A A A C
email
Retornando 31 resultados para o mês de 'Dezembro de 2017'

Quinta-feira, 14/12/2017

Interações, Linguagens e Sentidos: Integração da EI ao EF é tema de seminário na 9ª CRE

Tags: 9ªcre, ged, interações, integração, educação infantil, ensino fundamental.

O Seminário Regional “Interações, Linguagens e Sentidos: Aprendizagens dos cinco aos setes anos” aconteceu na 9ª CRE, nos dias 08 e 09 de novembro, com discussões entre os profissionais do Nível Regional, Central e de EDIs, Creches e Escolas da Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro, considerando as interações, linguagens e sentidos, no processo de aprendizagens das crianças dos 5 aos 7 anos, da Educação Infantil ao Ensino Fundamental, durante a Educação Básica.

 

A abertura do evento foi realizada pela Professora Rita Simone para o público de Coordenadores Pedagógicos e Professores Articuladores na manhã do dia 08 de novembro. Os alunos da Escola Municipal Primário Dulce Araújo, anfitriã do evento, apresentaram a canção vencedora do FECEM na regional “A janela de Carolina“ com o Prof. Elton e receberam o carinho e aplausos do público. No dia 09, os alunos apresentaram um coral de flautas e também a coreografia participante da Mostra de Dança Regional, esbanjando graça e beleza em seu número.

 

Parabéns ao Prof. Rodrigo Costa e á toda equipe da E. M. Primário Dulce Araújo pelo envolvimento dos alunos em diferentes atividades artístico-culturais e por acolher o Seminário Regional na 9CRE.

 

Coordenadores Pedagógicos, Professores Articuladores, Diretores e Profressores regentes participaram discutindo com professores que atuam no Nível Regional e Central sobre as aprendizagens das crianças de cinco aos sete anos, da Pré Escola à Alfabetização.


As mesas redondas oportunizaram a discussão sobre as aprendizagens das crianças dos cinco aos sete anos. No primeiro dia, a Professora Fabíola Farias (Gerente de Educação Infantil) e a Professora Cristina Lima (Gerente de Alfabetização) apresentaram valiosas contribuições sobre Infância, Linguagem e Educação. No segundo dia, a Professora Janaína Cruz (Gerência de Ensino Fundamental) e a professora Greice Duarte (Gerência de Educação 9ªCRE) discorreram sobre O Desenvolvimento da Aprendizagem no processo de Alfabetização e leitura e Escrita na Educação Infantil. O contexto de formação e acompanhamento da Gerência de Educação foi apresentado pela professora Letícia Cruz, responsável pela Alfabetização na GED 9ª CRE. A transição das crianças da Educação Infantil para o Ensino Fundamental, bem como as possibilidades e dificuldades na integração entre as etapas da Educação Infantil e Ensino Fundamental foram assuntos discutidos.

 


Interações, linguagens e sentidos tiveram destaque nas práticas de professores da Pré-Escola e 1° ano nas ricas experiências apresentadas nos dois dias do seminário. No exercício continuo de fazer-se professor, contaram suas experiências com as crianças e momentos significativos que marcaram as práticas.

 


Algumas experiências apresentadas:

• Biomas Brasileiros Na Educação Infantil, Prof. CARLA RIBEIRO VALE, (09.18.809);

• É Brincando Que Se Aprende, CRISTIANE MUNFORD E OUTRAS (09.18.801);

• Projeto Terrário, Prof. VALÉRIA ALVES (09.18.810);

• Meu amigo Lobo, Prof. ANA RAQUEL DA SILVA (09.18.823);

• Projeto "Animais Que Eu Amo", Prof. ERIKA SOUZA DE AZEVEDO (09.18.002);

• Projeto O Grande Rabanete, prof. ESTER DE SOUZA FERREIRA KNAUER (09.18.099);

• Encontro De Alfabetização: CIEP Doutel De Andrade E EDI Dom Bosco!”, Prof. AUDREI ALONSO BRITO DO NASCIMENTO (09.18.510);

