A A A C
email
Retornando 77 resultados para o mês de 'Maio de 2013'

Quarta-feira, 29/05/2013

Matemática Também se Aprende Brincando?

Tags: 8ªcre.

A  Matemática pode deixar de ser a grande vilã nos boletins dos alunos da Escola Municipal Raul Francisco Ryff.

A professora Marcela Amândula aposta na integração dos conceitos com materiais concretos para que os alunos possam relacionar, melhorar a compreensão e entender que estudar Matemática pode ser tão gostoso quanto brincar!

 

 

 

Alunos da turma 1402, na E.M. Raul Francisco Ryff, iniciando a atividade de produção de sólidos geométricos

 

 

Estudiosos afirmam que é possível combater a repulsa que boa parte dos alunos têm pela Matemática. É preciso que as crianças vejam a disciplina como algo vivo, útil e prazeroso. Para isso, o papel do professor é fundamental.

É possível até mesmo despertar a paixão pela Matemática, dependendo da abordagem dos conteúdos em sala de aula.

Pensando assim, a professora Marcela Amândula planejou a aula sobre Sólidos Geométricos em dois momentos: o primeiro foi teórico, quando os alunos assistiram a um vídeo explicativo do assunto; e o segundo foi prático, quando os alunos produziram os Sólidos Geométricos com jujubas e palitos.

 

 

"A melhor aula que tive foi essa!"

                                                                 Kauã dos Santos Siqueira, aluno da turma 1402.

 

 

 

 

 

"Os Sólidos geométricos geralmente são ensinados com o auxílio de uma lousa, papel, lápis e borracha; dessa forma geralmente o aluno esquece, pois aquilo não teve significado pra ele.

Este trabalho teve como objetivo despertar o interesse dos alunos e mostrar que é possível, sim, aprender de forma lúdica.

Foi observado, através de avaliações diárias, que os alunos conseguiram aprender todos os sólidos geométricos. Até aquele que apresentava dificuldade aprendeu e aquele que não gostava de interagir quis participar.

Conclui-se que o lúdico e o material concreto são grandes aliados na aprendizagem de qualidade."


 Marcela Amândula, Professora da turma 1402 - E.M. Raul Francisco Ryff.

 

 

 

 

 

"Professora, quando faremos de novo?"

                                                  Nadson da Silva de Oliveira, aluno da turma 1402.
 

 

O exemplo dessa aula nos leva à reflexão sobre a importância de associar o lúdico aos conceitos que precisam ser aprendidos pelos alunos.

Não só a Matemática, mas aprender qualquer disciplina pode se tornar algo prazeroso quando o professor consegue provocar a curiosidade, abordar de forma lúdica e apontar a utilidade de cada conceito aprendido.

A equipe pedagógica da Escola Municipal Raul Francisco Ryff pretende muito mais do que ensinar os seus alunos, deseja envolvê-los!

 

 

 

Ellen Lopes, aluna da turma 1402 na E.M. Raul Francisc Ryff, exibindo sua produção com jujubas.

 

 

 

O Rioeduca deseja compartilhar o que você, professor, está realizando com seus alunos!

Não deixe de procurar o representante da sua CRE.

 

 

 

Professora Neilda Silva - Rioeduca 8ª CRE

neildasilva@rioeduca.net

Twitter: @Prof_Neilda


 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 29/05/2013

Curso de Braille Módulo Inicial no Instituto Helena Antipoff

O Instituto Municipal Helena Antipoff, através do Centro de Transcrição à Braille, promoverá em junho o curso “A importância do Sistema Braille no processo de leitura e escrita para alunos deficientes visuais", módulo inicial.

 

A partir de junho de 2013, estarão abertas as inscrições para o curso “A importância do Sistema Braille no processo de leitura e escrita para alunos deficientes visuais”, promovido pelo Instituto Municipal Helena Antipoff, através do Centro de Transcrição a Braille.

 

 

 

Objetivos do curso: Favorecer a construção do conhecimento por meio do Sistema Braille; Propiciar o desenvolvimento pedagógico do aluno com deficiência visual; Possibilitar ao professor respostas educativas às necessidades educacionais dos alunos com deficiência.

