A A A C
email
Retornando 62 resultados para a tag 'visitas'

Sexta-feira, 16/12/2011

As Aventuras da Profª Diana e sua Turma (Parte I)

Tags: 6ªcre, projetos, visitas.

 

Este foi um ano de experiências gratificantes para a professora Diana Sobreira, que teve um artigo publicado no Educação Nota 10, sobre sua prática pedagógica, uma postagem no Rioeduca Net - A Revolução Acontece, sobre o trabalho audiovisual que realizou com seus alunos do Aceleração 2, e ainda uma publicação sobre um de seus projetos no livro que acaba de chegar quentinho nas U.E.s, Escola entre Mídias, da MultiRio. Mas de todos esses momentos marcantes, certamente o mais significativo para a professora foi o trabalho realizado com sua turma 8802, do Projeto Autonomia Carioca, Aceleração 2, na E.M. Levy Miranda. Com esta turma ela aprendeu e ensinou muito, ajudou seus alunos a crescerem e cresceu também.  Não podendo mais permanecer com sua querida turma, profªDiana fez uma comovente homenagem através de dois relatos aqui publicados

 

 

Alunos da profª Diana nos jardins do Museu da República

 

 

A professora Diana Sobreira viveu muitas experiências marcantes este ano de 2011 com sua turma 8802 do Projeto Autonomia Carioca, Acelera 2, da E.M. Levy Miranda. Experiências que lhe trouxeram alegrias e fizeram sua turma crescer! Mas a professora precisou trocar de CRE e deixar sua escola, sua turma... Antes, porém, ela solicitou uma homenagem especial, aqui, no Rioeduca Net, a seus queridos alunos. Uma postagem sobre as aventuras pedagógicas que viveu com sua turma no Planetário de Santa Cruz e no Museu da República.

 

Como, junto com as (muitas) fotos e um vídeo, a profª Diana me enviou dois extensos relatos, achei melhor dividir a postagem em duas. Nesta primeira, veremos sua aula-passeio ao Planetário de Santa Cruz, e em uma próxima, veremos suas aventuras pedagógicas no Museu da República. Decidi, também, não meramente resumir suas palavras, mas dar voz a professora, que com tanta emoção relata as experiências vividas este ano com seus alunos...

 

 

O Relato da Profª Diana Sobreira:

 


Neste ano de 2011, recebi a importante tarefa de nortear a caminhada de 23 alunos do Projeto Autonomia Carioca – Aceleração 2, cujo objetivo é acelerar os estudos de alunos com defasagem idade-série, utilizando a metodologia do Telecurso® da Fundação Roberto Marinho. Mesmo sendo professora de Educação Física, aceitei o grande desafio, que significou voltar a estudar Matemática, Língua Portuguesa, História, Geografia e Ciências.

 

Já era agosto do corrente ano e não havia feito nenhum passeio ou visita fora da escola com meus alunos. Sabia também que estava exigindo bastante deles. E o que eu recebia em troca eram notas boas, responsabilidade, carinho e cumplicidade. Minha 8802 merecia. Mas eles estavam estudando Português e História agora. Para onde levá-los, qual justificativa pedagógica poderia apresentar? Se dependesse deles, seria para a Cidade das Crianças, claro! Quem não gosta de piscina aos 13, 14 anos? 


Mas nada me vinha à cabeça. Jardim Botânico? Muito infantil, na minha opinião. Mas outro lado meu também achava que eles iriam adoram um piquenique na Quinta da Boa Vista após ver os animais. Tentei uma visita ao centro histórico da cidade do Rio de Janeiro, mas precisava de um guia turístico, e não consegui. Daí pensei no Planetário. Nem eles e nem eu nunca havíamos ido ao Planetário! Mas não estávamos tendo Ciências ainda... Será que seria válido?


Entrei em contato com o Planetário e fui informada de que a CRE é que agendava as visitas... Fiquei triste e até desisti da ideia, mas cerca de 3 semanas depois chegou um e-mail na escola informando que havia uma vaga para visita ao Planetário. Coincidência? Não sei, mas desejei tanto que parece que o universo conspirou a meu favor!