• Eu Sou O Artista....Descobrindo E Valorizando A Própria História, Prof. GECILENE RODRIGUES DA SILVA (09.18.009);

• Era uma vez, a pré escola..., Prof. RAQUEL (09.18.051);

• Projeto "Quem Lê Vive Mais", Prof. ELAINE DA SILVA S. NASCIMENTO (09.18.503);

• Viajando diariamente na leitura e na escrita, Prof. KARLA FERREIRA DA SILVA DUARTE DE AMORIM (09.18.037);

• Trupe de Contação de histórias (dramatização), Prof. FLÁVIA MARINA OLIVEIRA MAIA (09.18.815);

• A Criança Aprende Brincando, Prof. ANDREA COSTA DO NASCIMENTO DE SÁ;

• Leitura de Mundo: Múltiplas palavras e sentidos, Prof. LUCIANA ROSA FREIRE TAVARES (09.18. 828);

• Do Baú do Marco Altino 'novas' histórias vão surgindo: chuva de diversidade, poesia e encantamento com Obax e Nafisa. Profs. Ana Carolina Moura / Luziana Cardoso Campos / Perla Maria de Oliveira (09.18. 813);

• Brincando em família, Prof. Sonia Campanhã De Oliveira (09.18.837);

• “Na infância é normal brincar no quintal”: vivências e experiências de turmas de pré-escola II no EDI Profº Dersu Gabriel Bicego (09.18.823).

 


 

A Gerência de Educação da 9ª CRE agradece as equipes do Nível Central e  das unidades escolares pela participação nesta discusão tão importante para a continuidade das aprendizagens das crianças, da Educação Infantil à Alfabetização. 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 13/12/2017

Cultura Presente: Hoje e Sempre!

Tags: 8ªcre, folclore, feira cultural.

 

O Folclore pode ser definido como a ciência que estuda todas as manifestações do saber popular, considerada indispensável para o conhecimento social e psicológico de um povo. Apresentar as manifestações folclóricas para os alunos é uma maneira de manter viva a diversidade do povo brasileiro.

 

 

Folclore: a Cultura do Povo Brasileiro é o o tema central da Feira Pedagógica da Escola Municipal Azul e Branco. O tema foi desenvolvido sob diversas abordagens, onde cada turma da escola trouxe o foco do projeto de acordo com as Orientações Curriculares e com os conteúdos trabalhados.

A proposta do projeto contou com a participação da comunidade, o que tornou o momento da Feira Cultural algo muito satisfatório e significativo para todos os envolvidos.

A rica abordagem temática estimulou atividades de leitura e escrita baseadas em brincadeiras e cantigas populares.

O colorido que manifesta a diversidade cultural brasileira deixou a Escola Municipal Azul e Branco ainda mais alegre e acolhedora.

 

 

As turmas de 1º ano trabalharam o tema "Cultura e Arte: Alimentação Saudável e Reciclagem".

A apresentação das turmas do 1º ano na Feira Cultural foi a Dança do Coco (Flor de Mandacaru). Os objetos usados na dança foram confeccionados com material reciclado.

Apresentar trava-línguas, ditos populares e parlendas é uma grande oportunidade de incentivar a leitura e a escrita, por isso os alunos do 1º ano expuseram cartazes e outras atividades que foram confeccionadas na Roda de Leitura.

As turmas de 2º ano receberam o tema Folclore e Educação Ambiental. Os alunos apresentaram as possibildades de reaproveitamento de materiais e energia eólica.

As apresentações foram a encenação da música Ciranda do Anel e a dança do Frevo.

 

 

 

O 3º ano teve como tema: Cantigas de Roda e Brincadeiras, além de trabalhar atividades com Literatura de Cordel e Lendas Indígenas.

As turmas do 4º ano trabalharam a lenda da Iara e as ervas medicinais. Na Feira Cultural houve degustação de chás.

O 5º ano ficou com o folclore da região norte. Os alunos apresentaram a famosa disputa do Boi Garantido e Boi Caprichoso que acontece em Parintins.

