A A A C
email
Blog destinado a grandes especialistas da Educação. Você também pode participar. Veja como.Todos os posts escritos por Erika Augusto Camacho
Retornando 24 resultados para o autor 'Erika Augusto Camacho'

Segunda-feira, 24/09/2018

Fica a Dica: Os Instrumentos de Percussão

Tags: fica a dica, educação musical, instrumentos de percussão.

 

Fica a Dica: Os Instrumentos de Percussão

 

 

Olá!


Sabemos que os instrumentos musicais são agrupados em famílias, de acordo com suas características. Temos as famílias dos instrumentos de percussão, de cordas, de sopros...


Vamos nos deter hoje na família dos instrumentos de percussão. São instrumentos fáceis de serem encontrados. Na sala de aula, para falar sobre eles, peço sempre para os alunos relatarem se conhecem alguns dessa família.


Cito para os alunos a formação das baterias das escolas de samba (uma vez que essa manifestação é mais próxima deles), que usam percussão em suas construções e, assim, eles começam a associar os instrumentos que tem características semelhantes, como na forma de produção do som, e conseguem identificar e compartilhar os que já conhecem.


Os instrumentos de percussão tem como característica o som produzido pela vibração originária do “embate”, do “choque” entre dois corpos, da agitação ou da fricção. Seja uma baqueta em um tambor, o “choque” entre duas clavas, a mão no pandeiro, a baqueta no tamborim, o chacoalhar de outros.


Eles são divididos em membranofones, idiofones e cordofones.

 

Nos membranofones, os sons são produzidos através de uma membrana, como uma pele esticada no tambor, e o som é produzido através da vibração dessa pele (Exemplos.: tambores em geral, pandeiro, tamborim, cuíca, entre outros).


Nos idiofones, os sons são produzidos a partir da vibração do corpo de todo o instrumento, por agitação, fricção, etc. (Exemplos: agogô, reco-reco, triângulo, castanholas, entre outros).


Os cordofones englobam os instrumentos que possuem corda, onde a mesma é percutida (através de um martelo ou baqueta) para a produção do som, como no caso do piano, que tem altura definida.


O instrumentista que toca esse tipo de instrumento é chamado de percussionista.


Os sons da percussão podem ser de altura indeterminada - a maioria deles e são utilizados, primordialmente, com função rítmica; e de altura determinada - como os xilofones e os tímpanos -, que podem ser utilizados com funções harmônica e melódica.

 

Vale ressaltar, também, que o tamanho do instrumento difere no resultado do seu som. Instrumentos maiores terão sons mais graves, enquanto os menores, sons mais agudos. E isso pode gerar atividades em sala de aula para a percepção de altura, mais uma propriedade do som que pode ser observada, além do timbre desses instrumentos.


Em algumas escolas, temos à nossa disposição instrumentos que fazem parte das “bandinhas rítmicas”, que podem ser utilizados com nossos pequenos para exploração e produção de sons, individual ou coletivamente, em arranjos simples para acompanhamento, ou apenas para que os mesmos os conheçam e percebam o timbre que cada um deles possui, através da exploração e da descoberta.


Não precisamos nos restringir aos instrumentos das bandinhas. Podemos também utilizar outros tipos de objetos para produzir sons percussivos, como latas, tampas, cabos de vassoura, caixas, pratos, chaves, entre outros. Materiais que iriam para o lixo e que podem ser reaproveitados, tornando-se meios de produção sonora. Podem ser feitos com materiais de sucata ou recicláveis.


Explorar os instrumentos de percussão desenvolve a percepção rítmica, explora a possibilidade de reconhecimento de timbres, amplia a percepção sonora, enfatiza a vivência das atividades coletivas, entre muitos outros benefícios. Experimentem! wink

 

 

Fica a Dica! 


Gostaram da nossa dica da semana? Escreva pra gente! Aguardamos suas sugestões! smiley

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 10/09/2018

Fica a Dica: Música e Meio Ambiente

Tags: dicas, educação musical, meio ambiente, fica a dica.

 

Fica a Dica: Música e Meio Ambiente

 

 

Olá!


Nessa semana, vamos falar um pouco das possibilidades que temos ao trabalhar o Meio Ambiente em sala de aula, associando a disciplina de Música para esse conteúdo.


Antes de começarmos o trabalho, aliando meio ambiente e música, com os alunos (como canto de canções selecionadas, análise de letra, apreciação, interpretação, entre outros) precisamos primeiro falar sobre o tema em sala de aula. Quem sabe podemos fazer um trabalho interdisciplinar com os professores de Ciências? Tratar do uso consciente dos nossos recursos, de ecologia, problemas ambientais, preservação, escassez, soluções para tal... Podemos contextualizar esse conteúdo nos âmbitos da fauna, flora, dos rios, florestas, etc.


