A A A C
email
Retornando 20 resultados para a tag 'protagonismoinfantil'

Quinta-feira, 06/02/2014

Brincar de roda, ainda Pode?

Tags: família, protagonismoinfantil.

Antigamente não existiam muitos brinquedos como vemos hoje. Assim, se as crianças quisessem se divertir tinham que usar a criatividade.

 

“... Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!...”

                                                                                        (Casimiro de Abreu)

 

 

 

As brincadeiras antigas para crianças mais famosas eram: amarelinha, bolinha de gude, cantigas de roda, passa-anel, roda-pião, queimado, piques, pipa… Tudo isso fazia parte do seu cotidiano e assim elas se divertiam por horas e dias.

 

Mas hoje muitas de nossas crianças não devem imaginar o que são essas brincadeiras. A tecnologia transformou o mundo e trouxe à tona brinquedos que não exigem tanta criatividade, muito menos, esforço.

 

O que mais se vê atualmente são crianças dentro de apartamentos na frente do vídeo game, do computador ou da televisão. Parece que aquelas brincadeiras antigas e divertidas da nossa infância ficaram para trás, caíram no esquecimento. Quem não se lembra da turma toda que se encontrava depois da escola para brincar na rua ou numa praça perto de casa ou mesmo a ansiedade de chegar a hora do recreio?

 

 

 

Antigamente, os pequenos também podiam e se divertiam em espaços públicos e em convivência com várias crianças. Mas com a modificação da sociedade, esses espaços desapareceram, a violência aumentou e elas passaram a ficar mais com os brinquedos do que com os amiguinhos.

 

O maior problema dessa substituição é que as crianças acabam não brincando da maneira mais adequada, pois não há interação com outras pessoas.

 

Brincar faz parte do desenvolvimento infantil. Pesquisas já mostraram que crianças que brincam são mais criativas e as que se divertem em grupo têm menos problemas de ajuste social quando chegam à idade adulta.

 

O jogo é seu meio de comunicação e aprendizagem. Com isso, a criança terá a oportunidade de desenvolver melhor a imagem, o seu esquema corporal e outras habilidades.

 

As brincadeiras “antigas”, por exemplo, estão ligadas a costumes populares e ainda promovem a socialização, ajudam a desenvolver a coordenação motora, exploram o movimento, o equilíbrio, o respeito às regras e o lado intelectual das crianças.

 

 

Se você quer que seus filhos retomem as brincadeiras do passado, nada melhor do que tirar algum tempo e ensinar para eles que para brincar não é preciso gastar. Uma boa opção é mostrar as brincadeiras que você mais gostava e assim também brincar junto. Se não lembra mais ou está sem ideia, algumas dicas para ajudar:

 

  • Amarelinha - Esta é uma das brincadeiras mais clássicas e conhecidas do mundo inteiro. De acordo com alguns registros históricos, ela já era brincada por crianças na Roma Antiga. Faça um risco no chão e numere de 1 a 10, no último, faça um arco representando o céu. Pule com um pé só dentro de cada quadrado, sem errar.

  • Cinco Marias - É preciso achar cinco pedrinhas de mesmo tamanho ou até mesmo saquinhos feitos com arroz ou areia. Jogue todas as pedrinhas no chão e tire uma delas, depois com a mesma mão jogue para o alto e pegue uma das que ficaram no chão. Faça isso até ter pegado todas. Na segunda rodada, ao invés de pegar uma por vez, pegue duas. Na terceira rodada você pega três ao mesmo tempo e na última rodada todas de uma vez só.

  • Cabra-cega - Consiste em vendar uma pessoa que terá como principal objetivo capturar outros adversários dentro de um ambiente limitado. Esta brincadeira, em alguns lugares, também pode ser chamada de Gato Mia. Em algumas variações da brincadeira, a pessoa que está vendada, ao pegar alguém, precisa adivinhar o nome da pessoa, o que torna ainda mais interessante.

