A A A C
email
Retornando 49 resultados para o mês de 'Abril de 2017'

Sexta-feira, 21/04/2017

Expressões Culturais Brasileiras

Tags: 10ªcre, creche.

 

Entre traços, cantos, movimentos e brincadeiras, a Creche Municipal Vovó Benta desvenda e recria as expressões culturais brasileiras.

 

A E/CRE (10.19.627) Creche Municipal Vovó Benta está localizada à Rua 7 esquina com rua 8, s/n° – Nova Sepetiba, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende a 6 turmas com 102 alunos do Maternal I, Maternal II e Pré-escola, todos em horário integral. Tem como diretora a professora Cristiane Ferreira da Silva e como diretora adjunta, a professora Brisa Angélica de Souza Salazar.

 

Parte da equipe da Creche Municipal Vovó Benta

 

Este ano a equipe optou por um projeto que envolvesse toda a comunidade escolar, sobre a identidade e variedade cultural existente no bairro, na região sudeste e no país, no âmbito individual, social e coletivo, buscando integrar todos os eixos de conhecimento, para explorar várias habilidades e competências, abordando diferentes temas, como: obras de arte, danças, brincadeiras, músicas e artesanato.

Os educadores da unidade perceberam que era preciso incentivar os discentes a superar preconceitos raciais e culturais, tornando-os cidadãos críticos que participam do processo social, conscientes de seus direitos e deveres na sociedade com base no respeito mútuo. O trabalho com a cultura em sala de aula favorece o desenvolvimento de vínculos com a diversidade, tornando o aluno mais tolerante, valorizando e respeitando as diferenças. Esse trabalho é de extrema importância para o desenvolvimento cognitivo, emocional e físico da criança.

— Em cada bimestre iremos desenvolver atividades com um artista brasileiro em diversas áreas artísticas, tais como: pintor, autor, compositor, entre outros. Dando oportunidade ao aluno de ampliar seu conhecimento, habilidades e valorizar sua cultura. Neste primeiro bimestre estamos conhecendo Cândido Portinari, um artista brasileiro que dedicou sua vida ao registro da cultura de seu povo e de seu país, com uma realidade de vida muito semelhante a de nossos alunos. A obra de Portinari foi intensa e diversificada, retratando principalmente a infância. — afirma a diretora Cristiane.

Segundo os PCN, “a escola tem a função socializadora que nos remete a dois aspectos: o desenvolvimento individual e o contexto social e cultural. E nesta dupla determinação que nos construímos”.

Dentro deste contexto, a turma do EI-42 (Pré-escola) da professora Lilian Penha, explorou a biografia de Portinari e suas obras, visando resgatar brincadeiras antigas por meio da ludicidade, criando um ambiente agradável, que serviu como estímulo para o conhecimento, favorecendo a vivência de novos valores, disciplina e incentivando o trabalho em equipe.

 

Trabalho da turma EI-42 sobre Portinari

 

Baseado na obra “Espantalho”, a professora também pode explorar o universo das emoções, onde os alunos puderam expor seus sentimentos de medo, alegria e descontentamentos.

A turma EI-41 (Pré-escola) da professora Renata Joaquim, trabalhou a identidade, letra inicial do nome, seu significado e características físicas de cada aluno, utilizando como referência a obra Autorretrato de Portinari.

 

Trabalho da turma EI-41

 

A turma EI-31 (Maternal II), professora Andréia de Souza, utilizou as telas Meninos Brincando (1955), Roda Infantil (1932), para encenar a peça “Portinari e a infância”, tendo o aluno Edson Da Silva Pimentel representando com desenvoltura, o artista e sua história, proporcionando um momento lúdico e encantador, favorecendo a interação de toda unidade escolar.

 

Aluno Edson da Silva da turma EI-31

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.627) C. M. Vovó Benta
Telefones: 3395-9718 e 3158-1847
Email: cmvbenta@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 20/04/2017

Feira de Ciências no EDI Prof. Sirléia: Corpo humano, máquina da vida!

Tags: 9ªcre, feira, ciencias, edi, corpo, humano.

 

As crianças do EDI Prof. Sirléia Silva Reis, através do tema “Corpo humano: Máquina da vida”, tiveram a oportunidade de pesquisar, explorar, vivenciar, sentir, pensar sobre o funcionamento do corpo humano. Suas experiências nesta aventura fizeram parte da I Feira de Ciências, que aconteceu no dia 31 de março e reuniu a equipe e familiares para acompanhar as descobertas e aprendizagens das crianças.

 

 

É através do corpo que a criança interage com o meio e quando ela tem uma imagem do seu corpo, quando ela conhece adequadamente ele, ela o usa como ponto de referência para a sua aprendizagem. É importante que ela conheça: o corpo, os órgãos e suas funções. Esse conhecimento de que ela tem dois olhos, uma boca, dois pés, duas mãos, etc, é que lhe dará conhecimento do esquema corporal que, por sua vez, regula a postura e o equilíbrio, que lhe permitirá conhecer alto, baixo, na frente, atrás, direito, esquerdo, assim como o domínio de seus atos motores.

