A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Abril de 2013'

Segunda-feira, 08/04/2013

Ser Diferente é Normal!

Tags: 6ªcre, educaçãoespecial.

 

As Classes Especiais do Ciep Zumbi dos Palmares contam com profissionais dedicados que oferecem um atendimento de qualidade aos alunos. A escola possuía no ano de 2012 três turmas para alunos com necessidades especiais e uma Sala de Recursos. Veremos, com esta matéria, que todo o trabalho desenvolvido com estes alunos é para mostrar que Ser Diferente é ser Normal!

 

Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais” – Peça de Teatro Vozes da Consciência, BH.

 

A educação inclusiva parte dessa intenção, ou seja, do processo pelo qual cada um possa procurar a plenitude do seu existir e participar ativamente na construção de sua vida pessoal, tendo uma existência feliz e de qualidade.

 

Contudo, para que isso ocorra, a educação deve ser encarada como um direito de todos e assegurada, independentemente de suas possibilidades ou dificuldades. Somente assim, estaremos respeitando e integrando este aluno ao cotidiano escolar.

 

E então, você é capaz de aceitar e conviver com as diferenças? Acredita que cada pessoa merece sua oportunidade de ser feliz? Se as respostas foram positivas, é sinal de que você está preparado para construir uma sociedade mais justa, pacífica e igualitária.

 

 

 

 Este vídeo faz parte da campanha Ser Diferente é Normal, que é uma iniciativa do Instituito Metasocial para promover a diferença através da conscientização.

 

Ser diferente é normal! Por isso, aceite as diferenças e diga não ao preconceito!

 

Saiba mais sobre o trabalho que é desenvolvido na rede municipal de ensino com os alunos que apresentam necessidades especiais CLICANDO  AQUI.

 


Na Sala de Recursos, ser Diferente é Normal!

 

O IHA – Instituto Helena Antipoff – atua nas escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro na perspectiva da educação inclusiva. Dentro dessa ótica, a educação especial passa a integrar o projeto pedagógico da escola regular, promovendo o atendimento às necessidades especiais de alunos com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e altas habilidades.

 

Esses alunos têm direito à classe regular em seu turno e ao Atendimento Educacional Especial (AEE) no contraturno, que é dado nas Salas de Recursos da própria escola ou da escola mais próxima.

 

O Ciep Zumbi dos Palmares, localizado em Coelho Neto, é uma das escolas da 6ª Coordenadoria Regional de Educação que realiza atendimento a alunos portadores de necessidades especiais (PNE) na Sala de Recursos.

 

Saiba mais sobre o trabalho desenvolvido pelo Ciep Zumbi dos Palmares CLICANDO AQUI.

 

Os alunos da Sala de Recursos do Ciep Zumbi dos Palmares tem a oportunidade de resgatar o prazer de aprender e, ao mesmo tempo, valorizar a importância do esforço e da perseverança.

 

Através de atividades diversificadas, os professores procuram resgatar a autoestima dos alunos, mostrando para eles seus avanços, incentivando-os a prosseguir, melhorando seu desempenho, quer de hábitos sociais, quer de conteúdos previstos.

 

A professora Valéria Alexandre trabalha nesta Sala de Recursos desde o ano de 2010. Seu trabalho é apoiar os alunos que estão incluídos em turmas regulares e orientar os professores nas adaptações que precisam ser feitas para que os alunos tenham uma aprendizagem de qualidade.

 

A docente atende alunos do Ciep Zumbi dos Palmares e de outras escolas da redondeza: Escola Municipal Érico Veríssimo, Escola Municipal Virgílio Francisco Monteiro, Escola Municipal Charles Anderson e Escola Municipal Deputado Pedro Fernandes. A faixa etária dos discentes atendidos está entre 4 e 19 anos.

 

Eles são divididos em grupos e o atendimento é feito duas vezes por semana, por duas horas, no contraturno da escola. Uma vez na semana, a professora Valéria visita as escolas e observa o desenvolvimento dos alunos em sala de aula, verifica as necessidades dos professores e busca material de auxílio a eles.

