A A A C
email
Retornando 55 resultados para o mês de 'Novembro de 2017'

Segunda-feira, 13/11/2017

Projeto: Presente, Professor!

Tags: 6ªcre, dia do professor, presente professor.

 

O projeto “Presente, Professor!” foi idealizado pela Coordenadora da 6.ª CRE, professora Rejane Faria. Ele tem por objetivo valorizar o professor da escola pública em seu fazer diário, destacando sua importância na formação de todos os profissionais que atuam na sociedade. Está previsto para acontecer, anualmente, em outubro, na semana do dia do professor.

 

Prof,ª Rejane Faria (destaque amarelo) foi aluna da E. M. Max Fleiuss

 

A professora Rejane Faria apresentou o projeto “Presente, professor!” para toda a comunidade da 6.ª CRE com o propósito de convidar a Sociedade Civil, o Legislativo, Executivo e Judiciário a voltarem nas Unidades Escolares em que estudaram em sua infância e/ou juventude, no período que compreende a semana do professor (15 de outubro) para agradecer e destacar a importância deste profissional na sua formação e para a sociedade. 

Como este ano, o dia do professor caiu em um domingo, o projeto foi realizado na semana de 16/10 a 20/10. A Coordenadora da 6.ª CRE visitou a E. M. Max Fleiuss e a E. M. Comandante Arnaldo Varela, escolas em que estudou em sua infância e juventude.Hoje voltei nas Unidades Públicas em que estudei para agradecer. Levei uma maçã e um girassol para entregar ao professor mais antigo da unidade, simbolizando todos os que ali atuaram ou atuam. Fui na E. M. Max Fleiuss e E. M. Comandante Arnaldo Varela. Na Arnaldo estive com Dona Elba, que lembrou de mim. Muita emoção! Chorei muito! Recebi de presente uma linda caixa com um desenho do prédio feito por um aluno e minha ficha foi resgatada. Foi um dos melhores presentes da minha vida! Estou extremamente feliz! Agradecida Dona Elba! Gratidão aos professores que contribuíram em minha formação. Salve a Escola Pública e a excelência de seus profissionais! Presente, professor! Nós somos a SME Carioca! Nós somos a SeXta CRE!”relato emocionado da prof.ª Rejane Faria.

 

E.M. Comandante Arnaldo Varella

 

As demonstrações de carinho nas redes sociais para com Dona Elba e as escolas visitadas foram gratificantes! Confiram algumas delas:

“Que lindo! Emocionante! Dona Elba também foi minha professora inesquecível!” Cristina Oliveira (professora e integrante da equipe da 6.ª CRE/ AAI)

“Saudades dos amigos da Comandante Arnaldo Varela! Elba .... mais que professora ... EXEMPLO! Fico feliz por ter sido sua colega de trabalho!”Elaine Simões (professora e diretora da E. M. Mário Piragibe)

“Muito bonita a iniciativa. Nós e as escolas que amamos. Referências para uma vida toda.”Márcia Elisa Rendeiro Oliveira (professora e integrante da equipe da 6.ª CRE/ GED)

“Estudei na Arnaldo Varela e só tenho ótimas recordações. Professores nota 1.000!”Cláudia Brito (professora)

São esses momentos que impulsionam o professor a caminhar. Não tem preço!” Denise Macieira (professora)

“Obrigada pela flor Rejane Faria! Estas foram as primeiras escolas que trabalhei: 1970, Max Fleiuss e 1971, Arnaldo Varela. Gratidão!” Cida Custódio (professora)

 

E.M. Max Fleiuss

 

“Show! Também fui aluna da Max Fleiuss e depois professora desta unidade. Salve a rede pública!” Amélia Oliveira (professora)

“Rejane Faria, eu amei a ideia! Parabéns! Vou fazer o mesmo na E.M. França, escola na qual estudei todo meu ensino fundamental.” Mônica Maria (professora)

