A A A C
email
Retornando 48 resultados para o mês de 'Maio de 2013'

Terça-feira, 14/05/2013

Brincando, Lendo o Mundo e Criando Laços

Tags: 2ªcre, creches, educaçãoinfantil.

O projeto didático de 2013 da Creche Municipal Doutor Sérgio Arouca propõe levar os pequeninos a lerem o mundo através de brincadeiras e assim construir conhecimento.

 

O projeto didático "Brincar e ler o mundo na Creche Municipal Doutor Sérgio Arouca é... criar, construir, aprender e crescer!" surgiu durante as discussões com a equipe pedagógica no início do ano letivo. Durante as discussões surgiram vários questionamentos sobre o projeto a ser desenvolvido no ano de 2013.

O que queremos ensinar? O que as crianças querem ou precisam aprender? Como tornar prazerosa a entrada da criança na instituição escolar? Qual a importância das leituras na educação infantil? Como podemos continuar o processo de construir uma identidade positiva na creche iniciado em 2012?

E foi através da busca de respostas para estes questionamentos que surgiu o projeto didático do ano 2013.

 

 

 

Equipe da C.M. Doutor Sérgio Arouca reunida para planejamento.

 

 

 

Equipe reunida no início do ano letivo.

 

Os responsáveis pelos alunos também participam da proposta pedagógica da unidade escolar. As ideias e propostas sugeridas pelos responsáveis são incorporadas ao projeto, com isso é possível ampliar as discussões e a participação de todos.


Os objetivos do projeto didático "Brincar e ler o mundo na Creche Municipal Doutor Sérgio Arouca é... criar, construir, aprender e crescer!" são: propiciar as crianças o desenvolvimento com autonomia, aprendizagens para a vida, a intimidade com o ambiente letrado e a ampliação das leituras de mundo e seus significados, numa proposta em que criatividade, letramento e ludicidade estejam sempre presentes.

 

O projeto didático anual foi dividido em quatro subprojetos que serão trabalhados ao longo dos bimestres do ano letivo.


No primeiro bimestre o tema trabalhado teve como título “Brincando, lendo o mundo e criando laços!” Os eixos norteadores foram: afetividade, identidade e estreitamento de relações entre a creche e as famílias. O que gerou o desenvolvimento de atividades muito interessantes.


Os bebês do berçário 1, turma EI-50 provaram que literatura começa no berço, ouvindo atentamente a história "Como é bonito o Pé do Igor", da Editora DCL e de autoria de Sonia Rosa. Também brincaram com boneco "Igor" que apareceu no berçário para  brincar com as crianças durante a contação da história. Retirado do blog da creche

 


 

 

Atividade com o livro "Como é Bonito o Pé do Igor".

 

As crianças da turma EI-41 levaram para a creche fotos de suas famílias e de seus amigos. Fizeram comparações com as fotos, descobriram detalhes interessantes, riram e brincaram.
Quem conhece quem? Quem brinca com quem? Quem é primo de quem? Quem é irmão de quem? Quem é tio, tia, parente, pai, mãe, amigo?  


Entre as atividades, as crianças também ouviram a história “Porcolino e Mamãe”, da Editora Brinque Book, de Margaret Wild.


Depois tiraram fotos muito bonitas entre a turma e entre os que possuem parentesco com outras crianças e com funcionários da creche para fazer um mural “Formando Laços na Creche” e, assim, fechar o nosso primeiro subprojeto com o tema afetividade! Retirado do blog da creche.


 

 

Alunos reunidos comparando fotos.

 

 

Leitura do livro "Porcolino e a Mamãe".

 

 

Mural "Formando Laços na Creche".

 

Já iniciamos o segundo bimestre e o subprojeto que será trabalhado é: “Brincando, lendo o mundo e construindo com a literatura!”. Os eixos norteadores serão: leituras e literatura, entre livros e fraldas, leitura no berçário e ampliação das leituras de mundo.

 

“Brincando, lendo o mundo e aprendendo com ritmos!” é o tema destinado ao terceiro bimestre. Sua ênfase será nas linguagens das artes musicais e corporais, ritmos e diversidade cultural.

 

E encerrando o ano letivo de 2013 no quarto bimestre, o tema será: “Brincando, lendo o mundo, crescendo e conquistando o mundo!”. Os eixos norteadores deste subprojeto serão: psicomotricidade, autonomia, as habilidades conquistadas pelas crianças, o espaço da creche e a apropriação desse espaço pelas crianças.

 

O desenvolvimento destas atividades pode ser acompanhado através do ambiente virtual da C.M. Doutor Sérgio Arouca.


Visite o blog para conhecer mais!

