A A A C
email
Retornando 6 resultados para a tag 'meioambiente'

Quinta-feira, 18/07/2013

Um Descanso Merecido

Tags: família, meioambiente.

Com a chegada do mês Julho, o clima em casa é de ansiedade: de um lado, as crianças contam os dias para as “férias” do meio do ano. Do outro, pais se preocupam em encontrar opções para entreter os pequenos durante o expediente.

 

Nas escolas municipais, o recesso escolar, neste ano, está um pouco maior, de 18 a 30 de Julho. Isso devido à “Jornada Mundial da Juventude” http://www.rio2013.com/pt/ (JMJ, evento internacional, organizado pela Igreja Católica, que reúne jovens de todo o Mundo, Católicos e de outras religiões), que acontece na Cidade do Rio de Janeiro.

 

 

Que tal aproveitar esse descanso e levar as crianças para terem um contato maior com a natureza. Conciliando diversão com educação ambiental, respeito ao próximo e consumo consciente.

 

Várias são as opções: Parque Lage, Trilhas Ecológicas na Floresta da Tijuca e Morro da Urca, Jardim Botânico, Jardim Zoológico, Parque Chico Mendes. E a grande maioria deles nessa época costuma oferecer oficinas e programas educativos para as crianças.

 

 

Passar as férias um pouco longe dos aparelhos eletrônicos estimula a imaginação, cria hábitos saudáveis e promove a valorização das coisas simples da vida.

 

Uma outra opção muito legal é o Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico, que tem uma programação educativa e ensina valores ambientais de forma lúdica através de jogos e passeios pelo parque.

 

Alunos da Escola Laís Netto dos Reis (Jardim Botânico) e da Escola João de Deus (Jardim Zoológico).

 

Além de todas essas opções de passeios ao ar livre, você também em casa pode fazer com seu filho atividades como a confecção de uma horta compacta, em que ele poderá aprender sobre plantas, adubos e mudas.

 

 

Lembre-se de que, tanto na cidade ou na mata, em casa ou na escola, a ideia é ensinar as crianças que o cuidado com o meio ambiente não tira férias. O planeta agradece e o futuro do seu filho também.

 

Bom descanso!

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 06/06/2013

Viva Bem!

Tags: família, meioambiente.

A consciência ambiental não é coisa só de adultos, ao contrário, é cada vez mais imprescindível desenvolver o respeito das crianças com a natureza. Através de pequenas ações que podem se tornar hábitos, vamos garantir que as gerações futuras sejam muito melhores para o planeta!

 

“Vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois”

Trecho da música "Sal da Terra", de Beto Guedes.

 

As crianças não só aprendem palavras e repetições, mas também com ações. Por isso é importante ensiná-las a cuidar do meio ambiente através da prática.

 

 

Vendo os adultos separando o lixo, não jogando papel na rua, fechando a torneira, apagando a luz, economizando no banho, deixando o carro na garagem são exemplos reais. Portanto, são esses pequenos gestos que despertam a consciência e a curiosidade ambiental.

 

Além de cultivar bons hábitos, também é fundamental que as crianças vivenciem a ecologia de forma lúdica e educativa, na companhia de quem elas gostam. São momentos de troca e aprendizado que vão fazer bem para a família inteira. Confira:

 

  • Dando exemplo dentro de casa, quanto à economia de energia, água, papel, evitando toda forma de desperdício;

 

  • Reciclando em casa e deixando as crianças participarem ativamente da remoção de detritos e levá-los para seus respectivos recipientes. Se isto for norma em casa, para eles se transformará em algo habitual;

 

  • Quando forem passear com eles, levar sempre sacos de lixo, e não jogar lixo em qualquer lugar;

 

  • Se morarem em prédios, condomínios, uma sugestão é realizarem gincanas de limpeza, dando às crianças essa responsabilidade, munindo-as de luvas, sacos de lixo e premiação quanto à limpeza. Mas sem fomentar situações materialistas. Na verdade, o maior prêmio deverá ser o prazer do ambiente limpo e saudável, ou seja, do dever cumprido. Crianças gostam de responsabilidades e desafios;

 

  • Verificar se na escola do seu filho são desenvolvidos projetos ambientais e de consciência ecológica. Caso não haja esse tipo de ação, sugerir e se engajar no projeto;

 

  • Convocar as crianças para arrumar o próprio quarto, separando roupas, casacos, sapatos e brinquedos para doação. São três lições importantes: que acumular coisas não é bom, que podemos ajudar outras pessoas doando os objetos que não usamos mais e que assim poupamos a natureza;

  • Leve-os para um parque, um jardim para apreciarem a paisagem que a natureza criou e deixe-os se conectarem com o meio ambiente.

