A A A C
email
Retornando 39 resultados para a tag 'educação'

Segunda-feira, 10/09/2018

Fica a Dica: Música e Meio Ambiente

Tags: dicas, educação musical, meio ambiente, fica a dica.

 

Fica a Dica: Música e Meio Ambiente

 

 

Olá!


Nessa semana, vamos falar um pouco das possibilidades que temos ao trabalhar o Meio Ambiente em sala de aula, associando a disciplina de Música para esse conteúdo.


Antes de começarmos o trabalho, aliando meio ambiente e música, com os alunos (como canto de canções selecionadas, análise de letra, apreciação, interpretação, entre outros) precisamos primeiro falar sobre o tema em sala de aula. Quem sabe podemos fazer um trabalho interdisciplinar com os professores de Ciências? Tratar do uso consciente dos nossos recursos, de ecologia, problemas ambientais, preservação, escassez, soluções para tal... Podemos contextualizar esse conteúdo nos âmbitos da fauna, flora, dos rios, florestas, etc.


A música inspira muitos compositores a falar sobre a destruição do meio ambiente pelo ser humano, sobre a escassez e poluição da água, entre outros.


Esse é um importante trabalho de conscientização que pode ser realizado com os nossos alunos, através de canções selecionadas, contextualizando o tema. Para isso, temos muitas músicas no nosso cancioneiro.


Temos alguns exemplos de músicas possíveis de serem trabalhadas que podem ser encontradas neste site. Aqui você encontra, além das canções, pequena análise do que está sendo falado nas mesmas.


Podemos também trabalhar em sala de aula com reciclagem de materiais e aproveitamento de objetos (como latas, garrafas pet, copos plásticos, tampas de garrafa, etc.) e construir instrumentos musicais. É uma forma de aproveitarmos esses objetos que seriam descartados e termos a possibilidade de produzir sons com eles.


Aqui você encontra exemplos de como podemos aproveitar esses materiais. Nesse outro site, você encontra exemplos de construção de instrumentos com materiais recicláveis.


Após a elaboração desses instrumentos, podemos ensaiar com nossos alunos pequenos acompanhamentos para as canções antes analisadas e cantadas em sala e apresentar para a turma, para a escola como um todo.


Temos também uma sugestão de aula no Portal do Professor do MEC, que utiliza a música como suporte ao desenvolvimento do conteúdo aqui apresentado. Essa aula usa, além da música “Planeta Água”, jogos e vídeos, e sugere uma pesquisa para os alunos sobre sua rotina em casa e a abordagem sobre o consumo consciente da água.


Projetos sobre meio ambiente são sempre muito bem recebidos pelos alunos, responsáveis, professores, por toda a comunidade escolar. Geram trabalhos interdisciplinares, feiras e o que é mais importante: conscientização.

 

Se quiser saber mais sobre "sustentabilidade", nosso portal também tem uma grande dica pra você! É só clicar aqui!

 

Aproveite!! wink

 

 

Gostaram da nossa dica? Escreva pra gente!! smiley

 

Fica a Dica!! 

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 16/08/2018

Fica a Dica: Sala de Recursos na Educação Infantil

Tags: blogrioeducadores, educopédia, inclusão, sala de recursos, mídias, especialistas, educação infantil, creches, edis, professores de educação infantil.

Fica a Dica:  Inclusão na Educação Infantil

 

 

Nossa Dica de hoje propõe um tema de sensibilidade, estudo, e paixão pela Educação. Falaremos sobre Sala de Recursos, parte da inclusão para Crianças com Necessidades Educativas Especiais.

 

Quem nos enviou a proposta da matéria de hoje foi a Professora Hozama Moura Tibúrcio, da Escola Pareto , 3ª Coordenadoria Regional de Educação.

 

A professora confessa estar apaixonada pelo trabalho, pois considera gratificante acompanhar o desenvolvimento de seus alunos, o que faz seu coração bater mais forte a cada novo passinho, cada gesto, olhar, toque, o segurar dos lápis, o encaixe dos blocos, a escrita das primeiras letras. 

