A A A C
email
Retornando 63 resultados para o mês de 'Dezembro de 2014'

Segunda-feira, 08/12/2014

Encontros do Bem

Tags: 6ªcre, professores, responsáveis.

 

 

 

No segundo semestre, o CIEP Glauber Rocha realizou o projeto "Encontros do Bem" com os responsáveis e alunos da unidade escolar. Vamos conhecer um pouco mais esse trabalho?

 

O projeto Encontros do Bem tem por objetivo otimizar a participação dos responsáveis no dia a dia da escola e, assim, estimular e resgatar os vínculos afetivos entre os personagens que fazem a educação acontecer: professores, alunos, responsáveis e todos os outros elementos que compõem o universo escolar.

 

A equipe gestora organizou encontros mensais ou quinzenais com os responsáveis para incentivá-los a participar da vida escolar das crianças. A cada reunião, uma pesquisa era feita para verificar a disponibilidade de data e horário que atenderia melhor os pais.

 

De posse dos dados dessa pesquisa, era hora de dar o próximo passo: o sorteio dos responsáveis que seriam convidados a participar da reunião. Quando o encontro era para a escola toda, dois responsáveis eram sorteados de cada turma, totalizando quarenta pessoas. Se fosse para anos específicos, sorteava-se um grupo de pais, totalizando vinte e cinco pessoas.

 

O primeiro encontro foi realizado no mês de agosto e a unidade escolar aproveitou a oportunidade para estabelecer vínculos com os pais dos alunos, em função do Dia dos Pais. Nessa reunião, foram convidados quarenta responsáveis de alunos. Foi um momento de muito afeto, elogios, sugestões e de exposição do ponto de vista de cada um sobre a importância da parceria entre a família e a escola.

 

O projeto "Encontros do Bem" está fortalencendo a parceria entre a família e a escola.

 

O Diretor Geral do CIEP Glauber Rocha, professor Marcelo, deu as boas-vindas aos presentes. Em seguida, a professora Cristiane, da turma 1502, leu o texto “Faça a Diferença!”. Nele, ela procurou mostrar que a família pode fazer a diferença na vida de seus filhos, participando e contribuindo dos pequenos momentos.

 

A Agente Educadora Danuza realizou um momento de oração para agradecer a presença de todos e, em seguida, fez uma atividade para aproximar pais e filhos. De olhos vendados, os adultos receberam uma agradável massagem dos seus filhos, embalados pela música “Meu pai, meu amigo”, de Cristina Mel. Após a massagem, a venda foi tirada e todos foram tomados de emoção ao verem pais e filhos se abraçando. 

 

O último momento deste encontro foi marcado por muita agitação e alegria. A professora de Educação Física, Taís, e o Diretor do CIEP, professor Marcelo, organizaram várias brincadeiras entre pais e filhos. As atividades desenvolvidas ajudaram a estreitar ainda mais as relações afetivas e, principalmente, auxiliar no desenvolvimento educacional das crianças.

 

Brincadeiras entre pais e filhos ajudam e estreitar e fortalecer os vínculos afetivos.

 

É no aconchego da família e da escola que a criança vai construindo seu caráter, se socializando, se educando para enfrentar a realidade e as dificuldades na sociedade, tornando-se uma pessoa consciente e crítica. Tanto família, quanto escola influenciam nas atitudes das crianças. 

 

Elas buscam respeito como gente que pensa, age, ama e sofre. A educação torna-se a ligação da família e da escola, com a esperança de um presente e futuro menos doloroso, modificando a cultura e os costumes da sociedade com maior percepção de seus direitos, deveres e a liberdade como cidadãs.

 

Na família e na escola, onde existe o amor que dialoga, o amor que abraça, que perdoa, que ouve com os ouvidos do coração, que auxilia as crianças a aprender valorizar e a ter projetos de vida, lutar e procurar manter acesa a chama do amor em todos os seus atos e atitudes é possível construir uma consciência crítica, capaz de enfrentar as dificuldades e ir à busca de um mundo em que prevaleça a justiça.

 

Parabéns a toda equipe do CIEP Glauber Rocha e a todos os responsáveis! Vocês fazem a diferença na vida dessas crianças! É um orgulho tê-los na 6ª CRE!

