A A A C
email
Retornando 43 resultados para a tag 'dica'

Quarta-feira, 09/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Fica a Dica Livro A bolsa Amarela

Tags: dica, livro, bolsa.

 

Livro A bolsa Amarela

 

 

Olá!


Quais são seus maiores desejos? Aonde você guardaria suas vontades mais secretas? Que tal numa bolsa amarela?


O livro, “A bolsa amarela”, é um clássico da literatura infantojuvenil escrito pela premiada escritora brasileira Lygia Bojunga e publicado, pela primeira vez, em 1976. Esse é um dos muitos livros que marcaram minha vida.


No Romance atemporal, Raquel, nossa personagem principal, é a caçula de quatro irmãos, que já estão entrando na fase adulta e, assim como seus pais, pouco tempo tinha para ela. “E acabei achando que a gente só devia nascer quando a mãe da gente quer ver a gente nascendo.”, pensava ela.


Tinha três grandes vontades, as quais precisava esconder de todos, a vontade de crescer de uma vez e deixar de ser criança, a vontade de ter nascido garoto em vez de menina, “Vocês podem um monte de coisas que a gente não pode.”, dizia ela a seu irmão, e a vontade de escrever.


Muitas vezes incompreendida e ignorada, se sentia muito só e, nessas horas, a vontade de escrever só engordava. Sua curiosidade não via limites e na mesma medida sua imaginação. Começou escrevendo cartas e nelas derramava seus sonhos e sentimentos, inventava novas vidas, amigos imaginários e novas histórias. Das cartas passou a escrever Romance que, por ser a coisa mais inventada do mundo, não poderia colocá-la em apuros.


Tentava entender as atitudes dos adultos e, com frequência ouvia: “não é assunto de criança”, ou “criança não entende de nada”. Sentia necessidade de esconder, cada vez mais, suas vontades de todos. “Eu tenho que achar depressa um lugar pra esconder as três: se tem coisa que eu não quero mais é ver gente grande rindo de mim.”.


Até o dia que dentro de um pacote enviado por sua tia havia uma bolsa, grande, mais parecendo com uma sacola, amarela, não um amarelo sempre igual e que ninguém mais queria.


Comecei a pensar em tudo que eu ia esconder na bolsa amarela”.


Como podemos trabalhar, com nossos alunos, um livro tão rico como esse?


Podemos falar da família e das mudanças estruturais que ocorreram nos últimos 40 anos, falar ainda das transformações sociais e culturais que acompanharam esse período, ou podemos falar da busca pelo autoconhecimento, do controle emocional e de relacionamentos. Particularmente, vou focar na última opção.


No decorrer da história observamos a construção da personagem como pessoa, seu caminho para se auto descobrir e se aceitar como ela é. Vimos que amizade pode transformar alguém, que ter apoio e compreensão é fundamental para o nosso crescimento. Aprendemos lições de coragem e determinação, que podemos ter sonhos, sim, e que, independente dos riscos, devemos correr atrás deles, de experimentar o desconhecido sem medo de tropeçar pelo caminho.


Pergunte a seus alunos, quais suas maiores vontades? Aquelas mais secretas. Que tal criarmos uma cápsula do tempo? Deixar lacrada, bem lacrada, por um ano. Será que no curso do nosso crescimento, nossas vontades ainda serão as mesmas?

 

Fica a dica!!! 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 07/01/2019

Vale a Pena Ler de Novo: Fica a Dica - Qualidades do Som

Tags: dicas, qualidades do som, educação musical, fica a dica.

 

Fica a Dica: Qualidades do Som

 

Olá!! smiley


Aqui estamos mais uma semana! Vamos começar hoje com uma pergunta: você conhece a plataforma de aulas digitais chamada Educopédia?


É um recurso educacional aberto, com conteúdo de várias disciplinas, cursos extras, incluindo games, entre outros. As aulas sempre começam com a revisão da aula anterior, com um desafio. Logo após, é apresentado o conteúdo da aula atual (começando com uma pergunta-chave), sempre ilustrada com áudios, vídeos, imagens. Quizzes também são inseridos em momentos específicos da aula e, ao final, o aluno será capaz de realizar uma síntese do conteúdo estudado.


