A A A C
email
Retornando 15 resultados para a tag 'gpec'

Quinta-feira, 20/12/2018

I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques e Movimentos

Tags: encontro, gpec, cultura afro-brasileira.

I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques e Movimentos

 

 

 

O l ENCONTRO IATI KÓ EKÒ Batuques e Movimentos, da Gerência de Projetos Extra Curriculares (GPEC), aconteceu no dia 24/11/18, no Museu da História e Cultura Afro-brasileira localizado na Gamboa.

 

Em sua abertura, o evento contou com a presença de Helena Theodora e Bruno Rossato, que falaram da importância das ações da cultura afro-brasileira no dia a dia em nossas escolas. O evento também contou com apresentação de trabalhos em pôster desenvolvidos por professores da rede municipal sobre a temática africana, seguido de rodas de conversa com temas relacionados a desconstrução da intolerância étnico racial na educação. Dentre os dinamizadores, Raphael Soares, Juliana de Jesus, Fábio Batista, Mônica Luquett, Rita Alves, Renata Francis, Carolina Ferreira, Patrícia de Andrade, Renata Maia. 

 

No intervalo, os participantes puderam se deliciar com uma feijoada cultural, com apresentação da dança dos alunos da graduação em Educação Física da UNISUAM, além de expositores de produtos afro.

 

 

Continuando a programação no período da tarde, aconteceram as práticas corporais voltados a estética, representação e corporeidade negra, com oficinas diversas administradas por Juliana de Jesus, Raphael Soares, Renata Francis, Du Carmo, Neidinha dos Santos, Franci Ferreira, Renata Martielo, Frederico Baeta, Kátia Bezerra, Mestre Priminho e componentes da CIA Folclórica da UFRJ.

 

Finalizando o evento com um samba de roda com todos os participantes.

 

Texto enviado por:

Djane Rachel

E/SUBE/GPEC

  


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 10/12/2018

Homenagem à professora Fátima Bispo

Tags: homenagem, gpec, herois do tabuleiro.

 

Homenagem à professora Fátima Bispo

 

 

No dia 06 de dezembro de 2018, a professora Fátima Bispo recebeu uma merecida homenagem na Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo seu belíssimo trabalho à frente do projeto Herois do Tabuleiro. O Projeto existe há 8 anos, atende hoje a 96 escolas e a cerca de 25 mil alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino.

Neste ano, ocorreu o VIII Encontro Anual de Alunos de Xadrez do Herois do Tabuleiro, reunindo na Arena I do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, cerca de 2000 alunos.

Fazemos nossas, as palavras da professora Luzinete que a homenageou:

 

“Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Mas um sonho que se sonha junto, se torna realidade...”

“Alguém que acredita no poder da Educação e que tem compromisso com a Educação Pública de Qualidade.”

 

Obrigada, professora Fátima Bispo, pela sua dedicação e contribuição em prol de um futuro melhor aos nossos alunos da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro.

 

Clique aqui e confira o VIII Encontro Anual de Alunos de Xadrez do Heróis do Tabuleiro/SME, ocorrido em 22 de novembro de 2018.

 

Texto enviado por Janne Viterbo - E/SUBE/GPEC


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 21/11/2018

Disputa acirrada no tênis de mesa e no badminton na Arena 3 nos Jogos Estudantis

Tags: jogos estudantis, badminton, gpec.

 

Disputa acirrada no tênis de mesa e no badminton na Arena 3 nos Jogos Estudantis

 

“O esporte é uma oportunidade imensa. Eu viajo para caramba. Se não fosse o badminton eu não teria saído da favela. Tenho 15 anos e já saí do país, fui para o Peru, e no Brasil conheço vários estados’’. Foram com essas palavras que Camile de Oliveira Andrade, estudante da Escola Municipal Cândido Campos, em Vila Valqueire, que levou o primeiro lugar de badminton na categoria juvenil durante os Jogos Estudantis, na Arena 3, na Barra da Tijuca, no dia 12 de novembro, definiu a importância do esporte em sua vida. Vale lembrar que é a primeira vez em 27 anos de existência que o badminton faz parte dos Jogos Estudantis.