A E. M. Mestre Valentim, localizada em Pavuna, também aderiu ao projeto “Presente, professor!”. Segundo a professora Luciana Moura, diretora da Unidade Escolar, foi um momento muito especial e de grande emoção. “Temos três funcionários que foram alunos de nossa escola. Tia Deuzemar, que recebe todos tão bem logo no portão. O professor Régis, de Educação Física, que os pequenos amam. Heloísa Helena, que nos ajuda a preparar nossos desejos mais loucos. É a escola pública dando bons frutos! E detalhe: todos amam a nossa escola, têm recordações muito especiais. E também recebemos a visita de alguns alunos que já passaram por aqui, mas vieram nos agradecer e abraçar de uma maneira toda especial. Obrigada professora Rejane Faria por nos sugerir um momento de tão boas recordações. Ficamos sabendo de cada história da nossa U.E. que nem sabíamos e algumas práticas relatadas que vamos até retomar. Nós somos a SeXta CRE!”declaração da diretora da E. M. Mestre Valentim

 

E. M. Mestre Valentim

 

E aí, lembrou do seu professor inesquecível? Lembrou da escola em que estudou na infância, na adolescência ou na fase da juventude? Possivelmente, você deve estar lembrando de cada detalhe sobre o modo como ele atuava e dos ambientes de sua escola.

Com certeza eles ajudaram a transformar sua vida e a de muitas crianças e jovens. Nosso respeito, agradecimento, reconhecimento e amor aos colegas, professores da SeXta CRE, que doam muito mais do que conhecimento. Acreditam e diariamente constroem uma escola pública de qualidade e excelência para todos e cada um. Nosso imenso respeito! Feliz dia do professor!!!

 

Quer saber um pouco mais sobre o projeto “Presente, Professor!”?

Entre em contato com a 6.ª CRE! 

6.ª Coordenadoria Regional de Educação

E-mail: cre06@rioeduca.net

Telefone: 3017-6989

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/11/2017

Aquisição de Linguagem Oral pela criança surda

Tags: surdez, artigo.

 

 

Aquisição de Linguagem Oral pela criança surda: qual o papel que a família e a escola desempenham nesse processo? Na minha opinião, ambas têm papel fundamental, e foi por isso que encomendei este post à fonoaudióloga Mônica Campello.

“Sendo um universo que sempre me fascinou desde a infância marcada pelo convívio frequente, a Fonoaudiologia foi o caminho que encontrei para estar mais próxima dos meus amigos surdos e promover o contato entre nós através da língua portuguesa. Relevando o lado polêmico que o aprendizado da língua portuguesa oral por surdos muitas vezes evoca, me emociona e sou tomada por uma alegria recompensadora quando crianças surdas que atendo começam a emitir, com propriedade, suas primeiras palavras.

Sabemos que os primeiros dois anos de uma criança são um período de audição passiva; um período de escuta, onde ela conhece e compreende uma língua para então poder emiti-la. A criança surda, de uma maneira geral, a partir do momento que faz uso do Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) ou a do Implante Coclear (IC), precisa também passar por esse período de escuta, por meio da tecnologia, para começar aprender a se expressar oralmente, também.

 

Português ou Libras?

 

É necessário esclarecer que aprender a Língua Portuguesa oral não impossibilita o aprendizado da Língua Brasileira de Sinais (Libras) ou vice-versa. Por isso ressalvo o também (ou seja, as duas línguas, sinais e oral). A partir do momento que temos essa compreensão que são duas línguas distintas e que podem fazer parte da realidade de muitas pessoas surdas, o aprendizado sendo o mais precoce possível, se torna real e pode acontecer. Bem, mas também temos conhecimento de casos onde por algum motivo, a linguagem oral pode não se desenvolver ou se desenvolver aquém do esperado, mas essa é uma outra conversa.

