A A A C
email
Retornando 643 resultados para a tag 'projeto'

Terça-feira, 11/12/2018

1ª Feira Interescolar - Multicores da Cultura

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A 1ª Feira Interescolar - Multicores da Cultura ocorreu no dia 22 de setembro. Nela foi apresentada uma mostra integrada de trabalhos das seguintes Unidades Escolares da 7ªCRE: E/CRE (07.16.014) E.M. Profª Helena Lopes Abranches; E/CRE (07.16.604) C.M. Germínio de Souza Estrela; E/CRE (07.16.808) EDI Profª Maria Berenice Parente e E/CRE (07.16.818) EDI Profª Cláudia Pires Contino.

 

Numa ação inédita em nossa Comunidade, com a presença das Chefias da 7ª Coordenadoria de Educação, da Guarda Municipal e das Diretoras coirmãs, nosso sábado foi uma junção de cores, sabores e de amor pelo sub-bairro Gardênia Azul, localizado em Jacarepaguá.

 

 Diretores das unidades escolares participantes.

 

A Comissão de Integração das Escolas da Gardênia Azul, integrada pelas escolas já elencadas, vem em um movimento de recriação de embasamentos fundamentados e convicções abalizadas, visando a articulação de elementos para a retomada da crença desta Comunidade como um espaço de qualidade e de transformação. 

 

        Participação da Banda da Guarda Municipal durante a Feira Interescolar.

 

A cultura faz parte do nosso íntimo, somos criadores e propagadores da cultura, de forma que a manifestamos de diversas maneiras. Mas o que é cultura e qual a sua relação com a educação? Candau (2003) afirma que cultura é um fenômeno plural, multiforme que não é estático, mas que está em constante transformação, envolvendo um processo de criar e recriar. Ou seja, a cultura é por sua vez um componente ativo na vida do ser humano e manifesta-se nos atos mais corriqueiros da conduta do indivíduo e, não há individuo que não possua cultura, pelo contrário cada um é criador e propagador de cultura.

 

Embora a escola seja palco dessas multiculturalidades, ela vem encontrando várias dificuldades em interagir suas práticas educativas mais comuns com a diversidade cultural vivenciada pelos alunos. Com esse elemento motivador, os Gestores das Escolas acima elencadas inquietaram-se com esta questão, e, juntos, buscaram uma forma de, coletivamente, iniciar a reflexão dessa questão não só com seus pares, mas, com todos do bairro. Daí nasce a Feira Interescolar – Multicores da Cultura.

 

         Exposição de trabalhos das unidades escolares.

 

Assim, apresentamos os projetos anuais de cada unidade escolar.

No Projeto "Conhecendo Culturas - Do Rio para o mundo", o EDI Professora Cláudia Pires Contino trabalha a identidade cultural do aluno, de forma que se reconheça como cidadão com direitos e deveres, capaz de conviver harmonicamente com as diferenças, além de despertar a curiosidade e ampliar os conhecimentos culturais do Brasil e do mundo. No primeiro subprojeto, abordaram o tema " Minha cidade, O Rio de Janeiro continua lindo", dando sequência " Meu país, minha torcida - Brasil, Brasileiro", onde apresentaram as diversidades dentro de nosso país e no 3º subprojeto "Conhecendo outros países – outras culturas", ampliaram os conhecimentos com as mais curiosas e distintas culturas do mundo. Desta forma, cada grupamento “viajou” por um país diferente, reconhecendo as danças, línguas, pratos típicos, literatura, entre outros.

Já o EDI Professora Maria Berenice Parente apresenta o Projeto “Diversidade Cultural das Regiões Brasileiras: Um enfoque na Educação Infantil”, tendo como proposta trabalhar e explorar a diversidade cultural existente no Brasil, favorecendo enriquecimento cultural, promovendo a interação das diversidades do território por meio da literatura, arte, música, dança entre outros, das diferentes regiões brasileiras.

A Creche Germínio de Souza Estrela, por sua vez, considera que é quase impossível pensar no estabelecimento de relações entre adultos e crianças no ambiente de Educação Infantil, sem pensar no repertório musical infantil da nossa cultura. Desta forma, toda ação pedagógica que se estabelece dentro da unidade escolar envolve musicalidade, seja para despertar o prazer de expressar-se cantando ou de trazer uma compreensão lúdica para as relações de convívio e a rotina educativa. Por este encantamento musical e todas as possibilidades que esta temática abre, o seu projeto anual “Cantando e brincando com a Cultura Brasileira” vêm promovendo possibilidades de experiências para a ampliação e uso de diferentes linguagens. A música não é apenas utilizada como recurso de recreação, mas também como transmissora da riqueza cultural e social do Brasil, sendo fio condutor de alegria e de desenvolvimento de uma cultura de paz.  