  • Pular corda - Também pode ser um excelente exercício para as crianças e para os adultos. Ela pode ser brincada tanto sozinha como também em grupo, o que torna a atividade ainda mais divertida. Para brincar, basta ter uma corda grande, em torno de uns três metros.

 

Se depois dessa sessão nostálgica você sentiu falta da sua brincadeira preferida, mande para a gente. E aproveite nossas dicas para brincar com as brincadeiras antigas de criança junto com seus filhos e relembrar um pouco os velhos tempos.

 

Vale ressaltar que as brincadeiras que não vemos mais entre os nossos filhos e netos fazem parte da construção do nosso legado cultural, construída e mantida por séculos. Contribuição de nossos antepassados, no que tinham de melhor a oferecer: uma infância que valia a pena.


E lembre-se: recordar é viver! Então, brincar de roda ainda pode? Pode e deve!

 

 


Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 02/01/2014

Viaje no Tempo e no Espaço

Tags: família, protagonismoinfantil, protagonismojuvenil.

Visitar um museu é viver uma aventura em tempos remotos, em planetas distantes ou mesmo numa célula gigante.

 

Que tal nessas férias levar seu filho para conhecer um museu?

 

Quem acha que museu é passeio sem graça, destinado unicamente ao acúmulo de peças antigas que fazem parte da história, está muito enganado! Lá dentro, a sensação é de uma prazerosa viagem no tempo e no espaço.

 

 


Os museus hoje em dia, possuem atividades interativas se transformando numa boa opção para um passeio em família, num hábito instrutivo e divertido para as crianças.

 

Vejam algumas opções de museus para levar seus filhos:

 

  • Museu da Vida – O museu parece um parque de diversões com ciência, saúde e tecnologia. A visita começa a bordo de um trenzinho que faz o circuito por diversos setores do museu.

 

As crianças ficam surpresas ao observar, através de microscópios, a vida existente numa simples gota d’água. No espaço Ciência em Cena, aprende-se ciências por meio de peças de teatro, vídeos, oficinas e atividades interativas de percepção. Podem escalar uma célula animal gigante ou assistir à queima de uma folha seca pela energia solar.

 

 

  •  Museu de Arte do Rio (MAR)- O Museu de Arte do Rio é composto por dois prédios: um com uma arquitetura modernista onde ficará a Escola do Olhar e outro preservando a fachada do antigo edifício da Inspetoria dos Portos que abriga a área de exposições.


O acesso à área de exposições é através de elevadores que nos levam até o terraço do prédio moderno e de onde podemos ver bem de perto a tão falada cobertura em formato de onda, apreciar uma vista incrível da Baía de Guanabara, da região portuária, de algumas ruas do centro e do outro prédio do próprio MAR.

 

O Museu apresenta um pouco da história da arquitetura em que a instituição está instalada. Inúmeras exposições, vídeos, fotografias, gravuras, objetos de designe e esculturas (algumas feitas com material recicladas, como a maquete do Projeto Morrinho).

 

Segundo seu diretor Paulo Herkenhoff: “A arte não vai mudar o mundo, mas se a arte mudar a maneira de ver o mundo, ela poderá nos ajudar a mudar o mundo.”.

 

 

  • Museu do Universo (Planetário)- um espaço para a complementação do ensino da Astronomia e de suas ciências afins, de uma maneira lúdica e contando com tecnologia avançada para que as crianças possam se divertir ao mesmo tempo em que adquirirem conhecimento científico.


O museu permite que a criança vire um astronauta, num verdadeiro passeio pela galáxia. As fases da Lua e os eclipses solares e lunares são apresentados por meio de simples manipulações. A imagem do Sol pode ser apreciada em tempo real por meio de um telescópio especial. Maquetes articuladas mostram a evolução dos telescópios e como os astros são observados através deles. É possível assistir a uma sessão de cinema na cúpula do planetário. As crianças aprendem astronomia brincando.