O folclore nas 5 regiões do Brasil foi o tema trabalhado pelas turmas do 6º ano. As turmas fizeram cartazes com explicações e gravuras sobre danças, culinária e artesanato. Houve a apresentação teatral de "Eco e Narciso".

Auxiliados pela professora de Língua Inglesa, os alunos fizeram uma exposição sobre a etimologia da palavra FOLCLORE, que é de origem inglesa.

Foi feito um painel criativo, apresentando a evolução da grafia, conceito e características.

 

 

"Nossa Feira Cultural foi um verdadeiro sucesso! A comunidade escolar participou ativamente das propostas desenvolvidas com os alunos. Recebemos artesãs da comunidade que expuseram seus produtos e abrilhantaram a feira com suas produções. Contamos com a participação de um grupo da terceira idade que trouxe o Boi Garantido e animou as torcidas com um pouco dessa história.

Os profissionais envolvidos ficaram maravilhados com o resultado final, que trouxe grande alegria para todos os participantes. Pudemos constatar a felicidade dos alunos em verem suas produções sendo prestigiadas e admiradas por todos! (...)"

                                                                                     Professora Yvanzir Garcia - Coordenadora Pedagógica da E.M. Azul e Branco
 

 

 

O Rioeduca parabeniza a escola pela realização da Feira  Pedagógica!

Encanta ver toda a escola envolvida em um projeto que alcança a comunidade local.

Contato da E.M. Azul e Branco: emazulbranco@rioeduca.net

 

*     *    *

Procure um representante do Rioeduca e compartilhe as ações da sua escola!

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/12/2017

Área Verde da E. M. Camilo Castelo Branco Transforma-se em Sala de Aula

Tags: 2ªcre, literatura, meioambiente.

 

A área verde da E. M. Camilo Castelo Branco é uma grande e rica sala de aula. Nela alunos aprendem História, Matemática, Ciências, Geografia, Literatura e cuidados com o Meio Ambiente.

 


O texto abaixo foi enviado pela professora Jenny Iglesias, regente da unidade escolar, que nos conta sobre a proposta de ter uma horta colaborativa na escola.

Vizinha do imponente Jardim Botânico, a escola tem uma grande área verde, com canteiros de uma horta, muitos jardins, árvores nativas da Mata Atlântica e uma vegetação que atrai muitos animais e, por isso, a equipe pedagógica apostou no seu potencial para incluir no currículo um assunto essencial: a Educação Ambiental.

Este espaço privilegiado recebe a visita de alunos e professores que estudam e aprendem sobre a importância de preservar o meio ambiente e de torná-lo sustentável. Nesta sala de aula ao ar livre fica mais fácil entender sobre o clima na Terra, a erosão do solo, o crescimento dos vegetais, a decomposição de matérias orgânicas que se transformarão em adubo e tantos outros assuntos que escutamos e lemos nos livros didáticos.

 

Professor Roberto, de História, cuida da área verde e usa este espaço como sala de aula para ensinar arqueologia.

 

Através de algumas parcerias, a escola complementa o estudo de Ciências e de Geografia a partir de projetos como o do Ciclo Orgânico, idealizado e coordenado por Lucas Chiabi, que utiliza a escola como ponto de coleta e compostagem de material orgânico recolhido nas residências do entorno. Em troca, alunos e professores da Camilo veem de perto o processo de decomposição de restos orgânicos até a obtenção do adubo.

 

O material é recolhido nas residências em bicicletas que não poluem e ainda incentivam a diminuição de veículos na cidade.

 

Parte deste adubo é utilizado em outro projeto desenvolvido desde agosto deste ano pela profissional Renata Carijó, coordenadora do projeto socioambiental Carpe, que revitalizou os canteiros de uma horta desativada há tempos. Duas turmas de 6º ano participam desta atividade cujo objetivo é a produção de alimentos livres de agrotóxicos que complementarão a merenda escolar.