 

Você quer ver a sua história publicada no Portal Rioeduca? Entre em contato com a professora representante de sua CRE! Até a próxima semana!

 

Prof.ª Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª CRE
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

 


 

                        

 

 

      


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/12/2014

A Arte de Encontrar Amigos

Tags: 5ªcre, eventos, talentosdarede.

 

Elisabete Novaes é professora da Rede Municipal há mais de 35 anos. Está aposentada em uma matrícula, mas continua na segunda como professora regente. Faz passeios e eventos com grupos para teatros, cinemas, museus e é muito querida na 5ª CRE. Elisabete é excelente alfabetizadora e mais um Talento da Rede!

 

Elisabete Figueiredo de Lemos Novaes é professora da Rede Municipal há mais de 35 anos e possui duas matrículas, uma aposentada e outra regendo turma na Escola Municipal 05.15.038 França. Tem fincado seu coração no Espaço de Desenvolvimento Infantil 05.15. Rocha Pombo, onde trabalhou durante 23 anos.

Nas duas escolas, Elisabete criou um vínculo de amizade e companheirismo. As professoras Marília Leal e Carla Maria da Fonseca, ambas dirigentes respectivamente das escolas França e Rocha Pombo, são suas admiradoras. Segundo a professora Elisabete, tanto a professora Marília, quanto a professora Carla, além de serem suas amigas, são grandes incentivadoras, pois valorizam o seu trabalho como alfabetizadora.

 

Professora Elisabete e sua turma do 1º ano na E. M. França.

 

 

Talento na Arte de Encontrar de Amigos


Tudo começou em 2009, após a professora Elisabete Novaes ter percebido que grande parte do seu círculo de amizades já estava aposentado ou não dispunha de companhia. Dessa forma se isolavam, quase não saíam de casa e, quando saíam, era para ir a visitas ou festividades familiares. Assim, o círculo de amizades tende a diminuir e a maioria dos antigos amigos de serviço fica afastada. Além disso, a internet ainda é “um bicho papão”.

Nesse momento, ela resolveu ampliar o que chama de “A arte do encontro”, expressão dada por um amigo em homenagem pela comemoração dos seus 60 anos.

“Quando digo ampliar é porque eu já mantinha, ou melhor, mantenho há mais de 25 anos um grupo de amigos em torno de uma 'Poupança em Grupo', com o qual passeamos duas vezes ao ano, além de realizarmos brincadeiras durante o ano visando brindes sem bônus financeiro, apenas prazerosamente”, relata a professora Elisabete.

Entretanto, ela não queria apenas um grupo de passeios para a terceira idade, tinha que ser algo mais profundo e abrangente, algo que também unisse gerações.

Pensando num dia em que os amigos poderiam matar saudades para rirem juntos, para rever aquele amigo que há muito não via, para os que estivessem no dia a dia do trabalho, para aqueles que quisessem fazer coisas fora da rotina; para os que quisessem renovar forças e ideias trocando experiências de vida, fazendo novos amigos, renovando amizades perdidas com o tempo. Por tudo isso, resolveu criar um grupo.

 

Percebendo a necessidade das pessoas serem felizes


“Também percebi que um grupo de pessoas da terceira idade tinha necessidades de fazer as mesmas coisas de outras de qualquer idade, para se divertirem. Percebi e pensei que muitas não saíam de casa não por falta de dinheiro, mas por falta de companhia mesmo, de alguém que as levassem ou até mesmo que quisesse sair com elas”, diz Elisabete.

Elisabete, enfim, queria algo que proporcionasse autonomia e liberdade para as pessoas irem aonde desejassem e sem precisarem de outras para levá-las a programas culturais.

Juntando todo esse emaranhado de constatações, a professora começou, timidamente, a reunir pessoas para irem a Teatros, Shows, Museus, Feira dos Nordestinos em São Cristóvão, passeios culturais ou somente para compras, como em Petrópolis, jantares acompanhados de Teatros ou Cinemas...