 

Aluno da Sala de Recursos da Professora Hozama

 

Hozama revela a beleza que nem todos podem enxergar na simplicidade da construção de legos grandes e coloridos e a vibração dos pequenos ao compreender sua grande aprendizagem. Sim, estamos falando de crianças pequenas, da pré-escola, pouca idade, mas com um mundo de possibilidades.

 

Hozama além de pedagoga e pós graduada, também é mãe de duas crianças, as quais  acompanha o desenvolvimento.   

 

Trajetória de Sucesso

Um pouquinho de uma  história de transformações

 

 

“A EDUCAÇÃO MAIS EFICIENTE É AQUELA QUE PROPORCIONA ATIVIDADES,

AUTO EXPRESSÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL ÀS CRIANÇAS”.

(FROEBEL)

 

A Educação do Brasil está caminhando para a Inclusão Infantil cada vez mais qualificada. No entanto, quando cito essa caminhada, estamos falando de uma história que por inúmeros países do mundo iniciou de uma forma triste. Havia pouco conhecimento na medicina, e nas culturas desses países, a criança que não seguia os padrões das demais, era apontada como anormal.Graças a pesquisadores da educação e avanços na medicina, caminhamos cada vez mais para acessibilidade, respeito às diferenças e a uma Educação que não desagregue crianças, mas que as dê suporte em suas necessidades educativas. 
 

Fica a Dica: Você sabe o que é uma Sala de Recursos?


 

A Professora Hozama vivencia todos os dias este espaço e nos relata que o trabalho do Atendimento Educacional Especializado (AEE), na Sala de Recursos, tem como objetivo auxiliar o processo de inclusão do aluno especial matriculado em turma regular na rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro, eliminando as barreiras na aprendizagem, superando as suas deficiências, para a plena participação na sociedade e pleno desenvolvimento.

 

O Programa disponibiliza às escolas públicas um conjunto de equipamentos de informática, mobiliários, materiais pedagógicos e de acessibilidade para a organização do espaço de atendimento educacional especializado.

 

Hozama relata que seu ofício na Sala de Recursos com os alunos da Educação Infantil visa investir em condições favoráveis de aprendizagem. É importante considerar que esta etapa escolar favorece o desenvolvimento das competências básicas para os aprendizados posteriores, usando a tecnologia, os jogos, materiais adaptados e materiais confeccionados na própria Sala de Recursos. A professora destaca que a interação dos alunos contribui muito para superação das dificuldades, pois a comunicação entre eles desenvolve a linguagem, a socialização e demais campos.

 

A caminhada Promissora de Nikolas

 

“QUALQUER JOGO EMPREGADO NA ESCOLA, DESDE QUE RESPEITE A NATUREZA DO ATO LÚDICO, APRESENTA CARÁTER EDUCATIVO E PODE RECEBER TAMBÉM A DENOMINAÇÃO GERAL DE JOGO EDUCATIVO”. (KISHIMOTO)

 

É com emoção que a Professora Hozama Moura Tibúrcio relata a história do seu aluno. Na verdade como não compartilhar do sentimento da professora, nós que somos da Educação Infantil e sabemos muito bem os desafios do dia a dia?

 

O aluno Nickolas do Pré 2 tem seis anos e frequenta a sala de Recursos da Escola Municipal Pareto, desde do ano de 2017. Na época em que ele  entrou para rede, chegou a escola e sentiu diferença no ambiente. Ele não conhecia a rotina, os colegas, as professoras e só desejava brincar - normal para a idade de um pequeno em um espaço com tantas oportunidades. Aos poucos ele foi sendo inserido na rotina e com a ajuda dos amiguinhos, que o acolheram com respeito e carinho, Nickolas começou a entender o funcionamento da  escola.

 

Aluno Nickolas descobrindo seu nome

 

Nickolas era agarradinho à sua mochila, onde ele sentava ou andava  a carregava. O que é considerado comum na Educação Infantil . Aos pouquinhos, foi percebendo como era interessante os trabalhos realizados com massinha, blocos de encaixe, jogos no computador, atividades de pareamento. Os “brinquedos” foram se tornando conhecidos do Nickolas e colaborando pouco a pouco em seu aprendizado. Os colegas também ficaram mais perto do pequeno, e essa interação foi de grande importância.