 

“Uma das principais justificativas para trabalhar o corpo humano com as crianças é que elas já têm uma curiosidade natural sobre o tema, que pode ser estimulada e ajudará a abordar outros temas relacionados, tais como: saúde, higiene, identidade e também as diferenças.”

(Professora Tatiane Bernardino, turma Pré Escola II)

 

 

É através desse conhecimento que a criança terá noção de espaço e delimitações, que depois serão indispensáveis para a aprendizagem da escrita e leitura, por exemplo. Sendo assim, uma criança que não desenvolveu a imagem e o esquema corporal, poderá ter sérios problemas na aprendizagem, pois conceitos básicos não foram adquiridos, não lhes foi dado significados e a base de uma boa aprendizagem começa aqui, na primeira infância.

 

 

As ações no dia a dia com as crianças no EDI Prof. Sirléia desdobraram-se em diferentes atividades: Registros e experiências sobre esquema corporal; Os sentidos; O que tem dentro da gente? (principais órgãos); - Os ossos; - Dentição e a saúde bucal; - A água no nosso corpo. O documento Orientações Curriculares para a Educação Infantil, no que diz respeito ao trabalho pedagógico com as ciências sociais e naturais, afirma a importancia do educador efetivar as possibilidades de desenvolvimento das crianças e de sua relação com o mundo, instigando-as, incentivando-as, desafiando-as na organização interna de informações. Encorajando-as a fazerem perguntas e a construir conhecimentos por meio da observação, formulação de hipóteses, experimentação, registro, comunicação e interpretação de resultados.

 

 

“Durante o mês de março alunos e professores engajaram-se nessa proposta e capricharam nas construções. No dia da mostra a maior participação foi das crianças, que demonstraram muita sabedoria ao tratar dos assuntos pesquisados.”

(Diretora Cátia Silene)

 

 

Parabéns a toda equipe do EDI Prof. Sirléia da Silva Reis pelo sucesso da I Feira de Ciências!

 

 

Dados da Unidade:

EDI (09.18.815) Professora Siléia Silva Reis

Estrada João Gualberto Braga, s/n, em Campo Grande

Telefone: 3394-2912

email: edisreis@rioeduca.net

Diretoras: Catia Silene e Luciana


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 19/04/2017

A Arte no Projeto Escola de Bamba 2017

Tags: 8ªcre, escola de bamba, ged.

 

O Projeto Escola de Bamba tem como objetivo trabalhar a cultura do Carnaval nas escolas municipais do Rio de Janeiro. O programa visa formar uma escola de samba constituída somente por alunos, que após participarem das ações planejadas nas unidades, fazem um belo desfile no Carnaval da Sapucaí. 

 

 

Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Mirim Corações Unidos do CIEP, o GRCESM, trabalhou o enredo: "Arteiros, Artífices e Artistas: é na Arte que o ser Humano se ultrapassa!" E no dia 28 de março de 2017 desfilaram e encantaram os presentes na Avenida Marquês de Sapucaí.

Participaram as seguintes escolas da 8ª Cre: CIEP Gilberto Freire, E.M. Madre Benedita, E.M. Coronel Corsino do Amarante, E.M. Clementino Fraga, E.M. Joana Angélica e E.M. Astrogildo Pereira.

O enredo foi trabalhado durante o ano de 2016 e culminou no grandioso desfile no sambódromo e a ala das baianas, composta por alunas do CIEP Gilberto Freire, recebeu o Estamdarte de Ouro!

 

 

O tema Arte como a possibilidade sem limites da expressão humana, foi ricamente desenvolvido nas escolas.  

A professora Diala Azevedo é Assistente II na Gerência de Educação da 8ª CRE e também responsável por coordenar o projeto Escola de Bamba. A professora compartilhou com o Rioeduca uma parte do projeto que inspirou toda a apresentação da escola na avenida:

 

ARTE CLÁSSICA

Podemos dizer que a Arte surgiu junto com o homem, pois ela é a manifestação mais profunda do intelecto e da alma humana.

A arte é responsável por transmitir emoções e por imortalizar fatos, pessoas, épocas e histórias. A arte é o retrato mais fiel das visões do mundo.

Na antiguidade, predominou a arte clássica movimentada pelas artes plásticas com a arquitetura de grandes monumentos e sarcófagos, o surgimento de bustos de pedra e mármore, a produção de objetos de metais e cerâmica e a pinturas em murais. Com o surgimento da literatura pelos gregos e, posteriormente adotada pelos romanos, os primeiros textos teatrais assumiram lugar de destaque pois, na Antiguidade um grande número de pessoas assistia aos espetáculos encenados pelos atores ao ar livre.

A arte sacra foi de suma importância nesse período. Desde o Egito a religião dava o tom em tudo o que se fazia de arte. O período Bizantino predominou os vitrais que retratavam sempre cenários religiosos. Com a chegada do Renascimento rompe-se um pouco os paradigmas da arte clássica e a arte renascentista torna-se um marco de desenvolvimento no pensamento artístico. O Barroco que vem a seguir embora investido das técnicas já avançadas do Renascimento, ainda mantém estreita relação com o universo sacro.
 