Não tinha noção do que iria ser nossa visita; nem sabia como seria dentro da cúpula. Ao chegarmos lá, fiquei até surpresa ao saber que não há telescópio no Planetário! Lá também havia uma exposição interativa sobre o Universo e Santos Dumont. E aí? Interativa? Mas eles nunca haviam se deparado com tal forma de exposição! O que fazer agora?


É isso que se pode ver no vídeo sobre a visita da 8802 ao Planetário de Santa Cruz. A expectativa do antes, o que eles esperavam ver, o que realmente havia lá e como eu consegui que eles prestassem atenção à exposição: inventei um “jogo” de perguntas – lia rapidamente o que estava escrito nos pôsteres e perguntava para ver quem achava a resposta primeiro. Em outras vezes, tentava trazer o que havia sido aprendido em sala de aula para a exposição, como a questão das escalas nos mapas.


Presenciei uma linda discussão sobre a nomenclatura dos planetas (nessa hora eles esqueceram que eu estava ali) e fiquei extasiada com a conclusão a qual Fabiana chegou sobre o nome do nosso planeta. Lucas também relembrou (e eu nem havia pensando nisso naquela hora!) o motivo pelo qual acontece o ano bissexto, me deixando extremamente orgulhosa dos meus alunos e do resultado do meu trabalho.


Após a exibição do vídeo na cúpula (A-D-O-R-A-R-A-M!),“bombardearam” o Astrônomo com perguntas. E inteligentíssimas! Ao final ele veio me dizer que gosta muito de um grupo questionador como aquele. Sorri. Ele teve uma pequena ideia de como pode ser cansativo dar aulas para eles.


Pode-se notar, ao final do vídeo, a mudança de postura dos alunos: ao final da visita, seus discursos estavam mais maduros, mais embasados nas coisas novas que aprenderam, especialmente na cúpula, que é encantadora. Eu fiquei perplexa lá dentro. Fico imaginando o que se passou na cabecinha de cada um deles.


E, como não poderia faltar, fizemos uma visita à “fazendinha” da Cidade das Crianças, onde fica o Planetário de Santa Cruz. A cada animal que aparecia, meu nome era gritado para ver e tirar várias fotos. Ficamos esperando o pavão abrir sua cauda. Mas ele estava tímido e não nos prestigiou... Tudo bem: cada olhinho brilhando naquele dia ficou na minha lembrança; gravado para sempre no meu coração.

 

 

O Vídeo da Visita ao Planetário
 


 

 

 

NOTAS:
 

(1)  O Globo Educação Nota 10: "Autonomia Carioca: a semente da criatividade" - Profª Diana Sobreira (10/11/2011): http://oglobo.globo.com/projetos/educacaonotadez/

 

(2)  Rioeduca Net - A Revolução Acontece: "TV Autonomia: Projeto de Audiovisual da E.M. Levy Miranda" (02/07/2011): http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1119

 

(3)  "Sintonize... Novela de Rádio" in A Escola Entre Midias, MutiRio - Empresa Municipal de Multimeios , Rio de Janeiro: MultiRio, 2011. p.59

 

(4) Para saber mais sobre o conceito de aula-passeio, ver: Rioeduca Net - A Revolução Acontece: "Creche Trabalha Projeto Inspirado em Célestin Freneit - De onde Surgiu o Conceito de Aula Passeio?": http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1561

 

 

 

PARTICIPEM TAMBÉM DESTE ESPAÇO QUE É NOSSO,
DAS ESCOLAS, DOS PROFESSORES, DOS ALUNOS E DEMAIS FUNCIONÁRIOS QUE FAZEM A EDUCAÇÃO CARIOCA!

CONFIRAM NO LINK A SEGUIR QUAL O REPRESENTANTE DE SUA CRE E DIVULGUEM O QUE SUA ESCOLA REALIZA!