Vale dizer que qualquer pessoa pode entrar nessa plataforma. É só fazer um pequeno cadastro e logar como visitante. Quem é professor da nossa rede municipal, tem acesso através do e-mail institucional Rioeduca, porém, entrar como visitante ou com e-mail institucional, não fará diferença no resultado final, pois o conteúdo acessado será o mesmo. Se tiver dificuldade de acesso com o seu e-mail Rioeduca, clique aqui.

 

Hoje, escolhi algumas aulas da Educopédia para falarmos sobre as qualidades do som. Nessas aulas, temos disponíveis vídeos e áudios que ilustram o tema trabalhado em sala e, com isso, acaba por deixar as aulas mais atraentes e nossos alunos mais motivados pela maneira objetiva e diferente de explicitar os conteúdos.


Após o login, ao clicar em sexto ano (que é o ano escolhido para essa dica), na aba “Educação Musical” você vai encontrar relacionados todos os conteúdos da disciplina, separados por bimestres.

 

 

 


Escolhi para falar, nesse momento, sobre as aulas números 2, 3, 4 e 5, do sexto ano, que correspondem às aulas sobre altura, intensidade, duração e timbre, respectivamente: as Qualidades do Som.

 

Ao entrar na plataforma e visualizar essas aulas, você só precisará clicar nas pastas correspondentes aos Planos de Aula e/ou Apresentações. Os arquivos serão baixados para o seu dispositivo e estarão prontos para serem utilizados, como também para serem modificados, caso seja necessário e pertinente.

 


 

Falando especificamente sobre essas qualidades:


Altura corresponde à nossa capacidade de distinguir sons graves, médios e agudos, produzidos pela vibração das ondas sonoras;

Intensidade: à distinção de sons fortes e fracos, associados, na execução musical, aos sinais de dinâmica e intensidade;

Duração: ao tempo que a vibração sonora é percebida pelos nossos ouvidos, refere-se à distinção de sons longos e curtos. É um elemento importante para a interpretação e escrita musical. São utilizadas figuras de som e silêncio para a representação das durações e, consequentemente, do ritmo musical;

Timbre: é a característica do som que nos permite distinguir sons de mesma frequência, refere-se também à nossa capacidade de distinguir a fonte de determinado som. Cada instrumento, voz, ruído, tem propriedades diferentes e é o que faz com que cada som seja diferente do outro e, mesmo de longe, podemos identificar que tipo de som está sendo produzido.

 

Classificar os sons quanto a esses elementos característicos nos ajuda a ampliar a percepção sonora (sons musicais, sons da natureza, ruídos, vozes), a melhorar a capacidade de escuta dos sons que nos rodeiam (no ambiente próximo ou distante), e de perceber detalhes sonoros que antes não conseguíamos ouvir e distinguir. É um bom exercício para aumentar também a capacidade de concentração dos nossos alunos.

 

Para saber mais sobre a Educopédia, clique aqui.

 

Fica a Dica! 


E aí, o que achou da nossa dica? Estamos esperando suas sugestões!!! Conte-nos como foi sua experiência ao usar a Educopédia! wink

 


 


   
           



Yammer Share

Sábado, 08/12/2018

Fica a Dica: Capoeira vem de Berço

Tags: dica, educação infantil, creches, edis.

Fica a Dica: Capoeira vem de Berço

Esporte na  Educação Infantil , pode?

 

 

Pode sim, e além de ser uma diversão para os pequenos traz diversos benefícios. Ele promove uma ótima sensação de bem estar, é importante para o desenvolvimento físico e motor dos pequenos, e além disso é um grande estímulo para socialização dos pequenos. Ludicidade, prazer e alegria são as regras que não faltam no esporte escolhido: A Capoeira.