 

 


Passeios e compras com os grupos

 

E ela continua: “com o passar do tempo notei fatores que ocorriam decorrentes destes passeios, como autonomia (já citado), autoestima (as pessoas se arrumando mais e preocupando-se com vestimentas e acessórios para os passeios), incentivando nas pessoas a leitura, sentindo necessidade de se manterem atualizadas para saberem onde queriam ir, acontecendo assim um estímulo ao intelecto”.

“Muitas amigas pensam render este trabalho bons lucros, mas não é bem assim. Não no meu caso! Ainda leciono e por vezes tenho que me desdobrar para manter essa atividade, que longe de me dar o retorno financeiro que muitos pensam, é muito prazeroso para mim. Algumas vezes, além de não receber lucro algum, ainda tenho que bancar financeiramente os imprevistos: amigos que não pagaram e quase na véspera avisam que não podem ir após já ter comprados os ingressos. Mas enfim... Tudo isso compensa os objetivos sonhados e por mim alcançados”, relata a professora Elisabete Novaes.

 


Organização do grupo e do passeio

 

Segundo a professora Elisabete, a propaganda ou divulgação do passeio é feita boca a boca, pois apesar de anunciar através do Facebook e e-mail, muitas pessoas ainda possuem dificuldades diversas com o mundo virtual. Dessa forma os amigos que já fazem parte do grupo vão informando a outras pessoas.

“A seleção das atividades culturais acontece de acordo com o pedido ou gosto das pessoas que já fazem parte desse grupo, que por se tão diversificado em termos de idades e profissões, torna-se por vezes uma árdua tarefa. Pesquiso peças de teatro, filmes em salas de cinemas, restaurantes, passeios culturais. Após as pesquisas, monitoro pela internet e por telefone a data de início das vendas dos ingressos para garantir os melhores locais e assentos”, diz a professora Elisabete.

Segundo ela, as atrações de maior sucesso são as comédias, pois grande parte das pessoas do grupo diz que não querem pagar para chorar ou sofrer, querem mesmo rir.

 

 


 

Passeios culturais: teatros.

 


O grupo é composto, na sua maioria, por mulheres ou casais, embora alguns homens apreciem participar. É um grupo bem diversificado tanto em idades como em profissões. Neles engenheiros, professores que estão na ativa, e aposentados, donas de casa, diretores, administradores de empresas, merendeiras, inspetores, manicures, cabeleireiras, militares, etc.

 

 

Comemorações e atividades culturais.

 


Quanto à faixa etária participam das atividades culturais de adolescentes a senhoras de 85 anos de idade, incluindo senhoras viúvas que “bancam” seus passeios com suas aposentadorias. “É muito gratificante ver em algumas ocasiões a interação de gerações. A matriarca, a filha e a neta unidas em um mesmo passeio cultural”, relata a professora.

 

A avó, a neta e a filha num dos passeios.

 

 

Sentimentos se estabelecem nas relações pessoais

 

Elisabete nos conta que o carinho, a paciência e amizade que se estabelece é sempre gostoso de ver sentir. Por vezes senhoras com bengalas, com dificuldades para andar, é recebida com amor por todo o grupo presente.

“Emociono-me quando ouço confidências tipo: “eu nunca fui ao teatro”; “fico muito feliz porque agora eu passeio”; “obrigada Bete, por estar levando minha esposa a esses passeios, eu nunca tive tempo” e outros muitos agradecimentos”, diz a professora.

 


          Atividades culturais e comemorações. Na útima foto, a professora Elisabete com o cantor e                     compositor Benito de Paula.

 

E ela termina sua participação nesta matéria agradecendo a oportunidade desta troca de experiências com o Portal Rioeduca e acredita que sempre vale a pena dividir com alguém um pouquinho de experiência da vida.

Lindo!

 

Parabéns professora Elisabete Novaes e torcemos para que o sucesso esteja sempre em sua volta e que possa desfrutar da amizade das pessoas, oportunizando-as cultura.

 

Agradeço a professora Carla Maria da Fonseca, diretora do EDI Rocha Pombo, pela indicação da professora Elisabete Novaes para esta matéria.


 

Regina Bizarro _ Professora representante do Rioeduca/5ªCRE.

