A A A C
email
Retornando 38 resultados para o mês de 'Dezembro de 2018'

Sexta-feira, 28/12/2018

Prática Pedagógica em Educação Patrimonial na E. M. Mendes Viana

Tags: educação patrimonial, 5ª cre.

 

 

Alunos da Escola Municipal Mendes Viana pedem a preservação de patrimônios culturais do bairro de Irajá através do Projeto Clube de História.

Confira!

 

 


Patrimônio Cultural é, em uma explicação bem simples, tudo aquilo que criamos, valorizamos e queremos preservar para as futuras gerações. São o conjunto das manifestações, realizações e representações de um povo. Em nosso país existem diversos patrimônios, tais como as obras de Aleijadinho em Minas, a arquitetura da cidade de Brasília, o acarajé baiano e tantos outros mais.


A cidade do Rio de Janeiro é rica em bens patrimoniais como o Cristo Redentor e prédios históricos do Centro da cidade e as paisagens da Zona Sul. Mas e os nossos subúrbios? O que gostaríamos de preservar neles? Com estas indagações, os alunos da turma 1802, 8º ano do ensino fundamental, da Escola Municipal Mendes Viana, foram às ruas fotografar aquilo que gostariam de ver preservado em seu bairro: Irajá. As fotos são um registro importante de como os alunos veem seu bairro nesse início de século XXI.

Essa proposta pedagógica surge do projeto do professor Fábio Carvalho, em parceria com o professor Vinck Vitório da sala de leitura da Mendes Viana, chamado Clube de História, em atividade desde o ano de 2016.

 

 

Exposição

 


Ao longo do segundo e do terceiro bimestre de 2018, os alunos e os professores discutiram aspectos da História do Rio de Janeiro e do bairro de Irajá. A partir daí construíram uma exposição de fotos e textos sobre o patrimônio local. A exposição foi dividida em temas:


SAGRADO: a parte da exposição em que retrataram aquilo que as pessoas do bairro veem como digno de veneração e respeito por ter ligação com o divino.


LAZER: o tempo de folga, passatempo, ócio. Representam espaços onde se pode descansar, brincar, encontrar pessoas ou, simplesmente, nada fazer. Apenas apreciar a vida.

 

 

 


MEU LUGAR: Espaço em que os jovens do grupo pensaram no que gostariam de preservar por acharem importante para o lugar onde vivem pois, de alguma maneira, ajudam a melhorar sua qualidade de vida.


CULTURA: Definir cultura é algo muito complexo. Uma definição possível é a do antropólogo Clifford Geertz de que esse conceito se refere a um "padrão de significados transmitidos historicamente, incorporado em símbolos, um sistema de concepções herdadas expressas em formas simbólicas por meio das quais os homens comunicam, perpetuam e desenvolvem seu conhecimento e suas atividades em relação a vida." A escola é um destes locais onde se transmite tais símbolos e concepções herdadas às gerações futuras. Os alunos decidiram, então, preservar em fotos as escolas que lhes eram queridas.

 

 


NATUREZA: Antigamente, pessoas vinham a esta enorme região, a Baixada de Irajá, e ficavam espantados com os rios limpos, a grande quantidade de árvores, frutos, flores. É o eixo que se refere aos elementos do mundo material (mares, montanhas, rios, árvores, animais). O bairro era bonito em determinada época por conta dos elementos naturais que tinha. Aqui, a preocupação é: onde foi parar essa natureza? Ela permanece? Ela se mantém de que maneira? Ou está destruída, acabada? Há um espaço de crítica. Em tempos onde a humanidade esgota recursos naturais e somos ameaçados pela falta de água, poluição do ar, por exemplo, este eixo da “natureza” foi utilizado para denunciar os efeitos nocivos que a falta do cuidado na preservação do elemento causou em nosso bairro.

 

 


REBOBINANDO: foram feitas releituras de fotos antigas da escola. Objetivo foi colocar em evidência o bem mais precioso da exposição, nossos alunos, e retratar as mudanças e permanências do tempo marcadas na Mendes Viana.


A exposição ficou em cartaz na Biblioteca Popular de Irajá – João do Rio, entre os dias 15 e 30 de setembro, em uma parceria entre a Mendes Viana e este é um aparelho cultural tão importante para o bairro e que serviu de referência para a pesquisa de parte dos alunos.

A exposição teve a visita da Escola Municipal Mato Grosso e seus alunos do 5° ano. A unidade estava trabalhando no período da exposição a História do Rio de Janeiro e resgatando aspectos da história do bairro de Irajá.

 

Parabéns pelo excelente trabalho!

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Mendes Viana
Diretor: CARLOS EDUARDO HERMSDORFF
Endereço: Estrada do Colégio 940, Colégio
Telefone: 3373-3204
E-mail: emviana@rioeduca.net 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 27/12/2018

Inclusão na Escola Municipal Lino Martins da Silva

Tags: 4ªcre, inclusão.

 

 A Escola Municipal Lino Martins da Silva realizou uma atividade de inclusão, com o objetivo de possibilitar aos alunos captarem informações do ambiente, pessoas e objetos ao seu redor, por meio de outros sentidos.