RIOEDUCA NET - A REVOLUÇÃO ACONTECE: QUEM SOMOS NÓS?

http://portalrioeduca.mstech.com.br/sobrenos.php


 

                                                                            

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/12/2011

Sinfonia Natalina, Integrando Professores e Alunos da EMIZ

Tags: 5ªcre, blogsdeescolas, educopédia, visitas.

 

 Em 2011, a Escola Municipal Irmã Zélia viveu momentos gloriosos
com exemplos de educação, superação e dedicação,
informando, reconhecendo e disseminando tais iniciativas,
fechando o ano letivo com a 4ª Culminância Sinfonia Natalina
numa grande “feira cultural” de produção dos alunos
a partir dos conteúdos desenvolvidos ao longo do ano.

 

 

Dia 29 de novembro aconteceu, na Escola Municipal 05.15.060 Irmã Zélia, a 4ª Culminância Sinfonia Natalina, quando a EMIZ, como é conhecida, transformou salas de aula, pátio interno e externo, corredor da escola, numa grande feira cultural de produções dos alunos, orientados pelos professores de diversas disciplinas ao longo do ano.


Logo que cheguei à EM Irmã Zélia fui recebida pela Coordenadora Pedagógica, professora Janete Lang, com quem tenho tido mais contato por e-mail e telefone. Ela me apresentou todos os espaços da escola.

 

O primeiro local a ser visitado foi a quadra de esportes improvisada e um grupo da “melhor idade” estava no seu momento aquecimento, exercício inicial do Projeto Qualivida - Ginástica para a Terceira Idade, acolhido pela EMIZ.

 

 

 

 

A coordenadora do Projeto Qualivida na escola, Flora de Castro, falou deste projeto e da necessidade de uma quadra coberta, anseio dos idosos que procuram por uma melhor qualidade de vida. São 120 pessos que usam a quadra no horário das 7:00h às 9:00h. A procura é muita, por isso a necessidade do investimento.

 

 

 

 

No segundo andar funcionam as turmas de 8º e 9º ano. Lá, conheci o prof. Marcelo, da disciplina de Matemática, que trabalha com outros professores da escola as aulas digitais da Educopédia. A coordenadora Janete me informou que duas das quatro salas preparadas para trabalharem com a Educopédia estão prontissimas com TV, Som, Video.

 

 

 

Descemos para o andar térreo, sendo levada a conhecer o Tapete Contador de Histórias da profª Dayse Campos, de Língua Portuguesa, e de seus alunos do 6º ano que fizeram uma representação da história “Branca de Neve”.
 

 

 

 

 

Neste corredor do andar térreo, local principal da culminância, acontecia a votação para a escolha da Melhor Paródia. Os alunos do 6º ano entregavam a cédula de votação feita por eles mesmos, tudo por uma escolha democrática. Eles, também, apresentavam o lançamento do Jornal Planet Zélia_1ª Edição.

 

Ficha Técnica do Jornal Planet Zélia:

Desenhistas: Alex, Alessandro, Elias e Lucas Reis;

Pesquisa de textos: Ariany, Daniela, Raíssa, Mirelly, Fabiana, Alex, Hyuri, Thiago, Lucas R. e Lucas F., todos os alunos das turmas do 6º ano.

Professora responsável pelo Jornal: Dayse Campos

 

 

Fui convidada mais adiante pela profª de História, Solange Ferreira, para que seus alunos falassem sobre Lima Barreto e Machado de Assis, sua biografia e poemas. Foi lindo!

 

Participei de outra  apresentação, as experiências científicas dos alunos da profª de Ciências_ Marilza. Foi demais!

 

Eles explicavam os conhecimentos adquiridos nas aulas de Ciências, dessa professora que chegou há um ano à escola para somar aos demais o trabalho tão significante que acontece na EM Irmã Zélia.

 


 
 


 

Pausa para conversar um pouquinho com a Diretora, profª Neli - coincidentemente nos conhecíamos há mais de 15 anos.

 

Da direita para a esquerda, a profª Neuza_ Diretora Adjunta, a profª Neli_Diretora, a Coordenadora Pedagógica_profªJanete e a Representante do Rioeduca na 5ªCRE, profª Regina.