Dessa forma, durante o ano letivo, as crianças descobriram e experimentaram os sons produzidos por seu próprio corpo e os sons que tradicionalmente, em nossa cultura, são os primeiros que ouvimos: os acalantos, os brincos e as parlendas. Em seguida descobrimos e brincamos com sons da natureza e as brincadeiras cantadas, as cantigas de roda e os ritmos próprios da cultura brasileira em diferentes regiões: o samba, o forró, a catira, o fandango, o maracatu, o rock. Por fim, conhecemos histórias cantadas em nossa cultura e construímos com sucata instrumentos musicais, brincamos com seus sons e descobrimos outros instrumentos usados em bandas e orquestras.

Com o tema do Projeto Anual de trabalho da Unidade: “Juntos, nós podemos mais!”, a Escola Municipal Professora Helena Lopes Abranches visa melhorar o desempenho acadêmico e social dos alunos, além de atenuar problemas de comportamento, por meio de atividades e situações que aperfeiçoem suas habilidades socioemocionais, abarcada a necessidade da afetividade no processo de aprendizagem. Além de sopesar a participação da família como elemento cogente para incremento cognitivo do aluno, tendo como eixo principal a relação afetiva do sujeito com os outros sujeitos, num elemento instigante no processo ensinar-aprender.  

 

Apresentação das crianças das unidades escolares.

 

Representação da cantiga da Linda Rosa Juvenil.

 

   Apresentação do Boi Bumbá.

 

 Apresentação de trabalho do EDI Maria Berenice Parente.

 

Apresentação das crianças das unidades escolares.

 

Girling e Keith (1996) afirmam que “o sucesso da escola pode ser impulsionado através da prática de uma administração participativa, voltada para objetivos claros, definidos coletivamente pela comunidade escolar”, o que ocasiona uma relação positiva, entre gestão participativa e a elevação da autoestima das comunidades escolar e local.

 

              Exposição de maquetes de pontos turísticos de outros países.

 

 

  Mural sobre preservação ambiental.

 

 

         Equipe da 7ª CRE e diretores das unidades escolares participantes.

 

Assim, esta Comissão almeja uma escola de qualidade para todos, viva, participativa e comprometida com o desenvolvimento pleno dos alunos, com identidades próprias, num tempo e espaço em constante transformação, caminhando para a formação de cidadãos cada vez mais críticos e reflexivos de forma que possam contribuir com a construção de uma sociedade onde todos sejam agentes transformadores através da Cultura.

 

 Informações enviadas pelo Diretor Vitor Hugo Almeida

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato da E.M. Helena Lopes Abranches:

emabranch@rioeduca.net

Telefone:3388-5446

Contato do EDI Professora Maria Berenice Parente:

ediparente@rioeduca.net

Telefone: 3342-4681

Contato do EDI Professora Claudia Pires Contino:

edicontino@rioeduca.net

 

Contato da Creche Germínio de Souza Estrela:

cmgazul@rioeduca.net

Telefone:3432-3291

 

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 10/12/2018

Navegando no Mar da Imaginação

Tags: 1ªcre, alfabetização, projetos, leitura.

 

Projeto desenvolve o gosto pela leitura, colocando os alunos em contato com a diversidade de gêneros textuais.


Localizada no bairro Vasco da Gama, a Escola Municipal João de Camargo é conhecida, por todos, pelo trabalho de qualidade que desenvolve na comunidade local.

 

 

 

Buscando cada vez mais despertar nas crianças o gosto e o prazer de ler, ao mesmo tempo que desenvolve habilidades necessárias ao prosseguimento no caminho do conhecimento, a professora Tereza, regente de turma de 2º ano da unidade, colocou em ação o Projeto Navegando no Mar da Imaginação”.

 

 

 

 

Usando como referência a letra da música “Marinheiro Só”, os alunos realizaram rodas de conversa, nas quais falaram sobre viagens, passeios e a alegria e emoção de viajar pelo mar. A geografia esteve presente no trabalho cartográfico com o estudo do mapa do Brasil, localizando estados e cidades que apareceram no texto como, por exemplo, a Bahia cantada na música “Marinheiro Só.