 

A professora Valéria Alexandre também  acompanha o trabalho dos alunos através de relatórios periódicos, fichas de avaliação e responde ao processo, documentando suas observações sobre o aluno na escola.

 

 

Além da professora citada acima, outros profissionais contribuem para que os alunos com necessidades especiais recebam uma educação voltada para o desenvolvimento de sua autonomia dentro e fora da escola.

 

Uma delas é a professora Luciana Conceição, responsável pelas turmas de Deficiência Intelectual. Ela realiza um trabalho voltado para a alfabetização desses educandos que não foram integrados em classes regulares pela necessidade de um atendimento especializado. Os alunos são inseridos em um ambiente que favorece a socialização. Também contam com o atendimento da professora Márcia Neves na Sala de Leitura e de aulas e atividades na Vila Olímpica.

 

Todo trabalho das professoras acima é centrado na realidade da criança, em sua identidade, seu nome, sua família, suas motivações, no que ela já sabe, em seu repertório de competências, em suas habilidades, em sua singularidade.

 

Através do trabalho em conjunto dessas professoras e do uso de várias atividades adequadas ao momento da criança, é possível ajudá-la a ter consciência de como aprende, como é capaz e o quanto o aprender é gratificante.

 

Já a professora Elisabete atende a classe de TGD (Transtorno Global do Desenvolvimento). Embora seja chamada de turma, cada integrante conta com um atendimento individual. O trabalho da professora é voltado para o estímulo da interação do aluno com o mundo exterior. Em sua maioria, os alunos dessa classe são portadores de autismo.

 

Como vimos, estes profissionais realizam seu trabalho com ousadia, determinação e muito carinho. Essas atitudes complementam e/ou suplementam a formação desses alunos, elevando sua autoestima e favorecendo a inclusão e a eliminação das barreiras para a plena participação deles na sociedade.

 

A cada ação a ser tomada e a cada pensamento que temos, precisamos parar e pensar se estamos tratando o outro como igual. Afinal, são as diferenças que nos fazem aprender e crescer uns com os outros.

 

Se você deixa de ver a pessoa, vendo apenas a deficiência, quem é o cego?

Se você deixa de ouvir o grito do seu irmão para a justiça, quem é o surdo?

Se você não pode comunicar-se com sua irmã e a separa, quem é o mudo?

Se sua mente não permite que seu coração alcance seu vizinho, quem é o deficiente mental?

Se você não se levanta par defender os direitos de todos, quem é o aleijado?

A atitude negativa com as pessoas que possuem necessidades especiais pode ser nossa maior deficiência ... E a sua também!

 


Pense nisso!

 

Saiba mais como ocorreu o despertar para a Educação Especial  em uma escola da rede municipal CLICANDO AQUI!

 

 

Deixe uma mensagem para o Ciep Zumbi dos Palmares! Vamos prestigiar e valorizar o trabalho dos nossos colegas! Envie você também o seu projeto e/ou ação para ser publicado no Portal Rioeduca! Este espaço é meu, é seu, é nosso!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

Facebook: Patrícia Fernandes

E-mail: pferreira@rioeduca.net


                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/04/2013

Atendimento Educacional Especializado

Tags: 1ªcre.

A escola é o espaço que deve garantir Educação de Qualidade para todos. É papel fundamental da Educação reconhecer e respeitar a diversidade com o cuidado de atender a cada aluno segundo suas potencialidades e necessidadesToda Escola tem o dever de ser Inclusiva, em que  gestores, professores, familiares e membros da comunidade percebam o aluno como o foco central de toda ação educacional.

 

 

 

 

 

A Escola Municipal Portugal, situada em São Cristovão, tem como meta garantir a todos os seus alunos uma Educação de Qualidade. Em 2010, a unidade escolar aprimorou ainda mais o atendimento, implantando a Sala de Recursos Multifuncionais.

 

 

Sala de Recursos e Atendimento Educacional Especializado

 

 

O atendimento na Sala de Recursos é realizado no contraturno por um professor do Atendimento Educacional Especializado (AEE), dando suporte ao trabalho do professor da turma regular. Deste modo, torna-se possível igualar condições, romper barreiras e possibilitar a participação efetiva e plena na escola e na sociedade.

