A A A C
email
Retornando 68 resultados para o mês de 'Janeiro de 2014'

Terça-feira, 28/01/2014

O Carinho de uma Sala de Aula

Tags: protagonismoinfantil, saladeaula.

 

Uma sala de aula, principalmente nos anos iniciais, deve conter o que existe de mais precioso e inato no desenvolvimento do ser humano: a expressão da ludicidade. Nada melhor, portanto, que integrar a ludicidade, o desenvolvimento da leitura e os subsídios necessários ao letramento.

 

As dificuldades verificadas no processo de alfabetização de muitos alunos nas turmas podem ser minimizadas, e até mesmo superadas, mediante a convivência com um ambiente adequado.

 

Espantando a monotonia, esse ambiente deve oferecer, nos aspectos físicos da sala de aula, espaços a serem preenchidos por recursos como o alfabeto, o contato com seu próprio nome, já por extenso - afinal, o seu nome e sobrenome é algo próprio do aluno, sua própria e permanente identidade - e com a imagem da assinatura.

 

Além das letras, sílabas, palavras e diferentes tipos de textos, de estruturas que propiciem intimidade com os cálculos e a linguagem matemática, com a integração social e das ciências, concomitante e interdisciplinarmente.

 

E.M Láis Netto dos Reis, turma de 1º ano. Foto da professora Maria Delfina Rodrigues.

 

O objetivo, além de acolher o aluno, é oferecer possibilidades que invistam nas propriedades da leitura, na estrutura da palavra e dos textos, na diversidade textual e no estímulo aos desafios matemáticos cotidianos a partir de experiências dentro de sala. E, também, através de mecanismos simples e práticos, tais como, por exemplo, um mercadinho, onde, manuseando os “produtos”, já se começa concretamente a adquirir, de forma natural, a percepção do sistema monetário brasileiro, dentre outras habilidades necessárias ao cotidiano.

 

As sucatas que se transformam em jogos e em brinquedos, tudo o que se constrói na sala é através do mínimo de materiais disponíveis, enfatizando-se o desenvolvimento autossustentável, a expressão artística, além do senso estético e prático do alunado em questão.

 

Materiais simples e sucatas podem compor instrumentos para auxílio didático. Na foto, sala de 2º ano. Sucata para a janelinha do tempo e mercadinho, entre outros.

 

Deve se elaborar um acervo textual que englobe poesias, histórias sequenciadas e músicas com o objetivo de ressaltar exercícios de mnemônica, em prol do exercício da memória e da natureza de brincar e oportunizar a organização do espaço, a responsabilidade e estimular o senso estético.

 

É primoridial o cuidado com esse ambiente construído e cada dia mais enriquecido com novas informações e muito movimento entre os alunos na realização de diversas atividades. A rotina é importante, mas salpicada de ação e novas propostas. Assim, observa-se que uma metodologia de ensino pode estar relacionada à simples consonância do professor com sua sala de aula que, na realidade, junto aos seus pupilos, torna-se uma casa, um castelo, um mundo...

 

É uma grande recompensa vermos nossos pequenos vasculhando a sala em busca de um trabalho seu ou dos colegas, de uma nova fonte que o professor elaborou ou construiu com ele, ou apenas, como suporte para tirar alguma dúvida.

 

Enfim, a sala de aula pode e deve tornar-se a extensão de sua metodologia, professor. A sala de aula deve ser a expressão do carinho, no qual se firma o desenvolvimento, a autoconfiança e a aprendizagem. Com dedicação e compromisso, um recurso, por mais simples que seja, pode resultar em diferenças muito positivas.

 

 

Vilma Barbareto

Professora da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro

Colaboradora do Rioeduca.net

E-mail: vilmabarbareto@rioeduca.net

Twitter: @VilmaBarbareto

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/01/2014

Saúde, Beleza e Reciclagem

Tags: 2ªcre, educaçãoinfantil, creches.

A Creche Municipal Pipa no Céu comemorou o Dia das Mães de uma maneira bem dinâmica e divertida. As mamães passaram a manhã de um sábado participando de várias oficinas.

 

 

A Creche Municipal Pipa no Céu convidou as mães no dia 11 de maio para participarem de uma oficina cujo título foi: “Vida, beleza e saúde”.

O evento contou com atividades diversificadas para atender as mães. No primeiro momento, aconteceu um café da manhã solidário com a participação de todos. Após, alongamento para relaxar com a proposta de introduzir os benefícios da atividade física, sob orientação da PEI e também PI de Educação Física, Michelle Gomes. Em seguida, as mães se dirigiram para as salas onde participaram das oficinas.

