A A A C
email
Retornando 31 resultados para o mês de 'Dezembro de 2017'

Terça-feira, 05/12/2017

Maratona de Histórias na Escola França

Tags: 5ªcre, maratona de histórias, sala de leitura, escola frança.

 

 

O projeto Maratona de Histórias envolveu toda a rede no ano de 2017 e a Escola Muncipal França se  dedicou a desenvolver o projeto de acordo com as principais diretrizes da SME.

 

"É preciso que a leitura seja um ato de amor."
Paulo Freire

 

O evento, realizado no mês de outubro, foi da maior importância e alçou alguns alunos na arte de declamar poemas e contar histórias. Os professores da Sala de Leitura se dividiram por assuntos e se completaram na ampliação do conhecimento discente.

 

1º Dia: recebemos a visita da contadora de histórias Tia Dulce, que ensinou aos nossos pequenos da E. I. ao 3º ano a usarem as mãos para contar histórias.

 

 

Hora da leitura Livre:

 

2º Dia: Tivemos muitas atividades. Começamos com o professor Marcelo contando histórias da mitologia grega para o 4º e 5º anos.

 

 

 

Também tivemos a participação da turma 1101 da professora Elizabeth, interpretando "A casinha torta" de Maria Mazetti.

Quem mora?
~~~~~~~~~~~~~
Quem mora na casa torta?
Sem janelinha e sem porta

Um gato
que usa sapato
e tem retrato no quarto.
No quarto?

Uma florzinha
pequenininha
de sainha
Curtinha?

Um elefante com rabinho de barbante?
Um papel de óculos e chapéu?
Um botão que toca violão?
Um pente com dor de dente?

Quem mora na casa? Quem?
Invente depressa alguém.

 

 

A Clássica história do Patinho Feio de Hans Christian Andersen, lembrando o dia da inclusão. A professora Luciana e Ana Lúcia com os alunos surdos ensinaram algumas palavras da história em Libras.

Em suas histórias Andersen buscava sempre passar padrões de comportamento que deveriam ser adotados pela sociedade, mostrando inclusive os confrontos entre poderosos e desprotegidos, fortes e fracos. Ele buscava demonstrar que todos os homens deveriam ter direitos iguais... - Veja mais em https://educacao.uol.com.br/biografias/hans-christian-andersen.htm?cmpid=copiaecola

 

 

A professora Bernadete convidou os alunos para viverem os personagens de Romeu e Julieta, de Ruth Rocha.

Entre 1957 e 1972 foi orientadora educacional do Colégio Rio Branco. Nessa época começou a escrever sobre educação para a revista Cláudia. Sua visão moderna sobre o tema, bem como o estilo claro e próprio, chamaram a atenção de uma amiga, Sonia Robato, que dirigia a Recreio, revista voltada para o público infantil. Certo dia, Sonia fez um convite-desafio para Ruth: em tom de brincadeira, trancou a amiga numa sala, dizendo que só saísse de lá com uma história pronta. Assim nasceu Romeu e Julieta, a primeira de uma série de narrativas originais e divertidas, todas publicadas na Recreio, que mais tarde Ruth veio a dirigir.

Fonte: http://www.ruthrocha.com.br/biografia

 

 

Encerrando o 2º dia com a apresentação das alunas Ana Beatriz e Tayná da 1503, orientadas pela professora Katia, fizeram um convite a "Bruxa, Bruxa venha a minha festa" de Arden Druce.

 

 

Sobre a Escola:

Sala de Leitura Viriato Correa (professores Kátia, Marcelo e Bernadete).

Unidade Escolar: E/CRE(05.15.038) - Escola Municipal França

Diretor: MARILIA LEAL

Endereço: Rua Padre Manoel da Nóbrega 725

Bairro: Quintino Bocaiúva

Telefone: 3073-1614 | 3273-1587

E-mail: emfranca@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 04/12/2017

#BonecaDeLata

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores, projetos.


 

Professora da Gerência de Educação da 1ª CRE divide seu tempo entre as diversas demandas inerentes à função e as apresentações pedagógicas de uma personagem: a #BonecaDeLata.

 

 

Professora da Rede desde 1994, formada em Artes Plásticas, professora Silvana Huguenin assumiu, no ano de 2009, a Sala de Leitura da Escola Mário Cláudio. Nesse mesmo ano, durante a Maratona de Histórias organizada pela 1ª Coordenaria Regional de Educação no Galpão da Cidadania, Região Portuária da Cidade, a professora foi convidada para uma performance artística. Para tal apresentação, Silvana escolheu uma música de domínio público conhecida no nordeste brasileiro, na voz de Bia Bedran.

A apresentação foi um sucesso: Nascia a #BonecaDeLata, personagem que, a partir daí, seria figura presente em eventos diversos nas escolas em diversas CREs de nossa cidade.

Em suas visitas, a Boneca dança ao som de diversas músicas, realiza contação de histórias e leitura de livros infantis.

 

Apresentação em escolas da 1ªCRE

 

Mesmo após se desligar do trabalho em Sala de Leitura, a #BonecaDeLata voluntariamente continuou sua trajetória visitando escolas públicas e instituições privadas.