 

Vale ressaltar que as Salas de Recursos Multifuncionais são equipadas com materiais pedagógicos e de acessibilidade. O objetivo principal é atender com qualidade e excelência alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, matriculados nas classes comuns do ensino regular.

 

 

 

Ensino de Libras

 

 

Destacamos, na Escola Municipal Portugal, o trabalho realizado com alunos incluídos portadores de Deficiência Auditiva (DA). Enquanto assistem às aulas no turno regular, esses alunos contam com a presença de um intérprete de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Com isso, o acesso aos conteúdos transmitidos pelo professor regente é facilitado, pois esses estudantes têm o auxilio do professor no processo de aquisição dos conhecimentos necessários ao prosseguimento  na vida acadêmica com êxito.

 

Durante sua presença na Sala de Recursos, o aluno com Deficiência Auditiva é acompanhado pelo AEE, além do  instrutor de LIBRAS. O instrutor introduz esta linguagem às crianças que ainda não dominam e aperfeiçoa a comunicação em LIBRAS com aqueles que já a conhecem.

 

O instrutor de LIBRAS oferece oficinas para funcionários, responsáveis e demais membros da comunidade escolar que manifestem interesse em aprender a se comunicar na Lingua Brasileira  de  Sinais.

 

A Sala de Recursos da Escola Municipal Portugal também atende crianças com outras deficiências. Os alunos que necessitam de apoio mais específico, recebem o auxílio de um estagiário, que se torna um facilitador de aprendizagem na sala de aula regular.

 

Alunos da Escola Municipal Portugal e Professora na Sala de Recursos Multifuncionais.

 

Com esta rede de apoio, crianças com deficiência têm a oportunidade de vivenciar a riqueza do espaço escolar e de conviver com a diversidade. Afinal, um dos objetivos da educação é o exercício da cidadania e a participação das pessoas com deficiência em uma sociedade plural e livre. 

 

Saiba mais, clicando nos links abaixo:

 

Instituto Helena Antipoff

 Blog da Escola Municipal Portugal

O Despertar para A Educação Especial

Acolhimento e Inclusão: de Mãos Dadas Rumo ao Sucesso!

 

 

* Professor, queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola. Aproveite este espaço que é feito para nós! Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe. *

 


Professora Rute Albanita
 Representante Rioeduca.net da 1ª Coordenadoria Regional de Educação
ruteferreira@rioeduca.net
Twitter: @Rute_Albanita

 

 

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/04/2013

Descobertas, Esperança, Transformação, Respeito, Valorização: Educação Especial

Tags: 5ªcre, educaçãoespecial.

 

A curta experiência de trabalho e a convivência com os alunos com deficiência proporcionam grandes descobertas à professora Fernanda Oliveira, que tem esperanças de que haja um movimento de transformação da realidade.

 

Considera-se criança com deficiência, apenas para efeito de conceituação, “aquela que tem impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental ou sensorial que pode restringir sua participação plena na escola e na sociedade. Nesse grupo estão incluídos alunos com autismo, síndrome do espectro de autismo e psicose infantil, além de crianças com altas habilidades/superdotação”.

 

Na cidade do Rio de Janeiro, o órgão responsável por fomentar a educação especial nas escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro é o Instituto Helena Antipoff, que “atua na perspectiva da educação inclusiva, acompanhando as diretrizes e metas propostas pela Política Nacional de Educação Especial. Dentro dessa ótica, a educação especial passa a integrar o projeto pedagógico da escola regular, promovendo o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e altas habilidades/superdotação”.

 

Nessa perspectiva, o IHA mantém equipes junto às Coordenadorias Regionais de Educação para acompanhar os alunos integrados nas turmas regulares e nas salas de recursos multifuncionais, classes hospitalares, classes especiais e escolas especiais. O apoio dos pais e responsáveis dos alunos com deficiência é muito importante, por isso, desde 2009, a SME/RJ criou o Grupo de Pais (Grupo de Trabalho de Pais Representantes da Educação Especial), que é composto por dois pais ou responsáveis representantes junto a cada uma das onze Coordenadorias Regionais de Educação, sendo um titular e um suplente.