Cerca de 60 alunos fazem a manutenção dos canteiros, o plantio de alimentos orgânicos, regam as mudas sempre e aguardam ansiosos a primeira colheita de hortaliças, legumes e ervas medicinais, tudo sob a supervisão de Renata, que realiza este trabalho de forma voluntária e tem uma ajuda de custo para a compra de mudas e sementes de ex-alunos da escola.

A Matemática teve destaque no início do processo de revitalização da horta, pois os alunos aprenderam a calcular a área e o perímetro de cada canteiro para distribuir harmoniosamente as mudas. Entre centímetros e metros, os alunos usaram as unidades de medidas para chegar aos resultados! Assim, também se aprende matemática!

 

Renata Carijó, no centro, ensina como plantar as mudas de hortaliças.

 

No dia do plantio, Renata e Lucas na orientação dos alunos.

 

Também a Literatura é mais que fundamental neste projeto pedagógico que tem o apoio da Direção, da Coordenação, dos professores, dos funcionários e dos alunos da Escola Municipal Camilo Castelo Branco. Nas rodas de leitura, os alunos estão lendo um clássico de Monteiro Lobato: A Reforma da Natureza. A obra dialoga com o trabalho feito na horta e com a própria área verde da escola, fazendo-nos refletir sobre a realidade e a ficção, faz de conta e verdade. O que podemos modificar na natureza para melhorar nossas vidas? Esta é uma questão que o livro nos apresenta.

 

Parte da turma 1602 lendo na sala de leitura com a professora Jenny.

 

Ainda se desenvolvem ações em relação ao paisagismo da área e à preservação de espécies nativas da Mata Atlântica. A próxima meta é montar um pequeno orquidário na escola para estudo e ornamento desta bela planta, com a ajuda dos professores. Também conta-se com a parceria do setor de Educação Ambiental do Jardim Botânico e da Fundação Parques e Jardins, que auxiliam no plantio e na doação de mudas, e da Comlurb que faz a limpeza mensal do espaço.

É importante ressaltar que, aos poucos, toda a comunidade escolar se apropria deste espaço público e compreende que é possível preservá-lo e torná-lo mais sustentável!

 

Agradecemos à professora Jenny Iglesias por compartilhar conosco este projeto de integração do Meio Ambiente com o currículo escolar e desejamos sucesso a toda equipe da Escola Camilo Castelo Branco.

O contato da unidade escolar é: emcbranco@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/12/2017

Matemática, Alfabetização e Cultura na Escola Gastão Monteiro Moutinho

Tags: 7ªcre, projetos.

 

Alunos da Escola Municipal Gastão Monteiro Moutinho participaram de momentos marcantes e diferenciados nos meses de setembro e outubro:  a V Semana de Alfabetização, Festa da Cultura e a Gincana de Matemática.

 

A V Semana da Alfabetização da Escola Municipal Gastão Monteiro Moutinho teve como objetivo desenvolver atividades que despertem interesse pela leitura e escrita. O planejamento englobou: Contação de Histórias, Jogos Lúdicos em sala de aula e na Educação Física, Piquenique Literário, Cineminha Contextualizado e Masterchef.

 

 

Primeiramente, aconteceu a Contação de Histórias para todas as turmas. A execução foi realizada pelos alunos Contadores de Histórias. Dando continuidade à V Semana da Alfabetização e investindo na interdisciplinaridade, a professora de Ed. Física, Marcela Silva, também deu a sua contribuição para o projeto.

 

               Contação de Histórias feita pelos alunos nas salas.

 

Durante a Educação Física, a atividade "Alvo Letrado" foi ministrada para as diferentes turmas com o mesmo objetivo, mudando apenas o grau de dificuldade.O objetivo do jogo, além de trabalhar a questão silábica, também era motivacional, pois cada acerto valia a pontuação marcada no círculo para a equipe. Os alunos ficaram extremamente animados com a atividade. 

 

Atividade : Alvo Letrado.

 

   Atividade Alvo Letrado.

 

Durante toda a semana, alguns livros foram separados antecipadamente pelas professoras de Sala de Leitura e a cada dia os Contadores de Histórias leram nas turmas.O piquenique literário foi mais uma ação da V Semana da Alfabetização. Com o intuito de despertar o gosto pela leitura e escrita, as professoras da Sala de Leitura organizaram esse momento e separam leituras interessantes. Foi um momento muito agradável!