 

Ementas:

O papel do Sistema Braille na vida da pessoa cega; reconhecimento e exploração do alfabeto; distribuição espacial dos caracteres em cada coluna; penetrando na lógica do Sistema Braille como um todo; regras básicas no emprego de sinais gráficos diversos; disposição do Braille na reglete; leitura, escrita e disposição espacial dos textos em Braille; escrita de números; operações fundamentais.


Público Alvo:

  • Professores que atuam diretamente com o aluno deficiente visual;
  • Professores do Atendimento Educacional Especializado;
  • Coordenador pedagógico de escolas que possuam alunos com deficiência visual.


Carga Horária:

40h distribuídas em dez aulas com quatro horas de duração.


Vagas:

Vinte e cinco vagas no período da tarde (13h às 17h). Obs.: Não será formada turma no período da manhã.


Local: Instituto Municipal Helena Antipoff – Rua Mata Machado, nº 15 Maracanã

.
Período de realização: Junho a setembro de 2013

Junho: 07, 14, 21 e 28
Agosto: 02, 09, 16, 23 e 30
Setembro: 06


Orientações para Inscrições:

1. As inscrições serão online no endereço:
https://docs.google.com/forms/d/1qLPI6rEOwpDCXGyqXMOKNNGWHGwwww3xjZyeA6hZMqg/viewform

2. A inscrição não garante a matrícula no curso. O professor fará a inscrição e deverá aguardar a confirmação da mesma. Será respeitada a ordem de inscrição.

3. O professor do AEE deverá realizar o curso como “5º dia”, no seu horário de trabalho.
4. Não haverá dispensa de ponto.

5. Serão certificados os professores que obtiverem oitenta por cento de frequência.

 


Professor, conheça o trabalho desenvolvido no IHA, através do seu blog: http://ihainforma.wordpress.com/

 

                               


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 29/05/2013

Curso para Professores no Instituto Municipal Helena Antipoff - Inscritos

 

 

Divulgamos a listagem dos inscritos no curso: O Soroban e sua Importância no Processo Ensino-Aprendizagem dos Cálculos Matemáticos.

 

O IHA (Instituto Municipal Helena Antipoff) está oferecendo o curso “Soroban módulo inicial”, direcionado para Professores que atuam diretamente com o aluno deficiente visual, Professores do Atendimento Educacional Especializado e Coordenadores Pedagógicos de escolas que possuam alunos com deficiência visual.

 

1- Ana Cristina Francisco de Barros - 10/263655-3

2- Ana Raquel Barros Queiroz - 10/254.023-5

3- Andréia Pinheiro da Rocha - 10/192960-3

4- Expedito Lima de Medeiros Junior - 10/247596-0

5- Fernanda da Motta Nunes - 10/222.243-8

6- Gilca Maria Gonçalves Brandão - 10/241 926-5

7- Glória da Conceição de Oliveira Medeiros - 10/215431-8

8- Kecylane Fernandes Nunes - 10/289.032-5

9- Luciene Brocolo - 10/128.303-5

10- Márcia Castilho de Oliveira - 10/149961-5

11- Márcia Rodrigues Matos - 10/262.137-3

12- Maria da Conceição Barbosa de Pinho -10/172.350-1

13- Maria da Glória Morais de Oliveira - 10/260.470-0

14- Maria das Graças Lopes dos Santos - 10/105893-2

15- Marisa Mendes Machado de Souza - 10/216278-2

16- Marli Miranda de Oliveira - 10 056844-4

17- Miriam Pereira Ribeiro de Oliveira - 10/260.534-3

18- Mônica Ribeiro Joviano - 10/222861-7

19- Renata Clarice Campelo Moreira Gomes - 10/262007-8

20- Selma da Silva Lima - 165583-6

21- Simone Moreno Lomba - 10/200064-4

22- Solange de Souza Nascimento - 10/222.268-5

23- Sonia Regina da Silva Santos - 10/136786-1

24- Paula Pereira Bettcher - 10/216044-8

25- Priscilla Moreira Nunes - 10/260069-0

26- Wanderléia Alcântara Santos Soares - 10/254.491-3

27- Vitória Carneiro Severini - 10/232.047-1
 

 

 

 

                               


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/05/2013

Alegria e Poesia para uma Data Especial

Tags: 2ªcre, educaçãoinfantil, creches, gec.