 

O objetivo das oficinas foi dar continuidade a um projeto de reciclagem iniciado em 2012, inserindo a sustentabilidade, a qualidade de vida e a alimentação saudável. Esse dia foi composto de diversos momentos com a orientação e a supervisão da Diretora Sandra Pimenta Souza e da Diretora Adjunta Maria Cecília Custóias.

 

 

 

 

As mães puderam participar de uma oficina oferecida pela equipe Natura, supervisionada por Sônia, proporcionando um momento relaxante e de beleza para as mãos. Uma forma de ensinar a massagear e incrementar a vida profissional das mães que trabalham na área de estética.  

 

Dentre as atividades oferecidas na data, destacamos as oficinas:

  • Pintura em tecido, oferecida pela Professora PEI Eliane Felix e a Agente Auxiliar de Creche Thais Motta, propiciando a possibilidade de estimular a criatividade através da arte de pintar em tecido.
  • Produção de pirulitos e bombons de chocolate, oferecida pelas Agentes Auxiliares de Creche Deyze Lucide e Eleni Viana, tendo a participação efetiva da mãe Núbia na preparação e confecção.
  • Oficina de chocolate, pois, além de propiciar uma degustação, possibilitou às mães visualizarem e participarem da sua execução. Após o término da oficina, as mães foram presenteadas com os chocolates.

 

 

 

 

A ideia de continuar com um projeto de valorização da sustentabilidade e meio ambiente foi desenvolvida nas oficinas oferecidas às mães. Foram trabalhadas diversas formas de reaproveitamento de alimentos e materiais usados em casa que, outrora, seriam considerados como lixo. Para a continuação do desenvolvimento deste projeto destacamos:  


• A oficina de EVA com a construção da galinha porta ovo, oferecida pelas mães Jarlice e Patrícia, com a proposta de incentivar a reciclagem de garrafas pets;


• A oficina de construção de embalagens com sucata, desenvolvida pela Professora PEI Evellyn Melo e a Agente Auxiliar de Creche Patrícia Trindade, com a proposta de reutilizar e economizar;


• A Oficina de receitas utilizando cascas de frutas, legumes e verduras, realizada pela Professora PEI Marise Rosa com o auxílio da lactarista Joana Vieira e da Agente Auxiliar de Creche Josiane Lima. Foi ofertado para as mães o livro de receitas e a execução de bolo de cascas de banana com a experiência de aproveitar todos os alimentos. Depois de pronto, as mães puderam degustar e apreciar o bolo;


• A oficina de horta suspensa de ervas para temperos, oferecida pelos Agentes Auxiliares de Creche Claudia Nel e Fernando Lopes, possibilitou às mães visualizarem e participarem da sua montagem. Após a plantação, as mães levaram para casa a sua própria plantação como lembrança.

 

Participação das mães no sorteio de brindes no final do evento.

 

No final do evento, as mães participaram de um sorteio de brindes da Natura e da Creche Municipal Pipa no Céu. Esse momento foi de surpresa, e a alegria estampada no rosto de cada mãe pôde ser percebida, pois a festa foi um grande sucesso. Desta forma, a confraternização foi gratificante para todos.


Algumas mães que participaram do evento deixaram seus depoimentos sobre as atividades deste dia. Vejamos:


"Parabéns pela confraternização do dia das mães. Foram ótimas as oficinas, mas o melhor de tudo foi reunir o ambiente escola e família  em um dia tão agradável". Luana.


"As oficinas foram um sucesso e esperamos que eventos como esse se repitam. Foi muito bom ver e saber que o 'lixo' pode ser transformado em arte através da criatividade". Ana Beatriz.
 

 

16 de maio - Dia do Gari

 

Com o evento realizado pela Creche Pipa no Céu, observamos a importância de aprender sobre o reaproveitamento de materiais que poderiam ser descartados como lixo.


Queremos também, nesta publicação, lembrar do Dia do Gari, que é comemorado em 16 de maio.

 

Deixamos nossa homenagem a estes profissionais que cuidam de nossas ruas e também de nossas escolas varrendo, limpando e recolhendo o lixo, para que possamos viver e trabalhar em um ambiente limpo.


Uma curiosidade que vale a pena saber! De acordo com o portal Smart Kids, a profissão de Gari surgiu no Rio de Janeiro. Tudo aconteceu quando um empresário chamado Aleixo Gary assinou contrato com o governo para organizar o serviço de limpeza das ruas e praias da cidade.


Além do que aprendemos com o projeto da Creche Pipa no Céu, podemos cultivar outras atitudes em nosso dia a dia, que podem colaborar com o trabalho destes profissionais como: jogar sempre o lixo na lixeira e fazer a coleta seletiva.