 

Depois fui assistir à dança das alunas da profª Solange Ferreira sobre o Dia da Consciência Negra, também reverenciado por poesias criadas, declamadas e apresentadas por alunos do 8º ano.  

 

 


 

 

Mais uma vez, a entusiasta profª Dayse convidou-me a conhecer as maquetes que representavam o trabalho feito com letras de músicas, como cantiga de roda, e poemas de autores brasileiros feitas por seus alunos.

 

 

 

"Se essa rua, se essa rua fosse  minha, eu mandava, eu mandava ladrilhar,  

com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes..."

 

Outra alegria foi rever a  profª Leda, colega de antiga jornada, que hoje é regente da Sala de Leitura da EMIZ. Ela explanou, arrebatada de alegria pelo trabalho que desenvolvera com os alunos da Educação Infantil, a produção de livros dos pequeninos.

 

 

 

Nesse turbilhão de atividades culturais conheci o estagiário Jonathas Barros, sempre simpático e eficiente, que ajudava em todos os momentos e para o que precisasse.

 

Nos corredores da escola os trabalhos expostos refletiam a dinâmica da Unidade Escolar.

 

Aqui, todos acreditamos no desafio de lutar pela Educação. Cada um faz o seu melhor e, como consequência, a Escola Municipal Irmã Zélia continua a educar e brilhar!_ diz a direção no Blog da escola.


Parafraseando o cantor e compositor Roberto Carlos, foram "muitas emoções" que vivi naquela manhã. Foi muito bom sentir a integração de todos, professores e alunos, querendo mostrar um pouquinho daquilo que juntos criaram para este momento e espero que esta matéria esteja à altura do magnífico trabalho, o qual eu tive o prazer de conhecer de perto, feito por toda a equipe da Escola Municipal Irmã Zélia.


Realmente, esta Escola é uma verdadeira SINFONIA!
 

Se você professor e/ou sua escola desenvolvem ou desenvolveram algum projeto
ou atividade interessante; se você, sua escola ou se algum aluno tem blog,
clique na imagem abaixo para obter o e-mail do representante do
Rioeduca na sua CRE.


 

Representante do Rioeduca na 5ªCRE - Profª Regina Bizarro
E-mail: reginabizarro@rioeduca.net
Twitter: @rebiza

 

Achou interessante esta publicação?
Então comente e/ou clique nas imagens abaixo e divulgue o Rioeduca.

 

                                                                           

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 14/12/2011

Ginásio Experimental Carioca, Protagonismo e Solidariedade

Tags: 10ªcre, gec, visitas.

 

                 Alunos do Ginásio Experimental Carioca da Escola Municipal Princesa Isabel, 10ª CRE, visitam Unidades Municipais de Acolhimento da Prefeitura e fazem doação de brinquedos e roupas.        

 

Professor Alex Gaudêncio (primeiro à direita), com alguns dos alunos do Ginásio Experimental Carioca da E.M. Princesa isabel, 10ª CRE, na chegada à U.M.A. Boa Esperança, no bairro dos Jesuítas, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

 

De acordo com o texto do e-mail enviado pela coordenadora pedagógica do Ginásio Experimental Carioca da Escola Municipal Princesa Isabel, professora Mariza Alonso, as visitas dos alunos às Unidades Municipais de Acolhimento da Prefeitura aconteceram no dia 29 de novembro de 2011 (terça-feira) na parte da manhã.

 

 


Além da coordenadora pedagógica, Mariza Alonso, dos alunos, e do professor Alexandro Gaudêncio, de Artes, e da Eletiva Brinquedoteca, compareceram também as professoras Miúcha, Sonia, Janaína, Regina e a psicóloga Patrícia Alexandra.

 


O objetivo das visitas, muito além de realizar a doação dos brinquedos feitos pelos alunos na Eletiva Brinquedoteca, coordenada pelo professor Alex Gaudêncio com o apoio da professora Janaína, cumpriu alguns dos preceitos do Ginásio Experimental Carioca que, em sua metodologia, propõe a educação para valores, estímulo ao projeto de vida do aluno e protagonismo juvenil.
 