Acompanhe os Blogs das escolas e professores da 5ª Coordenadoria Regional de Educação, clicando aqui.

 

Curta, compartilhe e comente na nossa página no Facebook https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/12/2014

As Famílias do Jacarezinho

Tags: 3ªcre, projetos, família.

 

A creche Tia Andreza criou o subprojeto As famílias do Jacarezinho através do seu PPA 2014 para resgatar os valores da sua comunidade e valorizar a identidade das crianças.

 


A Creche Municipal 03.28.602 Tia Andreza está localizada no Jacarezinho e atende crianças de 1 a 3 anos e 11 meses de idade, agrupadas em turmas também por idade.

Segundo relatos, a creche começou a funcionar no local da antiga quadra da Escola de Samba do Jacarezinho, onde uma senhora da comunidade usava o espaço para realizar um serviço voluntário "tomando conta de crianças".

Inaugurada em 1992, a creche era gerenciada pela SMDS. Em 2003, foi assumida pela SME e seu trabalho passou de assistencialista para pedagógico, no qual o cuidar e o educar complementam-se.

Em 2008, começou a obra de reforma e modernização, que aconteceu até março de 2011. Nessa época, o atendimento era feito no CIEP Chanceler Willy Brandt. Hoje, no prédio original reformado, a creche realiza um trabalho pautado em projetos que objetivam a melhoria da qualidade de vida das crianças e da comunidade.

 


 

"Sendo a creche um espaço novo para a metade das famílias, é necessário desenvolver uma relação de confiança e respeito mútuos, que se dá no dia a dia, no trato afetivo, na construção de um ambiente acolhedor e harmonioso com todos. A troca de experiências e informações das famílias antigas com as novas também é uma preciosa estratégia para o acolhimento, pois vendo que o outro passou por situações parecidas e está bem, dá uma segurança maior para superar as dificuldades do começo e do percurso em si".

Justificativa da professora Andrea Carla Souto Guimarães, diretora adjunta da creche, através de seu PPA 2014: “O lugar onde eu moro: Jacarezinho”.

 


O projeto tem como objetivo principal conhecer as características da comunidade, das famílias e de cada criança da creche.


“As famílias do Jacarezinho”

 

A partir do diagnóstico final de 2013, realizado pelo grupo de trabalho, pelas famílias e pela comunidade, as maiores dificuldades encontradas durante o desenvolvimento foram: a falta de água, uma relação mais estreita com as famílias, a questão dos valores morais, além de higiene, saúde e afetividade.


"Constatamos que uma está relacionada com a outra e achamos conveniente resgatar a história da comunidade, valorizando a cultura local, fazendo-os perceber que TODOS somos importantes", acrescenta a professora Andrea Carla.

 

 

 


Objetivos específicos

 

  • Conhecer as regras de convivência da comunidade;
  • Estabelecer vínculos e fortalecer a comunicação entre a instituição educativa (creche) e a comunidade;
  • Identificar a origem das famílias que compõem essa comunidade;
  • Identificar os serviços públicos oferecidos à comunidade e os que faltam nela;
  • Perceber a composição familiar predominante nas famílias das crianças da creche;
  • Identificar a fonte de renda predominante das famílias da comunidade;
  • Conhecer superficialmente a história da comunidade;
  • Identificar-se como membro de uma família e ser individualizado;
  • Ampliar o vocabulário e desenvolver diversas formas de expressão;
  • Valorizar a parceria creche/família;
  • Proporcionar vivências diferenciadas e importantes para o desenvolvimento das crianças;
  • Coletar dados por meios de pesquisa e observações;
  • Ler e interpretar imagens;
  • Conhecer gráficos e tabelas;
  • Reconhecer sua imagem no espelho;
  • Identificar as partes do próprio corpo;
  • Conhecer o próprio nome, os nomes dos coleguinhas da turma e das educadoras;
  • Respeitar as diferenças de cada um, tratando-os com individualidade dentro do grupo;
  • Conhecer e apreciar vários tipos de textos;
  • Desenvolver o autoconceito;
  • Observar, analisar fatos e situações, de forma a garantir a boa qualidade de vida;
  • Identificar mudanças ocorridas na comunidade após a entrada da UPP;
  • Promover atividades que proporcionem a escolha de sua preferência;
  • Desenvolver a coordenação motora ampla e fina;
  • Estabelecer parceria com a Clínica da Família da região, implementando ações;
  • Desenvolver hábitos e atitudes, cuidados com higiene e saúde;
  • Adaptar-se à rotina da creche, com confiança e tranquilidade.