Hoje, aqui, neste espaço, vamos falar sobre a linguagem oral e como os pais e a escola desempenham papéis importantes para que ela comece a acontecer no dia a dia do convívio familiar, escolar e terapêutico.

Levando em consideração que em apenas aproximadamente 3% do tempo a criança está em terapia, enquanto passa 97% do seu tempo com a família e na escola, temos que sensibilizar os pais e/ou responsáveis sobre a importância de terem atitude de escuta cultivando, neles e na criança, o hábito de promover percepção auditiva em situações do dia a dia em seus lares e na escola. Desenvolver as habilidades mentais superiores para obter conhecimento sobre o mundo só é possível a partir do momento que vivenciamos situações naturais, para que possamos desenvolvê-las a partir da experiência vivida. Com isso, vamos dar atenção e maximizar a função auditiva, que surge a partir do momento que a criança é exposta ao mundo sonoro, fazendo com que por meio da tecnologia a criança aprenda a escutar e a falar.

A criança deve ser estimulada o quanto antes na descoberta de que ter acesso ao mundo sonoro, dentro de suas possibilidades fisiológicas, pode lhe dar prazer e para isso é necessário que use constantemente seu dispositivo eletrônico, só o tirando para tomar banho ou dormir, para que a escuta aconteça preparando-a para emissão de suas primeiras palavras.

 

O ambiente escolar e familiar

 

O ambiente familiar e escolar são tão ricos de recursos e situações de escuta que devemos aproveitar sempre as oportunidades que surgirem para que ela aconteça. A criança irá aprender, por exemplo, por meio de analogias; olhando, comparando, relacionando e associando, sendo que o processo cognitivo afeta como ouvimos e a forma como qual ouvimos afetará todo esse conhecimento. Ao falarmos com a criança surda devemos sempre oferecer pistas visuais para que se torne mais fácil o entendimento por ela sobre o assunto que estamos falando.

Em casa ou na escola temos infinitas possibilidades no dia a dia para que a linguagem compreensiva e expressiva aconteça, como exemplifico a seguir:


A aprendizagem deve ser gostosa

 

É importante lembrarmos que toda experiência de aprendizagem deve ser gostosa, agradável e trazer diversão à criança. Quanto mais a criança participar ativamente de vivências prazerosas, mais aprendizado acontecerá. E durante essas brincadeiras e atividades devemos estimular sempre sua produção verbal ou repetição (exemplo): Olha, a Vovó chegou!!! Oi Vovó! Vovó! …de forma a encorajar essa produção oral que inicialmente poderá não ser tão perfeita, mas que com certeza será modulada permitindo-nos constatar que o input auditivo estará acontecendo.

Nas fases mais precoces nossa fala com a criança deve ser bem melodiosa e quando o bebê começar a balbuciar, os pais podem repetir esse balbucio adicionando novos sons, pois dessa forma estará oportunizando a criança ouvir também sons diferentes daqueles que começa a produzir.

A criança surda mais nova que atendo, agora com um ano e sete meses, com perda neurosensorial profunda bilateral, aguardando cirurgia de implante coclear, iniciou atendimento precoce logo após o diagnóstico, quando também iniciou o processo de adaptação de seus Aparelhos de Amplificação Sonora Individual (AASI). Suas vocalizações estão cada vez mais ricas com fonemas diversos e ela já utiliza algumas produções orais melódicas contextualizadas para nos fazer entender seus desejos.

Ao ver um cachorro o identifica vocalizando o “au au”; ao querer alguém perto dela, emite também chamando com suas pequenas mãozinhas! (v)em! (v)em! e essa comunicação nos encanta. Os pais participam dos atendimentos. No primeiro contato com a escola conversamos durante duas horas com os profissionais e os pais sempre trazem novidades observadas em casa, vez ou outra acompanhada de um vídeo para ilustrar. Parceria total! Com certeza seu prognóstico é de sucesso, pelo comprometimento que pudemos observar de todos que a cercam e pelas vocalizações que a tornam cada vez mais tagarela.