 

 

 

Quando sair com seus filhos, ensine-os a respeitar o meio ambiente e a natureza através de gestos simples que se tornarão significativos: não jogar lixo na rua, e sim na lixeira; não maltratar os animais, nem plantas.

 

Até quem não tem filhos deve refletir em qual mundo será reservado às crianças no futuro. Temos que demonstrar a elas, desde cedo, que o mundo que conhecemos já sofreu várias mudanças, que muitas outras ainda estão por vir e que algumas delas não serão boas. Por isso é importante que elas tenham consciência de que uma boa qualidade de vida no futuro do planeta também dependerá de suas atitudes.

 

 

Você é o espelho para o seu filho. É por você que ele vai aprender a jogar lixo no lugar certo, ter respeito pelas pessoas, aprender a dividir, tratar com carinho um cachorro na rua e até doar brinquedos após o aniversário dele. Ações de cidadania que se misturam com solidariedade. Tudo deve fazer parte da rotina da família.

 

Vídeo: "On ou Off. De qual lado você está?".

 

A consciência ambiental também é uma questão de educação. E você? Que mundo pretende deixar para seus filhos? Conte para nós!

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/03/2013

Reaproveitamento Consciente dos Alimentos

Tags: família, saúde, meioambiente.

Na correria do dia a dia, não nos damos conta da importância das "sobras" de alguns alimentos que consideramos, muitas vezes, inaproveitáveis. Mas esses alimentos, como cascas, sementes, folhas e talos de frutas, podem ser utilizados, sim! Além de evitarem o desperdício, eles colaboram para uma melhor qualidade de vida, uma vez que são ricos em vitaminas e outros nutrientes.

 

A educação é um fator essencial até para o trato com os alimentos. Precisamos evitar o desperdício, promovendo o reaproveitamento integral de frutas e verduras. Com um pouco de criatividade, o que antes tinha como destino o lixo, passa a ser a refeição principal de muitas famílias. É possível criar várias receitas com cascas de frutas, talos, folhas, sementes e outros alimentos que não são considerados nobres.

 

 

Estudos mostram que a alimentação saudável e rica em nutrientes, imprescindível para o bom funcionamento do organismo, pode ser alcançada com partes de alimentos que normalmente são desprezadas pela população. Assim, o ideal é aproveitar tudo que o alimento pode oferecer como fonte de nutrientes.

 

Para evitar o desperdício, é importante atentar a todo o processo, que inclui a compra, a conservação e o preparo da comida. Na hora da compra, dê preferência a legumes, hortaliças e frutas da época. Para armazenar, escolha locais limpos e temperaturas adequadas a cada tipo de alimento. No preparo, não se esqueça de lavá-los bem, descascá-los com atenção e utilizar apenas a quantidade necessária para cada refeição.

 

O aproveitamento integral de legumes, verduras e frutas pode gerar até certa estranheza nas pessoas devido a pouca informação sobre os princípios nutricionais e sua forma de aproveitamento. Mas essa prática, como um todo, além de reduzir os gastos com alimentação, melhora a qualidade nutricional, especialmente em vitamina C, vitamina A, ferro, potássio entre outras vitaminas e minerais, já que em muitos alimentos, o teor nutritivo desses elementos é maior do que em relação à própria polpa.

 

 

 

Veja o que aproveitar:

 

  • Folhas de: cenoura, beterraba, batata-doce, nabo, couve-flor, abóbora, hortelã, mostarda, repolho, brócolis e rabanete.

  • Cascas de: batata inglesa, cenoura, chuchu, beterraba, abóbora, laranja, banana, abacaxi, mamão, maçã, pepino, berinjela, melão, maracujá, goiaba e manga.

  • Talos de: couve-flor, brócolis, beterraba, salsinha, couve e espinafre.

  • Entrecasca de: melancia e maracujá.

  • Sementes de: abóbora e melão.

 


Algumas dicas de como utilizá-los:

 

  • As cascas de frutas como goiaba e abacaxi podem ser batidas no liquidificador para virar sucos, que por sua vez podem ser aproveitados para substituir ingredientes líquidos no preparo de bolos.

  • A casca da laranja fresca é uma boa pedida para pratos doces à base de leite, como arroz-doce e cremes.

  • A parte branca da melancia pode virar um delicioso doce, preparado da mesma forma que o doce de mamão verde.

  • Cozinhe as verduras a vapor, assim elas conservam o seu valor nutritivo.

  • Evite consumir folhas com aparência amarelada.

  • Quando ralar a casca do limão, nunca chegue à parte branca, pois ela é amarga e pode prejudicar o sabor.