 

 

Camile (ao meio) foi a grande vencedora do badminton

 


Para a maioria dos alunos que participaram da competição de badminton e de tênis de mesa – na faixa etária entre 7 e 14 anos das 11 Coordenadorias Regionais de Educação - o objetivo maior é vencer, mas eles entendem a importância do esporte como aliado à educação e sabem que o comportamento e as notas melhoram. Essa opinião vem de encontro a do professor de Educação Física Rodrigo France, do Ginásio Experimental Olímpico Juan Antonio Saramanch, Santa Teresa. "Nossa experiência de Geo prova que o comportamento melhora, temos boas notas e muita procura pela escola’’, disse ele, satisfeito com a volta do tênis de mesa, do atletismo e do xadrez aos Jogos Estudantis. ‘’Acho que os Jogos Estudantis para os alunos são essenciais. Para a gente que trabalha com as modalidades todas é ruim ter uns participando e outros não. Muito bom essas modalidades terem voltado. Estamos participando dos dois, badminton e tênis de mesa e estou confiante nos meus alunos’’.

 

 

 


Durante toda a competição, alunos estavam ansiosos com os jogos e confiantes na vitória. O estudante Khauã Kerlon, de 13 anos, da Escola Municipal Joaquim da Costa Ribeiro, em Padre Miguel, era um dos mais empolgados no ginásio. ‘’Acho que tenho chance de ganhar, mas é muito difícil porque não sei o jogo do outro, e tem gente que joga mais do que eu. Vou dar o melhor nessa quadra’’, disse ele, que lutou até o fim mas não chegou a semifinal. Sua colega de escola, Beatriz Luiza, 13, que jogou apenas badminton, também não venceu, mas gostou de ter participado. ‘’Perdi, serviu de experiência pra que eu possa melhorar. Dei mole’’, disse ela, que também adora futebol e pensa em se profissionalizar neste esporte.

 

 

Os alunos vencedores do badminton: Diego Rodrigues, Guilherme Maxuel e Rafael da Silva



Já Diego Rodrigues, Pio Décimo, no Tanque, em Jacarepaguá, de 14 anos, era só felicidade. No ano passado tirou em terceiro lugar no Badminton e neste ano chegou ao primeiro. As outras colocações ficaram com Guilherme Maxwel, 13 anos, e Rafael da Silva, 13, ambos do Ginásio Experimental Olímpico Juan Antonio Saramanch. Rafael tem sua definição de esporte: ‘’Para mim esporte é vida, é saúde, é conseguir o direito de ganhar e de ser conhecido. Assim você consegue ser federado num esporte que você gosta’’.

 

Alunos viram juízes

Pela primeira vez no tênis de mesa houve um formato diferente no quesito julgamento deixando para os alunos uma ação de protagonismo, mostrando que eles são capazes de discernir o profissional do pessoal. No tênis de mesa os alunos eram juízes e não houve nenhuma reclamação por parte dos colegas. O estudante Victor Guilherme Simões Sarmento, de 16 anos, do 9º ano do Geo Juan Antonio Saramanch, gostou da experiência de ser juiz, o que já acontece pela segunda vez. ‘’Presto muito atenção’’, afirma ele, que acha imprescindível a prática de esporte e diz que o tênis de mesa ‘’estimula a mente’’. Sábias palavras.

 

Enviado por:

Waléria de Carvalho

E/SUBE/GPEC


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 13/11/2018

I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques e Movimentos

Tags: encontro, gpec, cultura afro-brasileira.

I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques e Movimentos acontecerá no Centro Cultural José Bonifácio

 

 

Professores da Rede Municipal de Ensino estarão no I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques e Movimentos, que acontecerá no Centro Cultural José Bonifácio (Museu da Escravidão), na Gamboa, no dia 24 de novembro, das 8h às 17h.

 

Inscrição de pôsteres
 

Participação no evento

A abertura do evento será realizada pela Helena Theodoro, escritora e pesquisadora da cultura afro-brasileira e pelo professor Jaime Pacheco, da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

Pela manhã, acontecerão apresentação de pôsteres de trabalhos dos professores com relação à temática, rodas de conversa com dinamizadores convidados como Raphael Soares, Juliana de Jesus, Fabio Batista, Mônica Luqquet, Rita Alves, Renata Francis, Carolina Ferreira, Patrícia de Andrade, Renata Maia. Haverá também feijoada cultural e feira com barracas de origem africana.

À tarde, haverá oficinas de práticas corporais como jogos africanos, capoeira, maculelê, jongo, dança afro, maracatu, coco, estética e representação negra com oficinas de turbante, abayomi, contos, penteados. Encerrando o evento, samba de roda.

O I Encontro IATI KÓ EKÒ – Batuques de Movimentos é um evento promovido pela Gerência de Projetos de Extensão Curricular (GPEC). Vale ressaltar que na linguagem africana IATI KÓ EKÒ signfica APRENDER.

 

Texto enviado por:

Waleria Carvalho

E/SUBE/GPEC


   
           



Yammer Share