 

Para o professor Alex Gaudêncio, que trabalha na Escola Municipal Princesa Isabel desde 2001, a ideia de levar a produção dos alunos na Eletiva Brinquedoteca para doação às crianças de Unidades Acolhedoras da Prefeitura, “talvez tenha sido a coisa mais bacana desses 10 anos na escola. E que, a partir de agora, outras ações como essa, possam ficar cada vez mais comuns como uma prática de solidariedade entre os alunos.”

 

Aluna Raíza, da turma 1904, 9º ano do Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, em companhia dos seus colegas, mostrando um dos jogos de damas às crianças da Unidade Municipal Acolhedora Boa Esperança.

Aluna Júlia, da turma 1902 (primeira à esquerda), explicando o funcionamento do "vai-e-vem", que foi um dos brinquedos feitos pelos alunos do Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, doados às crianças da Unidade Municipal Acolhedora Boa Esperança.

Professora Mariza Alonso, coordenadora pedagógica, com alunos do Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, da 10ª CRE, em visita às crianças da Unidade Municipal Acolhedora Boa Esperança, em 29 de novembro de 2011.

Alunos dos Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel brincando com as crianças da Unidade Municipal Acolhedora Boa Esperança.

 


Se depender da direção do Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, dos seus colegas e da coordenadora pedagógica, os planos do professor Alex Gaudêncio para 2012 serão concretizados pois segundo Mariza Alonso, o entusiasmo dos professores após as visitas às Unidades Municipais Acolhedoras foi tão grande que todos já estão sugerindo a inclusão de outros objetos, além dos brinquedos, que possam ser produzidos pelos alunos em novas eletivas e doados às crianças do Programa Família Acolhedora da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS).

 


Foram visitadas pelos professores e alunos do Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, a Unidade Municipal Acolhedora Boa Esperança e a Unidade Municipal de Reinserção Nova Nery.
 

 

São programas da SMAS que contam com a parceria da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso e, principalmente, com a solidariedade das famílias que acolhem em suas casas, por um período de tempo determinado, meninos ou meninas que vinham sofrendo algum tipo de situação de risco.

 


Em todo o processo, desde a produção dos brinquedos para doação às Unidades Acolhedoras, até o encontro dos alunos do Ginásio Experimental Carioca de Santa Cruz com as crianças assistidas, o que aconteceu foi de fato uma experiência de protagonismo juvenil, tal como é descrito pelo pedagogo Antônio Carlos Gomes da Costa, no seu livro “Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação democrática”, da Fundação Odebrecht, já que houve participação autêntica, autônoma, competente e solidária dos alunos do GEC Princesa Isabel.
 

 

Saiba mais sobre o Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel, da 10ª CRE:

Professora Mariza Alonso e o Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1276

Soletrando no Ginásio Experimental Carioca da 10ª CRE

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=990

Alunos do Ginásio Experimental Carioca visitam a Rádio Roquete Pinto

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1134

 

O Rioeduca em visita ao Ginásio Experimental Carioca Princesa Isabel da 10ª CRE

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1608

 

 

                                                 

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 14/12/2011

E.M. Carlos Gomes Recebe e Divulga seus Brinquedos Cantados

Tags: 3ªcre, riodeleitores, blogsdeescolas, visitas, educaçãoinfantil.




 

O RioEduca visitou a E.M. Carlos Gomes para conferir de perto as atividades divulgadas no blog e colheu informações sobre o Subprojeto Brinquedos Cantados que tinha acabado de acontecer em Novembro.

 

Há tempos desejava visitar escolas da 3ª CRE, mas o trabalho em sala de aula não permitia. Depois de remarcada, fui recebida numa tarde abafada pelos passarinhos e flores da entrada. A escola é pequena e acolhedora. Atende crianças do Maternal ao 1º ano com grande vocação para este segmento até pelo perfil da escola. Finalmente, pude conhecer pessoalmente a diretora Elaine do Vale e sua adjunta Rita Lusiè que participa do Educação Nota Dez desta semana. Ambas me receberam com o mesmo carinho demonstrado nas nossas trocas de e-mail.

