A A A C
email
Retornando 88 resultados para o mês de 'Novembro de 2012'

Sexta-feira, 16/11/2012

Encontro de Maratonas na 5ª CRE

Tags: 5ªcre.

O Encontro de Maratonas de Histórias na 5ª Coordenadoria Regional de Educação homenageou a escritora Sylvia Orthof no dia 25 de outubro, sexta-feira, reunindo dezenas de professores das Salas de Leitura muito entusiasmados.

 

 

 
A 8ª Maratona de Histórias da Rede Municipal foi um sucesso! Na 5ª CRE, o Encontro de Maratonas de Histórias aconteceu dia 25 de outubro, sexta feira, com muita alegria e otimismo E
ste ano, a homenageada foi a escritora Sylvia Orthof. Dezenas de professores das Salas de Leitura trocaram experiências e participaram da palestra dinamizada pelo Editor/Professor José Luiz Prado.

 

 

5ª Coordenadoria Regional de Educação e Sylvia Orthof

 

 

Além dos professores das Salas de Leitura, participaram deste encontro as professoras Katia, Tatiane e Sirléa, todas excelentes profissionais da GED/5ªCRE, além da professora Evanilda Negreiros, chefe da GED. Estava presente, também, a representante do Portal Rioeduca na 5ªCRE, professora Regina Bizarro, acompanhando e registrando todo o evento.  

 

 

Thof, thof, thof... Coisas de Sylvia Orthof

 


Abrindo este encontro, o professor José Luiz Prado, editor da editora Rovelle, proferiu a palestra "Thof, thof, thof... Coisas de Sylvia Orthof", numa homenagem justa à escritora pelos seus 80 anos de nascimento, imergindo no mundo literário. O professor, que é admirador ferrenho de Sylvia Orthof, não poupou elogios à escritora, que teve como marca um estilo de linguagem único e bem-humorado.
 


"Escrever para criança é ser
adulto-criança no momento mágico
da escrita ou da leitura. A sintonia vira pipa,
o fio que se avoa-inventa-tenta-volta-e-vem,
busca de liberdade e céu. As asas-páginas
devem bater dentro de nós, escritores e leitores.
Não existem mais barreiras de idade,
o mais infantil dos textos,
quando bate na magia da arte, vira viagem!"

 



"Seu estilo único, a linguagem coloquial e o humor encantam os pequenos leitores, dentro e fora das escolas. O emprego dessa linguagem inovadora assim como o uso de marcas claras de oralidade a aproximam de seus leitores – entre os quais surpreendentemente se incluem adultos! O humor está presente em toda sua produção. Irreverente e criativa, Sylvia Orthof é a escritora que, por necessitar de liberdade, liberta o público infantil da obrigação de ler. As crianças a leem por prazer"', diz Maria Isabel Iorio - escritora e pesquisadora da literatura infantil. 

 

 

Dinamizando a Maratona de Histórias

 

 

Todas as Escolas, Creches e Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) da rede municipal desenvolveram atividades de leitura.

Contação de histórias, exposições literárias, rodas de leitura, apresentações de peças teatrais com caracterização de personagens, encontros com autores, palestras marcaram essa maratona de histórias. 

 

 

 

Exposição de trabalhos das escolas na 5ª CRE

 

 

Apresentando os trabalhos desenvolvidos nas unidades escolares da 5ª CRE, uma belíssima mostra aconteceu no Auditório desta Coordenadoria Regional de Educação, homenageando a fabulosa escritora Sylvia Orthof. Alguns professores dramatizaram histórias criadas pela autora, outros contaram histórias, mas o que me chamou atenção foi a grande participação dos professores, responsáveis pelas Salas de Leitura. Este encontro veio confirmar a importância desse espaço no ambiente escolar "para promoção da leitura literária, formação de leitores e realização de pesquisas escolares, como suporte ao desenvolvimento de propostas pedagógicas".

 

 

 

  

Encerrando este belíssimo e importante encontro, tivemos um momento poético declamado por um aluno da Escola Municipal Rosa Bettiato Záttera, que encontra-se ao final do vídeo acima.

 

As atividades não param por aí. Ainda neste final de ano, eventos nas escolas acontecerão, pois enriquecer a leitura formando bons leitores requer um trabalho constante de toda a escola.

 

Parabéns às escolas participantes desta Maratona, à 5ªCRE, através da Gerência de Educação, e aos professores, pelo envolvimento e compromisso deste importante encontro literário.
 

 

 Escolas e professores participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos.

Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro.

Representante do Rioeduca na 5ªCRE _ Professora  Regina Bizarro

Twitter: @rebiza / Facebook: rebiza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

 

                                


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/11/2012

Para gostar de Ler!

Tags: 8ªcre.

 

 

Proporcionar o envolvimento do aluno com o livro é um dos objetivos das escolas que querem formar leitores.

Com a intenção de atingir esse objetivo, a Escola Municipal Ayrton Senna da Silva envolveu seus alunos, estimulando-os a conhecerem o livro "O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá", de Jorge Amado.