      Piquenique Literário.

 

Festa da Cultura

 

A escola Gastão Monteiro Moutinho sempre teve o hábito de fazer a Festa do Folclore, porém, nesse ano, resolveu-se diversificar e atualizar os ensinamentos. O mundo avança, temas transversais são trabalhados cada vez mais em sala de aula, as crianças questionam e se interessam pelo atual, porém, mesmo acompanhando toda essa evolução humana, é possível e pertinente, não deixar que a memória e a cultura caiam no esquecimento.

Pensando assim, a equipe Gastão se uniu e realizou no dia 23 de setembro, a primeira Festa da Cultura, e dessa vez, o tema escolhido foi a Cultura Musical Brasileira. Foram resgatadas músicas antigas para tocar e animar a festa, como também, épocas marcantes foram representadas pelas turmas.


A Educação Infantil dançou músicas dos anos 60, lembrando o estilo Rock. Teve biquíni amarelinho da Celi Campelo, Banho de Lua, Estupido Cupido e até lacinhos cor de rosa pra enfeitar! As turminhas estavam lindas e muito bem caracterizadas com saias rodadas e óculos escuros.A Jovem guarda foi muito bem representada e logo de cara a Festa de Arromba trouxe até o carro vermelho do Erasmo na apresentação do 1º ano.


O segundo ano dançou a música Broto legal e ficou muito bonitinho!O terceiro ano representou o Samba, dançando Zeca Pagodinho e reafirmando que o melhor é deixar a vida levar!O quarto ano lembrou a época do Axé dos anos 90! Fizeram jus à música, Sacudiram e Abalaram geral, mostrando o canto da cidade!O quinto ano homenageou o polêmico e inesquecível Tim Maia, deixando a dúvida no ar: melhor ter dinheiro ou amar?!O funk não podia estar de fora e as turmas do 6º ano dançaram um pout porri com o melhor do funk das antigas, com sucessos de Steve B. Trineri, Tony Garcia e Furacão 2.000.Contou-se também com a participação do compositor Zé Mauricio, que vem realizando um trabalho voluntário na U.E e convenceu a todos que é possível formar o Coral da Gastão. 


As crianças, juntamente com as professoras Nubia e Cintia, apresentaram uma adaptação da música Aquarela Brasileira, onde os estilos rap e hip hop foram contemplados.Foi um sábado muito animado e a Direção agradeceu a todos que se empenharam, trabalharam, acreditaram e prestigiaram o evento.

 

 

 

Gincana de Matemática

 

Os alunos s aguardam o dia da famosa Gincana de Matemática da Escola Gastão Monteiro Moutinho.Ela acontece para as turmas de 5º Ano, e já está inserida no calendário de todos os anos letivos. O quinto ano atua efetivamente, mas o 6º e o 4º também participam em forma de torcida.

 

             Alunos separados por equipes: azul, amarela, vermelha e verde.


A turma do 5º ano se divide em equipes e o intuito da Gincana é motivar e desmistificar o fantasma que assunta e amedronta: a matemática! As crianças recebem o conteúdo, se unem em grupos de estudo e se preparam para a competição.Esse dia é de muita animação, tensão e forte emoção na escola.

 

Atividades matemáticas para o circuito.

 

                 Professores participando da Gincana Matemática.


A Gincana consiste em 3 etapas: perguntas e respostas, a prova do sino e o circuito.O melhor é que todos saem ganhando, mesmo os que não saem como campeões. Como o objetivo é de incentivo, todos os alunos recebem certificado e um mimo.Já a equipe vencedora, também recebe medalha e um troféu.

 

Parte da premiação da Gincana de Matemática.

 

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Para conhecer mais sobre o trabalho da escola:

http://emgastao.blogspot.com.br/

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

Contato da Escola Gastão Monteiro Moutinho:

emmoutinho@rioeduca.net
 

 


 


   
           



Yammer Share