CONFIRA!

 

 

 

Inclusão: Ação de integrar um elemento a um todo.

 

A atividade consistiu na realização de uma dinâmica com os alunos no pátio da escola, onde o professor dividiu a turma em duplas e ofereceu uma venda para os olhos. 

 

 

 

 

 

Na dupla, um aluno ficava com os olhos fechados e o outro com a boca fechada. Com as atividades os alunos conheceram um pouco das dificuldades vividas, assim como as  formas alternativas que portadores de deficiência visual utilizam para  identificar o mundo ao seu redor.

 

 

 

 

O aluno que estava com a boca fechada deveria guiar o aluno “cego” pela escola. Os alunos foram orientados a tentar identificar o lugar onde eles estavam, os objetos e pessoas ao seu redor.

 

 

 

 

Quando terminou o tempo combinado, as duplas voltaram e inverteram-se os papéis. Sendo assim, quem foi o guia passou a ser guiado e fizeram um percurso diferente do anterior.

 

 

 

 

Após a realização desta dinâmica, os alunos fizeram uma roda para expor seus pensamentos, impressões e percepções sobre a atividade. A melhor forma de compreenderem as limitações, as necessidades e as possibilidades dos portadores de deficiência visual foi vivenciar na prática as rotinas dos cegos.

A avaliação da atividade se deu por meio do debate proposto pelo professor. Durante o debate, os alunos eram instigados com perguntas, do tipo: “O que vocês sentiram?”; “Como foi ficar cego?”; “Como você acha que uma pessoa que não enxerga vive?”. 

 

 

Parabéns pelo exelente trabalho realizado!

 

 


Unidade Escolar: E/CRE(04.30.014) - Escola Municipal Lino Martins da Silva
Diretor: APARECIDA MOREIRA DE MELO
Telefone: 3438-6723

 

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 27/12/2018

A Magia do Natal Yolis

Tags: 9ª cre, primário, natal.

 

 A Semana Natalina da Yolis é marcada por lindas apresentações dos alunos e muita emoção entre responsáveis e professores.

 

 

A Escola Municipal (09.18.101) Yolis da Silva, inaugurada em 09/06/2016, situada à Avenida Cesário de Melo 7805 - Inhoaíba, recebeu este nome em homenagem a uma moradora antiga que muito fez pela comunidade local. Tem na Direção atual a professora Suely Fernandes Dias, a Diretora Adjunta Rejane Pires Dutra Gonçalves e a Coordenadora Pedagógica Zulmira Leal Barbedo da Silva. A Unidade Escolar atende 22 turmas de ensino fundamental do 1° ao 6° ano, na faixa etária de 6 a 12 anos aproximadamente, com um total de 719 alunos.

 

 

Corpo docente e Direção da E.M Yolis

 

 

O projeto de trabalho deste ano, "Todos juntos na torcida pela Educação", tem por objetivo oportunizar, através das ações diárias, situações que levem os alunos a desenvolver e aprender habilidades de leitura e escrita. A Direção, em parceria com o corpo docente decidiu, então, montar uma proposta de trabalho que contribuísse para a formação dos alunos, valorizando a consciência ética e a estética do bem. Segundo as diretrizes da escola, o trabalho é voltado para a formação dos cidadãos, enquanto seres humanos, na troca diária dos conhecimentos científicos e pedagógicos, entre professores e alunos, dentro da sala de aula. Há todo um incentivo para as crianças darem o melhor de si.

 

 

Professora e alunos ensaiando as apresentações

 

 

No 4° bimestre de 2018, foi desenvolvido o projeto "Conviver em paz é tarefa de todos", visando incentivar atividades que estimulassem toda a comunidade escolar a desenvolver valores de harmonia, paz, união e felicidade.  Em virtude deste projeto, foi realizada a Semana Natalina da Yolis, trazendo as famílias para dentro da Unidade Escolar. Todas as turmas desenvolveram atividades para acolher os responsáveis, durante as apresentações Natalinas que aconteceram na última semana de Novembro. Foram feitas lindas apresentações com coral, auto de Natal, jogral, danças e teatro. Houve, inclusive, apresentação com crianças cantando no idioma inglês.

 

 

Alunos realizando as apresentações

 

 

A diretora Suely Fernandes relata que essa semana foi de grande contribuição para estreitar os laços entre a escola e família. Os responsáveis ficaram bastante emocionados com as apresentações das turmas. Já os alunos, ficaram extremamente motivados com a presença de sua família durante todo o evento. A Semana Natalina da Yolis foi organizada e ensaiada com muito carinho.

 

 

Apresentação do coral natalino

 

 

A diretora adjunta Rejane Pires reforça que a semana Natalina foi mais um momento de união da equipe, pois o grupo se doou no preparo de todos os murais e cenários. O resultado não poderia ser melhor. O espaço ficou aconchegante, destaca a gestora.

 

 

Responsáveis orgulhosos com as apresentações dos alunos

 

 

A coordenadora Zulmira Leal enfatiza que o objetivo do projeto foi alcançado através das apresentações, sendo notável a autonomia das crianças com relação aos trabalhos organizados. A escola busca sempre atividades que desenvolvam o despertar das nossas crianças para serem atuantes da sua história, levando o aluno a aprender a conviver com o outro, afirma a professora.