 

Senhor Carlos, gari da E.M. Guararapes Cândido, em seu horário de trabalho.

 

Augusto Rafael e Maria Cristina são os garis do GEC Epitácio Pessoa.

 

Fica aqui a nossa homenagem aos profissionais da limpeza. Obrigada por cuidarem de nossas ruas e escolas!

 

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

 

Renata Carvalho – Professora da Rede e representante da 2ªCRE, no portal Rioeduca
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/01/2014

Coral de Professores da 11ª CRE

Tags: 11ªcre, coral, rodrigo otávio, coral de professores.

A equipe da E. M. Rodrigo Otávio, unidade pertencente à 11ª CRE, realiza toda quarta-feira, de 17:30h às 18:30h, no auditório da escola, o Coral de Professores, que atualmente está ensaiando músicas de Luiz Gonzaga. Venha fazer parte!

 

 

A equipe do coral, atualmente composta pelos professores da escola, está em expansão. A proposta é que todos os professores e funcionários pertencentes à 11ª CRE façam parte, como idealiza a professora de Música e também coordenadora regente do coral de alunos Orquestra de Vozes Meninos do Rio Márcia Guapyassu: 

 

"Há alguns anos, tínhamos um coral que era formado por professores do PEJA. Começamos ensaiando músicas de Vinicius de Moraes, apresentamos um Sarau no Café Literário da escola e agora estamos ensaiando músicas de Luiz Gonzaga. A intenção é que se torne um coral com a participação de todos da 11ª CRE!"

 

Para a professora de Educação Física Maria Izabel, o coral é um forte aliado para a sua saúde vocal. Operada das cordas vocais, ela encontrou nessa prática a chance de se reeducar e de estimular seu aparelho fonador.

 

Em clima de festa junina, o coral está ensaiando as seguintes músicas do Luiz Gonzaga: "O xote das meninas", "Assum preto" e "Pagode Russo".

 

 

Equipe da E.M. Rodrigo Otávio ensaiando a temática Festa Junina.

 

Antes de iniciar os ensaios, a equipe passa por 3 (três) etapas:

. Alongamento;

.Técnicas vocais;

.Timbramento das vozes, ou seja, separação dos professores pelos tipos de voz.

 

 

Equipe realizando alongamento.

 

A 2ª e a 3ª etapa são as técnicas vocais e o timbramento que se caracterizam por: exercícios de relaxamento, respiração e o bom uso da caixa de ressonância, assim como o fortalecimento do diafragma.

 

Técnicas vocais e timbramento das vozes.

 

 

"A música é capaz de reproduzir, em sua forma real, a dor que dilacera a alma e o sorriso que inebria."

 (Ludwig Van Beethoven)

 

O grupo do coral, intitulado "As vozes do Encantamento", se encontram uma vez por semana para encantar e cantar a todos que se dispõem a cantar e ouvir. Neste embalo já formaram um belo repertório de canções de Vinicius de Moraes e agora estão ensaiando músicas de Luiz Gonzaga para a Festa Junina, conforme afirma a professora de Português Karla Antunes.

 

Ao indagar "O que foi alterado, em suas vidas, com a entrada da música (coral)?", fui surpreendida com as palavras: prazer, felicidade, desestresse e confraternização!

 

"Sem música a vida não faria sentido."

(Nietzsche)

 

Representante Rioeduca Laura Davilla, 5ª da esquerda para a direita, em visita à E.M. Rodrigo Otávio.

 

Parabéns à equipe da E.M. Rodrigo Otávio por proporcionar qualidade de vida, prazer e diversão à sua equipe!

 

Laura Fantti Davilla Serpa
Representante Rioeduca da 11ª CRE

Facebook: http://www.facebook.com/laura.fanttidavilla
Site: http://lauradavill1.wix.com/rioeduca11cre
Twitter: https://twitter.com/laurafanttini
E-mail: lauradavilla@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/01/2014

Maratona de Histórias da E. M. Renato Leite

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A Escola Municipal Renato Leite está localizada na Taquara e atende alunos da Educação Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental, além de turmas de Educação Especial, projetos especiais e PEJA.

 

A partir de alguns textos de Vinicius de Moraes e da reflexão sobre a importância e diversidade de suas obras, a Escola Municipal Renato Leite trabalhou com os alunos do 1º Segmento a hibridização entre gêneros literários, em especial, os gêneros crônica, prosa e poesia. Participou, assim, do projeto “MARATONA DE HISTÓRIAS”, realizado entre os dias 14 e 18 de outubro, evocado todos os anos pelo Departamento de Mídia-Educação da SME.

