A A A C
email
Blog destinado a grandes especialistas da Educação. Você também pode participar. Veja como.

Quarta-feira, 02/05/2018

Fica a Dica: Atividades com o Corpo e a Percussão Corporal

Tags: dicas percussão corpo.

 

 

Na semana passada, falamos sobre as atividades relacionadas ao uso da voz, quando utilizamos o que temos no nosso próprio corpo para “fazer música”. Hoje vamos continuar falando de atividades com o nosso corpo, como a percussão corporal, a prática rítmica, explorando a sensibilidade, no “sentir a música”.

Dentro de muitas possibilidades para essas criações, podemos fazer atividades com o nosso caminhar, com palmas, estalos, batendo os pés, batendo as mãos em diferentes regiões do corpo, adequando-as a diversas situações. Com o tempo, podemos modificar, ampliar e dificultar esses exercícios.

Essas atividades também propiciam a prática em grupo, no qual cada um depende do outro para realizar determinadas propostas e, assim, possibilitar o trabalho relacionado à concentração.

Podemos, também, criar padrões rítmicos para usar nessas atividades, mas lembrando sempre de adequar essas práticas às faixas etárias e respeitando as peculiaridades do público a que estamos atendendo.

Nos exercícios de percussão corporal realizamos a exploração dos sons, a consequente internalização do ritmo, a melhora na coordenação motora, o desenvolvimento da lateralidade, entre outros. São muitos os benefícios que as atividades corporais podem nos proporcionar.

Há na literatura métodos de educação musical cujo foco é o nosso corpo, na internalização rítmica, na produção de sons, com atividades em conjunto, entre outras, que nos tornam sensíveis à apreciação das práticas musicais.

Dentre os métodos que focam no nosso corpo como meio para um aprendizado ativo da música, podemos citar aqui o método Dalcroze, cujo autor defendia que o aprendizado musical deveria passar pela experiência corporal:
 

 

“O princípio básico do processo de educação musical de Dalcroze é sentir, viver, analisar e intelectualizar, tomando como ponto de partida a relação entre movimentação corporal e ritmo. Dessa forma, em seu método, a prática musical antecede ao aprendizado da teoria, da mesma forma como uma criança aprende a língua materna: primeiro a fala e depois seus símbolos.”

(REVISTA ESPACO INTERMEDIÁRIO, Sao Paulo, v.I, n.I, p. 78-89, maio, 2010. Consultado em 30/04/2018)
 

 

Temos grupos que trabalham também dentro dessa proposta do emprego do corpo na produção de sons, que utilizam a percussão corporal, como o “Barbatuques”.

O grupo, inclusive, possui um trabalho que alia a percussão corporal à músicas folclóricas do nosso cancioneiro popular. São músicas de fácil assimilação e aceitação entre os nossos alunos, principalmente os pequenos.

Eles sempre gostam de explorar o corpo (quaisquer que sejam as formas, sentados, de pé, utilizando apenas uma parte do mesmo ou a sua totalidade, se possível) tornando-o meio de produção de variados sons.

Deixo aqui um exemplo da performance do grupo “Barbatuques”, com a percussão corporal aliada ao canto, utilizando a música “Samba Lelê”, bastante conhecida: 

 

 

Acredito que a exploração do corpo, como forma de produção sonora através da experimentação, pode ser um caminho bastante favorável para o desenvolvimento musical, além de trabalhar a consciência corporal e nos revelando, também, um meio de muitas possibilidades criativas.


Essa é a dica da semana. Aguardo sugestões! Até a próxima! wink

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 27/04/2018

Fica a Dica: Livro Quando as cores foram proibidas

Tags: livros, dicas, leitura.

 

 

Livro Quando as cores foram proibidas

 

 

 

Olá!


Nosso primeiro artigo é para falar do livro “Quando as cores foram proibidas”, da escritora e jornalista alemã, Monika Feth e ilustrado por Antoni Boratynsky, da editora Brinque-Book, indicado pela professora Laura Fantti.

A história retrata um país, cheio de cores e alegria, governado por um presidente que gostava de ver as pessoas rindo e queria que todo mundo fosse feliz. “Só posso tomar as decisões certas se conhecer muito bem meu país”, dizia ele.

Com sua morte, chega ao poder um novo presidente, não pela eleição do povo, mas por ser rico e influente, e mesmo sabendo que era errado, os ministros nada fizeram com medo de perder seus cargos.

Dominador, vaidoso e ambicioso, queria tudo de bonito para si, dentro das fronteiras do castelo, tirava o dinheiro do povo para bancar suas extravagâncias. Proibiu o povo de usar qualquer cor que não fosse preto, ordenou que todas as casas fossem pintadas de cinza e que delas tirassem todos os enfeites e cores.

A população estava indignada, mas qualquer movimento contrário ao presidente era punido com prisão. As pessoas tornaram-se tão cinzentas por dentro quanto a paisagem a sua volta. O riso deixou de existir.

 

Quanto mais triste e oprimido o povo mais alegre se tornava o presidente. Todavia, existia uma coisa que o presidente não poderia destruir. As vezes, quando o sol brilhava depois da chuva, o arco-íris aparecia, e, nessas horas, os habitantes esqueciam-se de tudo e cantavam e dançavam como se não houvesse amanhã.