 

 

Responsáveis observando atentamente as apresentações dos alunos

 

 

A União de toda a comunidade escolar foi o ponto principal para o sucesso do projeto. Parabéns!

 

Para saber mais sobre a Escola  Municipal Yolis da Silva:
Direção Geral:
Suely Fernandes Dias
Direção Adjunta: Rejane Pires Dutra Gonçalves
Coordenação Pedagógica: Zulmira Leal Barbedo da Silva
Telefone: 3498-8923
Email: emyolis@rioeduca.net

 

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 

Contato para publicações


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 27/12/2018

Projeto Autoestima - Empoderamento Territorial

Tags: consciência negra, autoestima, 5ªcre.

 

Aproveitando o Dia da Consciência Negra, a Escola Municipal Maestro Pixinguinha desenvolveu o Projeto Autoestima com seus alunos, trabalhando a identidade, os sonhos e objetivos de cada um. O resultado foi maravilhoso, confira!

 

 


O que é autoestima?

A autoestima, segundo o dicionário, é a qualidade de quem se valoriza, se contenta com seu modo de ser, e demonstra, consequentemente, confiança em seus atos e julgamentos.


Para falar sobre esse assunto com propriedade, a Escola Municipal Maestro Pixinguinha, no dia 10 de outubro, através da coordenadora pedagógica Vânia Loraine Barbosa de Carvalho, convidou a Articuladora Social Priscila Barbosa, que tem um canal no Youtube chamado Autoestima Diva, onde fala desse assunto sob diferentes óticas.


Uma jovem com um perfil social muito parecido com o dos nossos adolescentes, moradora de comunidade, negra, aluna de escola pública que, como tantos outros, já passou, e ainda passa, por muitas dificuldades nessa vida. Mas também é uma pessoa que não se deixou levar pelas mesmas dificuldades para desistir. Guerreira, autêntica e de um carisma sem tamanho, veio com o objetivo de mostrar aos nossos alunos que é possível ter uma vida digna, acreditar em si mesmo, nunca deixar que alguém lhe diga que não pode, que não é possível, independente do lugar onde você mora, mas que, no entanto, o local vai, sim, influenciar na sua formação.

 



“Que a autoestima é a avaliação sobre si mesmo, isso nós já sabemos, ou deveríamos saber, mas o que muitas vezes passa desapercebido é que sendo uma avaliação sobre si, ela pode ser dividida em várias camadas, nuances ou fases.


Se um indivíduo tem sua vida dividida por etapas como infância, adolescência, a transição para a vida adulta e a própria fase adulta, é de suma importância que possamos recordar que essas etapas também são avaliadas de acordo com a atmosfera vivida nessa época.


Dentro dessa análise, a questão territorial é uma das que mais causam efeito sobre a avaliação sobre nossos resultados pessoais. Um dos exemplos mais claros que podemos trazer é a do desenvolvimento educacional, social e emocional de pessoas em locais onde não há perspectiva de paz. Mesmo que tais pessoas tenham outras vivências que agreguem valor ao seu desenvolvimento, o território de constante ameaça ao seu psíquico irá interferir diretamente mais cedo ou mais tarde em suas habilidades, criatividades, potencial e avaliação sobre suas competências e até mesmo sobre quem é de fato quanto ser humano.


É claro que esse é um assunto amplo e que mais uma vez teremos subcamadas a serem consideradas, afinal nenhum indivíduo é igual ao outro, mas é preciso reforçar que quanto mais tivermos um território seguro, longe da vulnerabilidade social e com as possibilidades necessárias para desenvolvimento saudável, mais teremos seres humanos com uma avaliação positiva em mais áreas da vida. 

O que também podemos definir de efeitos colaterais de um território”. 

Priscila Barbosa

 


 


E foi a partir dessa concepção, que os alunos do 8º e 9º anos, alguns responsáveis e professores foram convidados a participarem da palestra. Segundo a equipe, acreditamos que somos multiplicadores e que conseguiremos através de ações como essas levar nossos alunos a serem empoderados e melhorarem sua autoestima, já que estão situados em uma área conflagrada pela violência de nossa cidade e por esse motivo, muitos não vêem perspectiva de mudança ou de valorização própria. Temos como objetivo, a longo prazo, que essas atitudes se reflitam no desempenho dos alunos, no gosto pelo aprender, no desafio de mudar de vida. 

A partir daí, se iniciou um trabalho de resgate dessa autoestima, aproveitando o mês da Consciência Negra, com trabalhos e reflexões em aulas de Projeto de Vida, desafiando os alunos a falarem sobre o assunto, a refletirem sobre suas condições, seus sonhos e a colocarem no papel o que eles desejam pra si mesmos.

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Maestro Pixinguinha 
Diretora Geral - Jacqueline Mello
Diretora Adjunta - Jaqueline Araújo 
Coordenadora Pedagógica - Vânia Loraine
Telefone: 3352-1005 | 2482-9875
E-mail: empixingui@rioeduca.net 


   
           



Yammer Share