 

Para alegria da Professora e da família de Nickolas, ele já  alçou grandes vôos: Ele reconhece seu nome, as vogais e até mesmo os números! Quanta superação e esforço do pequeno e da professora. Ele já consegue participar de toda a rotina da escola e está aprendendo a gostar de explorar as diversas cores. Ama pintar com as mãos, dedinhos e pincéis! Sabia que ele não apreciava as cores quando chegou? A Professora Hozama Moura do AEE também se une à professora regente na troca de ideias de como trabalhar com ele, de maneira lúdica e interessante, sempre focando no aprendizado.

 

Em 2019, o aluno Nickolas irá para o 1° ano e continuará com seus atendimentos na Sala de Recursos, com foco na alfabetização e na inclusão.

 

As Salas de Recursos Multifuncionais são muito importantes para o desenvolvimento do aluno incluído e um direito também. Caso tenha um aluno ou filho que precise desse apoio, peça ao responsável  para procurar a equipe  gestora que o encaminhará à Educação especial da sua CRE (Coordenadoria Regional de Educação) mais próxima que assim irá encaminhá-lo para a Sala de Recursos mais próxima da sua escola/casa.

 

 Fica a #Dica:

Quais as modalidades  para  uma criança portadora de necessidades educativas especiais na Rede Municipal de Ensino do Rio?

 

Classes Hospitalares - São abertas em hospitais conveniados com a Prefeitura para atender a crianças e adolescentes internados em enfermarias, a fim de proporcionar-lhes aprendizado. Há 11 unidades conveniadas, entre elas os Hospitais do Câncer, Jesus e Hemorio.

Classes Especiais - Funcionam em escolas regulares, sendo uma das alternativas de educação inclusiva, em que portadores de necessidades educacionais especiais compartilham com os demais colegas atividades comuns a todos na escola.

Salas de Recursos - Prestam atendimento a alunos portadores de necessidades educacionais especiais, matriculados nas classes regulares. Nestes espaços, são utilizados recursos específicos que sirvam às necessidades deles e auxiliem o incremento do aprendizado. A freqüência à sala de recursos é em horário diferente ao da classe regular.

Professor Itinerante - Assessora o trabalho desenvolvido com o aluno portador de necessidades educacionais especiais  já integrado em turma regular. Acompanha e dá suporte à escola que recebe este aluno, ao professor e ao responsável.

Professor Itinerante Domiciliar - Atende a alunos portadores de necessidades educacionais especiais em suas residências. Atualmente, há 21 alunos beneficiados por este tipo de atendimento.

Pólos de Educação Infantil: São 27 pólos destinados ao trabalho educacional com alunos portadores de necessidades educacionais especiais, na faixa etária de 0 a 3 anos e 11 meses.

 

Fonte:
http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/exibeconteudo?article-id=96318

 

Fica a Dica:

Faça como a Professora Hozama Moura e compartilhe com toda a rede

o sucesso de seus alunos. 

Envie #Dicas, relatos e postagens para ruteferreira@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/08/2018

Fica a Dica: Folclore

Tags: folclore, música, dicas, educação musical, fica a dica.

 

Folclore

 

 

Olá!

Hoje estamos aqui para falar sobre o “Folclore”. Nosso folclore é bastante rico e diversificado, expresso em cada região do país de maneira variada.

Como o nome já diz, folclore se refere à sabedoria popular, ao que é passado de geração em geração, geralmente por tradição oral. As lendas, canções, crenças, entre outros, são frutos da nossa colonização e da mistura entre os povos.

“O folclore brasileiro é sinônimo de cultura popular brasileira e representa a identidade social da comunidade através de suas criações culturais, coletivas ou individuais; é também uma parte essencial da cultura do Brasil. Embora tenha raízes imemoriais, seu estudo sistemático iniciou somente em meados do século XIX e levou mais de cem anos para se consolidar no país. A partir da década de 1970, o folclorismo nacional definitivamente se institucionalizou e recebeu conformação conceitual.” (consultado em https://pt.wikipedia.org/wiki/Folclore_brasileiro, em 06/08/2018).

Em sala de aula, já aconteceu e acontece ainda de indagarmos aos nossos alunos o que é folclore e eles responderem: “Ah, folclore é Saci Pererê, Mula sem Cabeça, Curupira...”. Geralmente o discurso gira apenas em torno das lendas.

