais de 2.300 famílias de 93 diferentes bairros e comunidades do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense, a Favela Mundo pôde mostrar seu trabalho e desenvolver a cidadania da garotada da CDD com muita alegria e cultura.


“Quando o Favela Mundo chegou na Pedro Aleixo, eu pensei que seria somente mais um projeto de cursos e oficinas. Com o passar do tempo eu percebi que as pessoas envolvidas tinham muito mais a oferecer: elas abraçaram nossas crianças e as integraram em seus sonhos. E sonhar é imprescindível para se crescer saudável e ciente de tudo que se possa concretizar.

O Favela Mundo vai deixar saudades, mas vai deixar também plantada a semente do sonho, do que se pode realizar. E isso não tem preço. Valeu Favela Mundo!“, complementa Márcia Costa Carneiro, Diretora Adjunta.
 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 11/05/2016

Oficinas de Vídeos no Cotidiano Escolar

Tags: 2ªcre, oficina, vídeos.

 

 

 

Os alunos do quinto ano da Escola General Humberto de Souza Mello participaram de uma Oficina de Vídeos contextualizando com o cotidiano escolar.

 

A professora Vera Nácia, regente da turma 1.501 no ano de 2015, na Escola General Humberto de Souza Mello, relata que faz parte da sua prática cotidiana escolar o trabalho com vídeos.


Já apresentamos aqui no portal Rioeduca alguns trabalhos realizados pela professora Vera que envolveram atividades com a produção de vídeos e, inclusive, sua participação no Festival Anima Mundi


A professora Vera Nácia enviou ao portal Rioeduca um relato contando sobre como as atividades com a produção de vídeos têm feito parte da rotina escolar de seus alunos.


Os alunos da turma 1501 do ano de 2015 participaram de uma oficina de vídeo na qual foi utilizada uma sequência didática que teve como objetivo fornecer um embasamento prático e teórico básico para a produção de um documentário utilizando as técnicas apresentadas, como o uso de câmera, luz e som, além da técnica de entrevista e direção de cena. Essa oficina teve como produto a produção de um vídeo do gênero documentário.

 

Apresentação do documentário em comemoração aos 451 anos do Rio de Janeiro, em 2016.

 

Dessa forma, os alunos tiveram a oportunidade de colocar em prática todas as etapas de produção de uma obra audiovisual, como argumento, roteiro, planejamento, produção e edição.

A metodologia adotada para a construção do vídeo documentário privilegiou a narrativa audiovisual, buscando a construção de uma linguagem própria, articulando as diferentes visões dos alunos numa perspectiva analítica e crítica.

 

Alunos assistindo a produção dos colegas sobre a comunidade da  Mangueira.

 

Neste vídeo, textos visuais e sonoros foram utilizados buscando registrar e divulgar significativos aspectos temáticos da comunidade da Mangueira na visão dos alunos, contextualizando o cotidiano escolar, privilegiando suas vivências e histórias. Mas a tradução em Libras não foi esquecida, afinal, todos devem ser incluídos.

 

No dia 1º de março de 2016, a turma, que neste ano é 1.601, comemorou o aniversário do Rio de Janeiro apresentando o vídeo documentário para os outros alunos e professores da escola.

 

 

 

Agradecemos a professora Vera Nácia por compartilhar conosco esta atividade e desejamos sucesso a toda equipe da Escola Municipal Humberto de Souza Mello.
 

O contato da professora Vera Nácia é: veranacia@hotmail.com

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share