 


http://cmarouca.blogspot.com.br/ 

 

 

 Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

 

Renata Carvalho – Professora da Rede e representante da 2ªCRE, no portal Rioeduca
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/05/2013

Cultura Indígena na Avenida

Tags: 1ªcre.

 

 

O Espaço de Desenvolvimento InfantiI Avenida dos Desfiles está situada no Setor 13 da Passarela do Samba, localizada na Avenida Salvador de Sá, Cidade Nova. O corpo docente é composto de catorze professores e seis funcionários de apoio. Os alunos estão compreendidos na faixa etária de quatro e cinco anos.

 

 

Projeto Índios na Escola no EDI Avenida dos Desfiles.

 

Respeito e Cidadania na Educação Infantil


A Unidade Escolar realiza diferentes projetos e atividades com o objetivo de cumprir a lei 11.645. Esta lei acrescentou a obrigatoriedade do ensino da cultura e história indígena à lei 10.639, de 2003, responsável por inserir a história afro-brasileira e africana nos currículos escolares. A intenção desta mudança é fazer com que as questões indígenas e afro-brasileiras sejam abordadas em disciplinas como Educação Artística, Literatura e História do Brasil.

 

O EDI (Espaço de Desenvolvimento Infantil) Avenida dos Desfiles acredita que esse é o caminho para que mudanças significativas aconteçam na Educação e na vida das famílias da comunidade. Infelizmente, ainda vemos episódios de violência, promovidos pelo preconceito e racismo. Casos assim ferem a constituição brasileira e machucam física e psicologicamente muitas pessoas. Deste modo, a equipe de educadores do EDI investe em projetos, incentivando os pequenos alunos a terem contato com a história das diferentes culturas que formam o povo brasileiro.

 

Os Índios contam para as crianças sobre seus hábitos e costumes.

 

Em março, as turmas vivenciaram atividades nas quais foram abordados temas como Família, Diversidade, Identidade, Respeito e Solidariedade. Em abril, as crianças puderam aprender um pouco mais a repeito da vida e dos costumes dos índios. Os alunos conheceram sobre a história dos povos indígenas, bem como sua influência na vida do povo brasileiro. Com rodas de conversa e atividades voltadas para o projeto, os pequenos entenderam  que respeitar o próximo é fundamental para construir a cidadania numa sociedade pluriétnica e pluricultural.

 

Em todas as turmas, os educadores contaram histórias e desenvolveram trabalhos com o objetivo de que, desde pequeno, cada aluno possa valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, assim como aspectos socioculturais de outros povos e nações. Nas rodinhas de conversa, as professoras ensinaram o quanto é importante que todos se posicionem contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

 

Projeto Índios na Escola

 

As crianças  se encantam com as histórias que os índios contam.

 

Para finalizar o projeto, foram convidados para participarem do projeto os representantes das tribos dos Pataxós, Kamayurá, Patxiá e Kawatã Hoxanã, que participam do Projeto Indios na Escola. As crianças da Creche Ana Maria e do EDI Avenida dos Desfiles II também estiveram presentes para ouvir e se encantar com as histórias indígenas.

 

O projeto foi um sucesso! As crianças aprenderam sobre a importância da diversidade e do respeito para um país mais democrático e feliz. 

 

Conheça mais do Projeto Indios na Escola clicando na imagem abaixo:

 

 

 

Clique AQUI e conheça um pouco mais o trabalho realizado no EDI Avenida dos Desfiles.

 

Leia mais em:

 

Os Índios e suas Cultura na CM Fallet

Comemorando o Dia do Índio na CM Zilka Salaberry

Formando Valores através da Cultura Índigena

Cultura Índigena para os Pequenos da CM Espaço Livre da Criança

 

 

* Professor, queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola. Aproveite este espaço que é feito para nós! Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe. *

 


Professora Rute Albanita
 Representante Rioeduca.net da 1ª Coordenadoria Regional de Educação
ruteferreira@rioeduca.net
Twitter: @Rute_Albanita

 

 

COMPARTILHE E COMENTE!

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 13/05/2013

Aprender e Brincar é só Começar!

Tags: 6ªcre, edi.

O Espaço de Desenvolvimento Infantil Wesley Guilber Rodrigues de Andrade, localizado em Costa Barros, leva o brincar a sério. Esta prática está inserida no dia a dia das crianças com o objetivo de proporcionar aos alunos a construção de competências motoras, da autonomia e, principalmente, dos papeis sociais que fazem parte da nossa cultura.

 

Para turmas de creche, brincar e jogar não são passatempos e sim atividades fundamentais para a  construção de conhecimentos sobre o  mundo. Com elas, os pequenos aprendem a estar com os outros e consigo mesmos.

 

O brincar é, por excelência, uma ferramenta para o desenvolvimento da criança. Além de estimular a curiosidade, a autoconfiança e a autonomia, proporciona o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção.