É preciso que se fale também sobre as danças, as músicas de tradição oral, as comidas típicas, as crendices, os ditos populares, a literatura popular, as festas... Precisamos mostrar a eles que o que é “conhecimento do povo”, desde as brincadeiras que fazemos nas ruas às festas típicas que muito nos envolvem (como as festas juninas ou o carnaval), tudo se refere ao nosso folclore.

Eles precisam também perceber que cada localidade tem as suas características, suas determinadas tradições. Além disso, é importante mostrar que algumas canções, brincadeiras, ditos, podem apresentar variações dependendo do lugar onde se inserem, haja vista que essas tradições/citações são passadas de geração em geração de forma oral, como falado anteriormente.

No Brasil, país de grande extensão territorial, temos muitas manifestações folclóricas e delineadas em cada “território”.

Em cada região, vamos observar manifestações representativas, como as danças do Frevo e do Maracatu no Nordeste; o Carimbó na Região Norte; o Jongo na região Sudeste; a Congada no Centro-Oeste e a dança do Pau de Fitas na Região Sul, para citar apenas algumas.

Sobre o folclore, são inúmeras as atividades que podemos fazer em sala de aula. Desde os menores até os alunos do último ano do Fundamental. É importante que eles conheçam a nossa cultura, que a valorize e a respeite.

Podemos desenvolver atividades de apreciação dessas canções e das danças típicas de cada região, assim como fazê-los conhecer as lendas e suas referências, seu contexto histórico e sua origem. Podemos também reproduzir as brincadeiras com as cantigas tradicionais, lembrando sempre que é importante a vivência dessas manifestações, o conhecimento acerca do cenário de cada uma.

Podemos trabalhar também as parlendas, os provérbios, os trava-línguas com os menores, aproveitando o conteúdo para desenvolver outras habilidades.

São inúmeras as possibilidades que podemos desenvolver, buscando sempre preservar as tradições, valorizando o que é nosso, resgatando brincadeiras e canções, aprimorando a imaginação, a sensibilidade e a criatividade, dentre muitas outras.

Que tal se as suas turmas se dividissem e explorassem regiões diferentes para depois apresentarem para os demais o resultado das suas pesquisas? Que tal programar apresentações de dança, música, e até produções de vídeos feitos pelos próprios alunos, com pesquisas realizadas na região onde vivem e, assim, poder falar sobre as suas tradições? wink

 

 

 

Fica a Dica! 

Gostaram da dica da semana? Escreva pra gente! Conte-nos suas ideias e sugestões!

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 02/08/2018

Fica a Dica: A Importância da Psicomotricidade na Educação Infantil

Tags: educação infantil, creches, edis, professores de educação infantil.

 

 A Importância da Psicomotricidade na Educação Infantil

 

 

 

Hoje,  o Professor Flávio Conceição do Nascimento presenteia os leitores que atuam na Educação Infantil com a #Dica que irá provocar um movimento importante nos grandes e pequenos das Creches, Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) e Instituições que atendem a Primeira Infância.

 

Flávio, trabalha no CIEP Procópio Ferreira, da 3ª Coordenadoria Regional de Educação. Ele é um daqueles professores apaixonados pela profissão e não descansa até que converta seus planos educacionais em ação! Ele considera que  criança em movimento é assunto sério e significativo, por isso, compartilharemos com  você a experiência que ele vivencia.

 

Flávio pesquisa constantemente sobre o tema Psicomotricidade e  busca aperfeiçoar o desempenho dos pequenos aprendizes por identificar  que  este possa abranger diversas áreas do conhecimento. O professor  constatou  que havia a necessidade de  aprofundar os estudos  e  convidou os demais educadores a agregar forças para que o projeto saísse do papel.

 

Compartilhar saberes, experiências permite a todos nós, professores, nos tornar ainda mais capacitados para atender as primordialidades das crianças. Portanto, chegou a hora de saber mais sobre o projeto que incentivou e movimentou o CIEP Procópio Ferreira.

 

O que é  Psicomotricidade?