Com sua transferência para a Gerência de Educação, onde trabalha atualmente, Silvana trouxe a #BonecaDeLata, que agora tem como proposta atuar em ações pedagógicas e culturais nas escolas de abrangência da 1ª CRE.

 

Visitando as Unidades de Educação Infantil


Hoje, ao visitar as escolas e unidades de Educação Infantil, a #BonecaDeLata tem como objetivo principal o incentivo à leitura literária, levando para nossas crianças Cultura e Conhecimento, através da música e da literatura, colaborando assim para cada vez mais despertar nossos alunos para o infinito e mágico mundo da leitura.

 

#BonecaDeLata no Evento da 1ª CRE "Aqui é um Lugar de Paz", no MAR, ao lado das alunas e professores do Casarão dos Prazeres


 

#BonecaDeLata virou personagem fixo nas ações como os Encontros de Formação de professores, chás literários, feiras, livros e eventos diversos.


Ao longo do ano ela percorre as escolas, realizando apresentações cuja tônica é transportar nossas crianças para o mundo da Magia e Encantamento.

 

Momentos da #BonecaDeLata

 


Vida Longa à Nossa Boneca!

 

Minha boneca de lata bateu a cabeça no chão...

levou quase uma hora pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, pra ficar boa...

Minha boneca de lata bateu o ombro no chão...

Levou mais de duas horas pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, desamassa ali,

Desamassa aqui, desamassa ali pra ficar boa...

Minha boneca de lata bateu o outro ombro no chão...

levou mais de três horas pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, desamassa ali

Desamassa aqui, desamassa ali

Desamassa aqui, desamassa ali pra ficar boa...

 

 


Para Saber Mais:

Silvana Maida Huguenin

Telefone: 2233-4839

E-mail: silvanahuguenin@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/12/2017

Sensibilidade e Conhecimento

Tags: 10ªcre.

 

A experiência sensorial na Escola Municipal Professora Myrthes Wenzel.

 

A E/CRE (10.26.021) Escola Municipal Professora Myrthes Wenzel está localizada à Rua Soldado Antonio de Paula, s/n° - Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade Escolar atende a 28 turmas, sendo 23 do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, 1 turma de DI, 1 turma de TGD, 1 turma do projeto Aceleração 6 e 2 turmas do projeto Aceleração 8, todas em horário parcial. Tem como diretora, a professora Maria Angelina Baroni Fonseca; como diretora adjunta, a professora Cristiane Bispo da Silva e como coordenadora pedagógica, a professora Monica Giesbrecht Formiga Nogueira Cardoso.

Durante o ano letivo, os professores de Ciências, Língua Portuguesa, Libras e Artes Plásticas da escola, composta pelos professores: Fábio Falcão, Cilene Mara Jordão de Mattos, Juliana Correa e Castro, Dulcinea do Nascimento Amaral, Sheila de Souza Cruz e Carla Cristiane Wanderlei dos Santos, junto com a Coordenadora Pedagógica e a significante colaboração do Núcleo de Educação Ambiental da 10ª CRE-NEA10 através do professor Álvaro Jorge Madeira Borges de Almeida, criaram o Projeto "Jardim Sensorial" para visitação guiada dos alunos da Unidade Escolar – das classes regulares e das classes especiais.

Professores envolvidos no projeto

 

— O Jardim sempre foi um espaço de lazer e, junto a isso, uma mistura de sonho e realidade. Através dele pode-se entrar em contato com a natureza e experimentar uma infinidade de sensações. — afirma a coordenadora Mônica

Neste sentido, se pensou criar um jardim sensorial, onde o visitante aguça os quatro sentidos do corpo humano: o tato, através das texturas das plantas e flores; a visão, através das cores; o olfato, com o aroma das variadas espécies; e a audição, através dos sons do ambiente.

 

Jardim sensorial

 

O Projeto aconteceu durante a Semana de Inclusão (outubro), quando os alunos tomavam contato com as diversas espécies de plantas e flores numa atividade que tinham que descobrir, através dos sentidos, com quais ervas estavam tomando contato. A partir daí, eram informados de seu uso medicinal e/ou culinário.

A finalização do Projeto Jardim Sensorial aconteceu com a palestra “Sensibilidade e Inclusão”, apresentada pela aluna do curso de Biologia da PUC/RJ, Eduarda Emerick e a professora Angélica Bueno Carvalho, da equipe da Assessoria de Educação e Esportes/SME que narraram suas vivências com o mundo da deficiência visual.

A participação dos alunos e professores em atividades sensoriais e lúdicas desenvolve outro caminho para o conhecimento, valorizando saberes diferenciados que são experimentados por todos.

 

Palestra “Sensibilidade e Inclusão”

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE(10.26.021) Escola Municipal Professora Myrthes Wenzel
Email: empwenzel@rioeduca.net
Telefone: 2417-8445

 


   
           



Yammer Share