 

 

 

 

Capa do livro

 

 

 

Jorge Amado escreveu muitos livros para os adultos, mas alguns foram direcionados especialmente para as crianças. 

Dentre os livros infantis, encontramos O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, com o qual o autor presenteou seu filho quando ele completou um ano.

 

 

 

 

 

Mural da Escola Municipal Ayrton Senna

 

 

 

No livro O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, o autor narra a história do amor de um gato mau por uma adorável andorinha.

 

Com ilustrações aquareladas do artista plástico Carybé, a narrativa mostra como duas criaturas bem diferentes podem ou conviver em paz ou mudar a maneira que cada um tem de ver o mundo.
 

 

 

 

 

Ilustração dos personagens do livro. Atividade feita pelos alunos da turma 1102

 

 

O livro foi escolhido pela equipe pedagógica da Escola Municipal Ayrton Senna que, além de prestar uma homenagem ao centenário de Jorge Amado, planejou atividades que promovem o envolvimento dos alunos com o livro.

Os professores propuseram diferentes atividades como pintura, recorte e colagem e desenhos sobre o livro e os tralahos produzidos foram afixadas nos murais da escola.

 

 

 

 

 

 

 

A temática do livro é um convite à reflexão sobre a convivência pacífica entre pessoas diferentes.

Assuntos propostos como o amor impossível, o preconceito, a bondade e a maldade foram discutidos  nas rodas de leitura.

 

 

"O mundo só vai prestar
Para nele se viver
No dia em que a gente ver
Um gato maltês casar
Com uma alegre andorinha
Saindo os dois a voar
O noivo e sua noivinha
Dom Gato e dona Andorinha."

 

                                         (Trecho retirado do livro O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá)

 

 

Os alunos recontaram a história, expressaram suas opiniões sobre a temática do livro e, enfim, se mostraram totalmente envolvidos por ele!

A equipe pedagógica da E.M. Ayrton Senna espera que este seja o primeiro de muitos outros contatos dos alunos com as diferentes obras literárias que existem na Sala de Leitura.

Este passeio pelo mundo imaginário proporcionado pelos livros, pode levar ao objetivo principal: Gostar de Ler!

 

 

 

Para conhecer um pouco mais sobre esta escola, clique no link abaixo:

 

http://escolaayrtonsena.blogspot.com.br/

 

 

 

 

 

Professor, compartilhe aqui suas experiências e seu fazer pedagógico!

Este espaço é todo seu!

 

 

 

Meus Contatos:

neildasilva@rioeduca.net

Twitter: Prof_Neilda

 

 

 

                                                                                           

 

                                       

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/11/2012

Sem Medo de Brincar e Aprender

Tags: 3ªcre, riodeleitores, blogsdeescolas.

 

 

O medo nos protege e nos move. Protege dos perigos e nos move para longe deles. Não podemos deixar que ele nos paralise. Na Escola Municipal Brício Filho da 3ª CRE, as professoras Juliana Oliveira, de Inglês, Mônica Fonseca, da Sala de Leitura e Karen Moreira, da Educação Infantil, espantaram o medo dos alunos com um projeto divertido e cheio de simbolismos. Conheça!

 

 

Fugir de um animal feroz ou peçonhento, sair de situações que nos oferecem perigo e colocar nossas vidas a salvo são algumas das funções do medo. Todas elas ajudaram a humanidade a sobreviver desde o início de sua História. Nossa vida civilizada de hoje nos afastou de tantos desses medos, porém nos trouxeram outros. As crianças ainda conservam alguns deles. A maioria em relação ao universo da fantasia. Caveiras, bruxas, fantasmas e monstros se juntam às aranhas, cachorros e ratos para amedrontar os pequeninos.
Mas, na E.M. Brício Filho, esses medos não assustam mais. A Prof.ª Juliana Oliveira desenvolveu um projeto relacionado ao Halloween. Bruxas, caveiras, morcegos povoaram o esse universo, desmitificando-os através de canções, brincadeiras e danças. Passar de assustado a assustador amplia o ponto de vista do aluno. Manipular os objetos que assustam, se divertindo com eles, faz com que o medo perca seu poder paralisante. E como eles adoraram assistir e dançar como as caveirinhas e se fantasiar de bruxas e monstros!

 

 

 

 

 

 

Já o enfoque da professora Mônica Fonseca, da Sala de Leitura, foi para os livros que contam histórias para nos assombrar. Através da leitura mais detalhada do texto e das imagens desses livros, o universo do medo fica mais próximo e ganha beleza. Eles aprenderam que causar medo e representar o feio ou o assustador também é possível e ajuda a aliviar o receio diante de uma situação difícil. Em mais uma sessão de fantasia e música, ficar com medo estava cada vez mais divertido. As meninas ganharam unhas negras adesivas e se sentiram as verdadeiras bruxas. Só que sem nenhuma maldade.

