A A A C
email
Retornando 54 resultados para o mês de 'Dezembro de 2013'

Segunda-feira, 09/12/2013

A Incrível Viagem da Família Aço

Tags: 6ªcre, rioeduca.

No dia 21 de novembro, o CIEP Glauber Rocha realizou a atividade O Teatro Vai à Escola com os alunos da Educação Infantil ao 5º ano. Essa ação teve por objetivo principal utilizar a linguagem teatral a serviço da aprendizagem.

 

Trazer o teatro para a escola é uma ótima opção para divertir os alunos e, ao mesmo tempo, construir a aprendizagem de vários conteúdos de forma interdisciplinar. Quando assistimos a uma peça teatral somos convidados a conhecer outros mundos. A fantasia e a imaginação estimulam a capacidade criativa da criança. Ao mexer com suas experiências particulares, o espetáculo também os ajuda a entender melhor a si mesmo.

 

O teatro é um exercício de comunicação com o espectador. Ele exige que se pense sobre aquilo que está vendo. Nos pequenos, isso desenvolve a autonomia. Por isso, a equipe pedagógica do CIEP Glauber Rocha resolveu levar o teatro até a escola. O objetivo principal dessa ação foi utilizar a linguagem teatral a serviço da educação, buscando oportunizar aos educandos um conhecimento diversificado e lúdico.

 

O SESC (Serviço Social do Comércio) foi o grande parceiro da unidade escolar na atividade. Ele levou a peça teatral A Incrível Viagem da Família Aço para os alunos e professores. O espetáculo foi apresentado aos alunos no dia 21 de novembro e contou a história da família Aço, formada por Aço Júnior (Lú Gatelli), Pai Aço (Marcelo Gatelli), Vovó Aço (Ligia Dechen) e Vovô Aço (Richard Goulart). 

 

A peça recebeu o prêmio Zilka Sallaberry de melhor espetáculo infantil em 2008.

 

É aniversário de Aço Júnior e o menino faz um pedido especial a seu pai: ele quer encontrar sua mãe. Pai Aço diz que ela está em um lugar muito bonito e assim, o filho decide sair Brasil a fora para encontrá-la.

 

A aventura começa em Minas Gerais com Pedro Malazartes. Com seu novo amigo, o menino ouve causos e navega pelo rio São Francisco em direção à Bahia. Ao desembarcar em Salvador recebe, de uma baiana, muitos presentes, come um delicioso acarajé e segue rumo à Pernambuco. Lá conhece o Zé Molenga, um repentista que lhe apresenta o teatro de mamulengos e a literatura de cordel.

 

A viagem continua na Paraíba e no Maranhão, onde Júnior conhece Catirina, uma simpática menina que mexe com seu coração e apresenta-lhes as belezas da região. Cavalga às margens do rio Tocantins em direção à região sul do país. No pampa gaúcho, vive a lenda do Negrinho do Pastoreio e conhece a padroeira do Brasil, que emociona a todos com o desfecho dessa viagem.

 

Os benefícios do teatro também se refletem em sala de aula. A capacidade de concentração e o constante exercício de memorização podem ajudar na hora da prova, enquanto o contato permanente com a literatura melhora o vocabulário, a escrita e a interpretação de texto.

 

Com o teatro, a criança desenvolve o espírito investigativo e curioso, necessário para encontrar soluções criativas para os jogos teatrais.

 

A  vivência com a linguagem teatral possibilita que a criança perceba sua capacidade em pensar soluções, experimentar caminhos, vivenciar o diverso e aprender com o outro.

 

Por ser uma atividade coletiva, o teatro também aprimora a convivência em grupo. O sucesso de todos depende do trabalho de cada um. Por isso, é importante aprender a lidar com o colega, saber expor ideias e críticas e principalmente aprender a respeitar a opinião dos outros.

 

Personagens, lendas e crendices do povo brasileiro desfilaram para os alunos do CIEP Glauber Rocha. E, assim, a Família Aço consegue contar ao menino, com muita delicadeza e imaginação, que sua mãe não se encontra mais entre eles.

 

O sucesso desse espetáculo foi notório entre alunos e professores. A emoção tomou conta de todos! Além de trabalhar um tema delicado para o universo infantil, a perda, vários conteúdos trabalhados em sala de aula puderam ser abordados e potencializados através da história.