 

 

 

 

 


E assim, durante todo o projeto, as múltiplas linguagens foram trabalhadas. Os alunos puderam se expressar plasticamente, oralmente, corporalmente. Além disso, os estudantes refletiram sobre o meio ambiente e o problema do lixo, que polui nossos rios e mares.

 

 

 

 


A leitura e a escrita permearam toda a ação, que teve participação ativa dos responsáveis, vivenciando e experimentando junto com os filhos o prazer de ler e escrever. O trabalho ainda desenvolveu habilidades socioemocionais.

 

 

 

 

 

E assim, os alunos, através da leitura , puderam então navegar e conhecer!

 

Para Saber Mais:

Escola Municipal João de Camargo

Direção: Mônica Xavier e Rosângela Castelo

Coordenação Pedagógica: Rose Nascimento

Professora Responsável: Tereza Cristina Corrêa Cota

Telefone: 3985-8637

e-mail: emjcamargo@rioeduca.net

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 30/11/2018

Projeto "Um milhão de amigos" da E.M. Waldemiro Potsch

Tags: inclusão, projeto, 5ª cre.

 

No Dia I da Inclusão, a Escola Municipal Waldemiro Potsch desenvolveu um projeto chamado "Um milhão de amigos" e, desde esse dia, são muitas as atividades realizadas diariamente na escola. Confira!

 

 

 

A Escola Municipal Waldemiro Potsch, junto com a Coordenadora Daniele Cardoso, se engajaram na questão da inclusão nesse ano de 2018 e desenvolveram o projeto "Um milhão de amigos", com o objetivo de trabalhar a solidariedade, a empatia e a diversidade, além de despertar nas crianças, o respeito pelas diferenças e pela inclusão em todos os seus aspectos.

 

O primeiro movimento do nosso projeto foi a criação dos mascotes. Cada um deles representando uma deficiência.Temos o Jeff, com deficiência física, Davi, o autista e Lucas, com deficiência visual. Além deles, temos também o mascote do Roberto Carlos, pois é dele a música geradora do projeto (Eu quero apenas). 

 

 

 


Durante a semana, cada criança leva um boneco para casa e registra no caderno que acompanha o boneco, todas as atividades que o boneco "participou", sempre com a preocupação de suas limitações. Conversamos com as crianças a questão da acessibilidade para o boneco com deficiência física, a questão das necessidades do autista e do com deficiência visual e as crianças descrevem no caderno como foi sua experiência. Essa parte do projeto estimula a escrita, o registro espontâneo e os cuidados que devemos ter com o próximo, uma vez que o boneco deve ser "cuidado" pelo aluno.

 

 

 


Durante o período do projeto (setembro a novembro),a música "Eu quero apenas..." será trabalhada em todos os seus versos ( violência, solidariedade, desejos, amor ao próximo) . Além disso, cada professor está "linkando" a música ao seu trabalho, produzindo textos, interpretando a música, destacando sua mensagem que diz respeito à liberdade de expressão, ao direito de ir e vir, ao direito de viver em liberdade e o desejo de se viver em um ambiente de paz, temas atuais e constantes em nossas vidas . Novas versões surgiram a partir do que cada um "quer apenas" e , a cada semana, um novo trabalho fica exposto no pátio da escola. 

 

 

 


Essa semana, recebemos a visita do Professor Vanderlei Vazelesk , doutor em História, organizador do livro "Agrarismos" e que possui deficiência visual desde que nasceu. Sua palestra foi um verdadeiro show de superação e esforço. As crianças adoraram conhecer e interagir com o professor que foi muito solícito em responder sobre toda a limitação que a cegueira impôs em sua vida e como ultrapassou seus limites, inclusive publicando seu livro em outra língua. 

 

 

 


A professora Iracema é a nossa contadora de histórias e está percorrendo as salas contando histórias dirigidas ao tema ou histórias em braile, dando oportunidade às crianças de sentir nos dedos como é feita a leitura por uma pessoa com deficiência visual. 

 

 

 


A professora Kátia de Educação Física desenvolveu atividades onde o aluno é privado de algum movimento, simulando os jogos paralímpicos. Na atividade desta semana, os alunos só podiam utilizar os braços para jogar a bola para o outro campo sem deixá-la cair. 