 

A Creche Municipal Tia Andreza, da 3ª Coordenadoria de Educação compartiha com você, leitor do Especialista Convidado: Educação Infanti, essa super Dica:

 

DICA DA SEMANA: CAPOEIRA  E CORPO EM MOVIMENTO!

 

 

 

"O projeto “Capoeira vem de berço” vem sendo desenvolvido desde o início do ano com todos os grupamentos (uma turma de Berçário, uma turma de Maternal I e duas turmas de Maternal II) da Creche Municipal Tia Andreza, através da Professora de Educação Infantil e capoeirista, Ana Carolina Lacorte.


O objetivo desse projeto é “desenvolver um trabalho com a capoeira através dos campos de experiências lúdicas e brincantes” (LACORTE e FERREIRA, 2018) em consonância com a Lei 10.639/03, que torna obrigatória à abordagem da cultura e história africana e afro-brasileira nos currículos escolares.


As atividades de capoeira acontecem uma vez por semana, durante 30 minutos em cada turma e é um momento muito prazeroso para as crianças. Um dos valores desenvolvidos na prática desse jogo é o respeito com o outro, além de outros benefícios, como trabalhar todo o corpo, estimular a socialização e a autoconfiança, dialogando com os campos de experiência e atendendo a todos os direitos de aprendizagem assegurados na Base Nacional Curricular Comum para a Educação Infantil (BNCC).


Destacamos a experiência do grupamento Berçário, em que é nítida a presença da capoeira nas propostas pedagógicas diárias, como: músicas, sons, ritmos, movimentos corporais e histórias.
Contamos sempre com a parceria de toda a equipe e das famílias que abraçam nossos projetos, participando ativamente de momentos coletivos da creche e incentivando, assim, o desenvolvimento de suas crianças.


O projeto ainda está em andamento e a intenção é que continue sendo desenvolvido no ano de 2019, contribuindo para uma Educação Infantil de qualidade.

 

Relato enviado por: 

Karina Serra e Lilian Ferreira 

 

Envie também o relato de sua atividade para o e-mail abaixo e publicaremos aqui.

ruteferreira@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 06/12/2018

Fica a Dica: Numa Tarde Quente de Verão

Tags: dica, livro, tarde, verão.

 

Fica a Dica: Numa Tarde Quente de Verão

 

 

Chegamos ao final de mais um ano letivo e assim, como vocês, o Fica a Dica também entrará de férias. Quando pensamos em férias, qual é seu primeiro pensamento?

 

Em meio a essa atmosfera vibrante, a dica dessa semana é o livro “Numa Tarde Quente de Verão”, do jornalista, músico e escritor Tino Freitas, da Coleção Na Ponta do Dedo.

 

“O que você gostaria de fazer numa tarde quente de verão? Provar uma fruta suculenta? Saborear um sorvete de menta? Buscar uma sobra para descansar? Ou tomar um banho de mar?”

 

O livro é condutor dessa história, e não apenas um detentor de palavras e imagens. Já na primeira página o livro convida o leitor a mergulhar num mundo de imaginação.

 

“Olá!

Numa tarde quente de verão,

Este livro... Ah, nem te conto.

Basta virar a página. Pronto?”

 

Cada virar de página é uma surpresa. Através das cores quentes, desenhos geométricos e rimas fáceis o leitor vai interagindo e brincando com as folhas do livro.
 

“Puxa!

A natureza é surpreendente.

O sol esquenta a cuca da gente.

Faça do livro um chapéu por um instante

E descubra onde há uma sombra gigante.”

 

O verão está chegando e com ele dias mais longos e quentes. Então, ansiosos para as férias? Nos vemos em 2019!

 

Agradecemos as sugestões enviadas durante o ano! Esperamos novas dicas. Esse espaço é seu, comente, curta e compartilhe.

 

Um agradecimento especial para a Sala de Leitura Professor Lourenço Filho (localizado no 4º andar do Nível Central), por cada livro emprestado para que estas postagens pudessem ser realizadas.


Fica a Dica! 


 


   
           



Yammer Share