 

Parabéns à equipe do CIEP Glauber Rocha por trabalhar com os alunos de forma tão divertida e criativa. Levando a linguagem teatral à sala de aula, vocês estão contribuindo para o desenvolvimento cultural e intelectual dos educandos. É um orgulho ter o trabalho de vocês no Portal Rioeduca!

 

Quer conhecer um pouco do trabalho do CIEP Glauber Rocha? Visite o seu blog clicando AQUI! Até a próxima semana!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

E-mail: pferreira@rioeduca.net

Twitter: @Paty_PFF

 

                               

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 06/12/2013

Projeto CriÁrvore

Tags: 5ªcre, projetos.

Em comemoração ao dia da Árvore e ao início da Primavera, o Centro de Educação Ambiental, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, criou o Projeto CriÁrvore para que alunos da rede municipal de ensino sejam agentes na “criação” de árvores. O EDI Buriti Congonhas aderiu a essa ação!

 

O Centro de Educação Ambiental (CEA), da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC) ofereceram às crianças, jovens, professores e funcionários das unidades educacionais da Rede Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro a oportunidade de serem agentes na “criação” de árvores, presenciando a germinação e o desenvolvimento das sementes até a sua plenitude, em comemoração ao dia da Árvore e ao início da Primavera.

 

 

O Projeto CriÁrvore consiste na distribuição de sementes de árvores nativas da Mata Atlântica para a produção de mudas pelos alunos e professores. Cada escola ou professor inscrito no projeto receberá um kit contendo as sementes e o manual que ensina o passo a passo das etapas. O objetivo principal é conectar a rede municipal de ensino ao processo de desenvolvimento de uma árvore de modo que os alunos presenciem a germinação e o desenvolvimento das sementes até a sua plenitude.

 

Com esse projeto, os professores podem oferecer às crianças atividades interdisciplinares, mostrando a relevância da valorização das árvores, além de torná-los agentes responsáveis pela criação e transformação da sua realidade, crescendo junto com as sementes plantadas ao acompanhar o desenvolvimento das mesmas.

 

 

O CriÁrvore e o Espaço de Desenvolvimento Infantil  Buriti Congonhas

 

“Foi com muita alegria que o Espaço de Desenvolvimento 05.15.807 Buriti Congonhas se inscreveu para participar do projeto CriÁrvore. Atualmente, é imprescindível que a educação, de uma forma interdisciplinar, aborde o tema do meio ambiente para que as crianças possam aprender a valorizar as leis da natureza e a cuidar dos nossos recursos naturais, promovendo o desenvolvimento sustentável em longo prazo”, relata a professora Luciana Prietos, diretora do EDI Buriti Congonhas, localizado à Rua Das Flores, na Vila Emília, Comunidade Buriti, no bairro de Madureira.

 


 

Sobre o projeto CriÁrvore, a professora Luciana nos conta que, nas rodas de conversa que aconteciam no espaço do EDI, professores e alunos se perguntavam o que é meio ambiente e como eles poderiam colaborar com a natureza? Descobriram que as árvores nascem e crescem a partir de uma semente e que precisam ter o cuidado ao plantá-las e também de regá-las todos os dias.

 

 

“Então cada aluno fez a sua parte plantando uma semente e toda a equipe do EDI está cuidando com muito carinho para que essa semente possa se tornar uma linda árvore”, diz a professora Luciana.

 



 

Segundo a equipe, a Educação Ambiental deve ser parte integrante da realidade da Educação Infantil por meio do desenvolvimento de temáticas, com atividades práticas e didáticas para que as crianças possam conhecer e perceber os problemas ambientais de seu bairro e despertar, também, o interesse para as questões ambientais. A partir do projeto CriÁrvore, pode-se realizar atividades voltadas para o meio ambiente, como conscientizar sobre o plantar, a água e os cuidados com o meio ambiente, além de preservar o local onde vivem.

 

 

“A proposta do Projeto está sendo bastante positiva, pois os alunos em todo o tempo estão bem interessados, participando ativamente das atividades”, finaliza a professora Luciana Prietos, gerente desta equipe maravilhosa que faz parte do Espaço de Desenvolvimento Infantil Buriti Congonhas.

 

Parabéns a este grupo fantástico que, além da integração que observamos no trabalho do EDI Buriti, mantém um grupo na rede social Facebook, https://www.facebook.com/groups/499290263427282/?fref=ts , onde se manifestam com sugestões de atividades e grande interação.
 

Regina Bizarro é professora representante do Portal Rioeduca/5ªCRE.