Desenvolvimento e Atividades

 

  • Enviar questionários para as famílias sobre a história e as características da comunidade e das famílias que as compõem, da fonte de renda predominante e dos serviços públicos oferecidos;
  • Entrevistar elementos da comunidade/famílias a fim de conhecer a história do Jacarezinho;
  • Expressar sua opinião sobre o lugar onde mora, através de perguntas e respostas anotadas no blocão;
  • Montar um mural informativo sobre a história da comunidade (por que o nome "Jacarezinho"?);
  • Montar um mural com as fotos das famílias da turma e desenvolver atividades orais a partir da observação do mesmo;
  • Promover encontros e atividades de integração entre as crianças e as famílias;
  • Cantar músicas relacionadas ao que for sendo explorado e observado;
  • Contar histórias da literatura infantil sobre os temas relacionados: família, bairro, rio, jacaré, etc.;
  • Pesquisar sobre o animal jacaré e outros que vivem no rio e/ou na comunidade, através de vídeos, fotos, reportagens e notícias;
  • Planejar uma visita ao zoológico para o próximo período;
  • Listar os estabelecimentos e instituições existentes na comunidade;
  • Observar o que há no Rio Jacaré (pedras, vegetação, lixo...), onde ele começa e onde termina;
  • Conhecer alguns sambas da Escola de Samba Unidos do Jacarezinho;
  • Montar circuitos que representem caminhos existentes na Comunidade/ Rio Jacaré;
  • Confeccionar fantoches de animais / bonecos com caixas de leite ou qualquer outro material de sucata;
  • Montar labirintos com mesas, cadeiras, lençóis, representando os “Becos do Jacarezinho”;
  • Pesquisar os meios de transporte existentes na comunidade;
  • Confeccionar capacetes e brincar de passear de moto, respeitando as leis de trânsito e a segurança;
  • Pesquisar as profissões existentes e predominantes na comunidade;
  • Fazer caretas em frente ao espelho;
  • Desenhar livremente no espelho, com caneta para quadro branco e apagar com flanela;
  • Conversar sobre os diferentes tipos de família e sua importância;
  • Medir e pesar as crianças em parceria com a equipe da Clínica da Família para a confecção de um mural e possível orientação profissional nos casos de obesidade / baixo peso;
  • Pesquisar e conversar sobre a escolha do nome de cada criança, seu significado e origem;
  • Conversar sobre as características da comunidade;
  • Listar os estabelecimentos e instituições existentes na Comunidade com as crianças, em blocão;
  • Confeccionar casinhas com sucata, caixas de leite etc.;
  • Brincar de boneca, família, trabalho, etc., representando situações da vida real;
  • Brincar com as caixas de leite enfeitadas com as fotos das crianças e de suas famílias;
  • Construir com blocos de construção / encaixe;
  • Desenhar livremente com diferentes materiais (giz de cera, pilot, giz molhado, carvão na lixa);
  • Torcer, amassar e rasgar diferentes tipos de papéis;
  • Manusear diferentes tipos de materiais sensitivos (penas, algodão, esponja, lixa, plástico bolha, massinha, goma, gelatina, papelão corrugado, etc.);
  • Manusear elementos da natureza (pedrinhas, conchinhas, folhas, areia, terra, sementes, grãos, frutas, legumes,verduras), assistidos com bastante cuidado e supervisão.

Os recursos a serem usados são multimídias e aparelhos tecnológicos (TV, home theater, projetor, computador); Livros paradidáticos da Literatura Infantil; Jornais e revistas; Recursos humanos disponíveis; Material de papelaria.


Como culminância, reservaram um passeio pela comunidade com as crianças acompanhadas de seus responsáveis e educadores, finalizando com brincadeira conjunta e lanche em algum local a combinar.