  • Talos de couve, agrião, beterraba, brócolis, salsa etc. contêm fibras e podem ser aproveitados em refogados como temperos no feijão, em ovos batidos e em sopas.

  •  Assim como a cenoura, suas folhas, também são ricas em vitamina A e podem ser utilizadas no preparo de tortinhas, sopas ou nas saladas.

  •  A água do cozimento das batatas acaba concentrando todas as vitaminas e pode ser aproveitada para fazer purê. Para isso, é só juntar leite em pó e manteiga.

  • As cascas da batata, depois de bem lavadas, podem ser fritas em óleo quente e servidas como aperitivo.

Vamos ver algumas receitas práticas e gostosas de fazer, reaproveitando o que antes se jogava fora :

 

 

Segue a dica de onde você poderá ver essas e outras receitas:

http://goo.gl/7tpgP

 

 

Portanto, as cascas, folhas e talos que iriam para o lixo podem ser bem aproveitados, ajudando na redução do desperdício, fazendo parte do seu plano alimentar e de sua família e servindo para suprir as carências nutricionais do organismo. E, ainda, tornará suas refeições mais diferentes e com maior valor nutritivo.

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 24/01/2013

Criança X Consumo

Tags: protagonismojuvenil, meioambiente.

O estímulo ao consumismo desenfreado tem se tornado um grande vilão na educação das crianças. É importante conscientizarmos nossos filhos de que nem tudo o que se deseja é necessário.

 

 

Somos continuamente incentivados ao consumismo e precisamos usar o bom senso para descartar da nossa lista de desejos aquilo que não é necessário. Mas o que dizer das crianças que ainda não possuem discernimento suficiente para entender o significado da publicidade que a todo momento as influencia? Publicidade que invade as nossas casas sem pedir licença, pois vê em nossos filhos consumidores em potencial.

 

Cada vez mais, as crianças têm sido alvo preferencial de apelos comerciais e ações de marketing, mesmo que não estejam ainda preparadas para lidar com as complexas relações de consumo. Mal sabem falar, mas já reconhecem marcas e logotipos. Nos primeiros passos, já são espectadores fiéis de programas televisivos e de seus personagens; ícones amplamente reproduzidos em embalagens, materiais escolares, roupas, brinquedos, sapatos, produtos de higiene, entre outros. A lista pode ser infinita.

 

Porém, não precisamos isolar os pequenos em uma redoma para resistir aos desejos do consumo. O diálogo é fundamental para ensinar a criança que nem sempre esse consumo trará a felicidade desejada.

 

Vale lembrar que a criança não nasce consumista, ela simplesmente vai adquirindo hábitos através das informações obtidas pela mídia e acatada pela família.

 

 

O vídeo “Criança, A Alma do Negócio”  fala sobre esse lado da propaganda direcionada  às crianças.

 

O mais importante é que a criança vivencie todas as etapas de seu crescimento. Aos poucos, devemos ensiná-las sobre valores mais humanos e menos materialistas. O consumismo é um hábito que se forma a partir de valores materiais e que traz sérios problemas para a sustentabilidade.

 

As crianças são as portas de entrada para um futuro mais sustentável. Se aprenderem a consumir com consciência, serão importantes transformadores sociais.

 

Pais e responsáveis devem dialogar com seus filhos e impor limites. Dizer “não” a cada pedido de consumo desnecessário é muito importante para que a criança aprenda a lidar com frustações e entender que suas ações podem ter impactos no coletivo. Também é importante dar o exemplo e ensinar as crianças a fazer algumas reflexões a cada novo pedido: ”preciso realmente comprar isso?”, “Já não tenho algo parecido que possa ser reaproveitado?”.

 

Portanto, agora nestas férias e na volta às aulas, quando a mídia publicitária se torna ainda mais intensa, que tal aproveitar a oportunidade para ensinar seu filho a dar valor àquele presente que ele tanto quer?

 

Uma sugestão é pedir para ele escolher um brinquedo ou um material escolar que não use mais para doar a alguém ou para alguma creche ou instituição em troca do presente que ele quer ganhar. Assim, você ensinará o sentimento do desapego e do espírito de solidariedade.

 

Lembre-se: a criança não sabe o que é melhor para ela, portanto cabe a nós, pais e responsáveis, ensiná-los a serem cidadãos conscientes e, consequentemente, mais felizes. Pois, as melhores coisas da vida não são necessariamente "objetos” que nos realizam materialmente.

 

Cada um precisa cumprir suas responsabilidades para a formação de crianças mais saudáveis, felizes, atentas e conscientes, contribuindo assim, também à sustentabilidade.

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share