A A A C
email
Dicas, prática pedagógica, troca de experiências.

Quinta-feira, 22/11/2018

XIX EXPOPEJA 2018

Tags: peja, expopeja 2018, geja, expopeja.

EXPOPEJA 2018

 

 

Desde 1999, a Gerência de Educação de Jovens e Adultos promove um encontro anual com alunos e Professores do Programa de Educação de Jovens e Adultos para a exposição de trabalhos produzidos pelos alunos e apresentações artísticas como danças, músicas, poesias, teatro e outras manifestações artísticas.

 

Este encontro é uma tradição no Programa por proporcionar momentos onde as produções dos alunos, realizadas ao longo do ano, ganham visibilidade e se tornam objeto de novas leituras, além de favorecer a troca de experiências entre alunos e professores do PEJA, reafirmando a proposta de construção coletiva adotada pela modalidade EJA.

 

A EXPOPEJA tem como objetivos estimular nos alunos e Professores do PEJA o sentimento de pertencimento a um coletivo, estimular o exercício da autoria ao tornar públicas as produções de alunos e profissionais do PEJA e oportunizar a reflexão a partir dos temas abordados nos trabalhos expostos e nas apresentações.


Este ano, a XIX EXPOPEJA será no dia 28 de novembro de 2018, de 9h às 15 h, no Clube do Servidor Municipal, situado a rua Ulysses Guimarães, s/n – Cidade Nova.


Contamos com o apoio e participação de todos, para que possamos, mais uma vez, demonstrar o belo trabalho realizado pelos alunos e professores do PEJA.

 


 Gerência de Educação de Jovens e Adultos

Secretaria Municipal de Educação


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 21/11/2018

Disputa acirrada no tênis de mesa e no badminton na Arena 3 nos Jogos Estudantis

Tags: jogos estudantis, badminton, gpec.

 

Disputa acirrada no tênis de mesa e no badminton na Arena 3 nos Jogos Estudantis

 

“O esporte é uma oportunidade imensa. Eu viajo para caramba. Se não fosse o badminton eu não teria saído da favela. Tenho 15 anos e já saí do país, fui para o Peru, e no Brasil conheço vários estados’’. Foram com essas palavras que Camile de Oliveira Andrade, estudante da Escola Municipal Cândido Campos, em Vila Valqueire, que levou o primeiro lugar de badminton na categoria juvenil durante os Jogos Estudantis, na Arena 3, na Barra da Tijuca, no dia 12 de novembro, definiu a importância do esporte em sua vida. Vale lembrar que é a primeira vez em 27 anos de existência que o badminton faz parte dos Jogos Estudantis.

 

 

Camile (ao meio) foi a grande vencedora do badminton

 


Para a maioria dos alunos que participaram da competição de badminton e de tênis de mesa – na faixa etária entre 7 e 14 anos das 11 Coordenadorias Regionais de Educação - o objetivo maior é vencer, mas eles entendem a importância do esporte como aliado à educação e sabem que o comportamento e as notas melhoram. Essa opinião vem de encontro a do professor de Educação Física Rodrigo France, do Ginásio Experimental Olímpico Juan Antonio Saramanch, Santa Teresa. "Nossa experiência de Geo prova que o comportamento melhora, temos boas notas e muita procura pela escola’’, disse ele, satisfeito com a volta do tênis de mesa, do atletismo e do xadrez aos Jogos Estudantis. ‘’Acho que os Jogos Estudantis para os alunos são essenciais. Para a gente que trabalha com as modalidades todas é ruim ter uns participando e outros não. Muito bom essas modalidades terem voltado. Estamos participando dos dois, badminton e tênis de mesa e estou confiante nos meus alunos’’.

