A A A C
email
Retornando 9 resultados para a tag 'professores de educação infantil'

Segunda-feira, 18/06/2018

Fica a Dica: Uma Semana Show de Bola no EDI Escultora Lygia Clark

Tags: blogrioeducadores, educopédia, mídias, especialistas, educação infantil, creches, edis, professores de educação infantil.

 

Uma Semana Show de Bola no EDI Escultora Lygia Clark

 

 

Primeiro Tempo

 

A Copa do Mundo acontece de quatro em quatro anos. Embora para os adultos, isso já seja uma tradição que mobiliza a maioria das pessoas, para os pequenos da Educação Infantil, a Copa é uma novidade e tanto! Há pequeninos que estão vivendo sua primeira Copa do Mundo e isso é pra lá de divertido e bem curioso!

Para começar toda criança já nasce gostando de bola. A bola que rola pra lá, que volta pra cá, quica pro alto e pra baixo. Os olhinhos sempre estão voltados para a novidade e se encantam com essa diversão!

Em casa, os pequenos escutam as conversas sobre a Copa do mundo, assim como na televisão. Os pais, tios e amigos preparam e combinam onde irão assistir aos jogos, enfeitam varandas, ruas e lojas. Camisas em verde e amarelo são vistas para todos os lados, até mesmo a criança já ganhou uma de presente, mas ainda não pode usar!

Nesse clima, o EDI Escultora Lygia Clark elaborou o seu diálogo com o campeonato. Afinal, não tem como deixar os pequenos fora desse evento? De jeito nenhum!

Tudo foi preparado com antecedência, a partir do Projeto Pedagógico do EDI. A equipe toda se mobilizou e hoje, daremos a dica de como foi uma das semanas da Professora Ana Paula Torres  e da equipe formada por Adriana, Bruna e Lorrana. As quatro educadoras arregaçaram as mangas, prepararam o campo e partiram para o ataque! Era hora da bola, opa! do projeto rolar!

Imagine você, cerca de 25 crianças de 2 anos participando do clima da Copa? A alegria foi constante assim como a aprendizagem, durante toda a semana.

 

A bola que rola e encanta: Conhecendo culturas diferentes.

 

A professora Paula, muito orgulhosa do seu time, os caracteriza como imaginativos, curiosos, questionadores, ativos, observadores. Segundo o relato, ela quer vê-los aprender, descobrir , explorar. Dessa forma, ela deseja proporcionar a cada um, sem distinção, atividades de ação, experiências diversas, além de instigar ainda mais a curiosidade dos miúdos.

A professora manifestou a importância de construir as atividades segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) cujo tem como objetivo “ampliar o universo de experiências, conhecimento e habilidades dessas crianças diversificando e consolidando novas aprendizagens”, assim como, “organizar atividades que permitam às crianças conhecer a si, a cultura, na experimentação com materiais variados”.

Os eixos em que se baseiam a Educação Infantil são a Interação e a Brincadeira. A partir desse binômio a professora Paula não deixou nada faltar nesse campo: Ela narrou a história “Ora Bolas” do livro Palavra Cantada, com dramatização. A cada linha recitada, a professora mostrava aos pequenos figuras dos objetos que constavam na obra. Ao final, abriu-se o Mapa do Mundo, que despertou inúmeras questões.

Pensa que acabou? Claro que não! Tem muita bola pra rolar, e estamos apenas na metade do primeiro tempo! As crianças dançaram a música da Palavra Cantada, e aprenderam novas palavras! Uma das descobertas dos estudantes foi reparar que o "B" do amiguinho Bryan, era o "B" de Bola, assim como o "B" do Brasil também! Essas descobertas deixam o professor sentindo a emoção de um artilheiro!

Ainda nesse processo, os pequenos tiveram a oportunidade de conhecer a história do livro: Crianças do mundo, da coleção Criança curiosa – editora Salamandra. Após a leitura e seus desdobramentos, a equipe novamente abriu o mapa para os pequenos jogadores. Nesse momento, a conversa girou em torno da diversidade discutindo, principalmente, que em todo país do mundo há crianças, entretanto com características diferentes umas das outras.