A música inspira muitos compositores a falar sobre a destruição do meio ambiente pelo ser humano, sobre a escassez e poluição da água, entre outros.


Esse é um importante trabalho de conscientização que pode ser realizado com os nossos alunos, através de canções selecionadas, contextualizando o tema. Para isso, temos muitas músicas no nosso cancioneiro.


Temos alguns exemplos de músicas possíveis de serem trabalhadas que podem ser encontradas neste site. Aqui você encontra, além das canções, pequena análise do que está sendo falado nas mesmas.


Podemos também trabalhar em sala de aula com reciclagem de materiais e aproveitamento de objetos (como latas, garrafas pet, copos plásticos, tampas de garrafa, etc.) e construir instrumentos musicais. É uma forma de aproveitarmos esses objetos que seriam descartados e termos a possibilidade de produzir sons com eles.


Aqui você encontra exemplos de como podemos aproveitar esses materiais. Nesse outro site, você encontra exemplos de construção de instrumentos com materiais recicláveis.


Após a elaboração desses instrumentos, podemos ensaiar com nossos alunos pequenos acompanhamentos para as canções antes analisadas e cantadas em sala e apresentar para a turma, para a escola como um todo.


Temos também uma sugestão de aula no Portal do Professor do MEC, que utiliza a música como suporte ao desenvolvimento do conteúdo aqui apresentado. Essa aula usa, além da música “Planeta Água”, jogos e vídeos, e sugere uma pesquisa para os alunos sobre sua rotina em casa e a abordagem sobre o consumo consciente da água.


Projetos sobre meio ambiente são sempre muito bem recebidos pelos alunos, responsáveis, professores, por toda a comunidade escolar. Geram trabalhos interdisciplinares, feiras e o que é mais importante: conscientização.

 

Se quiser saber mais sobre "sustentabilidade", nosso portal também tem uma grande dica pra você! É só clicar aqui!

 

Aproveite!! wink

 

 

Gostaram da nossa dica? Escreva pra gente!! smiley

 

Fica a Dica!! 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/08/2018

Fica a Dica: Folclore

Tags: folclore, música, dicas, educação musical, fica a dica.

 

Folclore

 

 

Olá!

Hoje estamos aqui para falar sobre o “Folclore”. Nosso folclore é bastante rico e diversificado, expresso em cada região do país de maneira variada.

Como o nome já diz, folclore se refere à sabedoria popular, ao que é passado de geração em geração, geralmente por tradição oral. As lendas, canções, crenças, entre outros, são frutos da nossa colonização e da mistura entre os povos.

“O folclore brasileiro é sinônimo de cultura popular brasileira e representa a identidade social da comunidade através de suas criações culturais, coletivas ou individuais; é também uma parte essencial da cultura do Brasil. Embora tenha raízes imemoriais, seu estudo sistemático iniciou somente em meados do século XIX e levou mais de cem anos para se consolidar no país. A partir da década de 1970, o folclorismo nacional definitivamente se institucionalizou e recebeu conformação conceitual.” (consultado em https://pt.wikipedia.org/wiki/Folclore_brasileiro, em 06/08/2018).

Em sala de aula, já aconteceu e acontece ainda de indagarmos aos nossos alunos o que é folclore e eles responderem: “Ah, folclore é Saci Pererê, Mula sem Cabeça, Curupira...”. Geralmente o discurso gira apenas em torno das lendas.

É preciso que se fale também sobre as danças, as músicas de tradição oral, as comidas típicas, as crendices, os ditos populares, a literatura popular, as festas... Precisamos mostrar a eles que o que é “conhecimento do povo”, desde as brincadeiras que fazemos nas ruas às festas típicas que muito nos envolvem (como as festas juninas ou o carnaval), tudo se refere ao nosso folclore.

Eles precisam também perceber que cada localidade tem as suas características, suas determinadas tradições. Além disso, é importante mostrar que algumas canções, brincadeiras, ditos, podem apresentar variações dependendo do lugar onde se inserem, haja vista que essas tradições/citações são passadas de geração em geração de forma oral, como falado anteriormente.

No Brasil, país de grande extensão territorial, temos muitas manifestações folclóricas e delineadas em cada “território”.