 

O Grupo tem como objetivo sugerir, discutir e propor ações sobre a Educação Especial na Rede Municipal, que atendam as reais necessidades dos alunos com deficiência.


O Instituto Helena Antipoff está localizado à Rua Mata Machado 15, no Maracanã.

 

Existem limites, impossibilidades e impedimentos para crianças com deficiências?

 

É o que vamos saber conhecendo o trabalho da professora Fernanda de Oliveira, que há três anos vem atuando em turmas de educação especial na Escola Municipal Figueiredo Pimentel.

 


Fernanda relata, especialmente aos leitores do Portal Rioeduca, sua experiência na Educação Especial.
 

 

O Trabalho com a Classe Especial


“Chamo-me Fernanda e trabalho com a Classe Especial há três anos na Escola Municipal 05.15.062 Figueiredo Pimentel, no bairro de Turiaçu, próximo ao bairro de Madureira.


Esta curta experiência de trabalho e convivência com os alunos com deficiência tem me proporcionado grandes descobertas e uma esperança que haja um movimento de transformação da realidade, onde esses alunos possam ser respeitados em suas diferenças, valorizados em suas habilidades e que possam, também, ter garantidos os seus direitos como cidadãos. Porém, há uma dificuldade de trabalho na educação especial, pois existe uma ausência de articulação entre o ensino comum e a educação especial. Promover essa integração é um desafio, pois ambos não parecem fazer parte de uma mesma educação geral; pois cada um trabalha em suas respectivas áreas e há barreiras em compartilhar ações pedagógicas, além de lidar muitas vezes com sentimentos como a frustração e a insegurança frente ao desafio de trabalhar com a inclusão.


Segundo Codo e Lane (1989), os fatores emocionais tem grande importância na prática educacional. Para haver um processo de ensino-aprendizagem de qualidade, é necessário que o docente tenha um bom relacionamento com os seus discentes.


Os trabalhos realizados com a classe especial são desenvolvidos a partir do centro de interesse de cada aluno, de suas habilidades e necessidades. Aplicamos constantemente um trabalho psicomotor em que o aluno é provocado a realizar atividades que estimulem a coordenação motora, o equilíbrio, a noção espacial, a criatividade, a concentração e as expressões oral e corporal.


Neste ano, nossos projetos estarão baseados em nosso PPP (Projeto Político Pedagógico), que tem como tema “Redescobrindo Saberes”. Nele, trabalharemos com os quatro pilares da Educação: Saber conhecer, Saber conviver, Saber ser, Saber fazer".

 


E continua: "Com propostas de autoconhecimento, aceitação e valorização do próprio “EU”, como sugere um dos pilares “Saber conhecer”, também teremos como objetivo o convívio com as diferenças, que ser diferente é normal, que bonito é ser você mesmo, é respeitar o outro como ele é. Esse projeto é pautado no pilar “Saber conviver” e, com ele, nós vamos descobrindo a realidade e a essência de nossos alunos.


Formamos uma parceria de sucesso, com a participação ativa dos pais, que estão sempre unidos e presentes em um diálogo constante para melhor atender e facilitar o processo evolutivo de nossos alunos no ambiente escolar. Essa união contribui para acentuar o trabalho coletivo e colaborativo, onde todos juntos decidiremos as ações que determinarão as mudanças a serem realizadas para melhorar a socialização, as vivências, as experimentações nas descobertas de novas aprendizagens de nossos alunos da Classe Especial.”
  

Parabéns professora Fernanda, parabéns Escola Municipal Figueiredo Pimentel, pela oportunidade de podermos conhecer este trabalho fantástico com a Educação Especial.
 

Quer saber mais sobre a professora Fernanda Oliveira? Então, leia aqui.

 

Conheçam, também, o blog O Despertar da Classe Especial, da professora Fernanda Oliveira. http://despertardaclasseespecial.blogspot.com.br/


 

 Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. A lista dos blogs da 5ª CRE vocês encontram aqui.

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                                


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/04/2013

Samuel, Merendeiro Nota 10!