 

ARTE MODERNA

Muito tempo depois, a arte moderna vem discutir o fruir da arte. As diversas formas de pensar arte já não só subordinadas ao universo real do ser humano mas, também ao universo interno, emocional e ideológico daquele que pensa arte, faz arte e degusta arte.

Picasso foi um dos primeiros a romper com isso. Um dos nomes mais relevantes do cubismo, revela uma arte desconstituída de forma reais e traços óbvios. Seguido por outros como Salvador Dali e o impressionismo, a arte cria asas e assume um papel libertador.

A arte moderna possibilita que o artista e aquele que desfruta de sua obra, viaje internamente sem freios, sem censuras buscando o seu elo particular com o estético e dando sua ótica individual de compreensível.

Muitos movimentos figuram no cenário da Arte Moderna. A Arte Noveau da belle époque, os musicais norte americanos, a arte urbana com painéis de rua e a pop-arte que reinventa o fazer artístico a partir de materiais até então não utilizados no universo artístico.

No Brasil a semana de 1922 foi um marco no universo da arte. Um grupo de artistas resolve discutir que arte é essa que o Brasil consome e que arte este país pode produzir a partir da sua própria realidade. Tipos característicos da nossa cultura, traços da nossa miscigenação, aspectos singulares da nossa geografia e da nossa vida cotidiana passam a fazer parte do fazer artístico nesse país. Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Villa Lobos, entre outros formam um pelotão de arte brasileira que começa a oferecer um novo conceito artístico para este país.

 

 

ARTE NO BRASIL

A arte no Brasil passa também pelo traço genuíno do brasileiro. O brasileiro traz consigo a mescla do romantismo europeu, da sensualidade negra com a inocência indígena. Essa mescla nos faz singulares na nossa essência. Por isso muitas manifestações chegam ao Brasil e depois de um tempo se transformam em outras vertentes ocasionadas pelo nosso olhar particularizado que difere, e muito, de outras culturas.

A arte Naif tão encontrada nas regiões rurais e de periferia do país, o artesanato vasto do nordeste, o circo mambembe que, até hoje, consiste em entretenimento para cidades essencialmente rurais, as serestas ao cair da tarde nas praças, o teatro infantil feito nos parques, a dança de rua feita nos centros urbanos, o funk carioca, e tantas outras manifestações são renovações da linguagem artística realizadas pelo povo brasileiro.
 

 

 


                      "Todas as artes contribuem para a maior de todas; a arte de viver".
                                                                                                         Bertold Brech

 

O projeto Escola de Bamba reconhece e privilegia os talentosos alunos das escolas públicas do Rio de Janeiro. É uma ação que reconhece uma das mais populares manifestações artísticas do povo carioca!

 

O Rioeduca parabeniza a todas as escolas que participam do projeto e oferece esse espaço para compartilhar outras experiências tão bem sucedidas e significantes como essa! Entre em contato.

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 18/04/2017

Reflexões Sobre Datas Comemorativas

Tags: educação, infantil, reflexões, datas, comemorativas.

 

Caríssimos parceiros da Educação Infantil,


Atendendo a pedidos, reencaminhamos o documento orientador da Rede - Todo dia era dia de índio - reflexões sobre datas comemorativasque traz o debate sobre o porquê de não pautar o trabalho em datas comemorativas.

Antes, porém, cabe destacar os movimentos positivos percebidos neste último feriado. O que vimos, presencialmente e através das redes sociais, foram as unidades, profissionais e famílias repensando as práticas engessadas e descontextualizadas, na busca por uma prática pedagógica reflexiva.

Percebemos, de forma extremamente otimista, que a Rede está num movimento de ressignificar seus saberes e fazeres. É isso, minha gente! Compreendemos que toda mudança é um processo, um processo de idas e vindas, um processo ora particular, ora coletivo, mas, sobretudo, um processo contínuo. Admitir a existência dessa premissa é um ponto de partida para compreender que a sociedade e seus paradigmas se modificam a cada instante e que cabe à escola traduzir essas mudanças não hierarquizando saberes, culturas, religiões e referências identitárias, mas abraçando essa pluralidade de modo a contemplá-la de forma igualitária, equânime e democrática.

Contagie sua equipe para a leitura! Convide as famílias para participarem e opinarem. Quando os responsáveis são informados sobre os projetos desenvolvidos na unidade passam a compreender a proposta pedagógica, deixando de valorizar "certas" comemorações em prol de vivências significativas para as crianças e sua comunidade!

Para finalizar, trazemos um texto do Portal MultiRio , sobre o "Dia do índio", que pode acrescentar e/ou enriquecer o debate com a equipe pedagógica!

Link: http://multirio.rj.gov.br/index.php/leia/reportagens-artigos/reportagens/12244-dia-do-%E2%80%9C%C3%ADndio%E2%80%9D-questionamentos,-desconstru%C3%A7%C3%B5es-e-abordagens-poss%C3%ADveis 

 

Atenciosamente,
Gerência de Educação Infantil


   
           



Yammer Share