 

 

 


Durante toda a competição, alunos estavam ansiosos com os jogos e confiantes na vitória. O estudante Khauã Kerlon, de 13 anos, da Escola Municipal Joaquim da Costa Ribeiro, em Padre Miguel, era um dos mais empolgados no ginásio. ‘’Acho que tenho chance de ganhar, mas é muito difícil porque não sei o jogo do outro, e tem gente que joga mais do que eu. Vou dar o melhor nessa quadra’’, disse ele, que lutou até o fim mas não chegou a semifinal. Sua colega de escola, Beatriz Luiza, 13, que jogou apenas badminton, também não venceu, mas gostou de ter participado. ‘’Perdi, serviu de experiência pra que eu possa melhorar. Dei mole’’, disse ela, que também adora futebol e pensa em se profissionalizar neste esporte.

 

 

Os alunos vencedores do badminton: Diego Rodrigues, Guilherme Maxuel e Rafael da Silva



Já Diego Rodrigues, Pio Décimo, no Tanque, em Jacarepaguá, de 14 anos, era só felicidade. No ano passado tirou em terceiro lugar no Badminton e neste ano chegou ao primeiro. As outras colocações ficaram com Guilherme Maxwel, 13 anos, e Rafael da Silva, 13, ambos do Ginásio Experimental Olímpico Juan Antonio Saramanch. Rafael tem sua definição de esporte: ‘’Para mim esporte é vida, é saúde, é conseguir o direito de ganhar e de ser conhecido. Assim você consegue ser federado num esporte que você gosta’’.

 

Alunos viram juízes

Pela primeira vez no tênis de mesa houve um formato diferente no quesito julgamento deixando para os alunos uma ação de protagonismo, mostrando que eles são capazes de discernir o profissional do pessoal. No tênis de mesa os alunos eram juízes e não houve nenhuma reclamação por parte dos colegas. O estudante Victor Guilherme Simões Sarmento, de 16 anos, do 9º ano do Geo Juan Antonio Saramanch, gostou da experiência de ser juiz, o que já acontece pela segunda vez. ‘’Presto muito atenção’’, afirma ele, que acha imprescindível a prática de esporte e diz que o tênis de mesa ‘’estimula a mente’’. Sábias palavras.

 

Enviado por:

Waléria de Carvalho

E/SUBE/GPEC


   
           



Yammer Share

Domingo, 18/11/2018

Curso Alertas a Riscos de Saúde Mental em Jovens

Tags: curso, redes sociais, internet.

 

Curso Alertas a Riscos de Saúde Mental em Jovens decorrente do uso de redes sociais e smartphones

O uso de tecnologias comunicação, tais como smartphones e redes sociais, tem causado uma série de mudanças comportamentais e problemas de saúde mental. Um estudo publicado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) mostrou que 40% dos professores de escolas localizadas em áreas urbanas já ajudaram algum aluno a enfrentar situações desconfortáveis ocorridas durante o uso da internet, como bullying, discriminação, assédio e compartilhamento de imagens sem consentimento.

Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes (INPD) e Telemedicina FMUSP, através do Eixo de Transferência do Conhecimento para a Sociedade, lançam o curso Alertas a riscos de saúde mental em jovens decorrente do uso de redes sociais e smartphones. O objetivo é conscientizar jovens e seus responsáveis sobre os perigos envolvendo tecnologias de comunicação, bem como desenvolver senso de responsabilidade e boas condutas.  

 

As incrições ainda estão abertas até essa semana.

Inscreva-se aqui!


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 14/11/2018

O esporte como aliado à superação de problemas

Tags: jogos estudantis.

 

O esporte como aliado à superação de problemas

 

    Professora da 7ª CRE investe em alunos e eles chegam ao primeiro lugar no basquete nos Jogos Estudantis

 

Uma grupo de alunos da Escola Municipal Alina de Brito, em Jacarepaguá, viu no esporte um grande aliado para a superação de problemas e para aumentar a autoestima.Graças à competência, habilidade e talento da professora Roberta Arruda, que viu em seus alunos muita garra e determinação, a equipe de basquete conseguiu chegar, neste ano, ao primeiro lugar da modalidade no Jogos Estudantis da 7ª CRE.

O desafio da professora começou no ano passado quando ela resolveu utilizar novas estratégias com uma turma que apresentava comportamento muito agitado, dificuldades com a estabilidade emocional, relação difícil entre os alunos e falta de habilidades para resolver os conflitos sem agressões físicas ou verbais.