 

Por isso, ao ver uma criança montar blocos, construir casas, prédios e cidades, não diga que está só a brincar. Isso porque ao brincar, ela está aprendendo sobre o equilíbrio e as formas. Um dia ela pode virar engenheira ou arquiteta.

 

Quando a virem fantasiar, fazer comidinha ou cuidar de bonecas, não pensem que está só a brincar. Porque ao brincar, ela está aprendendo a cuidar de si e dos outros. Um dia ela pode vir a ser pai ou mãe.

 

Quando a virem coberta de tinta, a pintar, esculpir e moldar barro, não digam que está só a brincar. Ao brincar, ela está aprendendo a expressar-se e a criar. Um dia, ela pode vir a ser um artista ou inventor.

 

Enfim, quando a perguntar o que ela fez na escola e esta lhe responder que brincou, não a entenda mal. Porque ao brincar, está aprendendo a trabalhar com prazer e eficiência. Está preparando-se para o futuro!

 

Não esqueça, ela é criança e seu trabalho é brincar!

 

 

 

Vídeo "O que é ser criança?". Uma homenagem da equipe EVOLVERE para todas as pequenas e grandes crianças!!!

 

 

Aprender e Brincar é só Começar!

 

A equipe do EDI (Espaço de Desenvolvimento Infantil - Wesley Guilber Rodriges de Andrade), localizado em Costa Barros, leva o brincar a sério. Os professores sabem que  através da brincadeira seus alunos ultrapassam a realidade em que vivem, transformando-a através da imaginação. Desta forma, as crianças expressam o que tem dificuldade em realizar através  do uso da palavra.

 

O dia a dia das crianças do EDI Wesley Guilber é planejado a partir de atividades que proporcionam aos alunos a construção das competências motoras, da autonomia e da compreensão dos papeis sociais que fazem parte da sua cultura.

 

Para que estes objetivos sejam alcançados, as educadoras desenvolvem brincadeiras à volta da exploração de objetos através dos sentidos; da ação motora; da manipulação, do faz de conta; das histórias; do desenho; dos fantoches e dos jogos simbólicos.

 

A profissional Geane, em uma manhã de muitas brincadeiras, ajudou os alunos do EI-51 a descobrirem a forma, a textura e as cores de um tecido colorido. A brincadeira era esconder e achar os amigos. Tudo virou festa! Entre muitos sorrisos, todos esperavam sua vez de se esconder. Logo os alunos deram outro sentido à proposta: ao perceberem o tecido forrado no chão, todos se deitavam e faziam carinho nos colegas.

 

Segundo a educadora, esta brincadeira teve por objetivo trabalhar a identidade ao esconder e procurar cada criança, desenvolver a oralidade e a interação.

 

 

Organizar um ambiente interno com diversas opções de jogos de exercício é favorecer o movimento da criança e a exploração de materiais.

 

 

É preciso prestar atenção à interação e à socialização entre as crianças e às formas como imitam, reproduzem e recriam as normas e os costumes que observam no meio em que vivem.

 

 

Para potencializar a atividade, deve-se escolher objetos que estimulem os sentidos e o movimento. Quanto mais variadas as cores, texturas, materiais e os estímulos que eles permitirem, melhor.

 

Os pais também foram convidados a participar da brincadeira! O simples ato de brincar com os filhos ajuda na educação da criança, além de aumentar o elo com os pais. Crianças que geralmente brincam com seus pais, tendem a se tornar mais amorosas e menos agressivas.

 

Por isso, a equipe do EDI Wesley Guilber convidou os pais dos alunos para uma brincadeira muito especial: soltar pipa, uma arte milenar que fascina o homem em todas as partes do mundo. Todo o material foi providenciado - varetas, tesoura, papel seda, cola e linha -  para que os pais e os filhos pudessem construir juntos uma forma de brincar.

 

A montagem das pipas foi um verdadeiro trabalho de equipe! Mas a parte mais emocionante foi ver os pais e filhos construindo um elo de amor e carinho através do brincar.

 

 

O espaço do brincar com o seu filho vai além de estimular o cérebro e físico das crianças. É principalmente um momento de diálogo e troca afetiva com os filhos.

 

 

Ao brincar, os pais devem se deixar levar pela criatividade dos filhos, pela sua imaginação, evitando corrigi-los em suas brincadeiras, caso não haja riscos físicos, para que não se iniba a sua espontaneidade.

 

 

Segundo especialistas, brincar com os filhos torna-os mais seguros, confiantes e inteligentes. Além de deixá-los mais felizes, imaginativos e tolerantes.

 

Jean Piaget enfatiza que a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança; sendo, por isso, indispensáveis à prática educativa. Sendo assim, a infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano e os educadores do EDI Wesley Guilber aproveitam esta oportunidade para estimular a criatividade dia após dia, sem esmorecer. E, por esse e outros motivos, são dignos de nosso RESPEITO e ADMIRAÇÃO.