 

 

 

 

 

 

 

 

Com a professora Karen Moreira, da Educação Infantil, o assunto ficou mais sério. Nessa faixa etária, o simbólico fala muito alto na imaginação das crianças. Então, ela montou todo o cenário para que os alunos pudessem dar fim aos próprios medos. Os alunos registraram com desenhos tudo aquilo que apavorava cada um. O caldeirão da bruxa apareceu na sala de aula e todos puderam compartilhar seus medos e “cozinhá-los” até eles desaparecerem. Confira nos vídeos como foi importante essa participação!

 

 

 

 

 

 

 

No blog da escola, ficaram registradas todas as atividades do projeto Medo o quê? Eu vou Brincar Muito! Passe por lá e brinque com seu medo também.
 

 

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/11/2012

Varal Literário

Tags: 6ªcre, riodeleitores.

A Escola Municipal Guilherme Tell está desenvolvendo o projeto Varal Literário com todos os alunos desde a Educação Infantil até o 5º ano.  Esse projeto visa ao incentivo da leitura prazerosa no ambiente escolar.

 

 

A realidade atual afasta cada vez mais os alunos do ato de ler.  O uso execssivo das novas tecnologias bem como a falta de incentivo à leitura no ambiente familiar, têm como consequência dificuldades marcantes com relação ao vocabulário, à ortografia e a compreensão de textos escritos.  Essas dificuldades, por sua vez, são os principais fatores das produções escritas pouco significativas dos alunos.

 

 É necessário que a escola resgate o valor da leitura como ato de prazer; um dos requisitos para a emancipação social e promoção da cidadania.

 

 

A formação de leitores decorre da espontaneidade e do prazer pela leitura.  Aspectos que nem sempre estão presentes no ambiente escolar, fazendo predominar o pretexto instrucional e o  caráter didatista da leitura que se torna mecânica e rotineira.

 

 

Um ambiente onde a leitura é  apresentada aos sujeitos sem restrições e imposições, proporciona aos alunos o exercício de sua autonomia enquanto leitores  e fascínio pelo ato de ler, tranformando o relacionamento  com o texto em algo espontâneo, dialógico e afetivo .

 

 Dessa forma, além de ultrapassar a fronteira da mera decifração dos signos linguísticos, o aluno começa a delinear uma nova visão de mundo e de leitura.

 

 

 

 

Gostar de ler é uma questão de hábito. Quem é apresentado aos livros ainda pequeno, tem mais chances de descobrir o prazer da leitura e se tornar um grande leitor.

 

 

 

Nos Caminhos da Leitura Prazerosa

 

 

Não há fórmulas prontas para ensinar a leitura prazerosa do texto literário, mas existem trajetos que se definem dentro de cada escola com seus professores e alunos.  Cabe ao primeiro o papel de estimular a criança a apreciar uma boa leitura e intervir adequadamente, contribuindo para a busca de uma aprendizagem significativa.

 

 

O projeto Varal Literário, desenvolvido pela Escola Municipal Guilherme Tell, está voltado para a questão do incentivo à leitura no ambiente escolar. Os livros são cuidadosamente escolhidos pelos professores e arrumados em varais ao longo da escola.

 

 

Alunos, professores, funcionários e responsáveis tem acesso livre, durante os intervalos do lanche, café e almoço, a esse acervo literário .

 

 

 

 A leitura permite entrar em contato com um mundo desconhecido, viajar e conhecer lugares e épocas diferentes, ampliando a capacidade cognitiva de cada ser.

 

 

 

 A leitura não é só uma das ferramentas mais importantes para o estudo e o trabalho, é um instrumento muito prazeroso para a vida.

 

 

 

O professor é, sem dúvida, o grande responsável pela busca de estratégias de leitura que melhor atendam aos alunos, e a sua ação será base do processo de formação de leitores.

 

 

 

 

Para que o gosto e o compromisso com a leitura aconteçam, a escola precisa mobilizar seus alunos internamente.  Aprender a ler (e também ler para aprender) requer esforço.  Para tanto, deve-se compreender que o ato de ler é interessante, desafiador e, se conquistada plenamente, dará autonomia e independência a quem o pratica.

 

 

Com o projeto, a Escola Municipal Guilherme Tell demonstra reconhecer a importância da literatura infantil e do incentivo para a formação do hábito de leitura na infância, idade em que todos os hábitos se formam.

 

 

Segundo Bamberger, o desenvolvimento de interesses e hábitos permanentes de leitura é um processo constante, que principia no lar, aperfeiçoa-se sistematicamente na escola e continua pela vida afora.

 

 

Concluindo, é fundamental o reconhecimento do trabalho desenvolvido pela equipe da unidade escolar que aposta na literatura infantil como um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, as emoções e os sentimentos de forma prazerosa e significativa.

 

 

Parabéns a toda equipe da Escola Municipal Guilherme Tell por desenvolver nos seus educandos a capacidade de aprender a aprender através do domínio da linguagem, através da leitura e da escrita, com repercussão em todas as áreas do conhecimento.

 

 

Gostou deste projeto? Deixe uma mensagem para a escola e depois visite o seu blog para conhecer os outros projetos e atividades realizadas por seus professores. Você vai se encantar!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share