A Creche Municipal Doutor Marcelo Candia e o Ginásio Experimental Carioca Epitácio Pessoa comemoraram o Dia das Mães com uma reflexão sobre a importância da data e com a criação de poesias pelos alunos.

 

 

A Creche Municipal Doutor Marcelo Candia nos conta que não costuma trabalhar com datas comemorativas. Porém, este ano, muitas crianças levaram para o ambiente escolar o tema Dia das Mães, dizendo que iriam comprar um presente para a mamãe e outros disseram que não poderiam presentear a mãe nesta data.


Partindo deste acontecimento, a equipe pedagógica percebeu a necessidade de trabalhar o tema sob várias perspectivas e levar os pequenos a refletirem sobre o assunto. “O que é ser mãe?”, “todos têm mãe?”, “precisamos de uma data definida para homenagear a mãe?”, “o amor pode ser medido pelo valor do presente?”. Estes foram os questionamentos discutidos com os alunos na faixa etária entre três e cinco anos.

 

A equipe pedagógica, após a conversa com os pequenos, combinou que cada aluno iria produzir uma lembrança para presentear a mãe ou o responsável que ocupa esse papel em sua vida. As crianças participaram de atividades diversificadas para a construção da lembrança para as mães.


O objetivo da C. M. Doutor Marcelo Candia foi alcançado, pois os responsáveis, ao receberem a homenagem, valorizaram a produção de seus filhos, percebendo que o afeto empregado na produção do presente é mais valioso que qualquer presente comprado em lojas.

 

 

Alunos participando da atividade.

 

Produção do presente da mamãe.

 

Alunos reunidos mostrando suas produções para o presente das mães.

 

Poesia para uma Data Especial

 

A professora de Língua Portuguesa Maria Luiza de Azevedo Barroso, do Ginásio Experimental Carioca Epitácio Pessoa, desenvolveu um trabalho interessante sobre o Dia das Mães com as turmas do sétimo ano do Ensino Fundamental.


A ideia deste trabalho surgiu através do estudo, nas aulas de Geografia, sobre a mulher no mercado de trabalho e sua jornada dupla, atuando também como dona de casa, que realiza todas as tarefas domésticas.


As atividades, que culminaram na produção de poesias sobre o tema, tiveram como base alguns objetivos:

 

Valorização da figura materna como mulher, mãe, trabalhadora, dona de casa;


• Incentivar os alunos a auxiliarem as mães nas tarefas diárias de organização da casa.

 

Após amplo debate sobre o papel da mulher no Brasil moderno, foi feita uma pesquisa entre os alunos das turmas 1.701 e 1.702 e, num universo de quarenta jovens, apenas três de suas mães não trabalham fora do lar.


As turmas elaboraram um roteiro diário com as obrigações de suas mães e perceberam a exaustiva jornada a que elas são submetidas e concordaram sobre a importância da divisão das tarefas em casa.


Ao final da atividade, as turmas produziram belas poesias para homenagear as mães. Na escola, os textos e desenhos fizeram parte do mural “Como é a minha mãe?”.

 

 

Minha mãe

 

Minha mãe é delicada
Tudo de bom ela tem.

 

É uma rosa perfumada
Por isso, trato dela 
Sempre muito bem

 

Me criou
E sempre me amou.

 

Ela é a pétala 
Da minha rosa
E a luz
Da minha escuridão 

 

E, por isso, não tenho
Medo de dizer que:
Amo minha mãe
Do fundo do meu coração.

 

Autora: Thaynara Cristina, turma: 1.702.
 

 

Professora Maria Luiza e alunos da turma 1.701.

 

 

Professora Maria Luiza e alunos da turma 1.702.

 

 

Parabéns às unidades escolares pelas belas homenagens às mães!
 

 

Gostou desta publicação?

Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

 

Renata Carvalho – Professora da Rede e representante da 2ªCRE, no portal Rioeduca
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share