E, ainda sim, o presidente não desistiu...

Esse é um livro que nos permite trabalhar algumas questões, desde os sentimentos como alegria, tristeza, inveja, ambição, bem como a noção de Governo, responsabilidade, democracia e cidadania.

Sabemos que todos nós temos direitos e deveres que devemos cumprir e respeitar, dentre os quais podemos destacar o dever de voto. Em ano de eleição, como podemos preparar nossas crianças e jovens para agir de forma consciente em suas escolhas? E falar da importância de acompanhar seus resultados? Que tipos de eleitores queremos formar?

 

Pergunte a seus alunos. Que tipo de Presidente você seria? Vamos promover uma eleição na nossa sala de aula? Quem sabe não teremos um futuro presidente do Grêmio Estudantil!

 

Fica a dica!!! 

 


Conto com sua participação, professor(a). Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!

Até a próxima semana!

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 25/04/2018

Fica a dica: Atividades com a Voz

Tags: dicas educação musical voz.

 

Atividades com a Voz

 

 

Olá, pessoal!


Anualmente, no dia 16 de abril, comemora-se o "Dia Mundial da Voz". Hoje trago pra vocês um pequeno texto de reflexão e sugestão sobre atividades que podemos fazer relacionadas ao uso da voz. Vale ressaltar que temos na Educopedia aula específica sobre a “Voz Cantada” (na aba "6º ano", ficheiro de "Educação Musical"), mas nada impede que essas aulas sejam adaptadas para a faixa etária que quisermos. Trabalhar com a voz e o canto coletivo é sempre bastante enriquecedor.

Na aula citada são tratados os tipos de voz que cada um de nós possuímos, como funciona o nosso aparelho fonador (com exemplos em vídeos sobre o funcionamento das nossas cordas vocais). Além, é claro, de sugestões de atividades a serem realizadas com nossos alunos.

Toda vez que fazemos atividades para cantar nas escolas, nossos alunos ficam bastante empolgados com esses momentos de “soltar a voz”. Com isso, tudo pode virar uma grande brincadeira, pois nosso corpo é o nosso primeiro instrumento e podemos explorá-lo de maneira saudável e proveitosa.

 

Através de jogos e brincadeiras, podemos vencer a timidez e trabalhar exercícios para a voz, lembrando sempre que o que importa, aqui, não é só o resultado final, mas todo o rico processo que acontece no desenvolvimento dessas atividades. Os exercícios vocais são benéficos para a nossa voz não apenas para cantar, mas também quando a utilizamos para falar e nos comunicar. Nesses exercícios, tudo pode ser trabalhado: dicção, volume, expressão, intensidade, entre outros.

O repertório escolhido também pode ser bastante variado, alcançando públicos diferenciados e contemplando, também, seus interesses. O importante é que esse repertório esteja compatível com a proposta da escola, com o projeto político-pedagógico e com as atividades planejadas pelo professor.

Como falado anteriormente, essas atividades podem ser adaptadas para vários segmentos, desde os pequenos até os adultos. Soltar o corpo, a voz, se expressar com mais segurança, trabalhar a timidez, a expressão artística, a criatividade e o cuidado com o próprio corpo, trará muitos benefícios para nossos alunos. Os mesmos tornar-se-ão mais confiantes nas áreas afetiva, emocional, de interrelação pessoal, inserção social e cooperação.

Ainda nesse sentido, muitos conteúdos podem ser trabalhados abordando a prática do canto coletivo, como a percepção e identificação dos elementos da linguagem musical, a apreciação, o respeito pela diversidade cultural, os movimentos musicais, entre outros. Contemplando, ainda, a interdisciplinaridade, pois a música pode ser uma aliada para muitas histórias de sucesso!
 

 

Espero que tenham curtido a dica da semana! Aguardamos sugestões! smiley

Até a próxima!

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 20/04/2018

Fica a dica: Falando sobre Livros

Tags: dicas, leitura, livros.

 

Dicas de Livros com Fernanda Pérez

 

 

Olá!

Sou Fernanda, Professora de Educação Infantil no Município do Rio de Janeiro desde 2014. Formada em Letras – Português/Literatura, Especialista em Leitura e Produção Textual e atualmente cursando Pós-graduação em Informática Educativa.

 

Estou começando esse projeto para dividir com vocês minha paixão pela leitura. Quando olho para minha infância sempre me vejo com um livro por perto, mas meu fascínio por esse universo imaginário começou com o livro A droga da obediência, do Pedro Bandeira. Como não se apaixonar pelos “Karas” e suas aventuras? Em algum momento, com certeza, falarei dessa obra!

 

A leitura deve ser prazerosa e não simplesmente uma obrigação. Além de estimular a imaginação e ampliar o conhecimento e o vocabulário, o hábito de ler propicia o desenvolvimento do senso crítico, do raciocínio e da interpretação.

 

Então como estimular a leitura nas crianças e nos jovens? Como torná-la gratificante?

 

Que narrativas podemos utilizar em nosso ambiente e como aproximar os temas com a expectativas dos alunos, sejam eles crianças ou adolescentes?

 

A cada semana, esse blog trará indicações de leituras, atividades, curiosidades.

 

 

Conto com sua participação, professor. Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!

 

Até a próxima semana!

 

 


   
           



Yammer Share