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net
Twitter: @rebiza

Rioeduca/5ªCRE no Facebook:

https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

 

                               


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 06/12/2013

Caça Palavras na Zulmira Telles - 10ª CRE

 

A professora Leda Regina Figueiredo Espindola fez com seus alunos do 3º ano uma atividade ressaltando a importância e a consciência do reaproveitamento. Os alunos aprenderam, além de valores, que é possível se divertir, aprender e preservar a natureza.

 

A Escola Municipal Professora Zulmira Telles da Costa, localizada em Santa Cruz, possui os grupamentos de atendimento educacional da Educação Infantil ao 5º ano.


Foi solicitado aos alunos que, por uma semana, procurassem os materiais que seriam utilizados para confeccionar o caça palavras. Tudo foi produzido pelos alunos, desde a mão de obra até a elaboração das palavras trabalhadas pala turma no decorrer de outras atividades.

 

Alunos se preparando para as atividades de reaproveitamento.

 

Vamos acompanhar o processo de criação:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dessa forma, a turma 1301 teve uma aula diferente e cheia de conteúdo, em que a Professora Leda conseguiu mostrar para os alunos que existem várias formas de aprender dentro e fora da sala de aula.

Suelen Corrêa
é professora da rede municipal de ensino e
representante do Rioeduca da 10ª CRE

Contatos:
suelencorrea@rioeduca.net
twitter: SuelenCorrea29

 


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 05/12/2013

A Nerval de Gouveia Numa Onda Musical

Tags: 4ªcre, projetos.

 

O encerramento de um projeto didático deve dar visibilidade ao aluno do processo de aprendizagem pelo qual passou. Também deve apresentar o trabalho da turma para comunidade e pais, que são estimulados a perceber o avanço de seus filhos.

 

 

"Todo projeto supõe ruptura com o presente e promessas para o futuro. Projetar significa tentar quebrar um estado confortável para arriscar-se, atravessar um período de instabilidade e buscar uma estabilidade em função de promessa que cada projeto contém de estado melhor do que o presente. Um projeto educativo pode ser tomado como promessa frente determinadas rupturas. As promessas tornam visíveis os campos de ação possível, comprometendo seus atores e autores."  

GADOTTI (Apud Veiga, 2001, p. 18)
 

Tal evento só cumprirá esse papel se estiver prevista uma exposição dos objetivos de cada atividade realizada, dos registros das várias versões do produto final e das fotos que ilustram o processo. Além disso, das dramatizações realizadas pelos próprios alunos.

 

Devemos ter claro que a participação dos alunos na culminância deve ter caráter pedagógico, em que a interação dos alunos é essencial, incluindo a definição de critérios para a exposição de todo o material.

 

Como a Escola Municipal Nerval de Gouveia realizou esse Trabalho

 

"A professora Denise, juntamente com as turmas 1.401 e 1.502, em uma homenagem aos cem anos de Vinícius de Moraes no evento Nerval, numa onda musical".

 

 

O professor deve estar atento às aquisições dos alunos durante todo o processo desse trabalho, como por exemplo a socialização, a interação, a participação e o conhecimento que o aluno demonstrou com as atividades e com os seus colegas.

 

Assim, falar da culminância de um projeto pedagógico é falar do planejamento no contexto de um processo participativo, no qual o passo inicial é a elaboração do marco referencial, sendo este a luz que deverá iluminar o fazer de todos os envolvidos.

 

"A Turma 1403, junto com a Professora Sheila, cantaram uma paródia de Garota de Ipanema Ficou show! Parabéns, professora e alunos."

 

 

A Escola, em sua função socializadora, é difusora de valores e atitudes, quer tenhamos consciência disso, quer não. Todo Espaço de Ensino não deve ser alheio às dinâmicas sociais. É importante que haja propostas em relação aos temas relevantes, também do lado de fora de seus muros - já que eles se reproduzem, em maior ou menor escala, em seu interior. 

 

 

Parabéns a todos da equipe da Nerval por promover uma ação articulada entre todos os envolvidos no processo de aprendizagem com a própria realidade da escola. E mais, por ser esse um trabalho construído continuamente.

 

Professor, queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola. Aproveite este espaço que é feito para nós!

Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe

 


Professora Ana Accioly
 Representante Rioeduca.net da 4ª Coordenadoria Regional de Educação
anaaccioly@rioeduca.net
Twitter: @Ana_Acioly

 

COMPARTILHE E COMENTE!

 

 

                              

 

 

 


   
           



Yammer Share