Todo esse trabalho direcionado para o desenvolvimento da fala é muito rico, sendo que para que aconteça é necessário que a criança seja, o mais brevemente possível, exposta a linguagem oral. A cognição, a linguagem, a fala e as funções comunicativas e habilidades conversacionais devem ser desenvolvidas por meio de um trabalho sistemático voltado para as habilidades auditivas e com a parceria importante e fundamental da família e da escola. Ah, cercado também de muito amor e certeza de que a criança surda é – sim – capaz de ganhar o mundo se comunicando e se fazendo entender por todos nós. Lembrando que este destaque é para as possibilidades de desenvolvimento de linguagem oral.

Beijos e até a próxima!”

____________________________________________________________

 

FONTE: http://cronicasdasurdez.com/linguagem-oral-crianca-surda/


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/11/2017

Sobre a eleição de diretores e a paralisação

 

Assim que possível, farei um breve relato da viagem à Alemanha, onde mantive dez reuniões sucessivas com autoridades educacionais de todos os níveis, visitei escolas, inclusive bilíngues, e obtive grande quantidade de informação relevante. A viagem foi feita a convite do governo alemão, sem ônus para a SME.

 

De volta às atividades normais, posto duas informações sobre a nossa rede.

 

1. O processo de inscrição de chapas para a eleição de diretores(as) e adjuntos(as) foi concluído nos últimos dias.


Tivemos 1.737 chapas inscritas em um total de 1.533 escolas. Não houve inscrições em apenas quatro unidades, nas quais as direções serão nomeadas.


Como todos sabem, a resolução que baixei, regulamentando esse processo, previa a concessão de excepcionalidades sempre que alguma chapa não preenchesse todos os requisitos definidos, mas os interesses da rede justificassem a inscrição. Dessa forma, tentei evitar que normas gerais produzissem uma rigidez excessiva, inviabilizando soluções locais, específicas, construídas em boa-fé e potencialmente positivas.


Tivemos 206 pedidos de excepcionalidades, examinados um a um pela CGG. Praticamente todos diziam respeito ao tempo de regência de turma ou de exercício de cargo comissionado por parte de um dos integrantes da chapa. Nenhum deles foi considerado abusivo. Todos foram aceitos.


Com o meu aval, o nível central não impugnou nenhuma das 1.737 chapas formadas nas escolas. A palavra final caberá às comunidades escolares, no próprio processo eleitoral.

 

* * * 

 

2. Foi apenas residual a adesão da rede à paralisação do dia 10 de novembro, definida pelo movimento sindical em torno de uma pauta nacional de reivindicações. A proposta foi encampada pelo Sepe. Três escolas nossas paralisaram totalmente suas atividades e duas o fizeram parcialmente, em um total de 1.537 unidades.

 

Atenciosamente,
Cesar Benjamin
Secretário
 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/11/2017

Projeto Contos, Cantos e Encantos da E.M. Barão do Amparo

Tags: 5ªcre, projeto, sala de leitura, .

 

A Escola Municipal Barão do Amparo com o Projeto Contos, Cantos e Encantos, desenvolvido pela Sala de leitura, trabalhou não somente o gosto pela leitura, mas várias questões relacionadas ao desenvolvimento do ser humano como um todo, em todos os seus níveis de complexidade. Confira!

 

 

Durante o ano letivo, os alunos foram motivados e possibilitados, através do Projeto Contos, Cantos e Encantos, à vivenciarem momentos especiais, compartilhar ideias, desenvolver a autonomia, a autoestima, a criatividade, ampliar conhecimentos e a oralidade, melhorar o desempenho escolar e de maneira prazerosa, lúdica e interativa aprender sobre a Literatura, a Pintura, a Música, a Escultura, a Dança, a Fotografia e o Cinema, ressaltando as Artes em todas as suas dimensões, pois a Arte é capaz de reunir todas as dimensões humana: a emotiva, a racional, a musical, a corporal.