 

Segundo Tempo

 

Em seguida, e sem nenhum impedimento, a turma  apontou no mapa o Brasil e  as crianças foram aguçadas a refletir sobre quais eram as cores que compunham a bandeira brasileira. Sabe como é criança, né? Todo mundo falou ao mesmo tempo, levantou, disse que sabia! Um gritou, verde, outro amarelo, outros já diziam que era azul e branco. Era possível sentir a aprendizagem acontecendo logo ali, enquanto todos falavam. Tudo isso sem deixar a bola sair de campo.

Acontece que na Primeira Infância, tudo tem encanto, e apresentar as cores é também um acontecimento mágico! As cores foram apresentadas através de misturas, amarelo + azul = verde, e deste modo, misturando aqui e ali, as cores ganharam vida! Cada mãozinha foi pintada de uma cor e assim foram descobertas diferentes cores, texturas e formas.  

Ainda pintando o sete, as crianças experimentaram as cores utilizando outra técnica: encheram de água garrafas pets limpas, depois, picaram papel crepom e repetiram a experiência de combinação de cores. Para finalizar utilizaram lantejoulas, purpurina e finalizaram com cola e durex.

Não podemos esquecer de citar que um colega da turma quase leva um cartão amarelo, quando disse que menina não podia jogar bola, mas a “juíza”, também conhecida como professora naquele espaço, entendeu que o time precisava se concentrar e ter uma roda de conversa. Dessa forma foi se explicou que menina também joga bola, futebol ou qualquer outro esporte, basta ela gostar! Brincar, correr, chutar faz bem para o corpo e para a saúde.  A professora aproveitou para conversar questões importantes como as questões acerca dos valores, igualdade, inclusão,assim como, o conceito de perder e/ou ganhar. Com essas reflexões houve  um show de gols de aprendizagem! No placar ficou registrado a foto oficial do time e o melhor detalhe : Eles mesmos que construíram sua foto!

O time da Professora Ana ainda está em fase de classificação, mas vem se esforçando e ganhando os jogos. No entanto, tem muita bola para rolar e muita emoção para acontecer até julho, quando termina a Copa, digo, projeto! Mas a vitória é certa!

A Professora narrou que os objetivos daquela semana foram alcançados, segundo ela, houve empatia nas atividades e nos assuntos abordados; as crianças participaram ativamente das atividades propostas; foram desenvolvidas diferentes linguagens; se explorou cores, gestos, sons, texturas e transformações; os pequenos puderam conhecer um pouco mais de sua identidade social e cultural.

Destaca -se ainda que durante o projeto é possível: Conversar sobre a nossa cidade, estado e país;apresentar o hino Nacional e a bandeira nacional;apresentar mapas; localizar a nossa cidade,estado e país no mapa; apresentar diversas culturas (culinária, músicas, artes, danças, dialeto, vestimentas, brincadeiras) de várias regiões do Brasil; dialogar sobre a “Copa do Mundo”;apresentar imagens, reportagens, vídeos, músicas sobre a Copa do Mundo de 2018 e das anteriores; pesquisar sobre futebol; trabalhar com a tabela dos jogos (quantos gols, quem fez mais, quem fez menos, quantos no total); construir jogos e brinquedos com material reciclado (bolas de meia e/ou jornal, futebol de caixa de sapato).

 

Depois desse lindo projeto e dessas super dicas é só partir para o abraço!

 

Fica a dica do EDI Escultora Lygia Clark, da Professora Ana Paula e Equipe sobre o tema:

 

EDIs, Creches, e Pré-escolas enviem  suas dicas sobre Educação Infantil

Vamos compartilhar ideias e aperfeiçoar ainda mais as nossas aulas!

 

Fica a dica! 

 

 

 


 


   
           



Yammer Share