 

 


Avaliação do projeto “As famílias do Jacarezinho”


Para avaliar este projeto, a equipe trabalhará reuniões com as equipes de cada turma semanalmente, reuniões com os responsáveis mensalmente e conversas e observações diárias com as crianças.

 

Parabéns a toda equipe da Creche Municipal Tia Andreza, pelo engajamento com as famílias de sua comunidade escolar, estreitando laços, diminuindo barreiras.

 

Obrigada à professora Andrea Carla Souto Guimarães, diretora adjunta da creche, pelo envio de fotos e desse projeto.


A Creche Municipal Tia Andreza tem à frente da direção professora Márcia Cristina e está situada à Rua José Maria Belo, s/nº, Jacarezinho.


Acompanhe o blog da Creche Municipal Tia Andreza http://crechetiaandreza.blogspot.com.br/.

 

 

 

Regina Bizarro é professora da rede municipal e responsável pelo Blog Família.

Contato: reginabizarro@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/12/2014

Projeto Marcando um Gol pela Saúde com o EDI Professora Rosa Maria Alves de Oliveira

Tags: 10ªcre.

 

 

 

O EDI Professora Rosa Maria Alves de Oliveira possui catorze turmas da modalidade pré-escola, atendendo a 318 alunos com idade entre quatro e cinco anos.

 

A culminância do projeto "Driblando o desperdício, marcando um gol pela saúde" foi planejada juntamente com a realização do DIA DO BEM-ESTAR, elaborado a partir da ideia de que o bem-estar é o resultado de um complexo de atitudes sinalizadas durante o ano letivo, nas ações pedagógicas do EDI, valorizando a vida saudável.

Para alcançar a plenitude do bem-estar, ou seja, uma vida com saúde, foram trabalhados cinco componentes durante todo o ano letivo e durante este evento, que contou com a participação dos responsáveis.

 

A Culminância teve o seguinte cronograma:

1. Promoção da saúde ambiental: Exposição e foto de alunos como defensores do planeta;

2. Promoção da cultura de Paz: Muro branco com recadinhos pela Paz e relaxamento ao final;

3. Promoção da higiene: Roleta da higiene;

4. Promoção da alimentação saudável: Trilha da saúde, visita à horta, degustação de suco, foto "maluca";

5. Promoção da atividade física: Zumba e macroginástica.

 

Para organização do evento, os responsáveis foram divididos em cinco equipes misturando os alunos das turmas. Cada equipe ficou organizada por dois professores, que acompanharam e dinamizaram a equipe para participação do circuito de atividades:

 

1. Atividade: Trilha da saúde;

2. Atividade: Visita à horta, degustação de suco e foto "maluca";

3. Atividade: Muro pela paz (registro de mensagem pela paz) e foto como defensor da natureza;

4. Atividade: Roleta da higiene;

5. Atividade: Pirâmide Alimentar.

 

Entre cada troca de circuito, foram realizadas brincadeiras e atividades físicas, tais como:

 

1. Recepção com entrega de pulseiras com cores;

2. Organização das esquipes por cores;

3. Turmas nas atividades(1);

4. Brincadeiras de adivinhação (O que é, o que é);

5. Turmas nas atividades(2);

6. Atividade física (macroginástica);

7. Turmas nas atividades(3);

8. Turmas nas atividades(4);

9. Brincadeiras de adivinhação (sabores e cheiro);

10. Turmas nas atividades(5);

11. Zumba e relaxamento;

12. Distribuição de lembranças de participação;

 

Alguns registros das atividades:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dessa forma, a unidade escolar pode oferecer um dia de integração e reforçar os valores trabalhados ao longo do ano letivo com todos aqueles que fazem parte da comunidade escolar.

 

Diretora Patrícia, Diretora Adjunta Maria de Fátima e Coordenadora Pedagógica Cleide.

 

 


Parabéns, Alunos!

Parabéns, Responsáveis!

Parabéns, Professores!

Parabéns, Gestores!

 

 

Suelen Corrêa
é Professora da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE

Contato:
suelencorrea@rioeduca.net
twitter: @suelencorrea29
 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share