 

Mural temático da Maratona de Histórias.
 

 

Ao refletir sobre a importância do legado de Vinicius de Moraes para a cultura brasileira, aproveitou-se para mostrar algumas obras do Poetinha, trabalhando a análise de textos em verso e prosa. A partir daí, discutiu-se, em todas as turmas deste segmento, a hibridização entre gêneros literários, estudando e falando um pouco mais sobre a sua biografia e suas obras tanto musicais quanto suas contribuições para a literatura do nosso país.

 

               À esquerda, produção artistica da Galinha D'Angola. À direita, professora Kátia com a turma 1401.

 

              Máscaras do Elefantinho da turma 1403.
 

A escolha de “A Arca de Noé” de Vinicius de Moraes aconteceu devido à grande contribuição do livro e do disco (transformado em CD), que reúne poemas infantis de caráter lúdico.

 

 Diretor Vitor Hugo usando o data show para mostrar a música do Pato e a letra do Leão. Turmas 1401 e 1502.

 

Também pela preferência temática presente na obra, seguida dos valores educativos focalizados no cotidiano e centrados na poesia escrita para o leitor infantil, trabalhando gradativamente traços formais relevantes, como simplicidade formal e sonoridade, contidos na maioria dos poemas abrilhantados por grandes intérpretes da Música Popular Brasileira, tais como Elis Regina, Toquinho, Fagner,Tom Jobim, entre outros.

 

                 Exposição de trabalhos na Culminância.

 

                Clássicos da obra de Vinicius de Moraes para crianças presentes na exposição.

 

Os alunos foram estimulados a participar de situações de comunicação oral por meio dos poemas, habilitando-os progressivamente a expressar desejos, necessidades, vontades e, principalmente, sentimentos. Utilizando-se de gestos (mímicas) quando necessário ou solicitado, viabilizando o uso da inteligência cinestésico-corporal, enfim, permitindo, através da leitura do poema e das músicas, a “brincadeira” com as palavras, reproduzindo-as verbalmente com: parlendas, trava-línguas, quadrinhos, adivinhas e canções.

 

                  Trabalho de acróstico com a palavra Leão da turma 1502.

 

Rosa de Hiroshima pela turma 1302.

 

O CD da obra serviu como material de apoio, instigando as crianças a apreciarem a leitura da história, vivenciando emoções, estabelecendo identificações, exercitando a fantasia e a imaginação; familiarizá-las com os diferentes gêneros de textos, auxiliando a distinguir poemas (ou histórias) de uma notícia de jornal, e viabilizando, por sua vez, a inteligência linguística.


As várias formas de conhecimento são, assim, estimuladas e todas as linguagens são sugeridas — a exemplo de leitura simbólica, leituras plásticas, músicas, pinturas, dramatizações, recontos, teatro de fantoches e colagens —, desenvolvendo as diversas inteligências.

 

               Alunos prepararam maquete de um formigueiro inspirado na música "A Formiga".

 

Como culminância das atividades, foi feita uma exposição no pátio da escola com todos os trabalhos desenvolvidos em sala de aula pelos alunos. Os responsáveis puderam conhecer de perto a vida e obra de Vinicius de Moraes  pelo olhar diferenciado de cada turma. 

 

O Projeto Político Pedagógico da E. M. Renato Leite “Asas de Papel – Uma rota para a formação do Leitor” contempla, desde a sua elaboração, um forte trabalho de leitura e como ela pode colaborar com a formação integral do indivíduo. O trabalho desenvolvido durante a Maratona de Histórias, voltado para o grande poeta Vinicius de Moraes, estimula o gosto pela leitura, favorecendo a aprendizagem dos alunos de forma prazerosa e enriquecedora para o futuro.

 

 PARTICIPEM, TAMBÉM, DESTE ESPAÇO QUE É NOSSO, DAS ESCOLAS, DOS PROFESSORES, DOS ALUNOS E DEMAIS FUNCIONÁRIOS QUE FAZEM A EDUCAÇÃO CARIOCA!

 

CONFIRAM NO LINK A SEGUIR, QUAL É O REPRESENTANTE DE SUA CRE
E DIVULGUEM O QUE SUA ESCOLA REALIZA!
RIOEDUCA NET - A REVOLUÇÃO ACONTECE: QUEM SOMOS NÓS?

http://portalrioeduca/sobrenos.php


 

Contato:

 

Roberta Vitagliano

é professora da rede municipal

e representante do Rioeduca da 7ªCRE

 

robertavitagliano@rioeduca.net

twitter: @robertacarmina

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share