Em cada região, vamos observar manifestações representativas, como as danças do Frevo e do Maracatu no Nordeste; o Carimbó na Região Norte; o Jongo na região Sudeste; a Congada no Centro-Oeste e a dança do Pau de Fitas na Região Sul, para citar apenas algumas.

Sobre o folclore, são inúmeras as atividades que podemos fazer em sala de aula. Desde os menores até os alunos do último ano do Fundamental. É importante que eles conheçam a nossa cultura, que a valorize e a respeite.

Podemos desenvolver atividades de apreciação dessas canções e das danças típicas de cada região, assim como fazê-los conhecer as lendas e suas referências, seu contexto histórico e sua origem. Podemos também reproduzir as brincadeiras com as cantigas tradicionais, lembrando sempre que é importante a vivência dessas manifestações, o conhecimento acerca do cenário de cada uma.

Podemos trabalhar também as parlendas, os provérbios, os trava-línguas com os menores, aproveitando o conteúdo para desenvolver outras habilidades.

São inúmeras as possibilidades que podemos desenvolver, buscando sempre preservar as tradições, valorizando o que é nosso, resgatando brincadeiras e canções, aprimorando a imaginação, a sensibilidade e a criatividade, dentre muitas outras.

Que tal se as suas turmas se dividissem e explorassem regiões diferentes para depois apresentarem para os demais o resultado das suas pesquisas? Que tal programar apresentações de dança, música, e até produções de vídeos feitos pelos próprios alunos, com pesquisas realizadas na região onde vivem e, assim, poder falar sobre as suas tradições? wink

 

 

 

Fica a Dica! 

Gostaram da dica da semana? Escreva pra gente! Conte-nos suas ideias e sugestões!

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 30/07/2018

Fica a dica: Gêneros Musicais na Sala de Aula

Tags: gêneros musicais, dicas, educação musical, valores, ética, criatividade.

 

Fica a dica: Gêneros Musicais na Sala de Aula

 

 

Olá!

Hoje, vamos falar sobre atividades relacionadas ao estudo dos gêneros musicais.

Navegando mais uma vez pelo portal do professor do MEC, me deparei com uma aula bastante interessante que podemos realizar com nossos alunos. Ela pode ser acessada no link: https://bit.ly/2v4zv1S.

É uma proposta de aula que pode ser adaptada, modificada, que desperta variadas ideias para nós, professores de música. Além disso, abre correlações com outras disciplinas.

Essa sugestão aborda também valores que são importantes, como ética e respeito.

 

Nessa aula, sugere-se também que o nosso aluno seja ouvido, que ele traga para a mesma suas dúvidas, aspirações e preferências musicais.

 

As autoras propõem que os alunos, ao final, sejam capazes de:

1. Reconhecer que o trabalho com música e com a diversidade de gêneros musicais possibilita o saber ouvir, a interação social e a formação de valores éticos;

2. Conhecer e discutir seus gêneros musicais preferidos, os ambientes em que costumam ouvir músicas e os meios que utilizam para realizar esta atividade;

3. Analisar letras de músicas relativas aos gêneros preferidos da turma;

4. Criar paródias de acordo com os gêneros musicais escolhidos pelos alunos.

 

Na proposta são trabalhados a escuta atenta, a interação social, os valores éticos, as preferências musicais dos alunos e os gêneros musicais propriamente ditos.

É uma aula dividida em quatro momentos de 50 minutos, que podem ser adaptados de acordo com o público-alvo e suas respectivas faixas etárias. Além de apresentar exemplos em vídeos das atividades, o que facilita e nos orienta na aplicação em sala.

Temas como plágio, pirataria, atividades com instrumentos musicais recicláveis e jogos são alguns dos conteúdos abordados. Entre os temas, destaco a pirataria e plágio como assuntos essenciais para discussão e reflexão com os alunos. A orientação se faz necessária, haja vista o consumo rápido e facilitado com o uso da internet na atualidade. Sem saber, podemos estar consumindo erradamente ou produzindo obras que afetam direitos autorais. Esses valores precisam ser debatidos em sala, apropriadamente, para que possamos formar cidadãos conscientes também nesse aspecto.

A aula citada pode ser ricamente utilizada, no âmbito musical e também interdisciplinarmente.

 

Espero que tenham gostado da sugestão e que possam explorar bastante as atividades sugeridas! Que os debates rendam frutos e que nossos alunos estejam cada vez mais conscientes e preparados para suas escolhas e apreciações artísticas!

 

Fica a Dica! 

 

Essa é a nossa dica da semana! Estamos aguardando suas sugestões! Escreva pra gente! smiley
 


   
           



Yammer Share