 

Aos professores do EDI Wesley Guilber, só tenho a dizer que continuem realizando este trabalho de excelência e enriquecedor, que esconde dentro dele o que todos esperam.... a FELICIDADE!

 

 

Gostou do trabalho do EDI Wesley Guilber? Então deixe um comentário! Sua opinião é muito importante! Clique aqui e conheça o blog do Edi!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª Cre

Facebook: Patricia Fernandes

Twitter: @Paty-PFF

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/05/2013

Corrida de Orientação

Tags: 10ªcre, centro de estudos, educação física.


 

 

Professores de Educação Física da 10ª CRE se reúnem no Centro de Estudos para debater o tema "Orientação Pedestre".

 

 

A Orientação Pedestre, também conhecida como Corrida de Orientação, foi tema principal da reunião no Centro de Estudos dos professores de Educação Física da 10ª Coordenadoria Regional de Educação em encontro ocorrido no dia 27 de março de 2013 (quarta-feira).

 

Segundo informações do professor Humberto Figueiredo, idealizador e coordenador do encontro, o Centro de Estudos de Educação Física é um movimento que surgiu da iniciativa de alguns professores da Rede Municipal de Educação a partir de encontros realizados na 8ª CRE.

 

Humberto informa que o Centro de Estudos tem como propósito levar aos professores de Educação Física informações atualizadas alusivas à disciplina.

 

Prof. Humberto Figueiro (em pé) falando na abertura do Centro de Estudos dos professores de Educação Física da 10ª CRE.

 

Professores participantes do encontro.

 

Professores palestrantes.

 

Na 10ª CRE, os encontros tiveram início com o objetivo de divulgar estudos de Orientações Curriculares ocorridos durante todo o decurso do ano letivo de 2012.

 

A partir de então, os encontros passaram a servir também como uma forma de ampliar as informações e conhecimentos na área da Educação Física, com professores e especialistas ministrando palestras e promovendo debates, inclusive trazendo novidades das áreas acadêmicas a partir de defesas de teses de doutorado ou dissertações de mestrado.

 

Os encontros são bimestrais, e no dia 27 de março compareceram cinquenta professores do 1º e 2º segmentos, além de alguns diretores de escolas.

 

Naquela oportunidade foi apresentada a palestra pelo professor Dagoberto Buarque, da 8ª CRE, um dos pioneiros dos Centros de Estudos de Educação Física, falando especificamente sobre o significado daqueles encontros e chamando a atenção de todos para a necessidade da propagação e valorização do trabalho do professor da disciplina.

 

Dagoberto e Humberto apostam na integração de todas as coordenadorias regionais de Educação no planejamento e elaboração de outros Centros de Estudos, lembrando que já são realizadas reuniões nas 4ª, 7ª, 8ª, 10ª e 11ª CREs.

 

Para falar do tema principal do Centro de Estudos de Educação Física no dia 27 de março, - Corrida de Orientação ou Orientação Pedestre -, foram convidados os professores Braga e Marion, que estão desenvolvendo a implantação desta modalidade esportiva na Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro, com a proposta, já em fase de consolidação, de iniciar a prática em escolas da 10ª CRE.

 

De acordo com o texto transcrito do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, “o objetivo da corrida de orientação é percorrer uma determinada distância em um local variado e desconhecido, obrigando os participantes a passar obrigatoriamente por determinados pontos no terreno. Estes pontos pré-definidos são apresentados num mapa que é distribuído a cada concorrente. O mapa é uma carta topográfica que contém as informações básicas do local a ser desbravado.

 

O fundamental de uma atividade desse gênero não é a vitória em si, mas a integração dos participantes que disputam por um objetivo comum.

 

A região da Zona Oeste e os bairros de Guaratiba e de Santa Cruz são bastante propícios para o desenvolvimento da Corrida de Orientação, e em algumas escolas o treinamento poderá ser feito até mesmo no seu próprio terreno ou áreas limítrofes.

 

Segundo o professor Humberto, a coordenadora da 10ª CRE, Gracinha Muller, mostrou-se bastante entusiasmada com a metodologia da Corrida de Orientação, passando a ser uma grande incentivadora da implantação da prática esportiva em nossas escolas.

 

É bastante provável, que além do destaque que vem apresentando nas provas de Atletismo, a 10ª CRE também poderá sobressair-se na Corrida de Orientação como nova modalidade desportiva.

 


 Sinvaldo do Nascimento Souza, professor representante do Rioeduca na 10ª CRE.
 Twiter: @SinvaldoNSouza
 Facebook.com/SinvaldoSouza
 E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share