 

 

Todas essas opções oferecem atividades atraentes para a criançada, e trabalham o desenvolvimento intelectual.


Então, o que está esperando para viver essa aventura com seu filho?

 

Vá viajar com ele no tempo e no espaço!

 

Boas Férias!

 

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 12/12/2013

Voar além do Céu...

Tags: familia, protagonismoinfantil.

No caminho do crescimento, as crianças conquistam mais independência e precisam que os pais lhe deem o apoio e o incentivo necessários para vencerem os desafios.

 

“As crianças precisam de oportunidade de expressar seus sentimentos, exercitar sua independência e de serem avaliadas pelo que são e pelo que sentem, não pelo que têm de ser para conquistar o amor ou a aprovação dos pais."

Kitty Hagenbach

 

 

Conforme vão crescendo, as crianças vão ganhando habilidades e se conhecem melhor. Ficam encantadas ao perceberem que podem realizar algumas coisas sozinhas. Elas gostam de exercitar essa independência e querem fazer as atividades do cotidiano por conta própria.

 

É importante que os pais aceitem o fato das crianças estarem crescendo e já poderem realizar algumas coisas sozinhas.

 

 


Vão aprendendo a resolver problemas no dia a dia e a lidar com novas informações a cada instante.

 


O papel dos pais é criar referências às limitações e às possibilidades dos filhos, incentivando-os a realizar o que conseguirem.

 

 


Ao permitir que os filhos ajam quando são capazes os pais os autorizam a crescer e favorecem seu desenvolvimento.

 

Uma criança independente relaciona-se melhor com o mundo, por isso na maior manifestação de interesse de fazer algo sozinha, os pais devem incentivá-la, ao invés de fazer por ela e nem exigir perfeição.

 


Superproteger a criança impede seu avanço, pode gerar insegurança e confusão quanto as suas próprias capacidades.

 

 

Saber decidir e escolher é uma tarefa para toda vida.


Curta seu filho e acredite no seu bom senso!


Deixe-os voar....

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11
 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 05/12/2013

Gentileza Gera Gentileza: Seja o Espelho de seu Filho!

Tags: família, protagonismoinfantil.


As atitudes positivas dos pais são importantes no dia a dia para a construção da cidadania das crianças. Por isso, os pais devem mostrar sempre bons exemplos.

 

Parte do aprendizado da criança ocorre por meio da observação do comportamento humano, que vai sendo incorporado desde a infância. As crianças raciocinam por meio daquilo que podem ver ou tocar e, conforme crescem, tornam-se questionadoras, querem saber o porquê de tudo.

 

 


Educação são valores ensinados em casa. São as atitudes dos pais observadas e seguidas pelas crianças que vão construir a cidadania dos pequenos.

 

Por isso, de que adianta se o pai e mãe falar que não é para brigar com o amigo, se ele briga constantemente na rua ou com os próprios familiares? Dizem para comer legumes e verduras, se eles mesmos não comem. Pregar o amor, se eles mesmos não usam as palavras “eu te amo”.

 

 

Quando os pais usam termos inadequados no seu cotidiano, a tendência do filho é imitar é muito grande, principalmente porque aquilo acaba sendo visto como algo natural dentro daquela família.

 

A criança quer sempre agradar aos pais e ter uma identificação com eles, portanto, se os pais falam palavrões, a criança também vai falar. Os pais são sempre os principais modelos dos filhos.

 

 

 

Tudo que não seja ético deve ser evitado. Mentir, omitir e agredir alguém de forma verbal ou física.

 

Os exemplos positivos dos pais são ainda mais importantes durante a primeira infância e adolescência, fases em que o caráter e a personalidade estão se formando.

 

Ensinar os filhos a trabalharem em equipe e a conviverem com respeito às diferenças é uma forma de prepará-los para uma sociedade mais ética e próspera.

 

 


Gentileza, gera Gentileza!


Seja sempre o melhor exemplo!


Pratique, seu filho copia!

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share