 

 

 


O projeto foi um sucesso!!! Na Waldemiro Potsch, a inclusão acontece!

 

 

 

 

Sobre a escola:

Unidade Escolar: Escola Municipal Waldemiro Potsch 
Diretor: MONICA DE SOUZA LEITE
Endereço: Rua Riacho Doce s/n, Osvaldo Cruz
Telefone: 3017-3977 | 3015-9829
E-mail: empotsch@rioeduca.net 

 


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 28/11/2018

FLIPAM, o Festival Literário de Padre Miguel

Tags: 8ªcre, projetos, sala de leitura, artes.

 

O 1º Festival Literário de Padre Miguel chegou para ficar! O evento, que foi uma iniciativa das Salas de Leitura de duas escolas, se tornou uma celebração à arte, à cultura e principalmente à literatura.

 

Professora Beatriz Roldan, da Sala de Leitura da E.M. Humberto Castelo Branco

e suas alunas que marcaram presença na FLIPAM.

 

 

O 1º Festival Literário de Padre Miguel, o FLIPAM, realizado no dia 4 de outubro, foi uma iniciativa das Salas de Leitura das escolas E.M Roberto Simonsen e E.M General Tasso Fragoso.

 

Juntas, as professoras Eliane Mentzingen e Neilda Silva, perceberam a necessidade de criar um evento que marcasse no calendário um dia voltado à leitura, a literatura e as manifestações artísticas na Comunidade de Padre Miguel.

 

O evento começou sem a intenção de ser tão grandioso, mas com a adesão das escolas do entorno, como a E.M. Engenheiro João Thomé, E.M. Anna Amélia, E.M. Bangu, E.M. Clementino Fraga e CIEP Mestre André, o projeto do 1º Festival Literário de Padre Miguel tornou-se a união dos professores e alunos em busca da valorização da leitura e da formação de uma comunidade de leitores.

 

 

Apresentação de teatro da E.M. Bangu

 

Para iniciar o projeto, os alunos participaram de um concurso de desenhos, com o objetivo de eleger a imagem que iria ilustrar os convites e os folders do Festival Literário.

 

Cada escola participante enviou 2 desenhos para a escolha e no resultado do concurso a imagem criada pela aluna Ana Julia Lopes, da E.M. Tasso Fragoso, foi a mais votada.

 

O festival aconteceu na Nave do Conhecimento de Padre Miguel, durante todo o dia. Quem chegava ao evento encontrava um ambiente encantador! No espaço, estavam expostos os trabalhos que foram desenvolvidos pelas Salas de Leitura, como um convite para conhecer um livro, um gênero literário ou um autor.

 

 

Professora Carine Lemos, regente de Música, na apresentação da E.M. Roberto Simonsen

 

 

No palco da Nave do Conhecimento, aconteceram as apresentações artísticas. Os talentosos alunos declamaram poesias, fizeram apresentações de teatro, de música e dança. Além disso, prepararam vídeos sobre grandes autores, apresentaram jogral e organizaram rodas de leitura.

 

Também foi organizado um espaço para a troca de livros e uma oficina de Poetrix, que é a forma brasileira de compor tercetos.

 

Contos africanos, fábulas, romance e poesia: o FLIPAM foi um convite ao mágico mundo dos livros!

 

 

Mostra dos projetos das Salas de Leitura na Nave do Conhecimento de Padre Miguel

 

 

Apresentação de dança feita pelos alunos da Classe Especial do CIEP Mestre André

 

 

"É comum alguns alunos dizerem que não têm paciência para ler um livro, no entanto, acreditamos que os alunos precisam encontrar o gênero literário que mais se identificam para transformar a leitura em prazer. Esse é o objetivo principal da nossa ação."

                                      Professora Eliane Mentzingen - Regente da Sala de Leitura da E.M. Tasso Fragoso

 

 

Convite do FLIPAM, com a imagem vencedora do concurso.

 

 

O Rioeduca parabeniza a todos os participantes dessa festa de valorização da cultura, da arte e da literatura! 

 

 

Alunos e professores posam para foto no encerramento da FLIPAM

 

 

Quer saber mais sobre?

E.M Roberto Simonsen 

E-mail: emrsimonsen@rioeduca.net

 

E.M General Tasso Fragoso

E-mail: emgfragoso@rioeduca.net

 

 

Participe do Rioeduca! 

Curta, comente e compartilhe!

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share