 

 

’Criei então uma equipe de basquete com o objetivo de trabalhar as competências socioemocionais, para que criássemos um ambiente de respeito, confiança e cooperação entre eles. Os treinos aconteciam na hora do almoço, nas aulas de Educação Física e em alguns centros de estudo da professora’’, conta ela, acrescentando que além do aprendizado esportivo o objetivo era exercitar a empatia, o autoconhecimento, o diálogo, a resolução de conflitos e a promoção do respeito aos colegas da equipe’’. No ano passado, a equipe chegou em segundo lugar nos Jogos Estudantis da 7ª CRE.

 

Neste ano, um novo desafio: alunos que vieram de outras escolas precisavam elevar sua autoestima e mais uma vez a professora deu o seu melhor. “Muitos de nossos atletas estavam passando por momentos delicados em suas vidas; pela perda ou não presença de familiares próximos, entre outros. Traçamos estratégias para que através do esporte esses alunos pudessem resgatar a alegria, a confiança, a empatia pelo próximo, a motivação para o crescimento pessoal, transformando-os em protagonistas de suas vidas’’. Participamos dos Jogos Estudantis de 2018 da E/7ªCRE e nossa união, o esforço de todos, o respeito pelo outro, o trabalho em equipe fez com que fôssemos campeões.

 

Esses grandes jovens superaram problemas pessoais, adquiriram habilidades sociais, entenderam a importância do esporte e da escola em suas vidas. Acreditamos que serão cidadãos mais responsáveis e farão a diferença para um mundo melhor.

 

Depoimentos dos Alunos Quanto a Importância do Basquete em Suas Vidas:

 

“Me ajudou a entender que posso fazer tudo que eu quiser, se eu tentar posso conquistar sonhos que eu tenho. Melhorou meu comportamento, estou mais calmo, consigo trabalhar melhor em equipe, tanto no jogo como em sala. Antes gostava de ficar sozinho e não queria fazer os trabalhos. Agora participo de tudo, gosto de estar com meus amigos de sala e eles me ajudam nas atividades. Me sinto mais feliz e alegre depois que comecei o basquete. Me esforço mais no treino e na sala.” (Lucas Alves Santiago Gonçalves Sebastião) T.1504

 

“Me sinto melhor , mais confiante, melhorei minhas habilidades e acredito que consigo fazer as coisas.” (José Pedro Martins Barros) T. 1504

 

De acordo com o grupo, José Pedro amadureceu muito. Antes brincava na hora errada, interrompia as aulas para alguma brincadeira. Hoje está mais sério, mais concentrado e se tornou o jogador mais engraçado da equipe, divertindo o time mas quando não está na sala de aula (equipe de basquete)

 

“Antes não praticava nenhuma atividade, só mexia no telefone ou ficava em casa. Quando a professora ofereceu a oportunidade de entrar para o time de basquete fiquei feliz por poder praticar um esporte. Foi a primeira vez que ganhei uma medalha. Antes não me sentia capaz de fazer as coisas, me sentia inferior aos outros. Agora confio em mim, posso conseguir o que quiser, quem sabe virar um jogador de basquete igual ao Le Bron James.” (Felipe Alves Santos do O) T.1504

 

“Antes achava que não conseguiria fazer nenhum esporte, agora além de praticar o basquete, tenho novos amigos. Me sinto mais motivado nas aulas, parei de conversar em sala e me esforço para poder descer para a quadra e treinar. Fico muito triste quando chove e não tem treino.” (Fernando Alves Santos do O) T.1402

 

“Não saía de casa, não brincava e só ficava assistindo TV. Agora eu pratico um esporte, além de ter amigos de outras turmas. Não tem mais o sentimento de uma turma ser melhor que a outra porque somos um único time agora. Me sinto mais contente até aprendi a ler. Tenho mais vontade de vir para a escola e estudar.” (Fernando Barbosa da Conceição) T.1402

 


 


   
           



Yammer Share