Tags: 5ªcre, alimentação.

 

Na semana em que homenageamos os merendeiros e merendeiras, não poderíamos deixar de mencioná-los no Portal Rioeduca. São eles os responsáveis pelo núcleo alimentar das escolas.

 

Os (As) merendeiros (as) têm um papel fundamental na alimentação escolar e merecem nossa homenagem. Eles são os responsáveis pela preparação de deliciosas e nutritivas refeições servidas diariamente aos estudantes.

 

Além de proporcionar alimentação diária, a merenda escolar está presente no processo de ensino-aprendizagem e faz parte da educação alimentar e nutricional desde a tenra infância.

 

 

 

Instituto de Nutrição Annes Dias

 

No Município do Rio de Janeiro, o INAD, Instituto de Nutrição Annes Dias, é o órgão normativo e regulador para ações de alimentação e nutrição.

 

"O ato de comer, de alimentar os seus é tão histórico quanto a vida na terra. Ultrapassa escolhas individuais e se remete à cultura, aos gostos, à disponibilidade de alimentos. Na atualidade o alimentar se articula também a conhecimentos científicos, e assim a alimentação saudável para crianças em crescimento é estudada, pesquisada”, IAD. 

 

O IAD tem como missão conceber, programar, acompanhar e avaliar, em parceria com órgãos afins, a Política de Alimentação e Nutrição no município do Rio de Janeiro, considerando a alimentação como direito humano e a Segurança Alimentar e Nutricional como requisito básico para afirmação plena do potencial de desenvolvimento físico, mental e social de todo ser humano.

 


Momento Delícia

 


No mês de março, num dia de inúmeras atividades para a comunidade feminina da Escola Municipal 05.14.033 Paula Fonseca, localizada no bairro de Rocha Miranda, o Momento Delícia, atividade que faz parte do projeto “Encontro de Mulheres”, conseguiu reunir mães, tias, avós, com o objetivo de ensiná-las a confeccionar uma receita caseira de leite condensado e transformar esta oportunidade em renda familiar.

 

O dinamizador desta atividade foi o Sr. Samuel Antonio Costa, Agente de Preparo de Alimentos, o APA da escola.

 

Segundo a diretora, professora Mariléa Felipe, o preparador de alimentos, Sr. Samuel, é uma pessoa muito alegre e comunicativa. Ele conseguiu fazer com que, além da sua merenda tão bem preparada com carinho, os alunos o tivessem como amigo, angariando também a amizade dos demais profissionais da escola.

 

Por iniciativa da professora de Sala de Leitura, Marcia Viegas, o dia de contação de histórias que aconteceu na escola foi maravihoso e o Sr. Samuel foi uma das pessoas que participaram desta atividade indo às turmas, fazendo o que ele também gosta de fazer: contar histórias e declamar poesias. Assim, o Sr. Samuel estava formando leitores e contadores de história!


Sr. Samuel falou ao Portal Rioeduca com exclusividade:

“Sinto-me satisfeito e recompensado pelo meu trabalho com a merenda escolar e, principalmente, pelo reconhecimento do meu trabalho pelos demais colegas. O mais legal é ser um emprego via concurso, o que me deixa satisfeito”.

 

 Sr. Samuel no "Momento Delícia".

 

E finaliza o merendeiro-poeta:

 

“No dia deste evento me senti como um jardineiro regando flores, essas flores chamadas mulheres. Sou um jardineiro abençoado por Deus. Obrigado por esta oportunidade!”.

 

 Sr. Samuel no "Momento Delícia".

 


Fazem parte da equipe gestora da E.M. Paula Fonseca as professoras Mariléa Felipe e Anna Karolina Ribeiro, esta, que acumula também a função de Coordenadora Pedagógica. Na Sala de Leitura a professora Márcia Viegas.

 

Conheça o novo blog da EM Paula Fonseca: http://empaulafonseca2.blogspot.com.br/


Parabéns à escola e aos funcionários que fazem dessa escola nota dez!
 

 

 Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. A lista dos blogs da 5ª CRE vocês encontram aqui.

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                                


   
           



Yammer Share