 


 

Psicomotricidade é uma ferramenta também utilizada na disciplina de  Educação Física. Esta possui como objetivo contribuir com o desenvolvimento da criança nos aspectos motores, cognitivos e sociais. As atividades psicomotoras auxiliam no processo de aprendizagem. Segundo estudos realizados pelo Professor e equipe,  a aprendizagem e o desenvolvimento estão interrelacionadas, pois colaboram para o esquema corporal, organização espacial, lateralidade, desenvolvimento motor, cognitivo e até mesmo o emocional dos alunos.

 

Conclui-se  que a Educação Psicomotora, aplicada na Educação Infantil é relevante para o sucesso dos pequenos em toda sua vida,  tanto na escola quanto  fora dela. Os EDIs, Creches e Escolas podem oportunizar às crianças condições de desenvolverem capacidades básicas. Assim, seu potencial motor será mais estimulado, utilizando o movimento do corpo  para previnir ou ajudar  nas fragilidades expressadas pelos alunos .

 

Vivências e Significados 

 

 

 

Com a colaboração das equipes das salas de atividades, da Comunidade Escolar e Parcerias foi replanejado um espaço , no qual as crianças amam comparecer! As doações de materiais auxiliaram o sonho se tornar real. Logo no início das atividades identificou-se mais  interesse das crianças na aquisição de novos conhecimentos. O projeto repercutiu inclusive no processo de letramento e alfabetização.

 

Em 2017, quatrocentos e oitenta e cinco alunos entre quatro e seis anos participaram das atividades. Em 2018, cento e noventa e oito alunos dos que eram matriculados em turmas de Pré I deram prosseguimento às atividades no espaço, reforçando a longitudinalidade do aprendizado.

 

Pela ludicidade das ações propostas, a criançada gosta das aulas, para elas a brincadeira, os movimentos são uma alegria! Enquanto isso o professor está atento a cada uma deles. Para Flávio, a brincadeira dos pequenos é assunto sério! Um dos objetivos é que o trabalho com a alfabetização seja facilitado, que se ativem os esquemas mentais dos alunos levando-os a ter equilíbrio, força, resistência

 

Fica a Dica de Atividades que podem ser utilizadas:


>Jogo do alinhavo;

> Circuitos em forma de círculos ou outras formas geométricas, marcados com fita crepe ou giz branco no chão, para as crianças perceberem a delimitação do espaço;

> Circuitos mais complexos, utilizando pneus, bastões, caixas, escadas, cordas, garrafas;

> Desenho de linhas curvas no chão para testar  rapidez; delimitando caminhos com fita crepe, por onde precisam  passar sem sair da linha e posteriormente, passar em cima sem escorregar;

> Brincadeira da "Batata quente", na qual a criança passa o objeto que tem  nas mãos, utilizando não apenas a lateralidade, mas também  a atenção, através da musicalização;

> Cantar músicas que falem sobre as partes do corpo;

> Reunir os pequenos para brincadeiras cantadas, nas quais possam andar com passos diferentes: Andar depressa, correr, andar em trave de equilíbrio, andar para o lado direito, esquerdo, para frente e para trás, subir, descer, pular, equilibrar-se, etc.

 

    Fica a Dica de materiais que podem ser utilizados:

 > Blocos de espuma;

> Cordas;

> Colchonetes;

> Brinquedos com materiais recicláveis;

> Materiais para pintura;

> Quebra- cabeças de várias formas e tamanhos;

> Brinquedos variados,

> Sucatas

> Garrafas;

> Pneus;

> caixas e muito mais!

 

   Fica a Dica para os Professores:

 

> As aulas devem ser planejadas com auxilio de estudos e da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), de tal forma que os participantes as realize com segurança e eficiência.

> A continuidade das atividades fazem com que os objetivos sejam alcançados.

> O sucesso do projeto é mais proveitoso quando toda a Comunidade Escolar está envolvida. Desde a gestão até responsáveis e possíveis parceiros.

 

 Com o relato de sucesso do Professor Flávio e com as dicas sugeridas,

agora é aproveitar os espaços e convidar os pequenos a se movimentarem!

 

Fica a Dica!

Gostou da #Dica do Professor Flávio do CIEP Procópio Ferreira?

Faça como o Flávio e compartilhe seu projeto  ou atividade!

Venha deixar a sua dica!

 


  


   
           



Yammer Share