 

 

 

 

 

Tive oportunidade de perceber o cuidado com que a escola é mantida e ver os alunos animados finalizando seus trabalhos de Natal. Aproveitei para trocar com elas algumas ideias sobre o trabalho do RioEduca na divulgação das experiências da rede municipal. Porém, o propósito maior da minha visita foi parabenizar a escola pelo crescimento de seu blog. Quando iniciamos a troca de e-mails, a escola tinha , apenas, a vontade de divulgar suas belas atividades e projetos. E foi com essa vontade de aprender que o blog nasceu e cresceu. Quando tinham alguma dúvida, escreviam e perguntavam, mas não me escreviam com frequência, não. Muito do que o blog é hoje é resultado de pesquisas, de tentativas e erros. O desejo de mostrar o que se faz bem feito supera qualquer obstáculo. Hoje, o blog caminha com suas próprias pernas e registrou nosso encontro de maneira muito carinhosa.

 

 

 

 

Brinquedos Cantados: Viajando no Mundo da Literatura,
Eu Aprendo a Realidade

 

Foi do blog e de nossa troca de emails que tomei ciência da culminância do subprojeto Brinquedos Cantados. Trata-se da quarta parte do projeto de leitura da escola Viajando no Mundo da Literatura, Eu Aprendo a Realidade. Já o vimos, aqui mesmo no Rioeduca, e retomaremos, em breve, todas as suas partes anteriores.
Neste momento do projeto, foram trabalhadas com os alunos as músicas e cantigas de roda que, infelizmente, perderam espaço em nosso mundo moderno. A escola é espaço privilegiado para a preservação dessa cultura oral e deve disseminá-la aos que possam guardá-la para o futuro. Do blog, retiramos maiores esclarecimentos.


"Os brinquedos cantados surgem na espontaneidade da cultura popular. Geralmente são cantigas anônimas acompanhadas de movimentos expressivos, saltitantes e ou dramatizados. Nestes brinquedos em geral, as crianças imitam o mundo do adulto vivenciando emoções, sensações e conflitos como veículos de elaboração e amadurecimento. Os brinquedos cantados representam uma forma de transmitir nossa cultura de forma lúdica e atraente para as crianças. Incluem música, brincadeiras de roda, imitação, jogo de faz de conta e permite a construção de habilidades importantes através do movimento, da interação e da construção do conhecimento pela participação ativa da criança no contato com sua própria cultura e em interações com os outros." 

 

 

 

 

Além dessa contribuição cultural, o trabalho com os Brinquedos Cantados proporciona momentos de letramento prazerosos tão preciosos para a faixa etária em que a escola atua. O contato com o registro escrito dos Brinquedos Cantados mostra o papel social da escrita e dá conta desse primeiro olhar sobre o mundo das letras. O desconhecido passa a ser familiar já que se conhece o que está registrado. A leitura flui porque é marcada pelo ritmo da música e dá lugar às reflexões sobre o como se escreve, onde começa e termina a palavra, a percepção do espaçamento e dos sinais de pontuação. As rimas também oferecem um sem número de saberes novos aos pequeninos. Se soa igual e tem as mesmas letras, há um motivo especial. E o segredo da escrita vai sendo desvendado e passado adiante.

A culminância foi a apresentação dos Brinquedos Cantados mais trabalhados em cada turma. Do Maternal ao 1º ano, as turmas e seus professores se esmeraram para mostrar a face mais artística do projeto, mas os melhores frutos só serão colhidos no futuro. Por ora, ficam os aplausos orgulhosos de seus pais e o prazer de aprender.

 

 

 

 

No vídeo dá para conferir em um pouquinho da apresentação de cada turma. Para maiores detalhes, basta acessar o blog da ESCOLA MUNICIPAL CARLOS GOMES - 3ª CRE.

 

 

 

 

Imagens e trechos retirados do blog da E.M. Carlos Gomes

 

                                                                           

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share