 



No dia 29 de setembro de 2017, em uma linda e agradável tarde de primavera, com muito orgulho e prazer, recebemos na E.M. Barão do Amparo a visita do ator, cantor, compositor ... SÉRGIO LOROZA que gentilmente aceitou o convite para a Culminância do Projeto.

 

 

Sérgio Loroza foi o artista escolhido para receber homenagem por ser um artista completo, que se comunica brilhantemente através de todas as suas aptidões artísticas. O querido ator é exemplo de perseverança, um orgulho por ser fruto de Escola Pública, uma pessoa que progrediu com o seu estudo, esforço e seu notável talento pela Arte. Um ótimo exemplo de que vale a pena estudar e acreditar em nossos sonhos e aptidões artísticas, seja na Dança, na Literatura, na Música, na Pintura, no Teatro... e a escola é um espaço propício para que habilidades sejam descobertas, incentivadas e desenvolvidas.

 

 

Alunos, professores e funcionários tiveram a oportunidade de conversar com o Sérgio Loroza que já atuou em várias novelas da Rede Globo, participa de muitos programas de TV, atuou em diversos filmes e peças de teatro. Participou da Dança dos Famosos, no Domingão do Faustão, e com a sua bela e marcante voz, tem vários CDS gravados, já foi cantor do Monobloco e cantou no último Rock in Rio (set-2017), dublou nos filmes Mogli 2 (canções) e Madagastar 2, o rinoceronte Moto Moto. Atualmente, está atuando na minissérie Filhos da Pátria, na Rede Globo.

Sérgio Loroza recebeu muito carinho, aplausos e mimos e nos encantou com a sua gentileza, simpatia, alto-astral e história de vida.

 

 

Os alunos da Educação Infantil, orientados pelas Professoras Elayne e Luciana, deram as boas-vindas ao ator e fizeram duas lindas apresentações com danças folclóricas, para agradecer a visita.

 As turmas 1.203 e 1.303, orientados pelas professoras Adriana Maia e Simone e a coordenadora Carmem, apresentaram uma linda música, “Pescador de ilusões” (O Rappa), para homenagear o cantor.

Para agradecer o carinho do ator, a Profª Gemma e seus alunos da turma 1.302, presentearam-no com uma linda caricatura, feita pela professora, e emoldurada.

A aluna Nicole Souza Gomes, da turma 1.502, também fez questão de presenteá- lo com uma caricatura feita por ela.

O time de coração do ator Serjão Loroza também foi lembrado, recebendo um presente personalizado da aluna Taila Luiza, da Educação Infantil.

No final do evento, fomos presenteados por duas lindas músicas cantadas pelo cantor, acompanhado pelo nosso aluno percussionista Arthur Rodrigues, da turma 1.502. Foi um momento muito alegre e descontraído!

 

 

Agradecemos imensamente a presença do Sérgio Loroza, tendo a certeza de que será inesquecível e motivadora para todos os meninos e meninas da escola, futuro desse país que precisa de gente de valor, esforçada, talentosa, tão quanto o nosso homenageado.

 

Parabéns pelo trabalho da Sala de Leitura e de toda a equipe da escola, que primam pela excelência e pela qualidade da educação!

 

Sobre a escola:

DIRETORAS: Eloisa Silva e Sheila Rabello
COORDENADORA PEDAGÓGICA: Carmem Rita Barbosa
Telefone da escola:30182319 / 30182463
Telefone pessoal: 996517159
Endereço: Rua Ana Teles 30, Campinho
Blog da escola: baraodoamparo.blogspot.com.br
Responsável pela Sala de Leitura: Marcia Brum
Email pessoal: Marcia-brum@hotmail.com
Email da escola: emaparo@rioeduca.net


 

  


   
           



Yammer Share